Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Romário comemora prisão de Marin e ataca Del Nero: "safado"



Um dos maiores críticos da atual gestão da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da Fifa, o senador Romário não poupou adjetivos ao comemorar a prisão de José Maria Marin e de mais seis dirigentes da Fifa nesta quarta-feira . Em discurso calmo, mas com alvo bem definido, o ex-jogador celebrou as detenções ocorridas na Suíça e atacou o atual presidente da CBF, Marco Polo Del Nero.
“Infelizmente não foi a nossa polícia que prendeu esses dirigentes da Fifa, mas alguém tinha que prender um dia, né? Ladrão tem que ir para a cadeia”, atacou Romário, nesta quarta-feira, durante a Comissão de Educação, Cultura e Esporte, em Brasília. “Gostaria de parabenizar o FBI e principalmente a polícia suíça. Espero que isto repercuta positivamente e que essas ações sirvam como exemplo para a América do Sul e para o Brasil”, acrescentou.

Em nota oficial, Corinthians confirma dispensa de Paolo Guerrero


Guerrero tem agora caminho livre para acertar com qualquer clube. O Flamengo é o principal interessado, e o Corinthians entende que o Rio de Janeiro deve ser o destino do centroavante. O peruano se apresenta na próxima semana para a disputa da Copa América, pela seleção do Peru. 


Confira a íntegra da nota do Corinthians sobre Guerrero:

O Sport Club Corinthians Paulista comunica que a partir desta quarta-feira (27) o jogador Paolo Guerrero tem seu contrato considerado encerrado. Dessa forma, o clube atende ao pedido do atleta em relação à liberação.

O Corinthians terá jogo importante no final de semana e precisa contar com os jogadores comprometidos para a sequência do Campeonato Brasileiro.

Cristóvão Borges é o novo técnico do Flamengo



Cristóvão Borges é o substituto de Vanderlei Luxemburgo no comando do Flamengo. O técnico se reuniu com dirigentes nesta quarta-feira, dois dias depois da demissão do antigo treinador, e as partes chegaram a um acordo. O contrato vai até o fim do ano, quando haverá eleições presidenciais no clube. A apresentação oficial será nesta quinta-feira, depois do treino da tarde no Ninho do Urubu. Ele não irá ao Maracanã na noite desta quarta, quando o Rubro-Negro enfrenta o Náutico na partida de ida pela terceira fase da Copa do Brasil.

O novo treinador do Flamengo tem 55 anos. Além do Fluminense, ele comandou Bahia e vasco. A saída do Tricolor carioca ocorreu no fim de março, quando foi demitido. Cristóvão chega à Gávea com o auxiliar Cassiano de Jesus e o preparador físico Rodrigo Poletto.

Vanderlei Luxemburgo foi demitido na noite da última segunda-feira, depois da derrota por 2 a 1 para o Avaí – após o decepção no Campeonato Carioca, ele não resistiu ao mau início no Brasileirão. Com apenas um ponto em três rodadas, o Flamengo é o 17º colocado, na zona de rebaixamento. Em entrevista coletiva no dia seguinte, Luxemburgo fez duras críticas à atual gestão rubro-negra. À tarde, os dirigentes rebateram as acusações.

Nesta quarta, o Flamengo entrará em campo sob o comando de Jayme de Almeida. Auxiliar permanente do clube, ele já estava confirmado interinamente à frente do time contra o Náutico, às 22h, no Maracanã.

Caso Paulo Vitor: Flu é indenizado por erro na inscrição e diz que jogará Taça BH





Após ver o meia-atacante Paulo Vitor inscrito na CBF à sua revelia, o Fluminense foi indenizado pela entidade nesta quarta-feira por causa de sua inscrição. O jogador foi registrado no vasco no BIRA e no BID (Boletim Informativo Diário), mas o Tricolor comprovou que tem um contrato de formação com ele. O acordo com o Cruz-Maltino, no entanto, está longe de ser realizado.

Além da inscrição, o Fluminense afirma que irá jogar a Taça BH de Juniores, independentemente da posição da Ferj sobre o assunto. A tendência é que o Flamengo também adote a mesma postura. Nesta segunda-feira, a Ferj mandou um e-mail aos clubes cariocas afirmando que não os autoriza a participar do torneio.

Mesmo com a indenização, a tendência é que o jogador fique no vasco. O boicote dos clubes do Movimento Futebol de Base ao Cruz-Maltino está, por enquanto, mantido.

Flamengo x Náutico

                                                        
 Ficha técnica



Data: 27/05/2015
Hora: 22h
Local:  Maracanã, estádio do Flamengo


Transmissão:  A TV Globo transmite para RJ, SC, ES, GO, TO, MS, MT, BA, SE, PB, RN, CE, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF, com narração de  Luis Roberto e comentários de Juninho Pernambucano e Renato Marsiglia. Em PE, Rembrandt Junior narra e Chiquinho e Wilson Souza comentam. O SporTV 2 também mostra o jogo, com narração de Julio Oliveira e comentários de Ricardo Rocha. O GloboEsporte.com acompanha em Tempo Real, com vídeos.


Flamengo:  Paulo Victor, Pará, Wallace, Samir e Armero (Pico); Jonas (Cáceres), Canteros e Márcio Araújo; Paulinho, Alecsandro e Arthur Maia (Luiz Antonio).
Técnico: Jayme de Almeida

Náutico: Júlio César; Guilherme, Flávio, Fabiano Eller e Piauí (Gaston Filgueira); João Ananias, Marino, Willian Magrão e Pedro Carmona (Bruno Alves); Douglas e Rogerinho.
Técnico: Lisca


Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento, de Alagoas
Auxiliares:  Marcelo Van Gasse, de São Paulo, e Guilherme Dias Camilo, de Minas Gerais.


Com bela atuação coletiva, Flamengo passa por cima do Bauru e faz 1 a 0 nas finais



O Flamengo estava com o Bauru engasgado. Perdeu os dois jogos da temporada regular para os paulistas e ainda viu o rival ser campeão da Liga das Américas. Na noite desta terça, os times se reencontraram para começar a decidir o título do NBB 7. Os cariocas aproveitaram a energia dos 5.616 mil torcedores (4.033 pagantes) na Arena da Barra e dominaram o primeiro jogo da série melhor de três. Com uma atuação coletiva quase perfeita, a equipe do técnico José Neto atropelou o adversário por 91 a 69 e ficou a uma vitória da quarta conquista nacional. 

Quatro jogadores do Flamengo marcaram 15 pontos ou mais na partida: Laprovittola (15), Benite (16), Marquinhos (15) e Olivinha (15). Apesar da derrota, o cestinha foi Ricardo Fischer, com 20 pontos. Ao fim do jogo, Marcelinho mostrou surpresa com a diferença no placar:

Flamengo x Bauru - Marquinhos - final nbb (Foto: João Pires/LNB)- Até pela circunstância de ser final de campeonato, é comum o jogo ser mais tenso, talvez a parte técnica um pouco mais prejudicada. E hoje nós fizemos um jogo tecnicamente com um aproveitamento muito alto, escolhas muito bem feitas. Quando vimos nosso alto aproveitamento, a gente usou disso para poder levar vantagem e, principalmente, defensivamente. A nossa defesa segurar o time de Bauru no primeiro tempo e até a metade do terceiro quarto é mérito nosso. Mas é aquilo, sabemos do potencial da equipe deles. Foi um jogo atípico. A gente tem certeza de que o jogo lá será muito mais difícil, mas vamos preparados para tentar a vitória e sair com o título - disse.

As duas equipes voltam a se enfrentar neste sábado, às 10h, no Ginásio Neuza Galetti, em Marília. A partida terá transmissão ao vivo da TV Globo para o estado do Rio de Janeiro e para as regiões das afiliadas TV Tem, TV Tribuna, TV Diário e TV Vanguarda - no interior de São Paulo. O jogo 3, se necessário, será disputado no sábado seguinte, dia 6 de junho, também em Marília e novamente com transmissão da TV Globo. O GloboEsporte.com acompanha tudo em Tempo Real com vídeos.

