Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Com virada no 3º quarto, Flamengo bate Paulistano e larga bem no NBB 7


Durante cerca de 25 minutos, o Paulistano foi guerreiro e liderou o placar. Mas o Flamengo demonstrou a sua conhecida força, conseguiu uma empolgante virada e tomou conta do jogo nos 15 minutos finais para largar com uma importante vitória de 99 a 91 rumo ao tricampeonato consecutivo do NBB. Exatos cinco meses depois da final do NBB 6 entre os dois times, no Rio de Janeiro, mais uma vez deu Fla. E dessa vez, o triunfo foi na casa do rival: o ginásio Antônio Prado Jr., em São Paulo. 

Flamengo X Paulistano (Foto: João Pires/Fotojump) 
Laprovittola fez uma bela partida na estreia do NBB (Foto: João Pires/Fotojump)

O abatimento pela virada do Flamengo foi tão grande que o técnico Gustavo De Conti não se conteve e reclamou bastante da arbitragem. Ele foi advertido com uma falta técnica e continuou a chiar. O resultado foi uma expulsão no começo do último quarto. Não foi apenas o banco dos mandantes que demonstrou o nervosismo. Durante o terceiro quarto, o treinador José Neto discutiu calorosamente com o ala-armador Benite.

O cestinha do jogo foi o ala americano Holloway, do Paulistano, com 29 pontos. Pelo lado do Flamengo, o ala-pivô argentino Walter Herrmann foi o maior pontuador, com 21 pontos.

Depois de uma semana intensa, com direito a mais um título carioca, o Flamengo terá uma semana de descanso e voltará a jogar na próxima sexta-feira, contra a Liga Sorocabana, às 20h, em Sorocaba (SP). No mesmo dia e horário, o Paulistano vai receber o Macaé.

 (Foto: João Pires/LNB) 
Marcelinho é o maior cestinha da história da competição (Foto: João Pires/LNB)

O jogo

Contratado pelo Paulistano para esta temporada, o pivô americano Devon Hardin deu uma bonita enterrada logo no primeiro ataque do jogo, levantando a torcida da casa. Com a sua habitual força na defesa, os mandantes roubaram boas bolas e abriram logo seis pontos. Um pouco travado em quadra, o Flamengo demorou para conseguir se soltar, deixando o Paulistano manter boa vantagem (14 a 9).  Aos poucos, os espaços foram sendo encontrados pelo “campeão de tudo” e as bolas de Marquinhos e Hermann começaram a cair. Porém, isso não assustou os mandantes, que contavam com a agilidade do armador americano Dawkins para transformar ataques em cestas, a maioria delas por seu compatriota Holloway.

Foi graças a uma infiltração do ala que o Paulistano foi para o primeiro tempo do jogo com 23 a 12 no placar. No minuto final do primeiro quarto, se viu uma grande marcação dos dois lados. E assim como vinha acontecendo, o Paulistano soube administrar o placar e fechou os primeiros dez minutos com a considerável vantagem de 11 pontos (29 a 18).


Flamengo X Paulistano (Foto: João Pires/Fotojump) 
Marquinhos foi bem na estreia do NBB (Foto: João Pires/Fotojump)


Com as entradas de Gegê, Benite Olivinha e Felício, o Flamengo voltou com uma formação mais veloz para o segundo quarto.  O Paulistano também mudou, porém, a defesa continuava trabalhando bem, fazendo com que os rubro-negros se precipitassem na hora de arremessar e cometessem erros. Isso somado ao fato de os donos da casa não vacilarem no ataque fez com que a vantagem do atual vice-campeão do NBB não caísse (37 a 26). Com duas boas investidas seguidas, de Felício e Olivinha, o Flamengo somou quatro importantes pontos e foi para a primeira parada técnica do segundo quarto com sete pontos de desvantagem (37 a 30). 

Restavam pouco mais de cinco minutos. Era um momento crucial para determinar se iria pintar uma reação flamenguista ou se a tônica da partida se manteria. E o que se viu foi o Flamengo sendo mais eficiente no ataque. Quando isso acontece no cenário nacional, toda e qualquer vantagem tende a cair. Faltando pouco mais de dois minutos para o intervalo, o Paulistano só tinha um ponto de dianteira (41 a 40). Os minutos finais do primeiro tempo foram equilibrados e a vantagem só não persistiu até o intervalo, porque, quase no estourar do cronômetro, Holloway enterrou com estilo, fazendo com que o tradicional clube da capital paulista fosse para o vestiário com três pontos à frente (48 a 45). 

O segundo tempo começou com Holloway, sempre ele, acertando bom arremesso de longe e convertendo três pontos. Mas o Fla respondeu rapidamente com uma cravada de Meyinsse. A penetração tranquila do pivô americano para a finalização da jogada demonstrou ao Fla que era possível encaixar outros contra-ataques, arma letal diante de uma defesa forte como a do Paulistano. Foi o que fez o ala-pivô argentino Hermann, em grande jornada, no lance seguinte.

Porém, ainda faltava ao atual bicampeão do NBB não dar espaços na defesa ou melhorar nos rebotes defensivos. Bingo. Depois de um rebote de Marquinhos, Laprovittola converteu bom arremesso e empatou o placar (59 a 59). Era o sinal para a virada. E ela veio em jogada de raça da dupla de pivôs. Após rebote ofensivo de Herrmann, Meyinsse brigou com Devon Hardin, marcou dois pontos e ainda sofreu a falta. Foi a senha para o técnico do Paulistano, Gustavo De Conti, pedir um tempo técnico para tentar esfriar os visitantes. Mas o americano converteu o arremesso e o Flamengo, pela primeira vez no jogo, tinha uma vantagem de três pontos no placar (62 a 59).

Senhores da partida até então, os donos da casa precisariam controlar os ânimos para buscar uma retomada. E, para piorar, a tarefa foi ficando mais complicada, pois o experiente Fla logo abriu oito pontos (68 a 60). Além de voltar a fazer uma marcação forte no limite da falta, o Paulistano também precisaria contar com os gatilhos de Dawkins e Holloway. Eles até conseguiram diminuir a vantagem, mas, com uma cesta de Marquinhos nos segundos finais, o Flamengo fechou o terceiro quarto com cinco pontos à frente (78 a 73).

O quarto final definiria se a reação do Flamengo no período anterior seria finalizada com uma estreia vitoriosa no NBB 7 ou se o Paulistano conseguiria reencontrar o basquete eficiente dos 25 primeiros minutos de jogo e largaria com uma vitória em casa. A balança pesou para o lado rubro-negro. Jogando com mais tranquilidade e eficiência, o clube carioca encurralou o oponente no início do quarto derradeiro e abriu dez pontos (83 a 73).

A forte defesa dos mandantes arrefeceu. Estava mais fácil para Meyinsse, Marquinhos e companhia penetrarem no garrafão adversário e pontuar. Os americanos Holloway e Dawkins continuavam como maiores cestinhas do jogo. Mas só isso não bastava, pois as bolas rubro-negras caíam com mais frequência, como num belo tiro de três de Gêgê (90 a 80). Abatido, o Paulistano não  encontrou mais forças para reagir. Restou ver o Fla administrar o resultado e sair com um importante triunfo na campanha rumo ao tricampeonato consecutivo do NBB.

Escalações

Paulistano: Dawkins (21), Holloway (29) , Pilar (8) , Renato (4)  e DeVon Hardin (8) . Entraram: Pedro (12), Labate, Arthur (2), Cesar (3)  e Edgar.
 Técnico: Gustavo De Conti

Flamengo: Laprovittola (11) , Marcelinho Machado (8), Marquinhos (12), Herrmann (21) e Meyinsse (12) . Entraram: Gegê (11) , Benite (4) , Olivinha (11) e Felício (5).
 Técnico: José Neto

Abertura do Novo Basquete Brasil 7


Fim de jogo,   Paulistano 91 x 99 Flamengo

Flamengo leva a melhor sobre o Paulistano, fora de casa, por 99 a 91. O time paulista começou vencendo, mas reação rubro-negra foi arrasadora, e a equipe da Gávea começa com o pé direito em busca do quarto título do NBB.



Flamengo x Chapecoense: 9 mil ingressos vendidos para o jogo de domingo

Depois de mais um jogo acima dos 40 mil pagantes, na quarta-feira, quando venceu por 2 a 0 o Atlético-MG, pela Copa do Brasil, o Flamengo já tem a presença de nove mil torcedores para enfrentar a Chapecoense, domingo, às 19h30 (de Brasília), no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. O número de ingressos foi vendido até a noite desta sexta-feira.

