Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Fla-Flu: ingressos para público em geral a partir de quinta-feira

A venda de ingressos para o torcedor comum que quiser prestigiar o Fla-Flu deste domingo, às 16h, no Maracanã, começará nesta quinta-feira. Todos os pontos de venda funcionarão entre 10h e 17h. O sócio-torcedor do Flamengo, no entanto, desde segunda-feira pode adquirir seu bilhete para o clássico, válido pela 23ª rodada do Brasileirão.

Os ingressos dos setores Norte (torcida do Flamengo) e Sul (torcida do Fluminense) serão os mais baratos e sairão a R$ 40,00.

No dia do jogo, apenas na Gávea (entre 10h e 13h), nas Laranjeiras (entre 10h e 13h), e no Maracanã (até as 16h45) o torcedor pode comprar seu ingressos. Na quinta, sexta e sábado, as vendas ocorrem entre 10h e 17h em todos os pontos.

Os preços:

Norte (Torcida do Flamengo)
Torcedor: R$40 (R$20 a meia-entrada)
Sócio-torcedor (planos acima do Tradição): R$20 (R$10 a meia-entrada)
Sócio-torcedor do plano Tradição: R$30 (R$15 a meia-entrada)

Sul(Torcida do Fluminense)
Torcedor: R$40 (R$20 a meia-entrada)

Leste(Duas torcidas)
Torcedor: R$100 (R$50 a meia-entrada)
Sócio-torcedor (planos acima do Tradição): R$50 (R$25 a meia-entrada)
Sócio-torcedor do plano Tradição: R$80 (R$40 a meia-entrada)

Oeste(Duas Torcidas)
Torcedor: R$120 (R$60 a meia-entrada)
Sócio-torcedor (planos acima do Tradição): R$60 (R$30 a meia-entrada)
Sócio-torcedor do plano Tradição: R$90 (R$45 a meia-entrada)

Maracanã Mais (Duas torcidas)
Torcedor: R$220 (R$130 a meia-entrada)
Sócio-torcedor (planos acima do Tradição): R$130 (R$85 a meia-entrada)
Sócio-torcedor do plano Tradição: R$180 (R$110 a meia-entrada)

Confira os pontos de troca e venda para todos os torcedores:

Cariocas FC - Shopping Méier
Del Castilho - Avenida Pastor Martin Luther King Jr, 126
Engenhão - Bilheteria Oeste
Maracanã - Bilheteria 2 - (Torcida do Fluminense)
Maracanã - Bilheteria 4 - (Torcida do Flamengo)
Laranjeiras - Torcida do Fluminense (no dia do jogo de 10h às 13h)
Gávea - Av. Borges de Medeiros, 997 (Sócio do Fla. Dia do jogo de 10h às 13h)
Gávea - Av. Nossa Senhora Auxiliadora s/nº (Torcida do Fla. Dia do jogo de 10h às 13h)
Niterói - Estádio Caio Martins
Site: www.maracana.com

Confira os pontos de troca e venda apenas para sócios-torcedores do Fla:

Gávea – Sede do Flamengo – Rua Borges de Medeiros
Barra da Tijuca – FlaBoutique – Av das Américas, 7607 Loja 151
Tijuca – FlaBoutique – R. Conde de Bonfim, 685 Loja D 
Andaraí – FlaBoutique/Iguatemi – R. Barão de São Francisco, 236 Loja 15
Nova Iguaçu – FlaBoutique – R. Dr. Barros Júnior, 272 Via Light Mall 
Centro - Espaço Rubro Negro – R. da Quitanda 87
Centro - Espaço Rubro Negro – R. Buenos Aires 113, loja 2, 3 e 4 
Barra da Tijuca - Espaço Rubro Negro – Av das Américas, 500 - Bloco 3 - Loja 114
Maracanã – Container Mata Machado

Flamengo em Dia alcança R$ 400 mil em contribuições




O Fla em Dia alcançou, na última terça-feira (16.09), a marca de 400 mil reais em doações. O movimento vem comprovando seu sucesso DARF após DARF. O projeto, que tem como intuito quitar todos os débitos do clube com a Fazenda Nacional a partir de contribuições dos próprios torcedores rubro-negros, vem quebrando recordes. Desde o fim de julho, data de seu início, o projeto vem superando as expectativas de todos os envolvidos, e promete ir ainda mais longe com a contribuição de iniciativas que tendem a arrecadar ainda mais.

Luiz Felipe, um dos responsáveis pelo Fla em Dia, se diz surpreso e muito feliz em ver o projeto acontecer. "Nesses pouco mais de 40 dias, mostramos que, realmente, nós, torcedores, temos a possibilidade de alcançar valores bem relevantes para ajudar o Flamengo na redução de sua divida. Conseguimos fazer algo grande em uma rapidez surpreendente, e o melhor é que conseguimos, dia após dia, aumentar a quantidade de cadastrados e manter os valores, o que torna tudo ainda mais surpreendente. Além do que, essas iniciativas pessoais ajudam muito, principalmente, pela disseminação do que é o projeto. E é exatamente o que precisamos. Pessoas que influenciam e disseminam", concluiu.

Para ajudar o Fla em Dia é bem simples. Basta entrar no site www.flaemdia.com.br, se cadastrar e emitir a sua DARF, de qualquer valor acima de R$ 10, a ser paga em qualquer banco.

Autor: Comunicação
Fonte: Site Oficial do Clube

Promessa das categorias de base do Americano fará testes no Flamengo

 Dioguinho, meia do Americano (Foto: Nickolas Abreu/Divulgação AFC)Uma das maiores promessas das categorias de base do Americano está de malas prontas para realizar testes no Flamengo. Tratado como uma joia pelo clube, o meia Dioguinho, de 17 anos, que este ano foi integrado aos profissionais, será avaliado para saber se permanece no Ninho do Urubu. A negociação foi intermediada por um ex-rubro-negro.

O lateral Gilberto, que já defendeu a Seleção e agora é diretor executivo do Alvinegro de Campos, junto com o gerente de futebol Max Figueiredo, tornaram possíveis a ida do jogador para o Flamengo.

De acordo com os dirigentes do Americano, o meia foi procurado por outros clubes de ponta. Mas a preferência pelo Flamengo falou mais alto. Dioguinho vai se apresentar no Ninho do Urubu no próximo dia 22.

Dioguinho chegou ao Americano em 2009. O jogador sempre foi destaque das categorias de base que jogou. Em 2014, o jogador foi o dono da camisa 10 do sub-20 do clube e os bons resultados lhe renderam uma promoção ao time principal. O meia fez parte do elenco do Americano que disputou a Série B do Campeonato Carioca deste ano.


Com gosto amargo, Flamengo volta ao Rio depois de empate com o Palmeiras


Alecsandro desembarque Flamengo (Foto: Thales Soares)Permitir o empate depois de abrir uma vantagem por 2 a 0 fez com que o ponto conquistado fora de casa se transformasse em dois pontos desperdiçados. O resultado de 2 a 2 com o Palmeiras, quarta-feira, no Pacaembu, deixou o Flamengo com um gosto amargo diante de uma real possibilidade de vitória como visitante.

Autor de um dos gols do jogo, Alecsandro desembarcou no Rio de Janeiro um dia depois da partida ainda com o sentimento de que o time poderia ter vencido. Mesmo depois de sofrer o empate, ainda teve boas oportunidades de marcar o terceiro. Ele, inclusive, acertou a trave em chute de longa distância.

- No futebol já se viu de tudo, time ganhando de três tomar virada e outras coisas. Tem que ficar ligado os 90 minutos. Acho que voltamos para o segundo tempo um pouco desligados e sofremos um gol com dois minutos. Tivemos o jogo na mão e achei o resultado injusto. Pela proposta com a qual nós fomos a São Paulo, foi amargo.

A chance de deixar esse resultado para trás será no clássico com o Fluminense, domingo, no Maracanã. O adversário sofreu uma derrota por 3 a 1 para o Vitória, lanterna do Campeonato Brasileiro. Nada que faça o atacante pensar em um confronto mais tranquilo.

- O Fluminense está quase no G-4. Como não vem bem? Quem não está bem é quem está lá atrás - comentou Alecsandro.

No momento, o Flamengo tem 29 pontos, seis a menos do que o Fluminense. A diferença na tabela de classificação do Brasileiro e o discurso voltado para fugir da zona de rebaixamento não fazem Alecsandro pensar em um confronto desigual.

- Pelo pouco que conheço do Luxemburgo, pelo que vem mostrando, vamos entrar para ganhar. Não vamos jogar para empatar ou ficar lá atrás - garantiu.

O Flamengo volta a treinar na tarde desta sexta-feira no Ninho do Urubu. No mesmo dia, o time deve se concentrar para o clássico de domingo.

Botafogo e Palmeiras, duas merdas de ''segunda'' divisão!!!




Paulo Nobre é o presidente do Palmeiras, que reclama de ter sido prejudicado pela arbitragem no empate por 2 a 2 contra o Flamengo, no Pacaembu. Nobre filiou-se ao Palmeiras em 1983, ao receber uma ficha de inscrição das mãos de Marco Polo Del Nero, hoje o homem que manda no futebol brasileiro. Foi o próprio Nobre quem contou essa história, há dois anos, ao jornal "Folha de S.Paulo". O presidente eleito da CBF é mais do que amigo do presidente do Palmeiras. "A CBF está em boas mãos", declarou Nobre em abril deste ano, quando uma assembleia geral da entidade elegeu Del Nero para substituir José Maria Marin a partir de 2015.

O Botafogo esbravejou pela atuação da arbitragem na derrota para o Bahia por 3 a 2, também ontem, no Maracanã. O atacante Emerson Sheik fez questão de procurar uma câmera para declarar que "a CBF é uma vergonha". Maurício Assumpção, presidente do Botafogo, foi chefe de delegação da seleção brasileira no Superclássico das Américas, em 2012 - o cargo é simbólico, serve justamente para mostrar quem está bem com o comando da CBF, que na época já era exercido por Marin e Del Nero.

O Bahia, supostamente ajudado, tem como presidente Fernando Schmidt, um outsider entre os cartolas tradicionais. É um dos maiores apoiadores do Bom Senso FC, por exemplo, movimento que não é exatamente particular entre dirigentes de clubes, federações estaduais e a CBF. Eis o que disse Schmidt numa entrevista recente ao repórter Raphael Carneiro, do GloboEsporte.com em Salvador:

- Nós temos a perseguição e o boicote externo comandado pela CBF, pela coragem que tivemos de denunciar os desmandos da CBF no futebol brasileiro e propor sua reformulação completamente. Nós temos que nos precaver com relação a isso. Ou você acha que as arbitragens do Esporte Clube Bahia não são escolhidas a dedo para prejudicar o Bahia?

Nenhuma dessas informações serve para relativizar ou tentar esconder os frequentes erros de arbitragem no Campeonato Brasileiro em curso. São só informações, mesmo.

Gallo convoca a Seleção sub-21 para jogos de outubro

Confira a lista completa:


Goleiros:
Jacsson (Internacional)
Andrey (Botafogo)
Georgemy (Cruzeiro)

Zagueiros:
Dória (Olympique de Marselha)
Samir (Flamengo)
Natan (Palmeiras)
Wallace (Monaco)

Laterais:
Fabinho (Monaco)
Claudio Wink (Internacional)
Douglas Santos (Atlético-MG)
Wendell (Bayer Leverkusen)

Meio-campistas:
Alison (Santos)
Matheus Biteco (Grêmio)
Fred (Shakhtar)
Talisca (Benfica)
Danilo (Braga)
Rafael Alcântara (Barcelona)

Atacantes:

Ademilson (São Paulo)
Luan (Grêmio)
Thalles (Vasco)
Douglas Coutinho (Atlético-PR)
Vinicius Araújo (Standard Liège)
Felipe Gedoz (Club Brugge)

Flamengo inicia a pré-venda de ingressos para o Mundial de Clube. Veja preços



A oito dias da disputa do título do Mundial de Clubes, o Flamengo divulgou em seu site oficial as informações da venda de ingressos dos dois duelos contra o Maccabi Tel Aviv,  nos dias 26, às 21h30, e 28 de setembro, às 12h, na Arena da Barra, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A pré-venda para sócios-torcedores e clientes HSBC começou nesta quinta-feira. É possível adquirir os bilhetes pelo site do Ingresso Rápido.

Para o público geral, a venda se inicia no sábado, às 10h (de Brasília). O torcedor poderá comprar um combo promocional para as duas partidas decisivas. A operação de vendas é coordenada pela Federação Internacional de Basquete (Fiba).

O ingresso mais barato custa R$ 25, a meia-entrada para o Nível 3 (veja os outros preços abaixo) . Quem for ao jogo vestindo a camisa do Flamengo, exceto na cadeira de quadra, paga o valor de meia-entrada. Em todos os demais setores, estudantes, aposentados, idosos com idade igual ou superior a 60 anos, professores da rede pública municipal de ensino e menores de 21 anos também pagam meia. Será necessário comprovar o direito ao benefício no ato da compra e no acesso ao evento (documento ou camisa do Flamengo).



Confira os preços dos ingressos para o Mundial de Clubes (Foto: Reprodução/Site oficial do Flamengo) 
Confira os preços dos ingressos para o Mundial de Clubes (Foto: Reprodução/Site oficial do Flamengo)

A equipe se classificou para a competição ao bater o Pinheiros na decisão da Liga das Américas. Já o Maccabi Tel Aviv conquistou o direito de disputar o Mundial de Clubes após ganhar, pela sexta vez, a Euroliga de basquete. Na decisão, o time israelense venceu o Real Madrid.



Alecsandro cita clássico contra o Bota como referência para o Fla-Flu



O Flamengo concentra suas atenções no clássico contra o Fluminense, domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã, pela 23ª rodada do Brasileirão. Mesmo com as rivais separados por seis pontos na tabela, Alecsandro quer que o Rubro-Negro enfrente o adversário em igualdade. 

O centroavante reconhece a dificuldade do Fla-Flu, mas entende que a equipe precisa repetir a postura adotada em outros clássicos, como na vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, no dia 27 de julho, também pelo Brasileirão, para sair com o resultado positivo.

- É um jogo difícil. O Fluminense briga pelo G4 e é um clássico carioca. Eles têm grandes jogadores e um time forte. Teremos de fazer um jogo igual ao dos outros clássicos, como contra o Botafogo, em que atuamos de igual para igual e marcando forte, para vencer - disse.

Nessa temporada, o Flamengo fez sete clássicos, com três vitórias, dois empates e duas derrotas. Diante do Fluminense, adversário de domingo, o Rubro-Negro perdeu as duas partidas: 3 a 0 no Carioca e 2 a 0 no Brasileirão. Por outro lado, contra o Botafogo, citado por Alecsandro, o time venceu as duas: 1 a 0 no Brasileiro e 2 a 0 no Carioca. Por fim, contra o vasco, que disputa a Série B, o Fla empatou duas vezes por 1 a 1 e saiu com o resultado positivo em outra ocasião: 2 a 1, todas pelo estadual.

Flamengo apresenta uniformes e reforço, e cogita ter arena pronta até fim de 2015

A oito dias da disputa do título do Mundial de Clubes, o Flamengo, tricampeão do Novo Basquete Brasil apresentou os novos uniformes do time de basquete em um evento digno dos times internacionais. Além dos modelos, o principal reforço para a temporada, o argentino Walter Herman, que disputou a Copa do Mundo da Espanha pelo seu país e tem passagens pela NBA, esteve junto do restante do grupo, praticamente o mesmo do último NBB, com exceção de Shilton, que foi embora. Mas a grande novidade foi dada no finzinho da coletiva por Alexandre Póvoa, vice-presidente de esportes olímpicos. O dirigente disse que o Rubro-Negro pode ter a tão sonhada arena até o fim de 2015.

basquete Flamengo (Foto: Marcelo Pires) 
Time do Flamengo está de olho no Mundial de Clubes (Foto: Marcello Pires)
 
Com os Comitês Olímpicos do Brasil, Estados Unidos e Reino Unido como parceiros, o Flamengo reestrutura sua sede na Gávea, na Zona Sul do Rio de Janeiro. O ginásio de ginástica artística será totalmente reformado, assim como os vestiários, e o time espera concretizar a parte de licenças para que a obra da arena para 4 mil pessoas possa ser iniciada. Ela ficará no clube, em uma área onde hoje funciona um estacionamento e já foi um posto de gasolina.

- Está tudo muito próximo realmente, o governo tem ajudado muito o Flamengo e, assim que o processo for concluído 100%, fica faltando o "sim" de uma ou duas licenças para conseguir construir a arena. Com o processo finalizado, a arena deverá estar pronta em dez meses. Queremos começar a temporada 2015/2016 jogando lá - disse.

O reforço de um estrangeiro por um mês não está descartado pelos dirigentes do Flamengo. A equipe se classificou para a competição ao bater o Pinheiros na decisão da Liga das Américas. Já o Maccabi Tel Aviv conquistou o direito de disputar o Mundial de Clubes após ganhar, pela sexta vez, a Euroliga de basquete. Na decisão, o time israelense venceu o Real Madrid. Os jogos serão disputados na sexta-feira (dia 26), às 21h30, e no domingo (28/9), às 12h.

A equipe da Gávea estreou no Carioca da modalidade com vitória sobre a Liga Super Basketball, da Baixada Fluminense, vencendo por 102 a 53 (53 a 23 no primeiro tempo). O Flamengo está em busca do 10º título no torneio e, na próxima rodada, no dia 19, às 20h (de Brasília), o Flamengo volta a jogar em casa contra o Macaé.

Curtinha: diretoria do Flamengo paga premiação atrasada aos jogadores


Luxemburgo treino Flamengo (Foto: Cahê Mota)A diretoria do Flamengo prometeu e cumpriu. Nesta última quarta-feira, dia do empate por 2 a 2 diante do Palmeiras, em São Paulo, os jogadores receberam a premiação que estava atrasada por metas alcançadas no Campeonato Brasileiro. Os jogos foram divididos em blocos de quatro, nos quais o time deveria conquistar 50% dos pontos. Essa meta foi até superada nos dois primeiros, com 75% de aproveitamento.