Marquinhos comemora (Foto: João Pires/LNB)

Bola ao alto

Mesmo com um público aquém do esperado para uma final, o Flamengo cumpriu o que se espera de um mandante. Foi para cima e começou a 100km/h. Com um aproveitamento nos arremessos de quadra que chegou a ser de 60% na primeira metade do quarto, os donos da casa dominaram completamente o Bauru nos 10 minutos iniciais. Liderados por Olivinha e Marquinhos, que juntos anotaram 15 pontos, e soberano no rebote - foram 10 a 6 -, o time rubro-negro abriu 13 pontos e só não ampliou porque Laprovittola forçou uma bola de três fora de hora. Guerrinha parou o jogo, mexeu duas vezes na equipe e tentou mudar o panorama, mas o máximo que os campeões da Liga das Américas conseguiram foi diminuir a desvantagem para 10, com um chute de três de Hettsheimeir, quase no estouro do cronômetro.

Flamengo x Bauru - final nbb, Larry Taylor e Laprovittola (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)Apesar da vantagem, José Neto mudou mais de meio time do Flamengo e voltou com Felício, Marcelinho e Herrmann nos lugares de Meyinsse, Marquinhos e Olivinha, respectivamente. A nova formação demorou a se ajustar, e a diferença chegou a cair para oito, mesmo com Alex, pouco inspirado, no banco de reservas. Mas para sorte dos donos da casa, o time paulista continuava errando demais, e, com um bola de três de Marcelinho, a vantagem subiu novamente, desta vez para 14. Como num jogo de gato e rato, Bauru corria atrás do prejuízo, ameaçava encostar, mas o Flamengo tirava mais uma bola de três da cartola e abria. E foi assim nos últimos quatro minutos, o problema é que a gordura rubro-negro chegou a 19, e Alex cometeu sua terceira falta antes do intervalo.

Se a vitória por 19 a 10 no segundo período já foi bem mais tranquila do que o esperado, a do terceiro nem se fala. Completamente perdido em quadra, a equipe paulista praticamente assistiu ao Flamengo jogar. Atônitos, os campeões paulistas não marcavam, erravam quase tudo no ataque e praticamente jogaram a toalha. Os rubro-negros não tinham nada a ver com isso, e pareciam famintos para se vingarem das duas derrotas na fase de classificação. Os donos da casa só não esperavam tanta facilidade. Sem tirar o pé do acelerador, os atuais bicampeões fizeram 23 a 15 no período e foram para os últimos 10 minutos vencendo por 27.

Laprovittola comanda o ataque do Flamengo contra o Bauru no jogo 1 das finais (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)

Mesmo com o jogo definido, o técnico José Neto preferiu poupar praticamente todos os titulares. Se pelo lado do Flamengo apenas Benite voltou para o quarto período, no Bauru só Murilo, que deixou a quadra com dores no tornozelo após uma queda no terceiro período, permaneceu no banco entre os titulares. Enquanto os visitantes tentavam diminuir a diferença e impedir que o Flamengo registrasse a maior diferença de pontos numa final de NBB - que era de 21 do próprio time carioca -, os reservas rubro-negros jogavam soltos e deixaram o tempo passar. Ao time paulista, resta esfriar a cabeça e esquecer a viagem ao Rio de Janeiro.

Flamengo x Bauru - final nbb, jogadores do Flamengo comemoram (Foto: André Durão/GloboEsporte.com) 
Jogadores do Flamengo agradecem à torcida presente na Arena da Barra (Foto: André Durão/GloboEsporte.com).
 
Ficha do jogo
Data: 26/05
Local: Arena da Barra, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitros: Fernando Serpa Oliveira (1), Guilherme Locatelli (2) e Diego Chiconato (3).

FLAMENGO: Laprovittola (15), Benite (16), Marquinhos (15), Olivinha (15) e Meyinsse (8). Entraram: Herrmann (7), Marcelinho (11), Danielzinho (0), Gegê (2), Felício (2). Técnico: José Neto.

BAURU: Ricardo Fischer (20), Alex (16), Murilo (9), Gui Deodato (6) e Hettsheimeir (14). Entraram: Larry Taylor (2), Mathias (1) e Robert Day (1). Técnico: Guerrinha.


terça-feira, 26 de maio de 2015

Perto de Guerrero, Flamengo é cauteloso: "Não há contrato assinado", diz Wrobel


Rodrigo Caetano e Alexandre Wrobel Flamengo (Foto: Richard Souza/GloboEsporte.com)
Nenhum jogador contratado, nenhum jogador descartado. Esse é o resumo de boa parte da entrevista coletiva do vice-presidente de futebol do Flamengo, Alexandre Wrobel. Nesta terça-feira, o dirigente rubro-negro falou com os jornalistas sobre a demissão de Vanderlei Luxemburgo, sobre a busca por um novo treinador e também a tentativa de contratar reforços. Segundo ele, o cenário ainda é complexo. 

Internamente, a direção dá como certa a contratação do atacante Paolo Guerrero, que deixará o Corinthians nos próximos dias. O peruano chegaria ao Rubro-Negro após a disputa da Copa América, no Chile. A competição começa em 11 de junho e termina em 4 de julho. Wrobel, no entanto, disse que não há nada certo com ele ou com qualquer outro jogador. 

- Estamos atuando em busca de um ou dois nomes para qualificar o nosso elenco. Entendo a ansiedade, a ansiedade da torcida é a nossa também. Nesse momento não há contrato assinado com nenhum reforço. Não quero criar falsa expectativa, mas estamos caminhando bem no sentido de finalizar essas negociações. Quando acontecerem, teremos um prazer enorme em anunciar - comentou. 

Questionado sobre o esforço financeiro que seria necessário para contratar Guerrero e pagar luvas e um alto salário, Wrobel disse que não seria algo fora da realidade do clube. 

- Não. Não vejo dessa forma. Você cria projetos para determinados jogadores. Se consegue construir a engenharia financeira, de marketing, que permita a ousadia, não está fora do que a diretriz passou. Nunca dissemos que não podemos ter um grande ídolo, um grande jogador. Temos de dar um passo com a nossa capacidade. O ano de 2013 foi complicado, em 2014, também. Estamos um pouco melhores, nada confortável, mas já podemos sonhar com algo melhor - frisou.  

Sendo assim, nomes como Robinho, do Santos, além de Petros e Elias, do Corinthians, não estão descartados. Em todos os casos a direção falou abertamente sobre o interesse.  

- Não tem nada confirmado ou negado, estão caminhando. Desculpa ser evasivo, mas qualquer coisa pode atrapalhar. Quando se busca um jogador de nome, naturalmente a negociação se arrasta. Buscamos contratações para fazer a diferença. Quero acalmar a torcida porque estamos caminhando bem - disse.


Everton é vetado, e Marcelo Cirino não voltará contra o Náutico

O meia Everton está fora do jogo contra o Náutico, nesta quarta-feira, pela terceira fase da Copa do Brasil. O jogador tem uma contratura na região lombar e foi vetado pelo departamento médico. Quem também não vai jogar é o atacante Marcelo Cirino. Desfalque contra Sport e Avaí pelo Brasileiro, ele ainda se recupera de edema na coxa esquerda. Na tarde desta terça, correu pelo gramado do Ninho do Urubu, mas ainda não tem condições de voltar. Xará de Cirino, o zagueiro Marcelo, com uma fratura no nariz, e Gabriel, suspenso, completam os desfalques.

O Flamengo será comandado pelo auxiliar Jayme de Almeida. Após a demissão de Vanderlei Luxemburgo, ele será o interino. A diretoria, no entanto, não vai efetivá-lo. Um novo treinador será contratado, mas ainda não há previsão para o anúncio.

O meia argentino Lucas Mugni, diagnosticado com caxumba, ainda não voltou aos treinos e também está fora. Uma possível escalação do Flamengo com Jayme de Almeida: Paulo Victor, Pará, Wallace, Samir e Armero (Pico); Jonas (Cáceres), Canteros e Márcio Araújo; Paulinho, Alecsandro e Arthur Maia.

Flamengo e Náutico se enfrentam às 22h (de Brasília), no Maracanã.

