Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Tio de Teixeira prevê aprovação da Liga por 26 a 1, mas Lopes crava: "É ficção"


Marco Antonio TeixeiraPouco antes do arbitral convocado para esta quinta-feira na sede da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), quatro representantes dos clubes de menor investimento da Série A do Campeonato Carioca debatiam o atual cenário político com a iminência da votação da filiação da Liga Sul-Minas-Rio. Entre eles, Marco Antônio Teixeira, o tio do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira, diretor-executivo do América e ex-secretário-geral da CBF. Sem perceber - ou se importar com - a presença de jornalistas no local, por alguns minutos falou sobre o impasse entre Ferj e a dupla Flamengo e Fluminense, e também sobre a tentativa do presidente da entidade, Rubens Lopes, de barrar a disputa da Sul-Minas-Rio em 2016. Teixeira falou para quem quisesse ouvir que não acredita em reprovação da Liga na assembleia convocada pela CBF para o dia 27. Disse considerar possível um placar de 26 a 1.

Em sua análise, o presidente da CBF, Marco Polo del Nero, deu sinais de que não cederá à pressão de Lopes. Teixeira avaliou que o fato de a CBF ter respondido publicamente a uma nota enviada diretamente pela presidência da Ferj para Del Nero é um indicativo de que o prestígio de Lopes junto à cúpula da confederação não é tão sólido. Analisou, ainda, que dificilmente a CBF vai querer comprar uma briga com diversos grandes clubes em um momento de fragilidade política. O secretário-geral da CBF, Walter Feldman, já afirmou ao blog que a posição da entidade em relação à Sul-Minas-Rio é diferente da adotada pela Ferj, e deixou claro que a Liga só está sendo levada para votação em plenário por conta da falta de consenso.

Os demais dirigentes, depois de ouvir as palavras de Teixeira, concordaram e passaram a discorrer sobre renovação de contrato de transmissão - talvez a maior preocupação dos clubes de menor porte por conta do racha com Flamengo e Fluminense, que já sinalizaram disputar o Carioca com times "B". Um deles chegou a afirmar que acredita que a Ferj tentará tirar as verbas dos clubes que não usarem as suas principais equipes. Não há, no entanto, nenhuma confirmação oficial a esse respeito.

A reportagem então se apresentou a Teixeira, pedindo uma entrevista, que ele prometeu para depois do arbitral. Levantaram-se os quatro, seguindo para o encontro de clubes. Minutos depois, Rubens Lopes entrou pelo portão principal da entidade e, questionado se a Sul-Minas-Rio estaria em pauta no arbitral, foi enfático:

- Sul-Minas-Rio não existe. É ficção.

Nenhum comentário: