Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

domingo, 20 de abril de 2014

Torcedor atira garrafa no gramado e é retirado do Mané Garrincha

Já nos minutos finais do empate por 0 a 0 entre Flamengo e Goiás, neste domingo, no Mané Garrincha, um torcedor que vestia a camisa do Rubro-Negro atirou uma garrafa de plástico no gramado. O assistente recolheu o objeto e entregou ao árbitro, que deve relatar o fato na súmula.

Logo após o episódio, no entanto, torcedores que estavam próximos acusaram quem foi o responsável pelo ato, que foi retirado sem resistência pelo policiamento. Diante disso, a tendência é que o Flamengo não seja punido com a perda de mando de campo. O caso aconteceu já aos 42 minutos do segundo tempo.

Mandante da partida, o Flamengo abriu mão de jogar no Maracanã e levou o jogo com o Goiás para Brasília por questões financeiras. Até a paralisação da Copa, na nona rodada, o Rubro-Negro tem o mando de jogo diante de Palmeiras, São Paulo, Bahia e Figueirense. Destes, apenas o primeiro deve acontecer no Rio de Janeiro.

Garrafa D'água Flamengo x Santos (Foto: Thales Soares) 
Árbitro Anderson Daronco retira a garrafa depois de recebê-la do assistente (Foto: Thales Soares)

Empate desagrada técnico Jayme de Almeida: “Não era o que esperava”



Jogadores e o técnico Jayme de Almeida não saíram do Mané Garrincha satisfeitos com o empate por 0 a 0 na estreia do Campeonato Brasileiro. Em entrevista coletiva, o treinador apontou a forma de atuar dos goianos como um complicador para seu time sair com os três pontos em Brasília. O goleiro Renan, por exemplo, foi um dos destaques, com quatro defesas difíceis. 

- Acho que a proposta do Goiás  foi de contra-atacar, fechar bem, nós sabíamos que era difícil por dentro. Nossas melhores jogadas foram pelo lado. Infelizmente, tivemos algumas chances, mas não fizemos. Respeitando o Goiás, não era o resultado que a gente esperava. A posse de bola foi boa, mas o Goiás foi perigoso. Tentamos, tentamos e não conseguimos.

O Flamengo volta a campo no próximo domingo, contra o Corinthians, às 16h (de Brasília), no Pacaembu, pela segunda rodada do Brasileiro.

Confira outros trechos da entrevista coletiva:

Retranca

- Trabalhamos bem a bola. A proposta do Goiás era essa e não é fácil. Voltavam dois jogadores com nossos laterais. Fizemos três ou quatro jogadas boas. São lances que decidem o jogo. Não fomos felizes e a bola não entrou. No final, ainda ficou preocupante, pois deixamos espaços e quase o Goiás fez o gol.

Posse de bola

- Acho que o Flamengo foi muito bem de volume de jogo nos primeiros 30 minutos. Não dá para fazer 45 direto. Caiu um pouquinho. Com a volta para o segundo tempo, o Gabriel entrou e voltamos a ter esse tempo. De novo, por cansaço e por pressa para fazer o gol, abrimos espaço.

Pontos perdidos

- Nesse Brasileiro, qualquer ponto é perdido. Deixamos de fazer dois pontos. E não é porque tínhamos o mandou de campo. No Brasileiro, é importante pontuar sempre.

Desfalques

- Houve trocas por vários motivos. É uma rotina. São jogadores importantes, mas os meninos lutaram e ajudaram. Não é isso que determina o resultado. A gente teve chance e não fez o gol. O time tentou até o fim. Não vou dizer que os jogadores fizeram falta.

Jogos fora do Rio

- Eu acho que a gente não pode ficar lamentando. Se foi colocada essa situação, não tem como ficar chorando. Tem que encarar, enfrentar as dificuldades. Se o Flamengo tivesse aproveitado os 30 minutos bons que fez, ninguém falaria que está jogando fora do Rio.

Garrafa no campo

- Não gosto de violência. Dificilmente, dou um grito. Agredir os outros é coisa que não faz parte do meu dia a dia. Como ex-atleta, futebol é esporte, tem que ganhar jogando bola e respeitar os árbitros. Se ele deu impedimento, é porque achou impedimento. Não adianta ficar jogando garrafa. Isso me entristece. Quando vejo na Libertadores aqueles guardas com escudo no escanteio, vem uma tristeza. Nada a ver com esporte. O torcedor que fez isso tem que ser punido de alguma forma.