Wrobel responde Luxa: "A gente o contratou, então, deve entender"


Rodrigo Caetano e Alexandre Wrobel Flamengo (Foto: Richard Souza/GloboEsporte.com)O vice-presidente de futebol do Flamengo, Alexandre Wrobel, concedeu entrevista na tarde desta terça-feira no Ninho do Urubu. O tema: as declarações dadas por Vanderlei Luxemburgo pela manhã, um dia após a queda do treinador. O dirigente não detalhou quais fatores motivaram a troca de comando, rebateu as críticas, mas também fez elogios a Luxa, quem tratou como grande rubro-negro e pessoal à qual tem apreço. Sem um novo nome definido para o cargo, o Flamengo terá Jayme de Almeida nesta quarta-feira contra o Náutico. Mas é bom destacar: ele assume apenas interinamente, sem chances de efetivação por ora.
Integrante de uma diretoria que, segundo Luxa, "não sabe nada de futebol", Wrobel respondeu secamente e com uma pitada de ironia.

- (Quero) Deixar o agradecimento ao Vanderlei pelo trabalho realizado. Grande rubro-negro. Por situações que não vou expor, nos levaram a tomar essa decisão. Respeito (a opinião de Luxemburgo). Ele externou a opinião dele. A gente o contratou, então, um pouquinho, deve entender, né. Mas respeito.

O dirigente continuou.

- Avaliação é diária. Nos reunimos e falamos varias vezes ao dia. Não tem um fator determinante. No dia a dia as coisas vão acontecendo, o desgaste vai ocorrendo e chegamos a decisão. O time não vinha jogando bem, apresentando o que gostaríamos. O grupo é qualificado para estar mais acima - disse.

O diretor executivo Rodrigo Caetano esteve presente e opinou:

- Assim como o Wrobel, lamentamos qualquer troca. Meu trabalho, dessa forma, também não atinge êxito, mas tem situações que nos levam a isso. Quanto às opiniões, as minhas e do Vanderlei, sempre buscamos a melhoria, nós levamos à diretoria. Nem sempre o Flamengo vai realizar na velocidade do meu desejo ou do Vanderlei.

O presidente Eduardo Bandeira de Mello acompanhou a entrevista, porém, não respondeu a questionamentos. De acordo com Wrobel, Jayme de Almeida comandará o Fla, nesta quarta-feira, contra o Náutico, pela Copa do Brasil - o interino, inclusive, comandou treino nesta tarde. O nome do novo treinador ainda não foi definido. Mas obedecerá à mesma política.

- Vamos trabalhar dentro do nosso orçamento. Não quer dizer que eu não possa pagar um grande salário a um grande jogador ou técnico. Não vamos fugir disso nunca, mas não quer dizer que não possamos fazer uma grande contratação - acrescentou Wrobel.

Vanderlei Luxemburgo já havia treinado o Flamengo em 1991, 1995 e entre 2010 e 2012. No total, são 245 jogos como técnico rubro-negro, 127 vitórias, 67 empates e 51 derrotas. Conquistou o Carioca em 2011. Nesta última passagem pelo Flamengo, foram 59 jogos. Estreou no clássico contra o Botafogo, no Brasileiro passado, e venceu por 1 a 0. Foram 34 vitórias, 14 derrotas e 11 empates. O time está na terceira fase da Copa do Brasil e na 17ª posição do Brasileirão.

Confira tópicos abordados por Alexandre Wrobel:

Ninho do Urubu (Luxa criticou as condições do CT)

Lamentamos. Não vou entrar nesses detalhes. Todos sabemos que a estrutura do CT está aquém do que gostaríamos. Estamos caminhando para isso, mas o caixa é um só, e essa gestão está priorizando os impostos e salários. Pelo planejamento, vamos ter condição financeira para finalizar.

 Nega que Luxa não era ouvido pelo Conselho Gestor
                                                                                                                                                                                     
Nunca ganhei nada na vida sozinho e não acredito nesse discurso. O que tem aqui é um departamento de futebol composto por diversos profissionais. Não tem só um culpado. Somos democráticos, e a diretriz adotada está clara para todos. Vanderlei participou de todas as reuniões de contratação e dispensa e o Rodrigo idem.

Jayme sem chances de efetivação por ora

Jayme só dirige o time interinamente amanhã. (Perfil do novo treinador) É uma questão interna.

Sem economia na busca por técnico ou reforços

Vamos trabalhar dentro do nosso orçamento. Não quer dizer que eu não possa pagar um grande salário a um grande jogador ou técnico. Não vamos fugir disso nunca, mas não quer dizer que não possamos fazer uma grande contratação.

Em relação ao "alinhamento", termo da moda no Flamengo, segundo Luxemburgo

Acho que o fato de estar alinhado é bom para todo mundo. Como o Rodrigo disse, quando foi contratado ele sabia do modelo de governança. Não tem problemas externar opiniões. Quando fomos para Atibaia, fomos buscar um alinhamento. Ninguém é obrigado pensar igual, isso não quer dizer que não está alinhado.

Sem polemizar as queixas de Luxa em relação à demora nas contratações

Não vou repercutir declarações do Vanderlei. Tenho um apreço grande. Nossas dificuldades é porque temos um orçamento justo. O dinheiro é único. Não conseguimos executar não é por má vontade. Isso tem em outros clubes, encaro com naturalidade.

Sem pistas sobre nomes ou andamento de negociações

Não tem nada confirmado ou negado, estão caminhando. Desculpa ser evasivo, mas qualquer coisa pode atrapalhar. Quando se busca um jogador de nome, naturalmente a negociação se arrasta. Buscamos contratações para fazer a diferença. Quero acalmar torcida porque estamos caminhando bem para acalmar a torcida.

Luxa não pediu para ser liberado e seguir para o São Paulo

Vanderlei não pediu liberação. Soube que teve uma sondagem do São Paulo e ele mesmo disse que não via nada de mais em ouvir outras propostas. Ele tinha uma multa rescisória. Ele em nenhum momento mencionou essa possibilidade. Nossa intenção era que o trabalho continuasse, infelizmente não foi possível

Tópicos abordados por Rodrigo Caetano:

Sobre não ter participado da decisão de demitir Luxa

Respeito o Vanderlei. trabalhamos juntos e temos uma afinidade. Esse tipo de conversa sempre vai ficar em âmbito interno. Nossas opiniões serão manifestadas para quem de direito. A decisão do Flamengo é de um colegiado, e eu, como um executivo, tenho que estar participando. A definição não é só minha e nem só do presidente. É óbvio que em algum momento tenho que estar sabendo.

Mexida no comando não altera planejamento do elenco

Não é momento de remontagem do elenco. Mesmo quando era o Vanderlei, os nomes que buscávamos seriam aprovados por qualquer técnico. Isso não vai alterar em nada (a busca por reforços).

Ingerência de Luxa nas negociações

Sempre que o Vanderlei ligou, foi porque pedimos que atuasse. Não podemos desprezar o conhecimento e o relacionamento do Vanderlei. Sempre esteve acordado conosco, muitas vezes comigo ao lado.


Após demissão de Luxa, Jayme treina o Flamengo sob olhar de Bandeira de Mello


Sai Vanderlei Luxemburgo, entra Jayme de Almeida. Pelo menos por enquanto. No dia seguinte à demissão do treinador, o auxiliar permanente do Flamengo, que foi técnico do clube entre 2013 e 2014, comandou o treinamento da equipe na tarde desta terça-feira, no Ninho do Urubu. Jayme e os jogadores foram observados de perto pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello, o vice de futebol Alexandre Wrobel e o diretor executivo Rodrigo Caetano.

Jayme de Almeida, treino do Flamengo, Ninho do Urubu (Foto: Richard Souza) 
Jayme de Almeida comanda o treino do Flamengo no Ninho do Urubu (Foto: Richard Souza)

Como a diretoria ainda não anunciou o novo treinador, a tendência é que Jayme seja o comandante do time no jogo desta quarta, contra o Náutico, no Maracanã, às 22h (de Brasília), pela terceira fase da Copa do Brasil.

Os jogadores que começaram a partida contra o Avaí fizeram apenas uma corrida leve no gramado. Os demais trabalharam com bola sob orientação de Jayme. O meia Everton, que sente dores nas costas, o atacante Marcelo Cirino, com um edema na coxa esquerda, e o meia Mugni, que está com caxumba, não foram para o gramado.