A venda começou na terça-feira para os sócios-torcedores e aberta ao público apenas na quinta-feira. Não haverá venda online no dia da partida. Há meia-entrada para estudantes.


Flamengo x Atlético-MG - maracanã (Foto: Thales Soares)
Veja os preços por setor:

Norte
Torcedor: R$40 inteira / R$20 meia
Sócio-torcedor: R$20 Inteira / R$10 meia
Tradição: R$30 inteira / R$15 meia

Sul
Torcedor: R$50 inteira / R$25 meia
Sócio-torcedor: R$25 Inteira / R$12,50 meia
Tradição: R$40 inteira / R$20 meia

Leste Superior
Torcedor: R$80 inteira / R$40 meia
Sócio-torcedor: R$40 Inteira / R$20 meia
Tradição: R$60 inteira / R$30 meia

Leste Inferior
Torcedor: R$80 inteira / R$40 meia
Sócio-torcedor: R$40 Inteira / R$20 meia
Tradição: R$60 inteira / R$30 meia

Oeste Inferior
Torcedor: R$100 inteira/R$50 meia
Sócio-torcedor: R$50 inteira/R$25 meia
Tradição: R$80 inteira/R$40 meia

Maracanã Mais
Torcedor: R$220 inteira / R$130 meia
Sócio-torcedor: R$130 Inteira / R$85 meia
Tradição: R$180 inteira / R$110 meia

Confira os pontos físicos de troca e venda para os sócios:

Gávea
FlaBoutique
Espaço Rubro-negro
Maracanã (container da Mata Machado)

Outra opção para os torcedores do Flamengo é a compra de um pacote especial da Fla Tour, a agência oficial de viagens do clube. O pacote proporcionará translado, de ida e volta, saindo da Gávea até o estádio. Ainda está incluso serviço de bordo (água, cerveja, refrigerante), acompanhamento de guias especializados e ingresso para o jogo. Os preços deste pacote são de R$ 130,00 para sócios e R$ 145,00 para não associados. Mais informações no site da agência (www.flatour.com.br) ou ligue para (21) 3513-0500 / 4062-7604.

Luxa mantém foco na Chapecoense: "Não quero pensar na quarta-feira"

Luxemburgo, treino, Ninho do Urubu (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)O discurso de Vanderlei Luxemburgo é claro: nada de falar sobre a Copa do Brasil. Domingo, no Maracanã, às 19h30 (de Brasília), o Flamengo enfrenta a Chapecoense, e o técnico frisou a importância do confronto para a equipe fugir de vez de riscos no Campeonato Brasileiro. No primeiro turno, antes da sequência de cinco vitórias, o Rubro-Negro - na segunda partida sob o comando de Luxa - foi derrotado para a adversária por 1 a 0, na Arena Condá.

- Não quero pensar na quarta-feira. Vou pensar no domingo, que é um jogo extremamente importante. É um jogo difícil. A Chapecoense tem uma grande equipe, passou a semana toda descansando. Não jogou um jogo decisivo na quarta-feira e vem para cá buscar uma bola e vencer a partida. Vai ser difícil - disse Luxa.

O técnico comandou um treino tático na tarde desta sexta-feira, antes da liberação da entrada da imprensa no Ninho do Urubu. A escalação, porém, assim como o substituto de Everton e o provável retorno de Wallace, só será definida a partir deste sábado, quando o time faz a última atividade antes do confronto com a Chapecoense. O trabalho feito à frente da adversária de domingo, mantido pelo treinador Jorginho, foi bastante elogiado por Luxemburgo. 

- O Jorginho é um excelente profissional, conheço muito bem. Mas o trabalho começou antes dele. A cidade se envolveu com a equipe. Você vê que o ambiente todo é favorável à equipe. Ganhar deles lá é praticamente impossível. É complicado. Já perdi com o Atlético-MG, perdi com o Flamengo. Esses clubes têm uma tendência de ter a força do município. Acabam vencendo e encostando. É uma estrutura muito bem feita. Pensei lá atrás que eles brigariam na parte intermediária da tabela. Gosto muito do trabalho que eles fazem.

Três meses no comando rubro-negro, Luxemburgo, que tirou o Flamengo da zona de rebaixamento do Brasileiro e agora possui uma boa vontagem na semifinal da Copa do Brasil, afirmou que esta competição continua em segundo plano.

- Ainda não concretizamos o nosso objetivo, que é manter o Flamengo na Primeira Divisão. Temos sete jogos para completarmos isso aí. Esse é o trabalho que viemos fazer. O projeto do Flamengo nessa temporada era sair dessa confusão. A Copa do Brasil veio junto, mas a prioridade continua sendo o Flamengo estar disputando a elite do futebol no ano que vem. Quando terminar, vemos o que aconteceu. Pode ser uma temporada que termine com o objetivo cumprido. E pode também ser melhor ainda. Estamos vendo com calma - frisou.

O Flamengo ocupa a 11ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 40 pontos, sete a mais do que o Botafogo, primeiro colocado da zona de rebaixamento. O jogo com a Chapecoense, válido pela 32ª rodada, será realizado neste domingo, no Maracanã, às 19h30 (de Brasília). 

Em uma hora e 20 minutos de treino fechado, Luxa prepara equipe

Com a Copa do Brasil se apresentando para o Flamengo, como gosta de dizer o técnico Vanderlei Luxemburgo, o time luta em duas frentes na reta final da temporada, já que precisa se livrar de vez de qualquer ameaça da zona da confusão. A preocupação é grande com essa sequência e, por isso, ele fechou por uma hora e 20 minutos o treinamento desta sexta-feira, no Ninho do Urubu, na preparação para o jogo com a Chapecoense, domingo, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro.

Treino Flamengo (Foto: Cezar Loureiro / Agência O Globo) 
Treino do Flamengo nesta sexta-feira aconteceu cheio de mistério (Foto: Cezar Loureiro / Agência O Globo)


Luxemburgo precisa definir o substituto de Everton, que sofreu uma lesão na coxa esquerda e já está fora do jogo de domingo. Além disso, deve preservar outros titulares de olho no jogo com o Atlético-MG, quarta-feira, em Belo Horizonte, válido pelo confronto semifinal da Copa do Brasil.

- Fiz um treinamento tático, mas só vou definir o time amanhã (sábado) ou domingo. Preciso ver a recuperação dos jogadores. Quem sente dor não sou eu - disse Luxemburgo.

Gabriel e Chicão Treino Flamengo (Foto: Cezar Loureiro / Agência O Globo)Uma das preocupações é com o zagueiro Wallace. Ele está recuperado de uma lesão na coxa esquerda, participou do treinamento desta sexta-feira, mas terminou a atividade na fisioterapia, levando a mão ao local do problema, que o afastou do time a partir da vitória por 3 a 0 sobre o Cruzeiro, no dia 12 de outubro.

Na linha defensiva, Luxemburgo deve fazer o maior número de mudanças. Léo deve substituir Léo Moura, assim como Anderson Pico entrará na vaga de João Paulo. A dupla de zaga não deve ter Chicão para preservar o jogador. Wallace e Samir são os favoritos para serem os titulares no jogo de domingo.

A formação deve ser a seguinte: Paulo Victor, Léo, Wallace (Marcelo), Samir e Pico; Cáceres, Canteros, Márcio Araújo e Gabriel; Nixon e Eduardo da Silva.

Flamengo x Chapecoense: ingressos à venda para jogo pelo Brasileirão

 
Os torcedores do Flamengo já podem comprar ingressos para o jogo contra a Chapecoense, neste domingo, às 19h30, no Maracanã, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. As vendas para o público em geral abriram nesta quinta-feira.

Não há venda on line no dia da partida. Há meia-entrada para estudantes.