O técnico Vanderlei Luxemburgo era um dos mais incomodados com o atraso e tinha constantes conversas com os dirigentes para que a premiação fosse quitada. Agora, a pendência de cinco meses com os seis atletas que recebem direito de imagem passa a ser a única do clube com os atletas.

Bandeira enumera erros contra o Flamengo para rebater benefício da arbitragem

Bandeira de Mello, presidente do Flamengo (Foto: Marcelo Hazan)As polêmicas envolvendo a arbitragem em jogos do Flamengo viraram assunto recorrente no clube. O empate por 2 a 2 contra o Palmeiras, na última quarta-feira à noite, no Pacaembu, fez o debate voltar à tona. Os paulistas reclamaram um toque de mão de Eduardo da Silva no segundo gol do Fla, marcado por Alecsandro, e de um pênalti não marcado em Henrique, em disputa de bola com João Paulo. O árbitro Anderson Daronco não viu irregularidade em nenhum dos lances.

Para isentar o Fla, Vanderlei Luxemburgo comparou o que viveu com o Corinthians, quando treinava o time em São Paulo e ouvia críticas sobre "apito amigo". Depois de o comandante negar favorecimento e se mostrar temeroso pelo fato de o Fla ficar marcado nesse sentido, o presidente Eduardo Bandeira de Mello também saiu em defesa do Rubro-Negro.

O mandatário enumerou partidas nas quais julga que o time saiu prejudicado para rebater a teoria de que o Flamengo é beneficiado pela arbitragem. A polêmica ganhou força depois da vitória por 3 a 0 sobre o Coritiba, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, em que a equipe teve um pênalti inexistente marcado a seu favor. Na sequência, em nova vitória, dessa vez diante do Corinthians, Wallace fez gol em impedimento e outro pênalti polêmico foi marcado, após chute de Everton com desvio no braço de Fagner.

- Não acredito nisso. É só olhar o contexto do campeonato. O jogo do Bahia, em Macaé, o do Goiás, o próprio jogo contra o Corinthians, no Pacaembu, em que o Léo Moura foi expulso injustamente no primeiro tempo. Contra o Internacional o Chicão foi expulso no primeiro tempo e ainda foi marcado um pênalti inexistente. Os árbitros erram para todos os lados. Contra o Palmeiras, ele terminou o primeiro tempo com o Eduardo da Silva correndo com a bola livre no campo de ataque. Certamente ele faria o terceiro gol, e o árbitro resolveu parar o jogo ali. O Canteros levou amarelo e está fora do Fla-Flu, mas nem falta foi. Os erros são normais - disse o presidente.

Polêmicas à parte, Bandeira diz esperar um jogo imprevisível contra o Fluminense, no clássico de domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã.

- O Fluminense perdeu (para o Vitória), mas está muito bem. Com seis pontos na nossa frente (o Fla é o 10º lugar, com 29 pontos, e o Flu está em quinto, com 35). Vamos dar tudo para ganhar deles - afirmou.

Alinhado com o discurso de Vanderlei Luxemburgo, o presidente, por fim, confirmou que o principal objetivo do Flamengo no Brasileirão é se ver livre da "confusão", nome dado pelo treinador para a zona de rebaixamento. Primeiro time dentro do Z-4, o Botafogo tem 22 pontos, sete a menos do que o Rubro-Negro.

Guerra política no Flamengo: "Não é agora que vão se livrar do Capitão Léo"

flamengo, leonardo ribeiro, capitão leo (Foto: Felippe Costa / Globoesporte.com)
Leonardo Ribeiro, ex-presidente do Conselho Fiscal do Flamengo, é, hoje, o principal alvo dos partidários da atual gestão nos bastidores. Um dos líderes da oposição, em agosto ele foi condenado a 30 dias de suspensão por agressão a sócio. Nesta terça, recebeu a mesma pena por ofensas ao vice de marketing, Luís Eduardo Baptista, o Bap, o homem forte da diretoria. As duas condenações fazem com que ele preencha o requisito para aplicação do artigo 57 do estatuto do clube, que prevê a eliminação do quadro social no caso de duas punições em menos de um ano.

Ribeiro recorrerá. O seu principal foco é na ação julgada nesta terça. Ele alega que apenas emitiu sua opinião e diz que sua defesa está sendo prejudicada por não poder estar presente. Está em Manaus até dezembro, fazendo um trabalho de auditoria para a Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus). Por telefone, mostrou confiança em reverter o quadro.

- Não é agora que eles vão se livrar do Capitão Léo. Eu nunca perdi uma votação aí, mas eu não estava presente. O fato de não estar presente está prejudicando a minha defesa. Eu vou dar um jeito de até o final do ano pelo menos passar aí no Rio. 

Ele reforçou uma reclamação recorrente da oposição de que Bap, a quem atribuem a palavra final no Flamengo, comanda o clube de São Paulo.

- Já tenho uma pessoa para fazer a defesa nos próximos 10 dias. Ninguém no Flamengo pode ser punido por delito de opinião. Eu fiz um discurso e está tudo provado. As ordens são de São Paulo, o Flamengo está sendo administrado de São Paulo, e ele agora aumentou mais uma vez o preço de ingresso.

Questionado se recorreria das duas punições, Ribeiro confirmou e, no fim, ironizou:

- Por cautela, eu vou entrar com os dois, mas o mais flagrante desrespeito é ao direito de opinião. Nem que tenha de reorganizar o partido na Sierra Maestra (em Cuba). O que está acontecendo é que eles querem me lançar candidato à presidência do Flamengo, só que eu não tenho condições ainda.


Chicão culpa "apagão" e lamenta empate com o Palmeiras



A expressão usada por Felipão para explicar a derrota do Brasil, por 7 a 1, para Alemanha na semifinal da Copa do Mundo fez parte do discurso de Chicão após o 2 a 2 entre Flamengo e Palmeiras, quarta-feira, no Pacaembu, pela 22ª rodada do Brasileirão. Depois de abrir 2 a 0 no primeiro tempo, o Rubro-Negro se desestruturou defensivamente com a saída de Cáceres no intervalo, permitindo a reação do Verdão. Para o camisa 3, foram 21 minutos, entre os gols de Diogo e Victor Luiz, onde a equipe esteve fora de sintonia e desperdiçou a oportunidade de vencer.

Se Vanderlei Luxemburgo fez questão de celebrar o empate fora de casa, Chicão deixou clara sua frustração, apesar de valorizar o poder de reação do Palmeiras. Além de perder uma vantagem de dois gols, o Flamengo teve ainda dez minutos com um jogador a mais no segundo tempo, mas não foi capaz de fazer o terceiro gol.

- Temos que respeitar o Palmeiras jogando diante do torcedor, que sabemos que vai incentivar. Estávamos bem na partida e em um apagão, de 10, 15 minutos, tomamos os gols. Tem méritos do outro lado, mas não temos que ficar satisfeitos. Podíamos ter vencido.

Esta foi apenas a segunda vez, em 15 jogos, em que o Flamengo sofreu mais de um gol sob o comando de Vanderlei Luxemburgo. A outra tinha sido contra o Coritiba, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, quando o treinador escalou um time misto, mas com a defesa quase toda reserva - apenas Marcelo era do time principal na ocasião.

Com 29 pontos, o Flamengo é o décimo colocado no Brasileirão e encara o Fluminense, domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã, pela 23ª rodada.


Eduardo admite mão em lance de gol , mas garante: "Não tive a intenção"

 O árbitro gaúcho Anderson Daronco não viu nenhuma irregularidade, os jogadores do Palmeiras questionaram, e Eduardo da Silva admitiu: a bola resvalou em sua mão esquerda no lance que resultou em gol da Alecsandro no empate por 2 a 2 do Flamengo com o Verdão na noite desta quarta-feira, no Pacaembu, pela 22ª rodada do Brasileirão. Lançado por Léo Moura, o croata dividiu com Deola e contou com o toque para dominar peito e fazer a assistência no lance que colocou 2 a 0 a favor dos rubro-negros no placar. Na saída para o intervalo, o atacante falou sobre a polêmica e foi garantiu que a jogada foi involuntária.

- Para ser sincero, pegou de raspão (na mão), mas não tive a intenção. É do futebol. Se o árbitro quisesse, dava. Mas não deu e faz parte do futebol.

Este foi o quarto jogo neste Brasileirão em que toques de mão na bola resultaram em polêmicas envolvendo o Flamengo. No 2 a 1 sobre o Vitória, no Barradão, Alecsandro marcou o gol decisivo em cobrança de pênalti assinalado depois que Juan interceptou cruzamento de Lucas Mugni com o braço. No mesmo jogo, Marcelo cometeu a mesma irregularidade, gerando penalidade desperdiçada pelos baianos. Já contra o Goiás, os rubro-negros pediram penalidade após cruzamento de Everton acertar o braço de um defensor rival. Por fim, no 1 a 0 sobre o Corinthians, Eduardo da Silva desperdiçou pênalti marcado depois de finalização de Everton desviar no braço de Fágner.