Eduardo Bandeira de Mello, treino do Flamengo no Ninho do Urubu (Foto: Richard Souza) 
Eduardo Bandeira de Mello acompanhou a atividade nesta terça-feira (Foto: Richard Souza)

Entre 2013 e 2014, Jayme de Almeida ficou oito meses no cargo de treinador do Flamengo e conquistou o Carioca e a Copa do Brasil de 2013. Antes, trabalhava como auxiliar. Ele retornou ao clube como auxiliar permanente nesta temporada.



Goleiro Paulo Victor agradece ao técnico Vanderlei Luxemburgo no Twitter



Se o clima entre Vanderlei Luxemburgo e a diretoria do Flamengo ficou abalada após a demissão do treinador, o mesmo não se pode dizer da relação entre Luxa e o goleiro Paulo Victor. O jogador postou uma mensagem no Twitter agradecendo ao técnico pelo que fez por ele e pelo Flamengo.


Twitter Paulo Victor agradece Luxemburgo

 
Vale lembrar que Paulo Victor assumiu a posição de titular do gol rubro-negro após a chegada de Luxemburgo. Ele ganhou a vaga de Felipe, que acabou afastado do elenco, perdendo até a vaga no banco de reservas.



Dirigente rebate Luxemburgo: "Nossa gestão é para tirar o Flamengo da falência"


Walter D'Agostino, candidato a vice-presidente geral  chapa azul do Flamengo (Foto: Vicente Seda / Globoesporte.com)Parece que os gestores do Flamengo não ficaram satisfeitos com as críticas feitas por Vanderlei Luxemburgo na manhã desta terça-feira. Ao menos foi o que deixou claro o vice-presidente geral do clube, Walter D’Agostino, em entrevista à Rádio Brasil. O dirigente rebateu o ex-técnico rubro-negro dizendo que a atual administração do clube está preocupada em tirar o Flamengo da falência e não da Segunda Divisão.

- A nossa gestão tem uma característica própria. Não vou me meter em assunto de futebol. É um direito que ele tem de falar. O que eu posso fazer? O Flamengo é feito de uma maneira administrativa que nunca mais vai sair do Flamengo. É um tipo de gestão que veio, não foi para tirar o Flamengo da Segunda Divisão não, foi para tirar o Flamengo da falência – explicou.

Durante a entrevista desta manhã, Luxemburgo chegou a ser indagado se teria sido demitido por conta de sua personalidade. Na ocasião, o treinador não pestanejou e disse que o fato de expor suas ideias pode ter atrapalhado o andamento do seu trabalho. Ainda afirmou que os dirigentes do Fla “não entendem nada de futebol”. D’Agostino discorda. Segundo ele, ninguém na direção do clube quer que o comando técnico “diga amém”, como foi falado por Luxa.

- Ninguém esta lá para dizer amém. A gente discute as ideias. É que provavelmente ele estava querendo trazer jogadores. E daí? Eu também queria. Mas nós não temos dinheiro para trazer. Ele queria melhorar. Mas a gente não esta tendo meios. Ele está falando e tem todo direito. Está magoado. Foi demitido, mas não foi demitido à toa. Pergunta para a torcida se eles estão satisfeitos – disse, apontando alguns resultados negativos em seguida.

Sobre a contratação de Paolo Guerrero, que atualmente defende do Corinthians e é especulado na Gávea, o dirigente elogiou o centroavante.

- É um excelente jogador. Vamos ver se a gente contrata alguém que mude essa configuração que está aí, que não está nada bom - encerrou.

O Flamengo volta a treinar nesta terça, às 16h, no Ninho do Urubu, sob o comando de Jayme de Almeira, que assume o papel de técnico interino até que o novo comandante seja anunciado.

Flamengo tem ótima gestão financeira, mas há problemas no futebol, diz jornalista



Apesar de a diretoria do Flamengo projetar um maior lucro neste ano, o clube começou o Campeonato Brasileiro com apenas um ponto em três partidas. Na opinião do chefe de produção do SporTV, Jorge Luiz Rodrigues, a diretoria do Rubro-Negro tem se mostrado competência para gerir a situação financeira, mas na direção do futebol existem problemas que precisam ser resolvidos. E a saída do técnico Vanderlei Luxemburgo, nesta segunda-feira, seria uma consequência. Foi a sexta demissão da atual gestão do clube.

- Já contratou mais de 30 jogadores, e não eram jogadores com salários baixos (...) É louvável o que o presidente Bandeira de Mello e seus pares estão fazendo, tentando reconstruir as finanças do Flamengo. Mas a saída de Luxemburgo tem muito a ver com o embate que ele travou com o conselho gestor. O Vanderlei tinha projetos, tinha dois reforços que ele queria trazer e o conselho gestor vetou. É uma prática do Flamengo, o conselho gestor tem a palavra final. Você tem que aliar o futebol, que é o carro-chefe, com essa política de administração. E mais de uma decisão ou duas ou três têm se mostrado completamente equivocadas ao longo dos anos - disse Jorge Luiz Rodrigues, no "Redação SporTV".

Treino Flamengo - Bandeira de Mello (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo) 
Gestão de Eduardo Bandeira de Mello já teve seis técnicos demitidos (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
 
O apresentador André Rizek lembrou que o Flamengo tem a nona posição entre os elencos mais caros do país. Por isso, não deveria estar na zona de rebaixamento.

- Esse lucro recorde que o Flamengo teve na história do futebol brasileiro, por enquanto, está sendo usado para pagar as contas básicas, que o Flamengo negligenciou por décadas. Uma hora, vai virar time de futebol. Só que é difícil lidar com isso. A gente quer ver um Flamengo forte, muita gente cobra. Por outro lado, tem o nosso papel de enxergar o que esta gestão está fazendo pelas finanças do clube.

Na opinião do correspondente da BBC na América do Sul, Tim Vickery, a diretoria está com dificuldade de conciliar a economia para longo prazo e os investimentos para a equipe atual. No entanto, acredita que uma boa campanha em 2015 é fundamental para manter o apoio da torcida e da imprensa à atual gestão.

- É um caso fascinante, na contradição de equilibrar o longo prazo com o curto. No futebol, o longo prazo é domingo, o médio é quarta-feira e o curto é "me dá dinheiro agora". É difícil equilibrar. A imprensa e a torcida parecem estar entendendo até um certo ponto a situação do Flamengo. A torcida está pensando assim: "A gente precisa de paciência, mas a gente precisa de paciência agora!" É um mundo louco, para o Flamengo lidar. É uma corda bamba, de tentar conciliar o longo e o curto prazo. Eu sempre achei o Campeonato Brasileiro deste ano o grande teste para a filosofia do Flamengo, porque houve uma certa paciência.

Luxemburgo Flamengo (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC) 
Vanderlei Luxemburgo foi demitido nesta segunda-feira, após a derrota para o Avaí (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

Tricampeão turco, Felipe Melo revela contato do Flamengo e sonha com Seleção


Felipe Melo, Galatasaray x Sivasspor (Foto: Reprodução / Facebook) 
Felipe Melo chegou ao Galatasaray em 2011: três títulos do Turco, mesma marca de Alex (Foto: Reprodução / Facebook)

Felipe Melo conquistou o seu terceiro Campeonato Turco pelo Galatasaray, segunda-feira, e se igualou em número de títulos ao meia Alex, ex-Fenerbahçe - um dos maiores ídolos brasileiros no país. Mas esse ano não foi fácil para o volante: por causa de uma operação na coluna, em fevereiro, o camisa 3 ficaria fora da reta final da temporada. Porém, o "pitbull" voltou em apenas um mês e ajudou o Galatasaray a conquistar mais uma taça, passando o rival Fenerbahçe como maior campeão (20 a 19) e colocando a quarta estrela acima do escudo (cada cinco conquistas valem uma estrela na Turquia).