Veja os preços por setor:

Norte
Torcedor: R$40 inteira / R$20 meia
Sócio-torcedor: R$20 Inteira / R$10 meia
Tradição: R$30 inteira / R$15 meia

Sul
Torcedor: R$50 inteira / R$25 meia
Sócio-torcedor: R$25 Inteira / R$12,50 meia
Tradição: R$40 inteira / R$20 meia

Leste Superior
Torcedor: R$80 inteira / R$40 meia
Sócio-torcedor: R$40 Inteira / R$20 meia
Tradição: R$60 inteira / R$30 meia

Leste Inferior
Torcedor: R$80 inteira / R$40 meia
Sócio-torcedor: R$40 Inteira / R$20 meia
Tradição: R$60 inteira / R$30 meia

Oeste Inferior
Torcedor: R$100 inteira/R$50 meia
Sócio-torcedor: R$50 inteira/R$25 meia
Tradição:  R$80 inteira/R$40 meia

Maracanã Mais
Torcedor: R$220 inteira / R$130 meia
Sócio-torcedor: R$130 Inteira / R$85 meia
Tradição: R$180 inteira / R$110 meia

Confira os pontos físicos de troca e venda para os sócios:

Gávea
FlaBoutique
Espaço Rubro-negro
Maracanã (container da Mata Machado)

Outra opção para os torcedores do Flamengo é a compra de um pacote especial da Fla Tour, a agência oficial de viagens do clube. O pacote proporcionará translado, de ida e volta, saindo da Gávea até o estádio. Ainda está incluso serviço de bordo (água, cerveja, refrigerante), acompanhamento de guias especializados e ingresso para o jogo. Os preços deste pacote são de R$ 130,00 para sócios e R$ 145,00 para não associados. Mais informações no site da agência (www.flatour.com.br) ou ligue para (21) 3513-0500 / 4062-7604.

Exame aponta lesão, e Everton é dúvida para jogo contra o Atlético-MG


O Flamengo poderá ter um desfalque considerável na partida contra o Atlético-MG, na próxima quarta-feira, válida pela semifinal da Copa do Brasil. Substituído no segundo tempo após sentir a coxa esquerda ao dar uma arrancada, Everton foi submetido, na tarde desta quinta-feira, a exames que detectaram uma lesão na região. Desta maneira, o aproveitamento do atleta no confronto programado para o Mineirão é incerto.

Se na parte ofensiva Vanderlei Luxemburgo poderá ter dor de cabeça, na defesa, o treinador vai contar com o retorno de Wallace. O zagueiro está recuperado de uma lesão na coxa esquerda e está à disposição. Ele volta a campo neste domingo, contra a Chapecoense, pelo Campeonato Brasileiro.

Campeão da Copa do Brasil no ano passado, o Rubro-Negro está perto de disputar a final da competição outra vez. O time assinalou 2 a 0 no Galo, no Maracanã, e levará a vantagem para o segundo jogo.

Flamengo atropela o Regatas na LDB, e Botafogo perde mais uma


Após duas derrotas seguidas, o Flamengo voltou aos trilhos na Liga de Desenvolvimento de Basquete (LDB). Nesta sexta-feira, no ginásio do Pinheiros, o atual campeão atropelou o Regatas: 104 a 37. Até o momento, a campanha rubro-negra conta com dois triunfos em cinco jogos. O cestinha do confronto foi Léo, com 26 pontos. Gigante também se destacou ao com um duplo-duplo (11 pontos e 14 rebotes). Do outro lado, Gabriel anotou 10.

O time da Gávea não encontrou resistência. Mandou no primeiro quarto (26 a 11) e não permitiu que o adversário chegasse ao dois dígitos na parcial seguinte: foram 23 pontos contra apenas oito do Regatas. Nos dois quartos seguintes, o Flamengo fez 55 a 18 e assegurou o triunfo. 

O Botafogo não teve a mesma sorte. Viu o Paulistano levar a melhor e amargou o sexto revés em seis compromissos: 68 a 46. Igor (17 pontos e 10 rebotes) e André (12 pontos e 12 rebotes) foram os destaques da equipe de São Paulo. 

A rodada

Em São Paulo
Franca 63 x 74 Pinheiros
Macaé 51 x 62 Limeira
Tijuca 50 x 67 Taubaté
Bauru 62 x 74 Mogi das Cruzes
Flamengo 104 x 37 Regatas
Botafogo 46 x 68 Paulistano

Em Curitiba
Anápolis 71 x 59 Joinville
Sport Recife 87 x 63 Grêmio Náutico União
Minas 80 x 58 Náutico
Blumenau 57 x 72 Brasília
Praia Clube x Tittãs
Basquete Curitiba x Basquete Cearense

Flamengo vota inclusão de estrela do título intercontinental em seus uniformes

O Conselho Diretor do Flamengo planeja uma homenagem definitiva ao time de basquete campeão intercontinental de clubes. Depois da conquista diante do Maccabi Tel-Aviv em setembro, o conselheiro Eduardo Vinícius de Souza, membro da Comissão de Uniformes, sugeriu a inclusão de uma estrela a mais nas camisas do clube, referente ao título das quadras. A ideia é valorizar ainda mais o feito do time comandando pelo técnico José Neto. A proposta foi levada ao Conselho Deliberativo do clube e será votada nesta terça-feira.

Em carta enviada aos sócios do clube nesta sexta-feira, o vice-presidente de esportes olímpicos, Alexandre Póvoa, afirmou que a homenagem também seria uma forma de enaltecer aqueles que contribuíram para a grandeza dos esportes olímpicos do Flamengo. 

Mogi e Flamengo basquete NBB (Foto: Luiz Pires / LNB) 
O armador Laprovittola: camisa do basquete tem estrela referente ao Mundial do futebol (Foto: Luiz Pires / LNB)

Sobre o fato de a camisa usada pelo time camisa do futebol também ser contemplada com essa possível nova estrela, Póvoa escreveu que ''não existe uniforme do futebol, basquete ou futsal'' e sim um ''uniforme do Flamengo, igual para todas as modalidades''. Ele também ressaltou que as equipes de esportes olímpicos do Rubro-Negro sempre jogaram com a estrela do título mundial de futebol, de 1981, no peito.

O time de basquete do Flamengo tem vivido temporadas vitoriosas. Atualmente, a equipe é campeã de todos os títulos que disputou recentemente. Além do título intercontinental,o Fla é atual campeão do NBB, da Liga das Américas e, nesta semana, alcançou o décimo título carioca em sequência, ao derrotar o Macaé. 


Paulo Victor vive maior temporada no Flamengo e se consolida na posição

Paulo Victor treina nesta quinta-feira no Ninho do Urubu (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)Na chegada do técnico Vanderlei Luxemburgo em julho deste ano, o goleiro Paulo Victor viu sua chance de ouro chegar. Felipe foi afastado, e ele, efetivado como titular do Flamengo. Não decepcionou e a cada jogo se consolida como dono da posição, inclusive, já pensando na próxima temporada.

Na vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-MG, quarta-feira, no Maracanã, Paulo Victor ajudou o time a sair de campo com boa vantagem no confronto da semifinal da Copa do Brasil com pelo menos duas boas defesas. Além disso, completou 31 jogos no ano, a sua maior marca até hoje no clube.

Antes, Paulo Victor tinha como recorde os 29 jogos disputados em 2012, quando foi comandado por Luxemburgo, Joel Santana e Dorival Júnior. Na ocasião, foram 25 como titular e quatro entrando no decorrer dos confrontos. Nesta temporada, iniciou os 31.

Em 2014, foram 25 gols sofridos nos 31 jogos disputados, com média de 0,8. No total, sofreu 80 gols em 85 partidas, com média de 0,94. Aos 27 anos, Paulo Victor tem total confiança do grupo para se manter na posição.

- É um jogador que esteve muito tempo no banco, recebendo poucas oportunidades. Ele está tendo uma sequência e vem crescendo. Mostrou qualidade para ser titular por um bom tempo e torcemos para que cresça cada vez mais - comentou o zagueiro Chicão.

Na quinta-feira, Paulo Victor ainda recebeu elogios do técnico Alexandre Gallo, responsável pelas categorias de base da seleção brasileira, no programa "Arena SporTV". O goleiro tem contrato com o Flamengo até maio de 2016 e a diretoria tem dado demonstrações de que não contratará um jogador para a posição no fim da temporada.

O primeiro galo transsexual do mundo?



Você já tinha ouvido falar em ave transsexual? Então, olha essa: o galo Gianni viveu a vida inteira como o procriador (e o despertador) de uma fazenda mineira na região de Belo Horizonte(Horto).

Um dia, uma raposa invadiu o galinheiro e matou todas as galinhas, mas Gianni sobreviveu.

Daí o aparentemente impossível aconteceu. Em poucos dias, Gianni começou a botar ovos. A mudança de sexo tem intrigado cientistas, que estão estudando o DNA do galo.

"Pode ser devido a um gene de sobrevivência da espécie. Uma vez que todas as fêmeas se foram, a única maneira de continuar a linhagem seria se tornar fêmea."

Na verdade, macho e fêmea em um único corpo galináceo. Afinal, Gianni continua fecundando... e, agora, sendo fecundado.

No Horto, galo vira galinha!!!!!!