Gabriel na vaga de Amaral

- O Amaral estava marcando o João Paulo, camisa 10, habilidoso, e tinha levado um amarelo. Quando fomos para o vestiário, não ia mudar. Mas pensei e o árbitro estava dando muitos cartões, mesmo sem o jogo estar violento. Achei arriscado então voltar com o Amaral. Em um certo ponto deu certo, pois o Márcio Araújo melhorou a saída de bola e não arrisquei a expulsão.

Homem de criação

- O Lucas (Mugni) é um menino e estava muito difícil entrar por dentro. É ruim demais jogar com alguém no cangote. Ele se movimentou, quase fez um gol belo, deu um passe para o Alecsandro que quase deu em gol. E ele não vinha jogando. Coloquei o Mattheus que chuta bem e poderia ter uma chance de fora. Sei que a torcida é imediatista, mas ele (Lucas) vem de fora, está se adaptando e a posição é difícil. O mesmo com o Mattheus. Não pode julgar por esse jogo. Tentaram o melhor.

Goiás

- Nunca faz um time fraco. É bem montado, com jogadores experientes. Vem de perder um campeonato aos 48 do segundo tempo. Jogou fechadinho e saindo rápido no contra-ataque. Não vai achando que o Goiás está fora. Queria ganhar, mas não é essa mosca morta que queriam dizer. Respeito muito a história do clube.

Luciano do Valle

- Quando ele estava começando a fazer aquela seleção de master, ele  me deu a chance de jogar com Rivellino, Edu, Clodoaldo, jogadores que foram campeões do mundo. O Luciano tinha um coração fantástico, adorava o esporte. Foram cinco anos jogando no Master e fiquei muito assustado quando liguei o celular chegando em Brasília e vi essa triste manchete. Não o via havia muito tempo até reencontrá-lo no jogo contra o Atlético-PR. Foi um prazer grande revê-lo. Gostava muito dele. É uma pena para o esporte por tudo que fez pelo vôlei, futebol de praia, basquete, Maguila. Abriu as portas da televisão, que era só voltada para o futebol. Um beijo para ele onde estiver.

Flamengo 0 x 0 Goiás - Melhores Momentos


Jogadores do Flamengo culpam retranca do Goiás por empate no Mané Garrincha

 
culpa da
retranca (Carlos Costa/Agência Estado)O Flamengo não conseguiu superar o bloqueio armado pelo Goiás e ficou no 0 a 0 na estreia das equipes no Campeonato Brasileiro, neste domingo. A falta de gols rubro-negros no Mané Garrincha, na opinião dos atletas, foi causada pela retranca armada pelos goianos, que tiveram uma tarde inspirada de Renan.

- Nosso time é rápido e precisa de campo. Quando as coisas não acontecem como queremos, fica complicado porque temos muitos jogadores de velocidade. E precisamos de campo para encaixar a bola. O Goiás veio para empatar e conseguiu - disse Alecsandro à Rádio Brasil.

A visão do artilheiro é bem parecia com a do volante Luiz Antonio:

- Fomos superiores o tempo de jogo praticamente inteiro. Eles (Goiás) jogaram no contra-ataque, vieram fechados, mas é isso aí.

O Flamengo volta a campo no próximo domingo, contra o Corinthians, às 16h (de Brasília), no Pacaembu, pela segunda rodada do Brasileiro.