Para levar o terceiro título, Felipe Melo nem precisou entrar em campo na segunda: o empate de 2 a 2 entre Fenerbahçe e Istanbul BB deu a taça ao Galatasaray. No clube desde 2011 e um dos maiores ídolos da torcida, o volante de 31 anos ainda não planeja deixar a Turquia. Mesmo com o interesse do time do coração: segundo o atleta, o Flamengo o procurou recentemente para consultá-lo sobre um possível retorno à Gávea.

- Houve uma sondagem da parte do Flamengo, pelo vice-presidente de futebol, Alexandre Wrobel. Apenas uma sondagem, conversa normal entre amigos e torcedores do clube. Ele passou para o meu empresário, mas não foi adiante. Não envolve somente eu. Envolve o Galatasaray também. O presidente novo, que acabou de ser eleito, quer renovar comigo. Com o Flamengo foi apenas uma sondagem - revelou o volante, que tem contrato até o meio de 2016.

Felipe Melo e fisioterapeuta Rato (Foto: Divulgação)Após o Flamengo, Felipe Melo passou por Cruzeiro, Grêmio, Mallorca, Racing Santander, Almería, Fiorentina e Juventus antes de chegar ao Galatasaray. Além dos três títulos do Turco, o atleta venceu ainda duas Supercopas da Turquia e uma Copa da Turquia com a camisa do clube. A terceira taça nacional veio coroar uma temporada de superação do volante, que revelou jogar no sacrifício só para o Galatasaray conseguir levantar a taça.

- Esse ano foi de superação. Operei uma hérnia e ia ficar três meses fora. As pessoas falaram que eu ia perder o resto da temporada. Agradeço minha família, meus amigos e o Rato, que para mim é o melhor fisioterapeuta do Brasil. Comecei a sentir dores lá atrás. Mas nada comparado a essa temporada. Joguei 10 jogos no sacrifício. Acabava de jogar e ficava três dias fazendo massagem e tratamento. Tudo na base da injeção e anti-inflamatório. Fiz isso porque o time precisava de mim. Essa vontade de lutar me fez continuar. Só parei quando não senti a perna esquerda em um jogo da Copa da Turquia. Fiquei quatro ou cinco jogos fora, éramos líderes e quando voltei estávamos em terceiro. Voltei e vencemos seis jogos em sequência. Foi impressionante o trabalho do nosso time. É uma emoção muito grande. O que eu passei essa temporada foi muito difícil. Agradeço muito ao Rato. Muito mesmo - concluiu.

 Felipe Melo e o fisioterapeuta Rato durante tratamento no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)


Leia abaixo a entrevista completa com Felipe Melo:

GLOBOESPORTE.COM: Conquistar mais um título e passar um dos maiores rivais (Fenerbahçe). Qual é o sentimento desse tricampeonato? E se igualar ao ídolo Alex?

Felipe Melo:
A ideia quando eu vim para cá era ficar apenas um ano. Eu quase fui para o Paris Saint-Germain antes de vir para cá. Vim para cá e o Gala estava desacreditado. Vinha da pior colocação da história no Campeonato Turco. Eu cheguei e conseguimos conquistar o título na casa do Fenerbahçe. Continuei emprestado e depois fui comprado. Vim para ficar um ano e já estou há quatro aqui. Sei que estou fazendo história em um grande clube com torcedores apaixonados. Fico feliz de poder coroar o clube com a quarta estrela no peito. Um fato inédito aqui na Turquia.

Como é a sua relação com a torcida?
Eu estou vivendo a minha relação com a torcida. Não sei como era a relação do Alex. Todos aqui respeitam ele. Até os torcedores do Gala e do Besiktas. No primeiro ano, vencemos e fomos campeões. Aqui eu não esperava essas paixão toda do torcedor. Ao ponto de eu não poder sair na rua. Quando fui punido pelo meu tweet, no primeiro dia eram 500 torcedores, no segundo, 1000. Tive que sair de casa para falar com eles, e aí foi uma festa, me jogaram para o alto. É uma coisa de louco. No final do jogo eu tenho que ir na frente da torcida e bater continência para eles porque é todo mundo fazendo isso para mim. Eu troco de telefone quase toda semana. Porque eles descobrem meu número e ficam me ligando de madrugada. Coisa de louco. Futebol envolve paixão, e aqui eles veem isso.

Felipe Melo torcida  (Foto: Reprodução / Facebook) 
O volante nos braços da torcida: Felipe é um dos maiores ídolos do Galatasaray hoje (Foto: Reprodução / Facebook)

Você está na Europa há 11 anos. A emoção de um clássico entre os três grandes é comparada com algum clássico aqui do Brasil?
Olha... Eu sou flamenguista e todo mundo sabe. Quando era pequeno sempre ia ao Maracanã. Já vi estádio lotado com 100 mil pessoas em um Flamengo x Vasco. Jogando no Brasil nunca tive essa experiência de estádio completamente lotado. Joguei os clássicos na Itália (Junventus x Milan, Juventus x Internazionale). Quando joguei lá, o Torino estava na segunda divisão. Na Fiorentina tinha essa paixão e esse peso, uma rivalidade muito grande com o Juventus, mas muito mais da parte da Fiorentina. Os torcedores do Juventus não ligavam muito pra isso. Foi aqui mesmo (Turquia) que eu vivi isso, de jogar no estádio do Fenerbahçe e do Gala com torcida única. Por causa do problema que é, da paixão, da rivalidade. Essa paixão que o torcedor sente aqui ultrapassa a razão, o torcedor deixa a razão ir pro saco e mete o pé. Claro que a rivalidade de Flamengo e Vasco é incrível assim como Grêmio e Inter. Aqui eu ainda joguei clássico brigando por título, e aí aumenta mais ainda.

Essa conquista representa participar de mais uma Liga dos Campeões na carreira. Você já jogou uma Copa do Mundo. O quão emocionante é a Champions?
Vou jogar mais uma Copa se Deus quiser! (risos). A Champions é um campeonato incrível. Eu vivo muito isso, gosto muito de futebol. No domingo, antes do clássico com o Besiktas, eu mandei uma mensagem para o meu assessor chorando. Olhei aquela torcida toda chorando e falei: "Esse choro tem que ser de alegria." Quando entro em campo e toca o hino da Champions eu me emociono sempre. É o ápice do futebol depois da Copa do Mundo.

Ainda sonha em voltar à seleção brasileira?
Tenho 31 anos, estou dando caldo para caramba ainda. Ainda tenho muito carrinho para dar (risos). O Dunga é fera, independente de uma convocação ou não, sou fã dele. Confio no meu trabalho. Tenho feito isso com muita humildade e seriedade.

Você não foi expulso nenhuma vez nessa temporada? Os problemas com cartões acabaram?
Pelo Campeonato Turco, não levei um vermelho. Falta um jogo só, já somos campeões, não vou dar esse mole (risos). A idade ajuda. Mais experiência. Os filhos crescem e começam a cobrar mais também. Meu futebol não é futebol "mimimi", de caneta aqui, caneta ali. Eu até gosto desse estilo, por isso sou fã do Neymar. Mas meu futebol é ser um guerreiro e ter um bom passe. Beliscar, morder. Foi isso que me levou pra Seleção. E é isso que, se Deus quiser, vai me fazer voltar à Seleção.

Felipe Melo torce pelo Flamengo no Maracanã (Foto: Reprodução/Instagram)
Como é a sua relação com os companheiros de equipe aí? Você sempre está comemorando gols e tem uma sintonia muito grande com o Sneijder. Como é sua relação com ele?
Ele é um cara fora de série. Dentro de campo, eu roubo a bola e dou para ele. A mesma coisa que eu vou fazer se eu voltar para a Seleção. Vou roubar a bola e dar para o Neymar. Mas o Sneijder é um cara fora de série. Quando ele chegou aqui eu falei para ele não brincar com nada de Seleção, se não o couro ia comer (risos). Brincadeiras à parte, ele é um dos grandes jogadores com quem joguei. Ele e o Drogba são dois monstros. O "negão" é brincadeira, ninguém derruba ele, o cara é fera.

E como é sua relação com o Alex Telles? Você tentou dar conselhos a ele, já que é mais experiente?
Eu gosto muito desse garoto. Ele sabe escutar. Futebol é bacana por isso. Com 12 anos, se você estiver nesse meio, vai aprender muito. E se tiver 70 anos, também vai conseguir aprender muito. Essa troca é muito boa. Ele tem uma qualidade muito grande, muito bom jogador. Já tomou umas porradas minhas aqui (risos). Mas ele gosta de escutar. Ele merece o melhor. Vai brilhar muito ainda.