Gabriel recorda arrancada decisiva: "Escorreguei, levantei e fui embora"

Velocidade, habilidade e confiança. Quando viu a bola vindo em sua direção, após Nixon afastar o perigo da área do Flamengo, Gabriel não tinha muita opção. Jogador mais avançado da equipe, viu três defensores do Atlético-MG na sua frente e partiu para cima. Lembrou os tempos em que disputava os "babas", em campinhos de terra, na Bahia, e se divertiu. O lance, que resultou no pênalti convertido por Chicão, foi o mais badalado da vitória rubro-negra por 2 a 0, mas camisa 17 o tratou com simplicidade e definiu como fruto de persistência e dedicação.

Logo no início da jogada, Gabriel aplica dois dribles consecutivos em Marcos Rocha. No segundo, perde o equilíbrio, cai, mas levanta a segue em frente para deixar Edcarlos para trás e ser derrubado por Josué. Ao falar do lance, o meia-atacante recorda o corredor que se abriu após superar o lateral-direito pela primeira vez, mas substituiu adjetivos mais empolgantes por outro singelo: esforçado.

Gabriel, Flamengo x Atletico-MG (Foto: André Mourão / Agência Estado) 
A ótima jogada resultou no pênalti que selou o triunfo sobre o Galo, e Gabriel vibrou (Foto: André Mourão / Agência Estado)

- Dei um drible, escorreguei, levantei e fui embora. Tive confiança para dar o outro drible e, graças a Deus, sofri o pênalti. Às vezes, o jogador cai quando não tem mais força. Tive força suficiente e fui embora. Foi uma jogada de habilidade. No primeiro drible, já abriu. Conduzi a bola até perto da área e fui feliz. Sou esforçado. Tenho trabalhado bastante, o professor tem dado confiança, e aconteceu.
 
Gabriel chamou para si o protagonismo ainda ao sofrer falta que iniciou a jogada do primeiro gol e cruzar na medida para Cáceres na sequência. Uma das principais armas do Flamengo no Mineirão, na próxima quarta-feira, o jogador alerta para a força do Atlético-MG em casa e evita entrar no clima de oba-oba por uma vaga na final.

- É um placar perigoso. A equipe deles é forte jogando dentro e fora de casa. Eles jogam para frente, são qualificados. Esperamos fazer um grande jogo lá.

Antes do confronto decisivo com o Galo, o Flamengo terá pela frente a Chapecoense, domingo, às 19h30m (de Brasília), no Maracanã, pela 32 rodada do Brasileirão. Com 40 pontos, o Rubro-Negro é o 11º colocado na competição e precisa de duas vitórias para se livrar definitivamente do risco de rebaixamento.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Domingo tem Mengão na TV




DOMINGO, 2

Brasileirão Série A


19h30 – Flamengo x Chapecoense 


Transmissão: Premiere e PFC HD (com Júlio Oliveira Lédio Carmona)

Menos público, mais dinheiro: Flamengo lucra mais de R$ 1 milhão diante do Galo

Torcida Flamengo x Atlético-MG (Foto: Cahê Mota)Vitória em campo e lucro no bolso, apesar do estádio mais vazio. A estratégia da diretoria do Flamengo ao aumentar o preço dos ingressos para semifinal da Copa do Brasil, contra o Atlético-MG, quarta-feira, no Maracanã, surtiu efeito nos cofres do clube. Com 40.909 pagantes na vitória por 2 a 0, o Rubro-Negro arrecadou R$ 1.214.071,51 dos R$ 2.858.215,00 da renda. O montante é equivalente a 42,5% do valor bruto, percentual superior aos 34,5% que foi para o clube na derrota para o Grêmio, quando teve seu melhor público no Brasileirão: 51.858 pagantes.

O preço mais barato no duelo com o Galo foi R$ 100 (inteira), no setor Norte. Tirando despesas e retenções, o Flamengo deveria ficar com R$ 1.428.319,42, mas uma penhora no valor de R$ 214.247,91 reduziu o montante destinado aos cofres rubro-negros. 

Na derrota por 1 a 0 para o Grêmio, pela 19ª rodada do Brasileirão, o valor da entrada foi bem mais barato: R$ 40 no mesmo setor Norte. O valor bruto da renda foi de R$ 1.756.965,00. Com o desconto de despesas, retenções e também uma penhora de R$ 107.243,66, o Fla ficou com R$ 607.714,09, equivalente a 34,5%.

Domingo, o Flamengo volta a jogar no Maracanã, contra a Chapecoense, às 19h30m (de Brasília), pela 32ª rodada do Brasileirão. O preço dos ingressos voltou para R$ 40, o mais barato, mas a tendência é que um bom reajuste aconteça em caso de classificação para final da Copa do Brasil.

Borderô Flamengo x Santos (Foto: Divulgação) 
Borderô do jogo entre Flamengo e Atlético-MG, pela Copa do Brasil (Foto: Divulgação)
 
 
 

Maiores cestinhas do NBB, Marcelinho e Shamell travam nova briga pelo topo

chamada carrossel marcelinho machado shamel basquete nbb (Foto: Editoria de Arte)Maiores cestinhas da história do NBB, Marcelinho Machado, do Flamengo, e Shamell, do Mogi das Cruzes, prometem travar mais uma grande disputa pelo posto de maior pontuador da competição, cuja sétima edição começará nesta sexta-feira, às 19h30 (de Brasília), com o embate entre o atual bicampeão, Flamengo e o Paulistano (atual vice), no ginásio Antônio Prado Jr, em São Paulo. Marcelinho lidera o ranking de maior pontuação na história do NBB, com 4.236 pontos, marca obtida em 181 partidas (média de 23,40 pontos). Shamell vem logo atrás, com 3.955 pontos (média de 19,11 pontos em 207 jogos), uma diferença de 281 pontos. Fundamentais para as suas equipes, os dois veteranos fazem questão de exaltar os jogos coletivos de seus times, mas deixam claro que pretendem continuar fazendo o que sabem de melhor: muitas cestas.

- Um dia vou parar e o Shamell vai me passar, porque sou mais velho (risos). Mas, enquanto estiver jogando, a minha preocupação maior agora é levantar o troféu de campeão no fim da temporada. Mas sei que a minha característica principal é ser ofensivo. Então, pretendo ajudar o time do Flamengo jogando dessa forma. Esses números não são coisas que eu busco, mas fico feliz quando consigo ajudar o Flamengo - afirmou Marcelinho, de 39 anos.

Marcelinho Machado e Shamell são os dois maiores cestinhas do NBB (Foto: Editoria de Arte)

coletiva lançamento do NBB 7 Basquete (Foto: David Abramvezt) 
Matcelinho foi o maior cestinha em três das seis edições já disputadas do NBB (Foto: David Abramvezt)

Cinco anos mais novo do que o atleta do Flamengo, o americano Shamell também fala duas suas metas pessoais neste NBB 7. Além de brigar para ser o cestinha, ele espera ultrapassar Marcelinho no ranking de maiores pontuadores e levar o Mogi, semifinalista no NBB 6, o mais longe possível. No ano passado, o gringo levou o troféu de maior cestinha com a média de 20,7 pontos por jogo (727 pontos em 35 partidas).

Shamell basquete Mogi NBB (Foto: David Abramvezt)- Eu fico muito feliz quando me comparam com o Marcelinho, porque isso quer dizer que estou mesmo entre os melhores. Vai ser uma bela disputa. Vou fazer de tudo para passar ele, mas, se ele começar bem o campeonato, vai ficar muito difícil. O que tenho certeza é que vou passar a marca de 4.000 pontos no NBB, só faltam 45 pontos e isso me deixa muito feliz - disse Shamell.

Apesar de ser o maior cestinha da história do NBB, Marcelinho diz que nos últimos anos ele passou a pontuar menos, por causa do estilo de jogo do atual campeão intercontinental e da Liga das Américas. Prova disso é que ele foi apenas o 11º maior cestinha do NBB 6, com 17,33 pontos nas 36 partidas disputadas.

- Hoje em dia, a tendência no Flamengo é que a minha pontuação seja menor. O Flamengo joga distribuindo muito mais o ataque. Mais do que a minha média de pontos, prefiro ficar pensando na minha média de quatro títulos em sete anos. É isso que eu gosto - comentou o jogador presente na campanha do sexto lugar da seleção brasileira no Mundial deste ano, disputado na Espanha.