No empate com o Palmeiras, o toque de Eduardo da Silva não foi o único lance que gerou questionamento dos paulistas. Também no primeiro tempo, João Paulo deslocou Henrique na área em disputa pelo alto. Os palmeirenses pediram pênalti, mas foram ignorados por Anderson Daronco. Depois do jogo, Vanderlei Luxemburgo se mostrou preocupado em rechaçar um favorecimento ao seu time:

- Aqui em São Paulo, falavam em apito amigo corintiano e vai pegando. Daqui a pouco vai pegando. O erro acontece, mas não para privilegiar ninguém ou o Flamengo. Acontece pela qualidade dos árbitros.

Com 29 pontos, o Flamengo é o décimo colocado no Brasileirão e encara o Fluminense, domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã.

Jogadores do Flamengo lamentam empate: "Gosto amargo", diz Wallace

Cristaldo e Wallace, Palmeiras X Flamengo (Foto: JF Diorio / Agência estado)O Flamengo abriu 2 a 0 no primeiro tempo, mas permitiu o empate do Palmeiras na etapa final e saiu de campo lamentando o 2 a 2, nesta quarta-feira à noite, no Pacaembu, em São Paulo. Nem mesmo com a expulsão Valdivia, que pisou em Amaral e deixou os paulistas com 10 em campo aos 36 minutos da etapa final, o time não conseguiu vencer. Canteros e Alecsandro fizeram para o Fla, e Diogo e Victor Luis marcaram para o Verdão.

Após o jogo, todos os flamenguistas lamentaram a chance perdida de sair vitorioso fora de casa. O zagueiro Wallace resumiu o sentimento do time Rubro-Negro, citando, inclusive, a classificação das equipes na tabela. O Fla agora tem 31 pontos, na 10ª posição, e o Palmeiras soma 22 pontos, no 18º lugar. 

- Lamentamos, porque tínhamos a chance de fazer o terceiro, no primeiro e segundo tempo. Saímos daqui com um gosto amargo. Era a chance de matar eles, pela situação dos dois times na tabela. Mas dos males, o menor (o empate) - disse Wallace.

Autor de um dos gols do Fla, Alecsandro também usou discurso parecido ao do companheiro.

- Não podemos tirar o mérito do adversário. Falei no intervalo que se continuássemos marcando o Palmeiras como no primeiro tempo, dificilmente eles nos venceriam. Cochilamos no primeiro gol. Acaba sendo um resultado injusto pelo o que foi o jogo - finalizou.

Depois de empatar com o Palmeiras, o Flamengo começa a voltar suas atenções para o clássico contra o Fluminense, domingo, às 16h, no Maracanã.


Luxa rechaça favorecimento ao Flamengo e celebra empate: "Grande resultado"

A vantagem desperdiçada no segundo tempo não deixou Vanderlei Luxemburgo decepcionado no Maracanã. Depois de abrir 2 a 0, o Flamengo permitiu a reação do Palmeiras e deixou o Pacaembu na noite desta quarta-feira com um empate, em partida válida pela 22ª rodada do Brasileirão. A partida novamente foi marcada por erros de arbitragem a favor do Rubro-Negro, mas o técnico preferiu falar do que aconteceu ao longo dos 90 minutos. Apesar de acreditar que sua equipe poderia conquistar a vitória se tivesse mais tempo com um jogador a mais, o treinador retorna para o Rio de Janeiro satisfeito com o resultado.

Velho conhecido do Palmeiras, Luxa ressaltou o poder de reação do adversário no segundo tempo, empurrado pela torcida. O comandante rubro-negro explicou ainda a saída de Victor Cáceres no intervalo. Até então com 100% de aproveitamento com o treinador, o volante paraguaio é figura determinante para o setor defensivo do Fla, que se desestruturou após o gol de Diogo, logo aos dois minutos.

- Eram mais 15 minutos ali e iríamos ganhar de 3 ou 4. Eles fizeram o gol logo de cara e cresceram. Tirei o Caceres, tinha certeza que colocaria o Valdivia em cima dele. Coloquei o Amaral e depois o Luiz Antonio, porque estavam forçando em cima do Léo Moura. Faltou ter mais acerto no contra-ataque. Tinha de sair mais pelo lado do campo. Fizemos um gol pelo lado. Foi um grande resultado. É difícil jogar aqui contra o Palmeiras, mesmo nessa situação. O Palmeiras no segundo tempo buscou o resultado. Faz parte. Tivemos uma boa apresentação. Colocamos a vantagem, poderia ter mais pegada e atenção nos primeiros 15 minutos. Mas levamos e aí ficou mais complicado.

Vanderlei Luxemburgo, Palmeiras X Flamengo (Foto: Marcos Ribolli) 
Vanderlei Luxemburgo sorri no Pacaembu. Treinador ficou satisfeito com o empate do Flamengo (Foto: Marcos Ribolli)

O Palmeiras questionou o toque de mão de Eduardo da Silva no gol de Alecsandro e também um pênalti de João Paulo em Henrique, no fim do primeiro tempo. Contra o Corinthians, no domingo, o Flamengo já tinha sido beneficiado com o gol em impedimento de Wallace, mas Luxemburgo tratou de rechaçar favorecimento ao seu time. 

- Aqui em São Paulo falavam em apito amigo corintiano e vai pegando. Daqui a pouco vai pegando. O erro acontece, mas não para privilegiar ninguém ou Flamengo. Acontece pela qualidade dos árbitros.

  Com 29 pontos, o Flamengo é o décimo colocado no Brasileirão e encara o Fluminense, domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã.

Confira a íntegra da entrevista coletiva:

JOÃO PAULO DISSE QUE PERDERAM 2 PONTOS

Sem confrontar meus jogadores, mas se acharam que perderam dois pontos é bom. Mostra que querem algo mais. Pela circunstâncias, nós levamos um ponto. Mas é bom saber desse pensamento dos jogadores, que querem algo mais.

O QUE  E  QUER AGORA

Vejo muitos questionando que o Luxemburgo tem de pensar em G4, que é muito grande pra sair só da confusão. Também acho, mas quando cheguei tinha 7 pontos. Temos de sair da confusão. O que conseguir para frente é lucro. Não temos qualidade pra brigar por outra coisa, a não ser isso. Se fosse uma equipe de qualidade estaria brigando com Internacional, São Paulo. É inteligente descobrir o que é e trabalhar em cima disso. Tem de ter calma na análise do que somos e queremos. Sempre quero ganhar e conquistar campeonato, mas nesse momento a conquista do Flamengo é sair da confusão.

ALTERAÇÕES DORIVAL


Vou analisar o que o Dorival fez? Deixa ele. No intervalo percebi que entraria com Valdivia, por isso trabalhei em cima disso. Os gols deles foram mais por erros nossos do que por eles.

SAÍDA DO FLA DA CONFUSÃO E SITUAÇÃO DO PALMEIRAS


Primeira coisa foi tornar o clube unido. Quando cai, caem todos: técnico, jogadores, torcida. Essa pressão de dar porrada só traz mais dificuldade. O Palmeiras tem de se unir: torcida, dirigentes, comissão técnica. Precisa de sintonia pra sair juntos. No Flamengo, conseguimos passar isso. Essa unidade deu certo para nós.

AMIZADE COM VALDIVIA


Tenho amizade, mas se puder complicar ele vou complicar em campo. É complicado lidar com ele. Não é fácil, mas gosto de gente que joga bola.

GRANDES NA ZONA DE REBAIXAMENTO


É o que falei: tem que unificar o clube. Não adianta a torcida falar que vai bater, ir em aeroporto, só cria mais instabilidade. Todos em volta precisam estar atrás do resultado positivo. Todos caem juntos. Precisamos discutir isso no futebol brasileiro: 12 grandes e outros centenários, não pode ter 20% do campeonato caindo. São quatro caindo e tem 12 grandes. Sempre vai ter um na zona de rebaixamento. Precisava ser revisto. É um número grande. O italiano, espanhol e outros não são assim. E lá não tem tantos grandes como aqui. É complicado. Deveria ser revisto.

RESULTADOS RECENTES


Estamos em um caminho certo. Se tivesse esse campeonato desde o início estaríamos em outra situação. Fluminense é clássico, jogo difícil. Agora a sequência é uma tabela complicada. Já derrubou técnico do Flamengo... São clássicos, depois contra time campeão brasileiro, Copa do Brasil, e depois mais três clássicos. São sete jogos muito complicados. Precisa ter elenco. Tem dificuldade, não é fácil. 

Márcio Araújo credita a Valdívia melhora do Palmeiras diante do Flamengo


 A recuperação do Palmeiras no empate por 2 a 2 com o Flamengo, nesta quarta-feira, foi baseada em um nome: Valdívia. Com a entrada do chileno, o meio de campo do Flamengo se perdeu e passou a ser completamente dominado. Ciente disso, o volante Márcio Araújo comentou o fato do camisa 10 alviverde ter sido expulso, o que facilitou a vida do time carioca na partida:

– Fomos surpreendidos pelas entradas do Valdívia, que tem muita qualidade. Quando ele foi expulsou a situação mudou completamente. Entramos no jogo e poderíamos ter até vencido. Voltamos mal para o segundo tempo e o Palmeiras recuperou bem. Mérito deles.