Brasileirão 2014: classificação



1ª Rodada
 

Clube PG J V E D GP GC SG A%
Fluminense-RJ 3 1 1 0 0 3 0 3 100,0
São Paulo-SP 3 1 1 0 0 3 0 3 100,0
Cruzeiro-MG 3 1 1 0 0 2 1 1 100,0
Palmeiras-SP 3 1 1 0 0 2 1 1 100,0
Atlético-PR 3 1 1 0 0 1 0 1 100,0
Internacional-RS 3 1 1 0 0 1 0 1 100,0
Santos-SP 1 1 0 1 0 1 1 0 33,3
Sport-PE 1 1 0 1 0 1 1 0 33,3
Atlético-MG 1 1 0 1 0 0 0 0 33,3
10º
Chapecoense-SC 1 1 0 1 0 0 0 0 33,3
11º
Corinthians-SP 1 1 0 1 0 0 0 0 33,3
12º
Coritiba-PR 1 1 0 1 0 0 0 0 33,3
13º
Flamengo-RJ 1 1 0 1 0 0 0 0 33,3
14º
Goiás-GO 1 1 0 1 0 0 0 0 33,3
15º
Bahia-BA 0 1 0 0 1 1 2 -1 0,0
16º
Criciúma-SC 0 1 0 0 1 1 2 -1 0,0
17º
Grêmio-RS 0 1 0 0 1 0 1 -1 0,0
18º
Vitória-BA 0 1 0 0 1 0 1 -1 0,0
19º
Botafogo-RJ 0 1 0 0 1 0 3 -3 0,0
20º
Figueirense-SC 0 1 0 0 1 0 3 -3 0,0
Legenda PG - Pontos Ganhos | JG - Jogos Disputados | VI - Vitórias | EM - Empates
DE - Derrotas | GP - Gols Pró | GC - Gols Contra | SG - Saldo de Gols
%A - Porcentual de Aproveitamento de Pontos

Flamengo 0 x 0 Goiás

                                               Ficha técnica


Estádio: Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 20/4/2014 
Hora: 18h30

Renda:1.144.551,00
Público: 19.012




Cartão amarelo: Amaral, Léo moura, Lucas Mugni, Wallace(Fla) Araújo, Thiago Mendes, Tiago Real (Goi)


FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Chicão, Wallace e Everton; Amaral(Gabriel), Márcio Araújo, Luiz Antonio e Lucas Mugni( Mattheus); Paulinho e Alecsandro. 
Técnico: Jayme de Almeida.

Goiás: Renan, Vítor, Jackson, Paulo Henrique, e Lima; Amaral, David, Thiago Mendes e João Paulo(Ramon), Araújo(Welinton Junior)e Rychely(Tiago Real).
Técnico: Ricardo Drubscky.

Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Carlos Augusto Nogueira Junior (SP)

Transmissão:
Premiere, Premiere HD e PFCI (com Jader Rocha e Lédio Carmona)


Ao som de músicas feitas para o clube, torcida do Flamengo aquece com churrasco


Bem antes de a bola rolar para o confronto com o Goiás, torcedores do Flamengo já faziam a festa em torno do estádio Mané Garrincha. Um grupo acostumado a se reunir antes de jogos em Brasília, colocou uma série de músicas com o clube como tema no rádio de um dos carros. Com churrasco e cerveja, esquentaram o clima para a estreia do time no Campeonato Brasileiro, nesta quarta-feira, às 18h30 (de Brasília).

Torcida Flamengo Mané Garrincha (Foto: Thales Soares) 
Torcida Flamengo aquece antes do jogo no Mané Garrincha (Foto: Thales Soares)

O dono do arquivo é Isaque Coimbra, de 25 anos, que trabalha em uma empresa de telecomunicações. Ele veio de Samambaia com familiares e amigos que se reúnem por meio de uma rede social. No ano passado, ele acompanhou o Flamengo em todos os jogos realizados no Mané Garrincha.

- Achei essas músicas baixando na internet, digitando Flamengo em sites de busca. A gente vem sempre, com churrasco e cerveja. No Rio, também vou. Estive lá contra o Botafogo (no jogo do título da Taça Guanabara) e no empate em 2 a 2 com o Bolívar. Até hoje acho que o Jayme (de Almeida, técnico) fez bobagem escalando Léo Moura e André Santos no Carioca ao invés de poupá-los para a Libertadores - afirmou Isaque.


Isaque Coimbra Torcida Flamengo Mané Garrincha (Foto: Thales Soares)Mesmo satisfeito com mais um jogo do Flamengo próximo de casa, o torcedor não está completamente satisfeito. Ele reclamou da dificuldade de se comprar ingresso, mesmo sendo sócio-torcedor e do preço, que em sua opinião deveria ter um desconto maior.

- Não dá. Está tudo mal organizado. Tem que falar isso para o Bandeira (presidente do Flamengo). Falta estrutura. Moro aqui e sou sócio-torcedor, pago uma mensalidade e deveriam ficar mais baratos o ingressos - disse Isaque.