Shamell é mais uma vez um dos destaques da competição nacional (Foto: David Abramvezt)

Cáceres e Romero e são convocados e desfalcam Flamengo e Corinthians

O técnico Víctor Genes convocou nesta quinta-feira a seleção paraguaia para os amistosos diante o Peru, nos dias 14 e 18 de novembro. Dois jogadores que atuam no futebol brasileiro foram chamados e podem desfalcar seus clubes:   Victor Cáceres, do Flamengo e    Ángel Romero, do Corinthians. 

Os dois desfalcarão os clubes nas rodadas 34 e 35 do Campeonato Brasileiro. Titular do Flamengo, Cáceres vai perder os duelos contra Coritiba e Atlético-MG. A dúvida é se o paraguaio ficaria fora de uma eventual decisão da Copa do Brasil, uma vez que a primeira partida acontece em 12 de novembro. O time carioca está nas semifinais do torneio e venceu, nesta quarta, o Atlético-MG por 2 a 0, no primeiro jogo do confronto. 

Caceres gol Flamengo x Atletico-MG (Foto: André Durão / Globoesporte.com)Cáceres pode desfalcar o Flamengo em eventual decisão da Copa do Brasil (Foto: André Durão / Globoesporte.com)

Romero, por sua vez, não é titular do Corinthians. O jogador não estará à disposição de Mano Menezes nos jogos contra Bahia e Goiás. No quinta colocação, o Timão briga por uma vaga na Libertadores.

Na semana passada, o técnico Dunga convocou para os amistosos contra Turquia e Áustria, mas deixou os jogadores que atuam no futebol brasileiro fora da lista para não desfalcar os clubes nas retas finais dos torneios nacionais.  

Lista de convocados

Justo Villar (Colo Colo), Paulo da Silva (Toluca), Gustavo Gómez (Lanús), Iván Piris (Udinese), Luis Cardozo (Morelia), Cristian Riveros (Gremio), Víctor Ayala (Lanús), Jorge Rojas (Gimnasia), Celso Ortiz (AZ Alkmaar), Víctor Cáceres (Flamengo), Roque Santa Cruz (Málaga), Antonio Sanabria (AS Roma), Derlis González (Basilea) y Ángel Romero (Corinthians).

O Flamengo não é só torcida


Que a torcida do Flamengo é um 12º jogador profissional é fato e não se discute. Mas existem exageros que precisam ser combatidos. Um deles é sempre atribuir à torcida uma boa atuação do time. E nada mais. O jogo de quarta-feira contra o Atlético Mineiro é o mais bem e acabado exemplo de como esse olhar se manifesta em momentos equivocados.

A vitória do Flamengo sobre o Atlético Mineiro deve ser atribuída à boa atuação do time e ao trabalho que o técnico Vanderley Luxemburgo tem feito. Conseguiu, o que nem sempre acontece, se fazer acreditar. O que fala, os jogadores aceitam e concordam. Quando isso acontece, o trabalho fica mais fácil.

O Flamengo que se vê em campo, não apenas no jogo de quarta-feira, é um time organizado, bem distribuído em campo e que sabe o que fazer. Limitado e com suas fragilidades pouco exploradas - incrível como nenhum time adversário ataca o Flamengo pelo lado do Léo Moura -, o rubro-negro tem uma torcida apaixonada e devotada. Mas neste momento, a boa fase tem que ser atribuída à parceria entre os jogadores e o técnico.

Não sei os motivos que impedem a realização dessas parcerias em vários clubes. À distância, eu fico com a impressão que o jogador sabe hoje da confortável condição que tem dentro de qualquer clube. Quando a corda arrebenta, ela sempre sobra para o técnico. Isso o deixa em posição tranquila. Pode ou não aceitar o que diz o técnico e acreditar no trabalho daquele profissional. Quando crê, os resultados aparecem.

Por esta questão não é conveniente atribuir sempre o resultado, especialmente desse Flamengo, ao desempenho da torcida. É uma redução de algo grandioso que se faz no Ninho do Urubu.

Flamengo lança nova linha de relógios


 


Os 40 milhões de torcedores rubro-negros no Brasil agora têm um reforço no seu uniforme para torcer e vibrar pelo Flamengo. O Mais Querido lançou uma nova linha de relógios licenciados, com assinatura do Grupo Technos. Os produtos foram desenvolvidos especialmente para a Nação Rubro-Negra. Com opções que variam de R$ 129 a R$ 529, a nova linha atende a todos os gostos, com modelos que vão do clássico ao esportivo, com opções de troca-pulseiras, plástico, borracha ou aço inoxidável. A distribuição é nacional e já é possível encontrar o relógio nas Lojas Nação Rubro-Negra.

Sócios-torcedores têm desconto em todos os produtos das Lojas Oficiais do Flamengo, exceto camisas de jogo. Não perca tempo e garanta seu relógio rubro-negro! Ainda não é sócio-torcedor e também quer ganhar descontos e vantagens exclusivas? Clique aqui e entre agora para o time

Coletiva de lançamento do NBB marca retorno do Flamengo no torneio




Para aqueles que já estavam com saudade, o Novo Basquete Brasil (NBB) está de volta. A sétima edição da competição tem início nesta sexta-feira (31.10), às 19h30, em partida que reedita a final da temporada passada, entre Flamengo e Paulistano. A coletiva de lançamento do campeonato aconteceu na tarde desta quinta-feira (30.10), em São Paulo, local onde acontece a primeira partida do torneio. O Rubro-Negro, que defende o bicampeonato do NBB, retorna à competição reforçado e com um currículo invejável.

Decacampeões estaduais, tricampeões nacionais, campeões continentais e mundiais. Apesar de todos os títulos conquistados, os jogadores comandados por José Neto sabem que enfrentarão grandes adversários, extremamente motivados a derrotá-los. "O mínimo que podemos fazer por esta torcida é sempre lutar para vencer. Teremos uma temporada longa, com grandes adversários e será muito difícil. Já estamos nos preparando da melhor maneira possível para aquilo que encararemos visando continuar conquistando títulos", disse o treinador rubro-negro.

Marcelinho, ala-armador do Orgulho da Nação, esteve presente no evento de lançamento e fez questão de evitar qualquer tipo e 'oba-oba'. "Favoritismo se constrói dentro de quadra ao longo do campeonato. Talvez no segundo turno poderemos apontar um favorito", finalizou.

Autor: Comunicação
Fonte: Site Oficial do Clube

Gabriel, Canteros e Samir posam com camisa retrô adidas



Após uma grande apresentação no gramado do Maracanã, contra o Atlético-MG, Gabriel, Canteros e Samir estiveram na Gávea nesta quinta-feira (30.10) para uma sessão de fotos com os modelos da camisa do Flamengo retrô adidas Originals, feita pelo renomado fotógrafo Jorge Bispo. Sócios-torcedores têm 10% de desconto na compra dos modelos nas Lojas Oficiais do Clube. Ainda não faz parte do Nação Rubro-Negra? Clique aqui e tenha vantagens exclusivas.

A fornecedora alemã de material esportivo apresentou oficialmente a nova camisa retrô na cor branca que é inspirada no primeiro modelo de segundo uniforme do clube, de 1938. Na época, o então técnico do Flamengo, Dori Kruschner, sugeriu a criação do modelo em branco para o clube, já que a camisa tradicional em vermelho e preto era de difícil visualização em partidas noturnas.

O modelo rubro-negro, nas lojas há mais tempo, foi inspirado no uniforme do time usado nos anos 80. Campeão da Libertadores e da Copa Internacional em 1981, o time era patrocinado pela adidas, que trouxe à tona a era de ouro do clube. O modelo tem o mesmo tecido da época e o número "10" nas costas, referente ao maior ídolo da história do Flamengo, Zico.

@flamengo
@adidasbrasil
#TudoPeloMengo
 
 

Próximo dos 100 gols, Chicão se surpreende com marca: "Não sabia"

 
Chicão deixou sua marca na vitória do Flamengo sobre o Atlético-MG, por 2 a 0, nesta quarta-feira, pelo jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil. O zagueiro rubro-negro marcou o segundo gol da partida, de pênalti – o de número 97 de sua carreira. Aos 33 anos e após quase um ano sem balançar a rede, o defensor se disse surpreso com a quantidade de tentos e revelou que não estava fazendo a contagem.

- Não sabia, fico feliz. É difícil um zagueiro fazer 97 gols. Tenho isso, graças a Deus, e espero poder aumentar também – disse em entrevista ao "Arena SporTV".