No próximo domingo, o Flamengo volta a campo para enfrenta o Fluminense, no Maracanã. Vencendo, o Rubro-Negro pode abrir 10 pontos da zona de rebaixamento e se livrar de vez do risco de cair para a Série B. De quebra, pode se aproximar do G4.

Léo Moura, após empate do Flamengo: 'Foi difícil segurar a pressão'

 Léo Moura falha no primeiro gol do Palmeiras

Após o empate com o Palmeiras na noite desta quarta-feira, o lateral-direito Léo Moura afirmou que o Flamengo não conseguiu suportar a pressão do Palmeiras depois do primeiro gol do adversário no início do segundo tempo. De acordo com o jogador rubro-negro, o Flamengo ainda não conseguiu marcar nos últimos 45 minutos como tinha feito na etapa inicial.

- Tomamos gol muito cedo, foi difícil segurar a pressão. Não conseguimos marcar como tínhamos feito no primeiro tempo. Ficamos com um ponto, mas queríamos três pelo resultado ter estado em nossas mãos - afirmou o jogador.

O Flamengo volta ao Rio de Janeiro na tarde desta quinta-feira. A reapresentação está prevista para acontecer na sexta-feira, no Ninho do Urubu.

Canteros recebe o terceiro cartão amarelo e está fora do clássico



O Flamengo não terá o volante Canteros para o jogo diante do Fluminense, no domingo. O jogador recebeu o terceiro cartão amarelo diante do Palmeiras, nesta quarta-feira, e terá de cumprir suspensão automática diante do rival. A tendência é a de que Luiz Antonio assuma o posto de titular, visto que é quem mais tem jogado nesta posição com Luxemburgo.

Canteros tem sido o homem de criação no atual esquema do Flamengo, que joga com uma espécie de trinca de defensores no setor. No entanto, por ter mais qualidade, ele é que mais sai para o jogo. Prova disso é que marcou diante do Palmeiras o primeiro gol dele com a camisa do Rubro-Negro.

Os melhores momentos de Palmeiras 2 x 2 Flamengo


Os gols de Palmeiras 2 x 2 Flamengo


quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Palmeiras 2 x 2 Flamengo



Ficha técnica: 


Gols: Canteros, Alecsandro(Fla)  Diogo,Victor Luis (Pal)

Cartão  amarelo:  Cáceres, Canteros, Alecsandro, Chicão(Fla) Juninho(Pal)

Cartão vermelho: Valdivia(Pal)


Público:19.350 pagantes
Renda:R$ 464.752,50

Flamengo: Paulo Victor, Léo Moura, Chicão, Wallace e João Paulo; Cáceres(Amaral), Márcio Araújo(Elton), Canteros e Everton; Eduardo da Silva( Luiz Antonio) e Alecsandro.
Técnico:Vanderlei Luxemburgo

Palmeiras: Deola; João Pedro, Lúcio, Nathan e Victor Luis; Renato e Juninho; Mouche(Valdivia), Diogo e Cristaldo(Patrick Vieira); Henrique(Allione).
Técnico: Dorival Júnior

Data: 17/09/2014
Hora: 22h (de Brasília)
Local: Pacaembu, estádio do Flamengo em SP

Árbitro: Anderson Daronco 
Auxiliares: José Javel Silveira e José Eduardo Calza

Transmissão: A TV Globo transmite o jogo ao vivo para os estados de RJ, RS, SC, PR (Curitiba), MG (Juiz de Fora, Uberlândia, Ituiutaba e Araxá), ES, GO, TO, MS, MT, SE, AL, PE, PB, RN, CE, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF. Premiere e Premiere Internacional também mostram a partida para todo o Brasil.




Dumbrosck exonera secretário do Deliberativo e racha de vez com SóFla


Delair Dumbrosck Flamengo (Foto: Globoesporte.com)Presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo, Delair Dumbrosck rachou de vez com o SóFla (Sócios pelo Flamengo), principal base de apoio da gestão do mandatário do clube, Eduardo Bandeira de Mello. Ele exonerou o secretário do conselho, o economista Edmilson Varejão, por conta do racha político. Dumbrosck considera que o cargo é de estrita confiança e entendeu que esta relação foi quebrada depois de o comunicado do grupo "Conte Comigo, Flamengo", do qual o SóFla é o principal articulador, o criticar diretamente. Varejão, por sua vez, vê o presidente do conselho mais importante do Rubro-Negro colocando a sua agenda pessoal política à frente da instituição. Ele afirmou que somente recebeu um email comunicando a exoneração.

A guerra política não se resume a Delair e SóFla. Na noite de terça-feira, Leonardo Ribeiro, o Capitão Léo, uma das principais lideranças da oposição, foi condenado pela segunda vez e ficou sujeito à exclusão do quadro social, embora ainda possa recorrer. No Conselho Fiscal, o presidente Mario Esteves, que está de licença, teve aberta contra ele uma comissão de inquérito. Um dos membros que pediu a abertura da comissão, Gonçalo Veronese, por outro lado, teve uma comissão reaberta contra ele. Nos bastidores do clube, o fogo cruzado parece longe de um fim.

 O presidente do Conselho Deliberativo explicou razões para exoneração de Varejão, confirmando que o racha político com o SóFla motivou a decisão. Segundo Delair, por conta das críticas abertas no comunicado do "Conte Comigo, Flamengo" – grupo que suporta uma proposta de estatuto e é articulado principalmente pelos integrantes do SóFla –, não havia condições de manter o economista num cargo de confiança.

– Como presidente do Conselho, tenho o poder de nomear todas as comissões de inquérito, comissões permanentes, a mesa diretora dos trabalhos, que inclui os secretários, e há um vice-presidente eleito comigo. Todas essas pessoas têm de ser de estrita confiança minha. Mas uma pessoa perde a minha confiança no momento em que faz parte desse grupo SóFla e integra um movimento político onde me citam e começam a discordar de determinadas coisas que eles tinham concordado, que é a questão do estatuto. Chegam agora com um "não, não queremos mais isso" e começam a escrever besteira. Comigo é o seguinte: ou eu tenho confiança ou não tenho. Se não tenho, então não serve para trabalhar. E eu exonerei, só isso – disse Delair.

Ele negou que a postura seja válida para todos os membros do SóFla indicados para comissões, mas citou outros casos.

– Não, só a ele (Varejão). Os outros membros estão lá. Agora, não posso permitir, por exemplo a seguinte situação: eles tinham um membro nas comissões de estatuto no momento em que apresentam uma proposta de estatuto, então, você acha ético eles terem um membro na comissão para debater o estatuto que eles apresentaram? Não é. Eu pedi que se desligassem, e eles se desligaram.

Varejão enxerga a questão de outra forma e analisa que a agenda pessoal política do presidente do Deliberativo está sendo colocada à frente do Flamengo. O ex-secretário do conselho, no entanto, evitou contestar a decisão:

– Eu não posso falar em nome do SóFla, mas sim apenas em meu nome. Não é do meu interesse questionar a decisão do Delair, ele é o presidente de poder, tem todo o direito de fazer isso. Não fui comunicado de nada, recebi só a exoneração por email. Saio com sentimento de dever cumprido porque participei de todas as reuniões como secretário, só não fui a uma porque estava de férias. Indiquei membros para as comissões do Deliberativo, e todos estão fazendo ou fizeram um ótimo trabalho. Do ponto de vista técnico, executei tudo o que me foi pedido. Do ponto de vista político, sou uma pessoa jovem, tenho 30 anos, e muito jovem de Flamengo. É o meu primeiro triênio como conselheiro, estou entrando com intuito de me dedicar ao máximo. Mas às vezes você quer desempenhar um trabalho legal e os aspectos políticos se sobrepõem ao clube.

O economista também deu sua versão para o racha com Delair Dumbrosck e afirmou que não foi o SóFla quem deflagrou a "guerra".

– Pelo que as pessoas têm me falado, ele será candidato na próxima eleição. Ele tem esse objetivo. E ele já identificou que o SóFla, apesar de ser um grupo de pessoas jovens, sem toda essa vivência de clube, é um grupo numeroso e que se mobiliza. São pessoas técnicas que vieram da arquibancada e não têm essa vaidade, como ele e algumas outras pessoas têm. A maioria não tem. Ele sabe que provavelmente não vai contar com nosso apoio, entende dessa forma, então declarou guerra e escolheu um grupo que entende que vai apoiar. Ele deflagrou essa guerra, não fomos nós.

Questionado se acredita que Dumbrosck eliminará de cargos no conselho outros membros do SóFla, Varejão respondeu:

– É difícil falar da cabeça de outra pessoa, mas espero que ele continue contando conosco, isso é o que eu gostaria. O SóFla não nasceu como um grupo político, mas com o objetivo de levar ideias e propostas ao Flamengo. No entanto, acho que ele continuará nessa empreitada política que tem foco na eleição do ano que vem. Na minha opinião, o que ele puder fazer já para montar uma base para o ano que vem, me parece que vai fazer. E não temos muito o que fazer contra ele. Somos um grupo de sócios, mas o presidente do Deliberativo no Flamengo é muito forte, tem muitos poderes. Como grupo de sócio, é claro que podemos tumultuar, mas nosso poder lá é muito limitado.