Felipe Melo coma camisa do Flamengo no Maracanã: paixão declarada pelo time que o revelou (Foto: Reprodução/Instagram)

Luxa explica a saída do Flamengo: "Surpreso porque ouvi que eu era fundamental"


No quarto adeus ao Flamengo, Vanderlei Luxemburgo escolheu um dos salões de convenção do hotel que serve de concentração para o time, na Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade, para falar sobre a sua demissão do clube. Mesmo local da saída mais recente, no início de 2012, quando perdera a guerra fria para Ronaldinho Gaúcho. Ali, se hospedou com o grupo para jogos nos últimos 10 meses, período em que comandou o Rubro-Negro, saiu e entrou na confusão e foi descartado pelo Conselho Gestor – que excluiu o diretor executivo do Rubro-Negro, Rodrigo Caetano, da decisão.

Desta vez, o processo de fritura foi menos intenso, mas ainda assim desagradou ao agora ex-treinador do Flamengo. Luxa sai com a sensação de que poderia ter feito o time render mais e de que merecia ficar mais tempo no cargo – o ex-atacante Deivid, seu auxiliar, e Antônio Mello, preparador físico e fiel escudeiro do treinador, também saem.

– Fiquei surpreso. Passamos por alguns problemas no futebol, e a derrota pertence a eles. Dentro do que ocorreu neste momento do Flamengo, é natural, em função do Carioca, no qual tivemos diversos problemas, elenco à disposição... Sofremos bastante e iniciamos o Brasileiro com muitos problemas. Estou surpreso porque há 20 dias, quando tive sondagem do São Paulo, e não foi um contato oficioso, mas sim oficial, o presidente do Fla disse que eu era fundamental. Como é que mudou três semanas depois? Isso me causa uma surpresa muito grande. O Flamengo fala muito de projeto, de gestão, então como é que fica a situação do profissional, que passa por momentos difíceis? O presidente disse que eu era fundamental. Vai ver era um projeto de 20 dias.

Surpreso, mas também irritado. Luxemburgo criticou a maneira como o futebol do Flamengo vem sendo conduzido. Ao mesmo tempo em que elogiou o caráter dos dirigentes, o técnico questionou a capacidade da atual gestão rubro-negro na condução do clube.

– A diretoria tem pessoas sérias, mas na relação de propostas ela é complicada. O Flamengo trabalha com grupo de gestor. Nós, eu e o Rodrigo Caetano, contratados, não somos ouvidos. O grupo resolve as coisas e não sabe nada de futebol. Podem ser competentes nas suas empresas. O Caetano fica de pés e mãos atados. Esse grupo veta tudo. Que experiência (os dirigentes) têm em futebol? Eles ganham prêmio, saem no NY Times, mas têm que ganhar prêmio no futebol, e o Flamengo é futebol.

Por outro lado, Luxemburgo fez questão de elogiar o elenco, ressaltando mais uma vez que é necessário reforçá-lo.

– O grupo é sensacional, muito bom, mas faltam dois jogadores para chamar a responsabilidade. Senão ficam só bons coadjuvantes. Isso eles (os dirigentes) não sabem. Desde o ano passado precisamos de referências. Acho que incomodei. O Bap (Luiz Eduardo Baptista, ex-vice de marketing do clube) disse que eu falava muito. Acho que eu não estava alinhado, e eles usam muito esse termo.

Confira a íntegra da coletiva, dividida por assuntos.

DEMISSÃO

Fiquei surpreso. Passamos por alguns problemas no futebol, e a derrota pertence a eles. Dentro do que ocorreu neste momento do Flamengo, é natural, em função do Carioca, no qual tivemos diversos problemas, elenco à disposição... Sofremos bastante e iniciamos o Brasileiro com muitos problemas. Estou surpreso porque há 20 dias, quando tive sondagem do São Paulo, e não foi um contato oficioso, mas sim oficial, o presidente do Fla disse que eu era fundamental. Como é que mudou três semanas depois? Isso me causa uma surpresa muito grande. O Flamengo fala muito de projeto, de gestão, então como é que fica a situação do profissional, que passa por momentos difíceis? O presidente disse que eu era fundamental. Vai ver era um projeto de 20 dias.

Já estava determinado que eu iria sair do Flamengo. Em Atibaia, Wrobel e Fred foram lá incomodados com as minhas entrevistas sobre o CT ser acanhado. E sobre eu falar que prefiro jogar no Maracanã, e Fla tem vontade de jogar seis vezes fora. Isso incomodou o Conselho Gestor, que mandou Fred e Wrobel discutirem comigo. Quando falei mal do CT, é porque precisa mudar. As melhorias foram eu quem fiz em 2011. E estou alinhado com a proposta, mas não posso deixar de jogar fora do Rio. O privilégio de jogar em casa tem de existir. Se o Flamengo tiver dois ou três de nível, vão esquecer rapidinho de jogar fora de casa, porque no Maracanã vai dar a receita.

DIRETORIA RUBRO-NEGRA

A diretoria tem pessoas sérias, mas na relação de propostas ela é complicada. O Flamengo trabalha com grupo de gestor. Nós, eu e o Rodrigo Caetano, contratados, não somos ouvidos. O grupo resolve as coisas e não sabe nada de futebol. Podem ser competentes nas suas empresas. O Caetano fica de pés e mãos atados. Esse grupo veta tudo. Que experiência (os dirigentes) têm em futebol? Eles ganham prêmio, saem no NY Times, mas têm que ganhar prêmio no futebol, e o Flamengo é futebol.

Cheguei de viagem com febre, cansado, ia reunir 22h para ser demitido? Fui demitido pela personalidade. Querem pessoas que digam amém para eles. Não entendem de futebol, mas não podemos discordar deles. Fui demitido pelo grupo de gestores por causa disso. O único contrário teria sido o presidente. Saí como saiu o Jayme, o Ney Franco. Quando a situação aperta, tem que ter alguém que diga que o caminho está certo. Quando aperta no Flamengo, é mais fácil cortar aqui. Em 2016 vai ser o ano do Flamengo, eles falam. Por que não renovaram meu contrato até lá? Não houve aumento no meu salário, nem nada, mas queria participar do ano que será muito bom. Não aconteceu nada. Esse era meu projeto. Eles não aceitaram.

CT E INFRAESTRUTURA

O Flamengo tem melhor CT do Rio, mas acanhado demais para quem quer tocar futebol. O CT é o mesmo desde a Patricia. Vamos todos os dias lá, e o Conselho Gestor deveria ir lá e ver como funciona. Os jogadores se uniram agora para comprar uma borracha e colocar no vestiário. E o Conselho Gestor? O clube fez agora um convênio com o Nova Iguaçu, que tem CT melhor que o dos grandes. Convênio de um ano. Não participamos do contrato, nem eu e nem o Rodrigo. Foi o Fred Luz. Como pode isso? Vão fazer parceria e não podemos ajudar, dar ideia? O CT vai continuar, quando tem muita cobrança eles dão uma contribuída. E o CT é fundamental, mas estamos em 2015. Só quereemos que seja criado o mais rápido possível. Tem que direcionar alguma coisa ali. Não pode faltar aparelhagem, jogador ficar muito mais tempo que o necessário.

ELENCO

O grupo é sensacional, muito bom, mas faltam dois jogadores para chamar a responsabilidade. Senão ficam só bons coadjuvantes. Isso eles (os dirigentes) não sabem. Desde o ano passado precisamos de referências. Acho que incomodei. O Bap (Luiz Eduardo Baptista, ex-vice de marketing do clube) disse que eu falava muito. Acho que eu não estava alinhado, e eles usam muito esse termo.

Montamos elenco bastante versátil. Aí o presidente disse que eu era fundamental para o projeto. Faltavam dois jogadores para dar mais peso. A hora que o Flamengo colocar esse peso de contratação, o elenco cresce. Futebol é assim. Precisa de alguém que carregue a onda, leve porrada e não ligue. Vão contratar e me tiraram? Tem de ficar chateado com isso.