Chicão contou com a chance de cobrar um pênalti no Maracanã após Gabriel sofrer falta dentro da área atleticana. O meia fez bela jogada, driblou praticamente toda a defesa adversária até ser derrubado por Josué. O zagueiro cobrou no canto direito de Victor e revelou ter mudado sua estratégia, o que quase custou o gol, já que o goleiro chegou a tocar na bola.

- É um goleiro de seleção, merece todo respeito. É difícil bater pênalti nele, até pela envergadura dele. Ia bater no outro canto, para ser sincero, mas como ele não se mexeu, bati naquele canto, forte na bola e ela entrou – disse.

Chicão gol Flamengo x Atlético-MG (Foto: Getty Images) 
Chicão comemora gol sobre o Atlético-MG (Foto: Getty Images)
 
O zagueiro comemorou o fato do Flamengo não ter sofrido um gol em casa, o que o deixa em vantagem para o próximo duelo contra o Galo, no Mineirão, no dia 5 de novembro. Chicão destacou, no entanto, que a competição será “esquecida” para que o time se concentre no duelo contra a Chapecoense, neste final de semana, pelo Campeonato Brasileiro - o Rubro-Negro é o 11º na tabela, com 40 pontos.

- Foi importante. Copa do Brasil é assim, importante não ter tomado gol. O 2 a 0 é uma vantagem boa. Mas vi entrevista do Vanderlei, e é isso, não vamos para defender. Se ficarmos atrás, vamos acabar tomando gol (...) Agora é esquecer a Copa do Brasil e pensar na Chapecoense, porque estamos na “zona da confusão” ainda. Acredito que com mais duas ou três vitorias saímos dali, e depois, é pensar na Copa do Brasil, que é o que se apresentou para a gente.


Acabou o diálogo entre Bom Senso e CBF


Acabou a lua de mel entre o Bom Senso FC e Confederação Brasileira de Futebol. Durante os meses de setembro e outubro, representantes do movimento de jogadores e de uma comissão de clubes criada pela CBF fizeram várias reuniões, nas quais acertaram aspectos importantes da futura Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte. Nesta semana, o diálogo foi interrompido com acusações de parte a parte - e nada indica que será retomado.

Resumidamente, o projeto prevê facilidades como juros baixos e prazos longos para o pagamento das dívidas fiscais dos clubes - estimadas em R$ 4 bilhões. Em troca, os clubes dariam algumas contrapartidas, como aceitar punições esportivas (rebaixamento, por exemplo) para quem atrasar salários ou sonegar impostos. Até esta semana, Bom Senso, CBF e clubes tentavam dialogar para chegar a um consenso sobre a lei.

Nesta quarta-feira, integrantes do Bom Senso foram a Brasília para um encontro com o ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Saíram de lá atirando contra os clubes. O movimento dos atletas reclama que os clubes apresentaram ao governo uma proposta diferente da que havia sido acordada. O presidente do Coritiba e "negociador" da CBF no caso, Vilson Ribeiro de Andrade, deu outra versão:

- O Bom Senso quis incluir alguns pontos no projeto que a CBF e os clubes não concordam. Eles querem um teto para gastos com futebol de 70% do faturamento do clube, nós não. Eles querem um prazo de adaptação 'a nova lei de dois anos, nós queremos três. E houve divergências sobre o formato do órgão fiscalizador das finanças dos clubes. A CBF, que vai pagar a conta, quer uma estrutura mais enxuta.

Apesar de todas essas discordâncias Vilson Ribeiro de Andrade afirma que a relação entre clubes, CBF e Bom Senso não está estremecida. Ao mesmo tempo, o dirigente diz que não haverá mais reuniões ou discussões - e que a decisão agora será tomada pela Câmara dos Deputados.

- Agora é uma decisão política. A Câmaram tem nas mãos o projeto da CBF e o projeto do Bom Senso. Eles que vão decidir.


Prefeitura lança licitação para obras olímpicas no Engenhão: R$ 52 milhões

A prefeitura do Rio lançou nesta quarta-feira o aviso de licitação para obras no Engenhão visando a disputa do atletismo dos Jogos Olímpicos de 2016. O valor estimado é de R$ 52.347.754,34 e a empresa vencedora será anunciado no dia 2 de dezembro deste ano. O prefeito Eduardo Paes vem garantindo que o estádio não precisará ser fechado novamente devido às intervenções, que vão acontecer ao longo de 2015.

Dentre as obras previstas estão a instalação provisória de 15 mil cadeiras, a troca da pista de atletismo, a implantação de rede de média tensão, instalação de novo sistema de som, infraestrutura para cabeamento de telecomunicações, aumento do número de câmeras de segurança, adaptação da rampa externa, aumento do número de projetores e melhorias na iluminação da pista.



Construído para os Jogos Pan-americanos de 2007, o Estádio Olímpico João Havelange está fechado desde março do ano passado, após laudo de uma empresa alemã detectar risco de desabamento da cobertura em caso de ventos acima de 63 km/h. As obras começaram em julho e um ano depois 34 torres foram instaladas para aliviar o peso da cobertura para colocação dos mastros e tirantes que reforçarão os arcos superiores. A cobertura será retensionada, e as torres de escoramento, retiradas. A reforma do estádio do Botafogo conta com cerca de 500 operários, sendo 30 alpinistas, um guindaste de 500 toneladas e outros dois menores.

A reforma é paga pelo Consórcio Engenhão, formado pela Odebrecht e pela OAS. As construtoras, porém, estão pedindo na Justiça ressarcimento de R$ 100 milhões das empresas responsáveis pela construção da cobertura, Racional, Delta e Recoma. Na época da construção, a Delta admitiu incapacidade para construir a cobertura e se retirou do consórcio.

Além da cobertura, o Engenhão recebe desde junho obras de reurbanização no entorno, realizadas pela prefeitura. A principal mudança será a criação da Praça do Trem, que vai aproveitar antigos galpões para se transformar na maior área de lazer do Grande Méier e no maior acesso ao Engenhão. A iluminação será reforçada, uma ciclovia criada e galerias fluviais vão ajudar a eliminar pontos críticos de alagamento nos dias de chuva.


Sem a coisa maldita, vasco, banco faz exposição com clubes parceiros em aeroporto

A Caixa Econômica Federal faz uma exposição no aeroporto de Brasília em que se autointitula “a maior patrocinadora do futebol brasileiro”, diante da quantidade de clubes com os quais mantém parceria. Todas as camisas estão presentes em quadros. O vasco, não. Explica-se: o clube carioca ainda sustenta a logomarca do banco em seus uniformes, mas já não há contrato formal desde o fim de agosto. 

Como ainda sequer liberou a última parcela devido a impostos atrasados, a renovação não pôde ser colocada no papel. As partes esperam um acordo nas próximas semanas após um empréstimo que o Cruz-Maltino espera obter em ampla operação financeira.

O presidente Roberto Dinamite, inclusive, já foi a Brasília para se reunir com a Caixa. 

exposicao-da-caixa-sem-o-vasco_reproducao-1
exposicao-da-caixa-sem-o-vasco_reproducao-4

Orlando anuncia amistosos com São Paulo e Fla; cariocas não confirmam


Kaká orlando city apresentação (Foto: Reprodução / Facebook)O Orlando City, clube norte-americano que contratou Kaká ao Milan, anunciou que disputará amistosos contra Flamengo e São Paulo nos dias 28 de janeiro e 6 de fevereiro de 2015, respectivamente. O Rubro-Negro não confirma o duelo, que, segundo o Orlando, será realizado na Arena da Amazônia. Em relação ao Tricolor a pendência é a data.

O Orlando, cujo o dono, Flávio Augusto da Silva, é brasileiro e flamenguista, busca aproximar os compatriotas residentes no estado americano da Flórida ao clube que dirige.


Chicão volta a marcar em semifinal e encerra jejum de quase um ano

Um filme repetido, e com roteiro bem agradável para o Flamengo. Chicão entrou em campo na noite de quarta-feira com um jejum incômodo: quase um ano sem fazer um gol. Conhecido por ser um zagueiro-artilheiro na época de Corinthians, completaria a marca nesta quinta. Completaria. Porque coube a ele a missão de vencer Victor em cobrança de pênalti e garantir o 2 a 0 a favor do Rubro-Negro na semifinal da Copa do Brasil. Coincidentemente, em cenário igual ao da última vez que tinha ido às redes: na vitória por 2 a 1 sobre o Goiás, no Serra Dourada, também na última fase antes da decisão da competição..