O secretário exonerado questionou também a abertura das comissões de inquérito. Segundo Varejão, a política interferiu. Gonçalo Veronese é acusado de vazar documento interno, o que nega, e Mario Esteves responde por suposta omissão de informações a membros do Conselho Fiscal – ele afirma que somente tenta evitar a politização da pauta.

– Tem pessoas que colocam a agenda política na frente. Antes do pedido de comissão de inquérito contra o Mario Esteves, foi pedida uma contra o Gonçalo Veronese. A do Veronese foi aberta com o Rodrigo Dunshee (de Abranches, vice do Deliberativo que recentemente assumiu a presidência por um curto período), porque o Delair não abriu. Abriu primeiro a do Mario Esteves e sentou na do Gonçalo Veronese. Aí você tira as suas próprias conclusões. As pessoas estão colocando sua agenda pessoal na frente do clube, o que é triste.

América-RN anuncia preços dos ingressos para jogo contra Flamengo


Foto aérea da Arena das Dunas (Foto: Canindé Soares)O América-RN anunciou nesta quarta-feira os valores dos ingressos para o duelo contra o Flamengo, pelas quartas de final da Copa do Brasil. O jogo está marcado para o dia 1º de outubro, às 22h, na Arena das Dunas, em Natal. A expectativa da diretoria rubra é quebrar o recorde de público do estádio após a Copa do Mundo, que é de 28.200 espectadores para ABC x vasco. Os preços variam de R$ 30 a R$ 150.

 As vendas serão iniciadas nesta quinta-feira, exclusivamente para quem é Sócio Mecão, das 9h às 19h, na sede do clube, na Rua Miguel Barra, no Tirol. Cada sócio poderá comprar até quatro ingressos da partida, até sábado. Depois, a comercialização será aberta para os demais torcedores. 

Segundo a diretoria do América-RN, a torcida do Flamengo ocupará apenas o setor Noroeste - o equivalente a 10% da Arena das Dunas.

Confira os preços
:

Setor Leste - R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia)
Setor Norte - R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia)
Setor Sul - R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia)
Peppers Sports - R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia)
Área Premium - R$ 150 (inteira) e R$ 75 (meia)
Setor Sudoeste Inferior - R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia)
Setor Sudoeste Superior - R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia)
Setor Noroeste Inferior (Flamengo) - R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia)
Setor Noroeste Superior (Flamengo) - R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia)


Para ex-lateral Leandro, Flamengo tem limitações técnicas e precisa de um 10


Leandro, Flamengo, Especial fla x flu (Foto: André Durão / Globoesporte.com)O ex-lateral direito Leandro, do Flamengo, estará no Espírito Santo no próximo final de semana onde participa de um encontro de torcedores do rubro negro na cidade de Castelo. Antes de desembarcar no estado, o craque campeão da Libertadores e do Mundial Interclubes comentou o atual momento do Fla, no Campeonato Brasileiro 2014.

Para Leandro, o time comandado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo tem limitações técnicas e ainda precisa de um tradicional ‘camisa 10’.

- O Flamengo deu uma recuperada boa com o Vanderlei na base da raça, empurrão da torcida. Hoje o Flamengo ganha uma, duas e amanhã pode perder porque é limitadíssimo tecnicamente. E fica nessa gangorra aí, já que está fazendo contenção de gastos para pagar dívidas, o que acho certo. O Flamengo é time que tem que disputar título todo ano. O time não pode fazer contratações absurdas de grandes craques, mas em uns dois anos isso vai mudar. É preciso paciência. Precisamos, principalmente, de um camisa 10 bom, criativo, brigador. Por enquanto só temos jogadores para compor elenco - declarou o ex-jogador, em entrevista ao Jornal A Gazeta.

Após 21 rodadas disputadas, o Flamengo ocupa a 10ª colocação do Campeonato Brasileiro 2014. Pela competição, o rubro-negro volta a campo nesta quarta-feira, quando enfrenta o Palmeiras, às 22h, no Estádio do Pacaembu. A TV Gazeta transmite o jogo ao vivo.


Mil e um problemas: negociações das arábias têm dinheiro como miragem


Hernane apresentado no Al Nassr  (Foto: Divulgação)Representação da miragem no deserto, o oásis dá lugar ao dinheiro no imaginário da Arábia Saudita. E no país do Oriente Médio, os petrodólares que seduzem os jogadores costumam formar a ilusão de clubes e investidores nas negociações. Só no Brasil são vários os exemplos de decepções na hora do pagamento: calote, atrasos de parcelas e salários e até cheque sem fundo. O caso mais recente é o de Hernane, vendido pelo Flamengo ao Al Nassr por R$ 14 milhões. Nesta quarta-feira se completa um mês do primeiro dos vários prazos dados e não cumpridos pelos árabes. Até agora, o Rubro-Negro e a Traffic – empresa que encaminhou a proposta e intermediou as tratativas – não viram a cor da grana pelo Brocador.

Assim como o Vasco, que está há mais tempo na fila. Junto com a Traffic – também parceira nesta negociação – até hoje não receberam os R$ 15,5 milhões pela venda de Diego Souza ao Al Ittihad, em julho de 2012. Mas o Cruz-Maltino tomou medidas drásticas. Enquanto o Flamengo se mostra paciente e otimista em resolver as pendências sem ir à Fifa, o clube de São Januário acionou a entidade que comanda o futebol mundial há um ano e aguarda pelo desfecho do julgamento: o processo encontra-se em reta final, e o valor corrigido com a multa já passaria da casa dos R$ 20 milhões – neste meio tempo, o jogador deixou o elenco árabe e, desde então, passou por Cruzeiro e Metalist da Ucrânia até chegar ao Sport. Para os investidores, o atraso nem sempre é tão ruim, pois é visto como uma forma de aplicação. Mas para os clubes, que têm mais exigências e muitas vezes traçam planos com tais verbas, a demora não é nada satisfatória.

– Este é um mercado que, para nós, está fechado, a não ser que seja à vista. Não existe mais confiança para trabalhar com clubes árabes – disse Vilson Ribeiro, presidente do Coritiba, que recebeu só a primeira parte dos R$ 5 milhões a que tem direito da venda de Rafinha para o Al Shabab, no ano passado, e também foi à Fifa. A segunda e última parcela venceu em julho de 2014.

Vilson acredita que só recebeu a primeira parte da verba por ter condicionado o pagamento à liberação do jogador. Mesma coisa fez Marcos Malucelli, ex-presidente do Atlético-PR, em 2010. Para emprestar Marcinho ao Al Ahli, a US$ 800 mil por um ano e meio de contrato, o dirigente viajou até a cidade de Jeddah para se sentir mais seguro. Lá, os árabes que são donos dos clubes falam inglês e se mostram bem receptivos.

– Eu fui para lá acompanhar. Só autorizaria a negociação se tivesse a remessa da primeira parcela. Eles mostraram, então eu liguei para confirmar e assinei a liberação de lá. Se não me engano, foram mais duas parcelas, que atrasaram alguns dias – lembrou Malucelli.

Diego Souza Al Ittihad (Foto: Reprodução / Site Oficial) 
Diego Souza ficou apenas três meses no Al Ittihad e saiu alegando salários atrasados (Foto: Reprodução / Site Oficial)

No caso Hernane, o Flamengo tentou algo parecido: segurou o TMS, documento que libera o atleta para ser regularizado em outro país, mas foi obrigado pela Fifa a ceder os papéis. A posição da entidade se dá uma vez que, por lei, o TMS não pode ser condicionado ao pagamento da compra, evitando assim que o jogador fique sem exercer sua profissão.

Um dos males apontados no mundo árabe, como casos do futebol chinês, é a não apresentação de garantias bancárias para as contratações – muitas vezes os clubes acabam abrindo mão do comprovante por ter pressa na venda, seja pela proximidade do fim do contrato e do fim da janela, ou ainda pela saúde financeira. Mas a história mostra que até mesmo este artifício já foi driblado pelos árabes. Em 1978, a venda de Rivellino do Fluminense para o Al Hilal, por US$ 1 milhão, teve até cheques não compensados no Brasil.

– Normalmente, no futebol se usa de garantias de pagamento. Só não poderia imaginar que seriam cheques sem fundo. Recorremos à Fifa, e o presidente era o (João) Havelange, que era meu amigo. Foi rápido, a Fifa os intimou para que depositassem, caso contrário perderiam o jogador. Depois eles fizeram. Foi a primeira vez que deu problema numa negociação internacional, e como nós resolvemos, abrimos caminho para outros – contou Silvio Kelly, ex-presidente e vice de futebol do Fluminense, responsável por viajar junto com Rivellino para fechar negócio.

À época, a "Revista Placar" apresentou detalhes da negociação num formato reportagem-novela intitulado "O conto árabe", dividido em três capítulos e edições. Nas páginas, revelações como o calote dado pelo príncipe Khaled no hotel onde ficou hospedado no Rio de Janeiro e a exigência dos árabes por retratação do Fluminense após acusação de não honrar compromissos. No país, existem clubes que pertencem à família real saudita, como também é o caso do Al Nassr.