TORCIDA

Ontem (segunda-feira) a torcida queria conversar com dois jogadores (no aeorporto). Uma derrota e os caras vão para o aeroporto, vocês os entrevistam, e eles querem baderna. Não fizeram nada comigo.

DIFICULDADES

Cheguei ano passado num momento em que Flamengo estava morrendo afogado. Não queria ter trabalhado ano passado. Vim porque achei importante para o Flamengo a minha chegada. Saímos da confusão. Não me arrependo. Não ir para a Segunda Divisão foi o grande título que ganhei, até mesmo para os gestores continuarem seus trabalhos. O orgulho foi não deixar o Fla cair, e não sou o culpado. Pega a história de Kleber Leite e Romário, Patricia e Ronaldinho Gaúcho, Marcio Braga e a falta de bola para treinar. Agora nessa gestão acontece o mesmo. A culpa não é minha. E não me arrependo de ter continuado no Fla, de não ter ido para o Inter ou para o São Paulo, que foram propostas oficiais.

CONTRATAÇÕES

Participei e participo sempre, eu e Rodrigo, ajudando. Desde que cheguei aqui, liguei 10 vezes ao Robinho. Mas eles não querem isso. Telefonema meu é fundamental para alguns virem. Uma coisa é ajudar, outra é participar com empresários. Já trouxe muitos jogadores para clubes assim. O Rodrigo sempre junto comigo, Fred Luz e Wrobel.

Vanderlei Luxemburgo já havia treinado o Flamengo em 1991, 1995 e entre 2010 e 2012. No total, são 245 jogos como técnico rubro-negro, 127 vitórias, 67 empates e 51 derrotas. Conquistou o Carioca em 2011. Nesta última passagem pelo Flamengo, foram 59 partidas. Ele estreou no clássico contra o Botafogo, no Brasileiro passado, e venceu por 1 a 0. Foram 34 vitórias, 14 derrotas e 11 empates.

O Flamengo ainda não anunciou o substituto de Luxa, cuja multa rescisória gira em torno de R$ 400 mil – seu contrato com o Rubro-Negro tinha validade até dezembro. O auxiliar permanente do clube, Jayme de Almeida, comanda o treino da tarde desta terça-feira, às 16h. Cristóvão Borges, ex-Fluminense, é uma das principais opções da direção.

Conselho Gestor do Flamengo exclui Rodrigo Caetano na decisão de demitir Luxa


Luxemburgo e Rodrigo Caetano no treino do Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
Ao lado de Vanderlei Luxemburgo e dos jogadores, o diretor executivo do Flamengo, Rodrigo Caetano, voltou ao Rio no fim da tarde desta segunda-feira com o time muito pressionado. A derrota para o Avaí na véspera deixara o treinador ainda mais ameaçado de demissão. Decisão que já havia sido tomada domingo à noite, muito antes de a aeronave que trazia a delegação tocar o solo do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim. Ao bater o martelo, o Conselho Gestor não consultou Caetano, que retornou de Santa Catarina sem saber que Vanderlei estava fora dos planos. 

- Acabei de chegar em casa. Não sei disso - disse ao GloboEsporte.com, via SMS, às 20h20 (de Brasília), ao ser questionado sobre a demissão do treinador. 

Uma hora depois, a notícia fora confirmada pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello publicada pelo clube em seu site oficial. Ou seja, o comando do futebol rubro-negro apenas esperou o retorno de Florianópolis para fazer o comunicado - Rodrigo Caetano encontraria o Conselho Gestor apenas na madrugada de terça-feira.

Foram praticamente 10 meses de confusão. A expressão lançada por Vanderlei Luxemburgo no ano passado para definir a briga contra o rebaixamento virou bordão. E define bem o fim da quarta passagem do treinador pela Gávea: na tabela, a 17ª colocação no Campeonato Brasileiro; fora dela, nos bastidores do futebol rubro-negro, pipocaram questionamentos sobre o trabalho do treinador, da clara necessidade de contratar reforços, do campo minado em ano eleitoral, além de uma crise interna entre Luxa e o médico José Luiz Runco, que há algum tempo não falavam a mesma língua. 

A distância entre Ninho do Urubu e Gávea foi muito além do trajeto zonal sul-oeste. Vanderlei Luxemburgo não conseguia esconder o desconforto com o momento atual. Os incômodos começaram ainda na temporada passada por conta do contrato do treinador. Pedidos feitos por ele geraram impasse com Fred Luz, diretor geral do clube, que tem peso vital nas decisões que são tomadas pelo Conselho Gestor, que tem o presidente Eduardo Bandeira de Mello e os vices Rodrigo Tostes, de finanças, e Alexandre Wrobel, de futebol, entre seus integrantes.

Nas redes sociais, foi possível perceber um crescente e multiplicador movimento pela saída de Vanderlei Luxemburgo - houve protesto no aeroporto nesta segunda-feira. E a corrente também ficava cada vez mais forte internamente. A demissão do treinador entrou em pauta já na semana passada. Os membros do Conselho Gestor, no entanto, se dividiram. Para alguns, Luxa já deveria ter sido demitido após o empate em casa com o Sport. Outros foram mais cautelosos. Temiam que a saída virasse munição aos opositores e tumultuasse ainda mais o ambiente do clube. O risco foi assumido.    


Luxemburgo estava incomodado. Com o desempenho do time, que não vinha jogando bem, com a demora para a contratação de reforços e com a postura dos dirigentes rubro-negros. O técnico não confiava nos homens que comandam o futebol do clube. Esperava mais apoio neste momento difícil, principalmente depois que recusou uma proposta do São Paulo. Quando foi alvo do Tricolor Paulista e decidiu continuar na Gávea, o técnico imaginou uma renovação de contrato por mais um ou dois anos, o que não ocorreu.

Internamente, Vanderlei Luxemburgo teve desentendimentos com o chefe do departamento médico do clube, José Luiz Runco. O treinador reprovava o fato de alguns jogadores serem liberados para jogar quando ainda se queixavam de dores. O meia Everton, por exemplo, relata um problema nas costas desde a partida contra o São Paulo, na rodada de abertura do Brasileirão, mas continua em ação. Runco, por sua vez, colocava a responsabilidade de alguns dos problemas físicos dos atletas na conta de Antônio Mello, preparador físico e braço direito de Luxa há alguns anos. 

O clima era totalmente desfavorável e desconfortável para o treinador rubro-negro. Luxemburgo, no entanto, em nenhum momento cogitou entregar o cargo ou ceder nas questões que costuma conduzir no departamento de futebol. O técnico que salvou o Flamengo da confusão em 2014 virou alvo. E a artilharia foi pesada.

Jayme volta à cena enquanto Flamengo busca acerto com novo técnico

Cai novamente no colo de Jayme de Almeida a missão de comandar o Flamengo interinamente. Ex-auxiliar e ex-técnico, entre 2010 e 2014, assume a equipe nesta terça-feira após a demissão de Vanderlei Luxemburgo, anunciada pela direção na noite desta segunda. Hoje auxiliar permanente do clube, Jayme volta à cena um ano depois de ter sido demitido pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello e sua equipe. Ele comandará o treino a partir das 16h, no Ninho do Urubu, mas o Flamengo não cogita efetivá-lo. Cristóvão Borges, ex-Fluminense, é um dos nomes em análise.

Flamengo x Volta Redonda - Jayme de Almeida recebe homenagem (Foto: Rudy Trindade / Agência Estado) 
Após a queda de Luxa, o Flamengo recorre novamente a Jayme (Foto: Rudy Trindade / Agência Estado)

Cristóvão conta com a simpatia de alguns jogadores e trabalhou com o diretor executivo Rodrigo Caetano no vasco, em 2011. Além disso, tem proximidade com Fernando Gonçalves, ex-diretor da Traffic, que tem um projeto de coaching e faz consultoria para o departamento de futebol rubro-negro.

A diretoria tem pouco tempo para agir e dar uma resposta aos torcedores. Na quarta-feira, o Flamengo enfrenta o Náutico, pela terceira fase da Copa do Brasil, no Maracanã, às 22h. No domingo, o time enfrenta o Fluminense, às 18h30, também no Maraca.