Até a noite de sábado, haviam sido vendidos 15 mil ingressos para o jogo entre Flamengo e Goiás. O clube carioca terá direito apenas ao que for arrecadado no jogo, descontadas as taxas normais. Não há cota fixa. 

Rubro-negros se reúnem perto do Mané Garrincha (Foto: Thales Soares)

Alecsandro lamenta Flamengo itinerante: "É como dormir na casa de parentes"


A entrega do Maracanã para a Fifa no dia 20 de maio e a busca por receitas extras fizeram o Flamengo se transformar em um time itinerante, pelo menos nas primeiras nove rodadas do Campeonato Brasileiro, antes da paralisação para a Copa do Mundo. O primeiro jogo da lista será neste domingo, às 18h30 (de Brasília), contra o Goiás, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Das nove primeiras rodadas, sendo seis com o mando de campo, o Flamengo deve jogar apenas uma no Maracanã, contra o Palmeiras, no dia 4 de maio. O confronto com o Bahia, dia 21 de maio, será em Cuiabá. Contra o São Paulo, dia 18 de maio, o clube tem uma proposta da Fifa para jogar na Arena das Dunas, em Natal. O jogo com o Figueirense, dia 29 de maio, não tem local definido.

Além destes jogos, o Flamengo ainda disputará o clássico com o Fluminense, dia 11 de maio, em Brasília. No entanto, esse jogo é de mando de campo do rival. Mesmo assim, é menos uma chance de o clube se apresentar no Maracanã.

- É uma situação como se você estivesse em casa, mas na verdade não está. É como dormir na casa de parentes. É da família, mas não é a mesma cama, o travesseiro. Tem a comodidade da família, mas é diferente - disse Alecsandro.

O alerta do atacante é justamente pela necessidade de o Flamengo fazer uma boa campanha em casa para terminar o Campeonato Brasileiro entre os primeiros colocados. No ano passado, com o mando de campo no Maracanã, o time teve 72% de aproveitamento em 11 jogos. Nos oito jogos que levou para fora do Rio, esse número caiu para apenas 29%.

- Ganhar em casa é importante e dificilmente vamos jogar em casa de verdade nessas nove rodadas. Vamos jogar mais fora do que dentro. O torcedor do Flamengo estará lá, pois não se limita ao Rio, mas é outra atmosfera, outro estádio, outra cidade. Você pega um avião, não está acostumado com aquele hotel. O começo será com dificuldade, respeitando o planejamento da diretoria. Se esses jogos serão fora do Rio é uma coisa estudada e vista com carinho - analisou o jogador.

No ano passado, Alecsandro passou essa experiência como rival. Quando defendia o Atlético-MG, perdeu por 3 a 0 justamente no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Na ocasião, foram 31.548 pagantes no estádio.

- A gente ainda estava naquela ressaca de Libertadores (Atlético-MG havia sido campeão poucos dias antes). Mas o jogador do outro clube sabe sabe que não é a casa do Flamengo. A pressão é diferente e o comportamento do adversário também - disse o atacante.

Presidente da Portuguesa desiste da Série A: 'É injusto, mas temos de aceitar'



 
'É injusto, 
mas temos
 de aceitar' (Leandro Martins/Futura Press)No que depender da Portuguesa, Ilídio Lico, acabaram as batalhas judiciais para tentar uma vaga na Série A do Campeonato Brasileiro em 2014. O dirigente falou ao blog na manhã deste domingo, e fez um desabafo:

- Não, não vamos tentar voltar para a Série A. Não tem mais o que fazer. Não existe. temos que aceitar a realidade. O campeonato está aí, os jogos estão marcados. É uma injustiça? É. Mas agora não adianta.

Na noite de sexta-feira, estreia do time na Série B do Brasileiro, a Portuguesa jogou durante 16 minutos contra o Joinville e então retirou o time de campo. A alegação foi que o clube estava cumprindo uma decisão liminar da 3a Vara Cível da Penha, em São Paulo, que obrigava a CBF a incluir a Portuguesa na Série A do Brasileiro. Tal liminar foi cassada na noite de sábado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

- Eu sabia que essa liminar seria cassada. Eu cheguei a torcer para isso acontecesse antes do jogo contra o Joinville, assim nós não teríamos problemas. Nós tiramos o time de campo porque fomos obrigados. Ameaçaram a mim e ao clube caso nós descumpríssemos a decisão - afirmou Lico, sem dar detalhes sobre o autor de tais ameaças.