Especialistas procuram soluções

Marcos Motta, advogado (Foto: Divulgação)
Os problemas envolvendo dinheiro vão além das vendas e afetam até mesmo o salários dos jogadores. Diego Souza é um dos que brigaram judicialmente com o clube e conseguiram a liberação na Fifa após ficar cerca de apenas três meses no Al Ittihad. Mesmo time no qual recentemente Jobson enfrentou problemas, ficando sem dinheiro e impossibilitado de sair do país. O mundo árabe virou sinônimo de preocupação, e na semana passada advogados de vários países, especialistas em legislação internacional, reuniram-se num seminário na corte arbitral do esporte para buscar soluções.

– Isso é unânime na comunidade jurídica internacional desportiva: o mercado árabe é problemático. Tivemos vários casos: Obina, Renato Cajá, Diego Souza, Lima... No próprio Al Nassr tivemos problemas, por causa do Marcelinho Carioca em 2003, 2004. A minha opinião é que geralmente a federação saudita age em função dos clubes. Ela é muito submissa, então temos dificuldades – salientou Marcos Motta, advogado que representa o Flamengo na Fifa no caso Hernane. Ele garante não existir chance de o atacante retornar ao Rubro-Negro.

Motta explica que os processos na entidade máxima do futebol levam em torno de um ano e, nesses casos de atraso de pagamento, o procedimento é entrar com uma ação da Fifa contra o clube, com cobrança de multa. Em certas situações, também podem ser solicitadas punições disciplinares, como, por exemplo, o impedimento de registrar novos jogadores por um determinado período. Mas o advogado reitera que, para os clubes, o melhor caminho é se precaver ao máximo nas negociações.

– A nossa sugestão é que, quando for fazer algum negócio com time saudita, que tenha cuidado redobrado, porque é um lugar que tem enfrentado problemas. Todo negócio tem um risco, e é preciso minimizá-lo ao máximo, colocando mecanismos de contrato que forcem o pagamento. Multas altíssimas em caso de não pagamento, vencimentos antecipados de parcelas caso alguma não seja paga. Você inibe um pouco o mau pagador, que começa a fazer conta: se não pagar, tem multa de 50%; se não pagar essa parcela, a próxima será antecipada com multa de 50%. É ter algumas previsões contratuais que inibam o mau pagador – sugeriu.


Leonardo Ribeiro recebe nova pena e fica sujeito à exclusão no Flamengo


flamengo, leonardo ribeiro, capitão leo (Foto: Felippe Costa / Globoesporte.com)
Ex-presidente do Conselho Fiscal e um dos líderes da oposição no Flamengo, Leonardo Ribeiro, o Capitão Léo, foi novamente condenado no Conselho de Administração do clube, passando a ficar sujeito a um processo de exclusão do quadro social. Na noite de terça-feira, ele foi suspenso por 30 dias pela segunda vez e passou a preencher os requisitos para a aplicação do artigo 57 do estatuto, que prevê a expulsão no caso de duas punições em menos de um ano. Ribeiro, porém, ainda deverá recorrer de ambas as penas no Conselho Deliberativo e, somente se mantidas as duas condenações, será avaliada a sua eliminação.

Em agosto pegou suspensão de 30 dias por agressão a sócio. Desta vez, a pena aprovada por 38 votos a 14 foi por ofensas ao vice de marketing do Flamengo, Luís Eduardo Baptista, o Bap. A assessoria do Flamengo informou que a análise dos recursos acontece no plenário do Deliberativo. Mantidas as penas, o processo volta para o Conselho de Administração, que pede a abertura de sessão para votar a exclusão do quadro social.

Membro atual do Conselho Fiscal e também do grupo político de Ribeiro, Gonçalo Veronese afirmou que não acredita que chegue a esse ponto. Analisou que, no Conselho Deliberativo, a oposição tem um peso maior e não crê que as duas condenações sejam mantidas. Ele informou que Ribeiro está morando temporariamente em Manaus, trabalhando para a Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus). A reportagem tentou contato na manhã desta quarta-feira, sem sucesso. De fato, recentemente, a diretoria teve problemas para aprovar seus projetos no Deliberativo, com a negativa para a permuta da antiga concentração de São Conrado por 13 salas comerciais em um novo empreendimento no local.

- Isso é um jogo de mata-mata. Perdemos no campo do adversário. O Conselho de Administração é um ninho azul. Vamos recorrer ao Deliberativo, nos dois casos - disse Veronese.
 
 

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Com futuro indefinido, Felipe se recupera e volta a treinar quinta-feira

À disposição, mas sem previsão para voltar a jogar. Depois de quase dois meses no departamento médico tratando de duas lesões, Felipe, enfim, está liberado para treinar normalmente no Flamengo. O retorno está marcado para quinta-feira, no Ninho do Urubu. Não há certeza, porém, se o goleiro trabalhará juntamente com os companheiros ou fará atividades separadas, como aconteceu nos primeiros dias sob o comando de Vanderlei Luxemburgo. A realidade é que, no momento, o camisa 1 não faz parte dos planos e vê Paulo Victor cada vez mais consolidado na condição de titular.

Felipe Flamengo treino Gávea (Foto: Cahê Mota) 
As chances de Felipe jogar pelo Flamengo atualmente são muito reduzidas (Foto: Cahê Mota)

A última partida de Felipe aconteceu no 4 a 0 sofrido diante do Internacional, em Porto Alegre, no distante 20 de julho. Logo depois, Ney Franco foi demitido para chegada de Luxa, que sequer convocou o goleiro participasse de seus primeiros treinamentos. Barrado, ele não foi relacionado para vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo e na semana seguinte queixou-se de uma lesão na coxa direita. Ao se recuperar do problema, as dores que passaram a incomodar foram na mão direita.

De acordo com os médicos rubro-negros, nenhuma fratura foi identificada em exames, mas Felipe reclamava de incômodos no choque com o solo em defesas onde era necessário saltar. Agora, tudo está curado. Nesta terça-feira, o goleiro chegou a ir à Gávea, mas não trabalhou no campo. A partir de quinta-feira, quando o time volta de São Paulo, onde encara o Palmeiras, na quarta, o camisa 1 estará à disposição do preparador de goleiros Vágner Miranda. O panorama que irá encontrar, no entanto, não é dos melhores.

Um dos destaques do Flamengo na arrancada contra o rebaixamento, Paulo Victor é absoluto no gol, enquanto César é visto como uma aposta para o futuro. Boa parte da diretoria, inclusive, desejava ver o jovem goleiro no lugar de PV na ocasião da barração de Felipe, e a condição de reserva imediato está consolidada. Já o terceiro goleiro, utilizado em viagens, costuma ser um jovem por opção de Vanderlei. João Paulo e Daniel fizeram parte de delegações recentemente.

Fora dos planos, Felipe vê a situação ainda mais complicada por já ter feito oito jogos no Brasileirão. Com a indefinição sobre seu futuro no clube, Ney Franco chegou a sacá-lo dos últimos três jogos antes da paralisação para Copa do Mundo. A permanência na Gávea, por sua vez, fez com que o então treinador o escalasse diante de Atlético-PR e Internacional, minando assim as chances de transferência para outro time brasileiro.

Felipe tem um dos salários mais altos do elenco rubro-negro e contrato até dezembro de 2015. O goleiro é um dos seis jogadores que tem a remuneração dividida entre carteira de trabalho e direito de imagem, que está cinco meses atrasados. Na Gávea desde 2011, ele disputou 188 jogos, tendo conquistado dois Cariocas e uma Copa do Brasil.


Em casa no Pacaembu, Chicão quer aumentar pressão no Palmeiras


Vanderlei Luxemburgo e Chicão no treino do Flamengo (Foto: Cezar Loureiro / Agência O Globo)O Pacaembu tem sido um palco onde o Flamengo tem sofrido ultimamente. Desde 2010, quando despachou o Palmeiras, por 1 a 0, gol de Vágner Love, o estádio paulista é local de apuros, mas um rubro-negro em especial tem motivos de sobra para entrar em campo otimista e se sentir em casa nesta quarta-feira, no confronto com o Verdão: Chicão. Mais novo titular de Vanderlei Luxemburgo, o zagueiro formará a zaga ao lado de Wallace, e reencontrará o cenário de tantas vitórias em seis temporadas com a camisa do Corinthians.

No Pacaembu, Chicão celebrou os títulos da Série B de 2008, do Brasileirão de 2011 e da Libertadores de 2012. No estádio paulista, também enumerou confrontos com os palmeirenses e adquiriu uma experiência que pode ser importante para que o Flamengo conquiste sua quarta vitória fora de casa no Campeonato Brasileiro. Na porta da zona de rebaixamento, o Palmeiras vive momentos de pressão, e o camisa 3 rubro-negro acredita que este fator pode ser utilizado a favor dos cariocas.

- Temos que aproveitar isso. Sabemos que se o Palmeiras não fizer o gol no começo, vão começar a cobrar. Isso é normal, acontece com todas as equipes. Temos que estar bem concentrados. Vamos respeitar a equipe, que é grande e não vive um bom momento. Temos que tirar proveito deles jogarem em casa e diante do torcedor.