 O Goiás, por sinal, tinha sido a única vítima de Chicão com a camisa do Flamengo. Em duas cobranças de falta, vazou o goleiro Renan tanto na Copa do Brasil quanto no Brasileirão de 2013. A atuação diante do Galo, entretanto, vai além de gol ou fim de jejum. Praticamente perfeito, o defensor formou uma barreira quase intransponível na frente de Paulo Victor. Apesar dos elogios e da vantagem, ele mantém os pés no chão e prega humildade para que o Rubro-Negro confirme a vaga na decisão na próxima quarta, no Mineirão.

- Fico feliz por essa coincidência. No ano passado, também fiz gol na semifinal, mas temos que manter os pés no chão. Não tem nada decidido. Temos o exemplo do Corinthians, que foi lá e acabou sendo eliminado. Vamos pensar agora na Chapecoense e depois no Atlético-MG. Fizemos um resultado importante, não tomamos gol. Temos tudo para conseguir a vaga, mas com respeito.

Chicão gol Flamengo x Atlético-MG (Foto: Getty Images) 
Chicão festeja após fazer o segundo do Fla contra o Galo (Foto: Getty Images)

Na ausência de Alecsandro, o Flamengo não tem um cobrador oficial de pênaltis definido. Eduardo da Silva, Lucas Mugni e Léo Moura já tinham desempenhado a função. Mas no momento em que Gabriel foi derrubado por Josué na área, Luxa não titubeou e apostou no histórico de Chicão, que busca chegar na quinta decisão de Copa do Brasil consecutiva.

- Olhei para o banco, o Vanderlei me apontou, e jogadores experientes têm que chamar a responsabilidade. O Victor esperou a batida, e eu esperei o tempo todo também. Já tinha batido dois pênaltis contra ele e consegui fazer também. É um grande goleiro, tocou na bola, mas bati forte. Quando pega bem na bola, é difícil pegar.

Flamengo e Atlético-MG decidem uma vaga na final na Copa do Brasil na próxima quarta-feira, às 22h (de Brasília), o Mineirão. Antes, porém, o Rubro-Negro tem pela frente a Chapecoense, domingo, no Maracanã, pela 32ª rodada do Brasileirão.

Flamengo x Atlético-MG - Chicão (Foto: André Durão) 
O zagueiro cobra com precisão o pênalti que selou a vitória no Maracanã (Foto: André Durão)

Diretor do Maracanã elogia torcida e vê comportamento igual ao da Copa


 Palco da final da Copa do Mundo, no dia 13 de julho, o Maracanã voltou a receber as partidas de Flamengo, Fluminense e Botafogo. E, na opinião de Marcelo Frazão, diretor da concessionária que administra o estádio, o comportamento da torcida carioca está cada vez mais parecido com o dos estrangeiros. O executivo destaca um baixo número de cadeiras quebradas, lixo deixado nas arquibancadas e ainda o respeito aos lugares marcados.

- A gente tem um comportamento compatível com o que aconteceu na Copa do Mundo, no número de cadeiras quebradas. Em termos de limpeza, não chega a ser o padrão da torcida japonesa, que deu exemplo aqui no Brasil. Mas você tem um nível de lixo gerado compatível com as médias internacionais. É com alegria que a gente fala que o público se comporta muito bem, inclusive em termos de lugares marcados. Trabalhamos com lugares marcados desde o fim da Copa do Mundo, e o respeito a isso aumenta a cada jogo - disse, em entrevista ao "SporTV News".

Na quarta-feira, o Flamengo venceu o Atlético-MG por 2 a 0 pela semifinal da Copa do Brasil. Foram 45.642 torcedores presentes. Marcelo Frazão elogiou o público e afirmou que não houve nenhum incidente de maior proporção antes, durante e depois da partida.

- Foi um público ótimo, para um primeiro jogo de Copa do Brasil. A operação foi tranquila, em termos de acesso de público e pós-jogo. Uma equipe grande está trabalhando no Maracanã, no rescaldo do jogo. Foi uma operação tranquila pelo tamanho do público que estava aqui.

Apesar dos elogios, o diretor reconhece que a concessionária esperava um público maior, já que 54 mil ingressos tinham sido colocados à venda.

- O que faz diferença é o dimensionamento da equipe. Você tem todos os sentores abertos, independente do público, quando você opta por carga máxima. O que acontece é o monitoramento da venda dos ingressos, para definir o tamanho de equipes. Foram 20% a menos do que a gente esperava inicialmente. Você faz ajustes pequenos, mas não chega a alterar muito o planejamento, na verdade.

O Flamengo volta a jogar no estádio no próximo domingo, para enfrentar a Chapecoense, pelo Campeonato Brasileiro.

Flamengo x Atlético-MG - maracanã (Foto: Thales Soares) 
Flamengo praticamente lotou o Maracanã para duelo com o Atlético-MG (Foto: Thales Soares)
 
 

Com provocação e "mantra", Flamengo bate 100 mil torcedores na Copa do Brasil

Cantoria desenfreada, recorde de público, provocação ao rival e uma profecia já bem conhecida na acústica do Maracanã: "Libertadores, qualquer dia 'tamo' aí". A parceria entre torcida e time do Flamengo fez mais uma vítima na noite de quarta-feira: o Atlético-MG. Com a derrota por 2 a 0, na primeira partida da semi da Copa do Brasil, o Galo aumentou uma lista que conta com Coritiba e América-RN. A diferença é que os mineiros terão a oportunidade de dar o troco na próxima semana, no Mineirão. O duelo que colocou o Rubro-Negro em vantagem na disputa por uma vaga na decisão garantiu também uma marca respeitosa: mais de 100 mil flamenguistas estiveram nos três jogos disputados no Rio de Janeiro pela competição.

 Com os 45.642 presentes diante do Atlético-MG, o Fla chegou a um público de 108.498 torcedores na Copa do Brasil. Se levado em conta apenas o público pagante, o número cai para 97.228. Contra o Galo, 40.909 pessoas pagaram ingresso, melhor marca do clube na edição atual da competição. E não dá para dizer que os mineiros não sofreram com a pressão imposta pelos rubro-negros. Antes mesmo de a bola rolar, a festa era grande a cada gol de confrontos anteriores entre as equipes exibido no telão do Maracanã - além da volta olímpica do time de basquete pelo décimo título consecutivo do estadual de basquete.

Apesar de não lotar o setor de visitantes, a torcida atleticana até tentou se mostrar presente com gritos de incentivo, mas os rubro-negros abafavam logo em seguida. Durante todo o primeiro tempo, a cantoria foi quase ininterrupta, mas as boas defesas de Victor brecaram uma festa maior. Na etapa final, não teve jeito.

Torcida Flamengo x Atlético-MG (Foto: Cahê Mota)
 
Mais uma vez, a torcida do Fla coloriu o Maracanã de vermelho e preto (Foto: Cahê Mota)

Empurrado por um repertório com músicas tradicionais e que chegava ao ápice em decibéis nos versos "isso aqui não é Vasco, isso aqui é Flamengo", o time de Vanderlei Luxemburgo venceu com gols de Cáceres e Chicão, e abriu vantagem na luta por um lugar na sétima decisão de Copa do Brasil de sua história. Com o 2 a 0 no placar, a comemoração se misturou com a provocação direcionada ao lado mineiro do Maracanã.

Depois de Chicão estufar as redes em cobranças de pênalti, o torcedor do Flamengo praticamente deixou de lado o que acontecia em campo e não parou mais de cantar até o apito final. Com o sorriso escancarado no rosto, os rubro-negros provocaram os atleticanos com música que dizia: "No Maracanã, o Galo virou Galinha". As músicas só cessaram em um momento: quando Paulo Victor fez defesa impressionante em finalização de Dátolo e foi ovacionado.

Vanderlei Luxemburgo elogiou a sintonia entre time e torcida, e agradeceu o apoio irrestrito desde sua chegada. Após o episódio das vaias para Lucas Mugni na derrota para o Botafogo, em Manaus, o treinador apontou uma postura diferente do flamenguista carioca e citou a pausa nas críticas a João Paulo como exemplo:

Torcida Flamengo x Atlético-MG (Foto: Cahê Mota) 
A massa rubro-negra é munição forte do Flamengo na Copa do Brasil (Foto: Cahê Mota)

- Há uma empatia do time com a torcida, que apoia, não vaia. Até o João Paulo, que pegavam no pé, já entendem melhor.

Com a vitória garantida, uma profecia que já fez sucesso em outras campanhas vitoriosas do Flamengo recentemente voltou a ser escutada em alto e bom som no Maracanã: "Ihhh, Libertadores, qualquer dia 'tamo' aí". Para repetir o feito do ano passado e voltar à disputa continental, no entanto, ainda faltam três passos. O próximo está marcado para quarta-feira, às 22h (de Brasília), no Mineirão, contra o próprio Atlético-MG.