Cristovão Borges, Fluminense (Foto: Marcio Alves / Agência O Globo)Enquanto o nome não for anunciado, é Jayme quem vai preparar o time. Entre 2013 e 2014, ele ficou oito meses no cargo de treinador do Flamengo e conquistou o Carioca e a Copa do Brasil. Antes, trabalhava como auxiliar. Na época em que foi demitido, saiu muito magoado com os dirigentes pela forma como sua dispensa foi conduzida.

- Obviamente não gostei como as coisas foram conduzidas, principalmente pela relação próxima e acima de tudo bem franca que eu sempre tive com todos ligados ao futebol. Acredito que tudo poderia ter sido tratado de forma mais profissional. Por isso disse que estava perplexo com o fato de não ter recebido nenhum telefonema durante todo o dia, quando todos da imprensa já afirmavam que eu havia sido demitido e, inclusive, já davam um novo técnico. Só fui receber uma ligação do Wallim (Vasconcelos, vice de futebol na época) às 18h30 para me comunicar o que todos já sabiam. É inadmissível que uma coisa dessas aconteça em pleno ano de 2014 – disse na ocasião. Demitido após duas derrotas e um empate no Brasileirão, Vanderlei Luxemburgo concederá entrevista coletiva às 11h desta terça num hotel na Barra da Tijuca, na Zona Oeste. O GloboEsporte.com transmite ao vivo e fará toda a cobertura em Tempo Real. 


segunda-feira, 25 de maio de 2015

No Figueira, Felipe comemora demissão de Luxa do Fla: “Aqui se faz, aqui se paga”


O goleiro Felipe, hoje jogador do Figueirense, comemorou a notícia do dia no Flamengo em uma rede social. Sem cerimônia, o jogador, que defendeu o Rubro-Negro de 2011 a 2014, celebrou a demissão do técnico Vanderlei Luxemburgo. Ao retornar ao clube no ano passado, Luxa transformou o então camisa 1 em terceiro goleiro e o deixou completamente fora dos planos. Nesta segunda, Felipe tripudiou.


- E viva o futebol! Aqui se faz, aqui se paga! – postou.


Felipe publica mensagem curiosa no Facebook após demissão de Luxemburgo

Luxemburgo não queria deixar Flamengo, revela Joanna de Assis




Após um começo de campanha sem vitória em três partidas no Campeonato Brasileiro, a diretoria do Flamengo se reuniu e definiu pela saída do técnico Vanderlei Luxemburgo. A repórter Joanna de Assis revelou, durante o programa "Bem, Amigos!", que Luxa não queria sair do clube da Gávea neste momento.

- Estava falando com o Vanderlei aqui. Ele não quer falar, até tentei pra ele entrar por telefone e falar como foi essa saída. O que ele me explicou é que não foi uma decisão de comum acordo, ele não queria sair do Flamengo. Ele pretende dar uma coletiva amanhã (terça-feira) e vai dar maiores esclarecimentos do que aconteceu nessa reunião que culminou com a saída dele - disse Joanna.

Além do treinador, também deixam o clube o ex-atacante e auxiliar Deivid e o preparador físico Antônio Mello, que fazem parte da comissão trazida ao Fla por Luxemburgo. O técnico cederá uma entrevista coletiva nesta terça-feira, às 11h, em um hotel na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.

A saída de Luxa foi confirmada oficialmente pelo clube através de seu site, em nota publicada às 21h50. Confira:

"Vanderlei Luxemburgo não é mais treinador do Flamengo. Ele deixa o cargo após dez meses à frente da equipe de futebol. A diretoria agradece ao técnico pelos serviços prestados e deseja sucesso na continuidade de sua carreira".

Luxemburgo treino 14.05 (Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo Oficial) 
Luxa não quis entrar ao vivo no programa "Bem, Amigos!" para falar da sua saída (Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo oficial)

Após reunião, Flamengo demite Vanderlei Luxemburgo



Vanderlei Luxemburgo Flamengo x Sport (Foto: Cezar Loureiro / Ag. O Globo)
Vanderlei Luxemburgo não é mais treinador do Flamengo. A quarta passagem dele pela Gávea teve duração de dez meses e seu grande feito foi tirar o Rubro-Negro da "confusão", termo cunhado pelo próprio para se referir à zona de rebaixamento do Brasileiro em 2014. A informação foi confirmada oficialmente pelo clube através de seu site, em nota publicada às 21h50.

 Confira:


"Vanderlei Luxemburgo não é mais treinador do Flamengo. Ele deixa o cargo após dez meses à frente da equipe de futebol. A diretoria agradece ao técnico pelos serviços prestados e deseja sucesso na continuidade de sua carreira".


Vanderlei Luxemburgo já havia treinado o Flamengo em 1991, 1995 e entre 2010 e 2012. No total, são 245 jogos como técnico rubro-negro, 127 vitórias, 67 empates e 51 derrotas. Conquistou o Carioca em 2011.

O ex-atacante Deivid, auxiliar de Luxemburgo, e Antônio Mello, preparador físico e fiel escudeiro do treinador, também devem sair.

Nesta última passagem pelo Flamengo, foram 59 jogos. Estreou no clássico contra o Botafogo, no Brasileiro passado, e venceu por 1 a 0. Foram 34 vitórias, 14 derrotas e 11 empates.

O ano começou positivamente, com triunfo no torneio amistoso disputado em Manaus, contra Vasco e São Paulo. No Carioca, porém, o Flamengo perdeu a Taça Guanabara em jogo que precisava de uma vitória simples contra o lanterna Nova Iguaçu, que acabou rebaixado após um desempate com o Boavista. Na semifinal, foi eliminado pelo Vasco sem marcar um gol sequer.

No Brasileiro 2015, foram duas derrotas, para São Paulo e Avaí - ambas na condição de visitante -, e um empate, diante do Sport, em casa.

Antes de o Flamengo cair no Carioca, Vanderlei Luxemburgo foi procurado por Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo. O treinador agradeceu ao Tricolor, mas recusou sob a alegação de que tinha um projeto em andamento no Flamengo.

A multa rescisória do treinador, cujo contrato com o Rubro-Negro tinha validade até dezembro, gira em torno de R$ 400 mil.

*Mais informações em instantes
 
 
 

Acabou de ser demitido Vanderlei Luxemburgo



Cristóvão Borges pode assumir o Flamengo  

Quarta-feira tem Mengão na Globo

                                                        

Copa do Brasil


22h Flamengo x Náutico


Transmissão: TV Globo para RJ, SC, ES, GO, TO, MS, MT, BA, SE, PB, RN, CE, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF (com Luis Roberto, Juninho Pernambucano e Renato Marsiglia), TV Globo para PE (com Rembrandt Junior, Chiquinho e Wilson Souza) e SporTV 2 (com Julio Oliveira e Ricardo Rocha)

Terça-feira tem Mengão no SporTV2



Flamengo e Bauru estão na decisão do Novo Basquete Brasil. O primeiro dos três jogos acontece nesta terça, às 21h30, na Arena da Barra. O SporTV2 transmite a partida com narração de Odinei Ribeiro, comentários de Renatinho e Byra Bello e reportagem de Guido Nunes e Mariana Monteiro.

Maracanã abre vendas para Fla-Flu, e ingresso mais barato custará R$ 30

Está aberta a venda de ingressos para o Fla-Flu deste domingo. Pela internet, o torcedor já pode adquirir seu bilhete via site do Maracanã. O valor mais barato é de R$ 30, a meia-entrada, sendo o valor integral R$ 60. O mais caro é para o Maracanã Mais, ao preço de R$ 165. A meia, para este setor, custa R$ 105. Flamengo e Fluminense se enfrentam às 18h30 (de Brasília) deste domingo, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

Confira os preços dos ingressos:


Setor Norte (Flamengo):
Inteira: R$ 60
Meia: R$ 30

Setor Sul (Fluminense):
Inteira: R$ 60
Meia: R$ 30

Setor Leste:
Inteira: R$ 100
Meia R$ 50

Maracanã Mais:
Inteira: R$ 165
Meia: R$ 105