Dos muitos duelos com o Palmeiras no Pacaembu, um marcou Chicão em especial. Em 2011, o Timão tinha acabado de ser eliminado da Libertadores pelo Tolima, ainda na fase prévia da competição. As cobranças eram muitas, o futuro era incerto, mas o triunfo sobre o maior rival acalmou os ânimos e foi o primeiro passo de uma volta por cima que acabou com o título Mundial do ano seguinte, no Japão.

- Lembro de um clássico quando o Tite tinha acabado de chegar. Vivíamos um momento difícil e vencemos com um gol do Alessandro, que não era muito de fazer gol. Foi uma partida complicada, disputada.

As condições de trabalho apresentadas no Pacaembu também foram elogiadas por Chicão, que garante não ter dúvidas de que muitos torcedores do Flamengo estarão presentes nas arquibancadas.

- Sabemos que onde o Flamengo jogar vai ter apoio. A prova disso foi em Cuiabá, com estádio lotado. Tenho boas lembranças do Pacaembu. Estádio bom, gramado perfeito. Vamos respeitar o Palmeiras, mas buscar a vitória.

Flamengo e Palmeiras se enfrentam nesta quarta-feira, às 22h (de Brasília), pela 22ª rodada do Brasileirão. Com 28 pontos, o Rubro-Negro é o décimo colocado na tabela.

Dono do Orlando City diz que, se fosse possível, investiria no Flamengo


Dono do Orlando City, clube norte-americano que contratou Kaká e o emprestou ao São Paulo, Flávio Augusto da Silva é brasileiro e torce para o Flamengo. Em participação no "Arena SporTV", o empresário disse que investiria no Rubro-Negro. No entanto, afirmou que, como o clube da Gávea não é uma empresa, não é possível investir.

- O que posso dizer é que o fato de eu ter tido a possiblidade de comprar um clube me fez investir US$ 110 milhões (cerca de R$ 250 milhões) nos Estados Unidos. A possibilidade de gerir um clube como empresa, para ter resultados, atrai investidores. Ao contrário disso, eu não faria. Não tenho como comprar um clube no Brasil. Sou empresário, comprei o City, é uma empresa em que investi, que posso vender amanhã e ter retorno. O fato de dar um lucro ou não não altera o produto e a torcida. A torcida apoia, mas eu respondo com meu patrimônio pessoal por dívida fiscal e impostos. Eu sou o responsável - diz.

Empresário Flávio Augusto da Silva, investidor do Orlando City (Foto: Reprodução SporTV) 
 
Flávio Augusto da Silva, do Orlando City, tirou Kaká do Milan (Foto: Reprodução SporTV)

Participante da Major League Soccer (MLS), o empresário disse que é possível montar um clube-empresa no Brasil, mas que o retorno financeiro não é bom por conta da falta de torcedores, do interesse da mídia e dos patrocinadores.

- Não posso comprar 30% do Flamengo, se pudesse eu estudaria. Você pode abrir um clube-empresa no Brasil, como o Audax, mas quem vai torcer? Não tem torcedor, não é boa vitrine para patrocinador, não tem boa cota de TV. Nos EUA, somos o único clube de Orlando, temos 13 milhões de habitantes. Os EUA têm 300 milhões de habitantes e a grande maioria não torce para nenhum clube, já que o futebol é coisa nova. Podemos ter uma torcida de norte-americanos maior que a do Corinthians com o tempo - destacou.

Flamengo promete pagar prêmios atrasados antes do jogo com o Palmeiras


Luxemburgo treino Flamengo (Foto: Cahê Mota)Motivação extra para o elenco do Flamengo na partida contra o Palmeiras, quarta-feira, no Pacaembu, pela 22ª rodada do Brasileirão. A diretoria rubro-negra prometeu pagar antes do jogo a premiação atrasada por metas alcançadas na competição. Os jogos foram divididos em blocos de quatro, nos quais o time deveria conquistar 50% dos pontos, e essa meta foi até superada nos dois primeiros. Nos dois primeiros blocos, a equipe conquistou nove pontos em cada estabelecendo um aproveitamento de 75%. Com isso, a pendência de cinco meses com os seis atletas que recebem direito de imagem passa a ser a única.

Na partida diante do Goiás, o Flamengo iniciou um novo bloco de quatro partidas. Com a vitória diante do Corinthians, a equipe precisa de mais triunfo, diante de Palmeiras, quarta, ou Fluminense, domingo, para alcançar novamente a meta traçada na luta contra o rebaixamento. O atraso no pagamento da premiação vinha gerando insatisfação interna, principalmente pela ausência de justificativas.

Vanderlei Luxemburgo era um dos mais incomodados com a situação. Na atividade na sede social, o treinador, inclusive, conversou longamente com o vice-presidente de futebol, Alexandre Wrobel, e o diretor executivo, Fred Luz, no gramado da Gávea. Com o pagamento das premiações, o Flamengo entra em campo em clima tranquilo para encarar o Palmeiras. Com 28 pontos, o Rubro-Negro é o décimo colocado no Brasileirão.

Quarta-feira tem Mengão na Globo



QUARTA-FEIRA, 17

Série A do Campeonato Brasileiro


22h - Palmeiras x Flamengo

Transmissão: TV Globo para RJ, RS, SC, PR (Curitiba), MG (Juiz de Fora, Uberlândia, Ituiutaba e Araxá), ES, GO, TO, MS, MT, SE, AL, PE, PB, RN, CE, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF (com Luis Roberto, Junior, Caio Ribeiro e Arnaldo Cezar Coelho) e Premiere, PFC HD e PFCI (com Odinei Ribeiro e Wagner Vilaron)


Luxa repete Flamengo com Eduardo da Silva e Chicão para enfrentar o Palmeiras



O palco mudou, mas a equipe foi a mesma. Na manhã desta terça-feira, o Flamengo trocou o Ninho do Urubu pela Gávea para realizar seu último treino antes de viajar para São Paulo, onde a equipe enfrenta o Palmeiras nesta quarta-feira, pela Campeonato Brasileiro. E Vanderlei Luxemburgo vai repetir a escalação da última rodada com Eduardo da Silva e Chicão entre os titulares. Novidades na vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians, atacante - que perdeu um pênalti – e zagueiro agradaram ao comandante. Assim como a qualidade do gramado da sede rubro-negra, que esteve sob cuidados da seleção holandesa durante a Copa do Mundo e minimizou até o desconforto de alguns jogadores por causa da distância.

torcida treino Flamengo (Foto: Cahê Mota) 
Mantido no time titular, Eduardo da Silva atende torcedores na Gávea (Foto: Cahê Mota)

- É um pouco longe para quem mora no Recreio, mas faz parte, porque está mais perto do aeroporto. O gramado é diferente, está bem melhor do que no Ninho - disse Chicão.

O rachão também foi trocado por uma atividade tática. Interrompendo o treino diversas vezes para passar orientações, Luxa trabalhou a marcação com pressão no campo do adversário e o posicionamento nas jogadas de bola parada, tanto no ataque como na defesa. Sumido dos campos após ter uma lesão, o goleiro Felipe já está em fase de transição e esteve na Gávea, mas não foi ao gramado.

Só na saída dos jogadores de campo é que eles puderam sentir o calor dos torcedores. Muitas crianças chegaram mais tarde, já no fim da atividade, e gritaram os nomes de Léo Moura e Eduardo da Silva. Acostumado com o Ninho do Urubu, Márcio Araújo aprovou o contato com o público durante o treinamento.

Luxemburgo Flamengo treino Gávea (Foto: Cahê Mota) 
Luxemburgo repete escalação do Fla no treino desta terça-feira (Foto: Cahê Mota)
 
- Alguns já estavam acostumados por já terem treinado aqui. Para mim foi uma situação nova. É uma coisa boa ter o carinho do nosso torcedor, isso vai nos ajudar.

Após o treino, alguns jogadores atenderam torcedores antes da saída para o aeroporto e distribuíram autógrafos e presentes. Everton, por exemplo, foi um dos últimos a sair e foi orientado a ir direto para o ônibus, mas insistiu em ter um rápido contato com o público.

O treino foi realizado na Gávea devido à logística, já que a delegação embarca para São Paulo às 12h47. O Flamengo divulgou que a atividade seria aberta a sócios-torcedores, com capacidade para cerca de 400 pessoas. Porém, menos de 100 estiveram presentes. O presidente Eduardo Bandeira de Mello esteve no local e acompanhou o treino de perto, assim como outros dirigentes, como o vice de futebol Alexandre Wrobel, o diretor executivo Fred Luz e o diretor financeiro do clube Paulo Dutra, num momento em que há dívidas com o elenco de direitos de imagem e premiações atrasadas.

Eduardo Bandeira de Mello Flamengo treino Gávea (Foto: Cahê Mota) 
Dirigentes do Fla acompanham atividade na Gávea (Foto: Cahê Mota)
 
Flamengo e Palmeiras se enfrentam nesta quarta-feira, às 22h (de Brasília), no Pacaembu, pela 22ª rodada do Brasileirão. O Rubro-Negro é o 10º colocado com 28 pontos, sete a mais do que o Alviverde, primeiro clube fora da zona de rebaixamento.