Paulo Victor faz grandes defesas e cumpre objetivo de sair zerado do jogo

O Flamengo conseguiu uma vantagem importante no confronto com o Atlético-MG na semifinal da Copa do Brasil. Venceu por 2 a 0, não sofreu gol com mando de campo e saiu do Maracanã forte e embalado para o jogo de volta, semana que vem em Belo Horizonte, onde o adversário tem um histórico de reações desde a Taça Libertadores do ano passado.

Para sair de campo com essa vantagem, o Flamengo contou com duas defesas importantes de Paulo Victor, quando o time já vencia por 2 a 0. Uma delas à queima-roupa. Consciente da importância de seu trabalho, alertou para o que o time deve esperar no jogo em Belo Horizonte.

- Eu tinha falado dessa importância. Quando leva gol em casa fica complicado. Fizemos dois e não sofremos. É um campeonato no qual o jogo tem 180 minutos e sabemos da capacidade do Atlético-MG. Precisamos ter tranquilidade, pensar no Brasileiro domingo e depois voltar a trabalhar para a Copa do Brasil - disse o goleiro.

Paulo Victor Flamengo x Atlético-MG (Foto: Fernando Soutello / Ag. Estado) 
Paulo Victor comemora vitória do Flamengo sobre o Atlético-MG: grande fase (Foto: Fernando Soutello / Ag. Estado)

Na sequência de defesas, Paulo Victor sequer conseguiu saber quem foi o responsável pela finalização. Na velocidade da jogada, espalmou o primeiro chute e conseguiu se recuperar para salvar o Flamengo.

- Tinha jogador na minha frente e quando vi a bola ela já estava em cima de mim. Tentei jogar muito para o lado, mas ela caiu no pé do Dátolo, não é? Foi tão rápido que nem vi quem finalizou, mas fui feliz e fiz a defesa - comentou Paulo Victor.

O goleiro do Atlético-MG também mereceu elogios. Antes mesmo de o Flamengo abrir o placar, Victor já havia feito pelo menos três grandes defesas no jogo.

- O Victor é acima da média. Ele fez duas grandes defesas logo no começo. Não fosse ele, o placar poderia ter sido maior - disse Paulo Victor.

Flamengo negocia venda de duas partidas para Cuiabá e Manaus

Mais de 40 mil pessoas foram a Arena Amazônia ver Botafogo e Flamengo, neste sábado, em Manaus   (Foto: Adeilson Albuquerque)Com uma certa folga na tabela do Campeonato Brasileiro e de olho na disputa da Copa do Brasil, a diretoria do Flamengo decidiu arrecadar mais neste fim de temporada. Por isso, os jogos contra Coritiba e Vitória, dias 16 e 30 de novembro, respectivamente, estão sendo vendidos para fora do Rio de Janeiro.

O jogo contra o Coritiba está praticamente acertado para Cuiabá. Faltam apenas detalhes para a assinatura do contrato. O Flamengo já jogou no estádio, na derrota por 1 a 0 para o Goiás, e teve boa resposta de público, com 40 mil pessoas presentes.

Para enfrentar o Vitória, o Flamengo tem Manaus como principal opção, também pela resposta da torcida no clássico com o Botafogo, quando o time também foi derrotado. No entanto, esse confronto ainda pode ser levado para Natal, onde o time foi muito bem recebido no jogo contra o América-RN, pela Copa do Brasil.

Torcida rubro-negra é numerosa em Manaus, e compareceu em grande número contra o Botafogo (Foto: Adeilson Albuquerque)

A logística para esses jogos não atrapalhará o time em caso de classificação para a final da Copa do Brasil. Depois do jogo com o Coritiba, o Flamengo enfrentará o Atlético-MG no dia 19 de novembro pelo Brasileiro, em Belo Horizonte. O confronto com o Vitória será realizado apenas depois do segundo jogo da decisão.

torcida Arena Pantanal Flamengo x Goiás (Foto: Cahê Mota) 
Clube carioca voltou, em 2014, a disputar uma partida em Cuiabá depois de 18 anos (Foto: Cahê Mota)

Quando foi contratado pelo Flamengo em julho, o técnico Vanderlei Luxemburgo havia se manifestado contrário à venda de jogos para fora do Rio naquele momento em que o time brigava contra o rebaixamento. Ele ainda mantém o discurso de que o campeonato do clube é "fugir da confusão".

Desde a eliminação na primeira fase da Taça Libertadores, a diretoria do Flamengo vem manifestando sua preocupação com o equilíbrio financeiro. Os jogos finais da Copa do Brasil e saída do Rio de Janeiro no Brasileiro são pontos considerados importante para manter as contas em dia.


Médico do Flamengo espera reavaliação para falar sobre situação de Everton



Um dos principais jogadores do Flamengo nesta temporada, o meia Everton deixou o campo na vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-MG, quarta-feira, no Maracanã, pela semifinal da Copa do Brasil, com um ar de preocupação. Ao dar uma arrancada e sentir uma fisgada na coxa esquerda, ele foi substituído por Luiz Antonio e não se sabe ainda as suas condições físicas para poder atuar no jogo de volta, no próximo dia 5, em Belo Horizonte.

Everton já teve problemas musculares nesta temporada e será reavaliado pelos médicos do clube nesta quinta-feira. Inicialmente, está previsto apenas um exame clínico. Caso haja necessidade, ele passará por um exame de imagem para determinar se há lesão.

Domingo, contra a Chapecoense, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro, Everton não irá atuar. O jogador deixou o campo confiante e no momento da substituição chegou a pedir para continuar, mas foi convencido a deixar o campo.

 - A vontade dele ajuda, mas a dor muscular é preocupante. Não falamos em lesão, pois ainda não fizemos um exame clínico nem de imagem - disse o médico Marcelo Soares, que estava no Maracanã.

Sobre o zagueiro Wallace, recuperado de uma lesão na coxa esquerda, o otimismo é grande. Ele deve enfrentar a Chapecoense depois de passar por testes mais fortes no começo da semana.

- Clinicamente, ele está bem. Exigimos muito dele na terça-feira e fez um treino com os juniores de 40 minutos. Como se sentiu confortável, depende da comissão técnica - comentou o médico.


Pivô do Flamengo tieta o ''baixinho'' José Aldo no Maracanã: ''Grande campeão''

Além da partida do Flamengo diante do Altético-MG, pela semifinal da Copa do Brasil, o Maracanã foi palco de encontro de campeões. O pivô do Rubro-Negro, Cristiano Felício usou as redes sociais para publicar uma foto ao lado do campeão dos pesos-pena do UFC, José Aldo, que é torcedor do clube. A foto chamou atenção pela diferença de tamanho entre os dois.

- Ontem, ele, que representa e muito bem a nação, também esteve no Maracanã para acompanhar a vitória do Mengão! Grande campeão do UFC, José Aldo - publicou Felício.

Cristiano Felicio do Flamengo, com José Aldo (Foto: Reprodução / Instagram) 
Cristiano Felício posa com com José Aldo. Lutador ainda está com olho roxo (Foto: Reprodução / Instagram)

Campeão da Copa Intercontinental, da Liga das Américas, do NBB e do Carioca, o time de basquete do Flamengo foi homenageado antes da partida do Maracanã. Com o estádio cheio, os jogadores desfilaram no gramado com a taça da Copa Intercontinental, conquistada no mês passado, na Arena da Barra, após vitória sobre os israelenses do Maccabi Tel Aviv.

Nesta terça-feira, na Gávea, o Flamengo também conquistou o decacampeonato carioca após bater o Macaé na decisão.

Flamengo x Atlético-MG - basquete flamengo maracanã (Foto: André Durão) 
Time do Flamengo posa no gramado do Maracanã (Foto: André Durão)

Já o lutador José Aldo fez sua sétima defesa de cinturão do fim de semana. No Maracanãzinho, o manauara venceu o americano Chad Mendes através da decisão dos jurados. Atualmente, ele é o único brasileiro detentor de título no Ultimate. Nesta quarta-feira, Aldo ainda apareceu com o olho roxo, fruto do duelo.

O próximo compromisso do Flamengo no basquete será a estreia da edição 2014/2015 do Novo Basquete Brasil (NBB), contra o Paulistano. A equipe foi a mesma que o Rubro-Negro enfrentou e venceu na decisão da última competição, e o jogo será na casa do rival, em São Paulo, às 19h30 (de Brasília).