A Portuguesa pode ser punida pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) por ter abandonado a partida contra o Joinville. A Lusa pode ser punida com perda de pontos, multa e, no limite, exclusão da Série B. 

- Eu espero que não aconteça. Vou falar com o presidente Marin, explicar minha situação. Eu fiz isso [tirar o time] para não prejudicar a mim e 'a Portuguesa. Espero que tenham consciência disso - afirmou Lico.

Diante de cenário tão adverso para o clube, o dirigente afirma que não se arrepende de ter assumido a presidência da Portuguesa.

- Arrependido, não. Estou triste por essa situação toda. Não porque a liminar foi cassada, que isso eu já esperava. Mas é muiti difícil, hoje é impossível administrar a Portuguesa na Série B com todos os problemas que me deixaram. A Portuguesa está quebrada. O que vou fazer? Usar muita criatividade. Não vou abrir mão da Portuguesa, sou um homem de luta.

sábado, 19 de abril de 2014

No STJ, CBF cassa liminar obtida por torcedor da Lusa em São Paulo

No STJ (Superior Tribunal de Justiça), em Brasília, a CBF cassou, na noite deste sábado, a liminar obtida por Renato de Britto Azevedo, torcedor da Portuguesa, na 3ª Vara Cível do Foro Regional da Penha, em São Paulo. Foi nessa liminar que a Lusa se baseou para tirar seu time de campo, aos 16 minutos da partida contra o Joinville, sexta-feira, em Santa Catarina, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Por conta do abandono do jogo, a Portuguesa pode ser severamente punida.

A CBF entrou com uma reclamação no STJ sobre a liminar. A decisão de acatar a reclamação foi do ministro Sidnei Beneti - o STJ já havia designado a 2ª Vara Civil da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, como a única competente a receber ações contestando a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva de tirar quatro pontos da Lusa no Campeonato Brasileiro do ano passado, por conta da escalação irregular do meia Héverton na última rodada do torneio, em jogo contra o Grêmio, no Canindé. A liminar obtida pelo torcedor Renato Azevedo, porém, foi obtida no dia 10 de abril, concedida pela juíza Adaísa Bernardi Isaac Halpern, da 3ª Vara Cível do Foro Regional da Penha, em São Paulo. 

Juristas como Patrick Pavan, presidente da comissão de direito desportivo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), já haviam advertido que a liminar era nula e seria facilmente cassada.

Decisão do STJ sobre a liminar obtida por torcedor da Lusa em São Paulo (Foto: reprodução) 
Decisão do STJ sobre a liminar obtida por torcedor da Lusa em São Paulo (Foto: reprodução)

Fátima Ribeiro, advogada do torcedor Renato Azevedo, confirmou à reportagem do GloboEsporte que a liminar foi cassada. José Luiz Ferreira de Almeida, advogado da Lusa, disse por telefone que não foi informado sobre a cassação. Acrescentou que chegou a entrar no site do Tribunal de Justiça de São Paulo para acompanhar o andamento do caso neste sábado e que não constatou nada de novo. No site do STJ, porém, já consta a decisão do Ministro Sidnei Beneti (veja na foto acima).

Entenda o que aconteceu:
 
Aos 16 minutos do primeiro tempo do jogo entre Joinville e Portuguesa, pela Série B do Brasileirão, o delegado da partida, Laudir Zermiani, interrompeu o confronto. Ele recebeu uma liminar das mãos de Marcos Lico, filho do presidente da Lusa, Ilídio Lico, dizendo que a Portuguesa deveria receber de volta os quatro pontos que foram tirados dela no Brasileirão do ano passado, por conta da escalação irregular do meia Héverton, na última rodada, contra o Grêmio.

Com os pontos, o time se livraria do rebaixamento, que foi determinado pelo STJD em julgamento em dezembro. O documento apresentado em Joinville foi solicitado pelo torcedor Renato de Britto, na 3ª Vara Cível do Foro Regional da Penha, em São Paulo.

A CBF, por sua vez, diz que a liminar não tem eficácia e alega que apenas a 2ª vara civil da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, pode emitir uma decisão contrária à do STJD. A entidade ainda afirma que a Lusa será julgada por W.O ou abandono de jogo, que será apreciado pelo STJD.



Veja os resultados deste sábado nas Séries A e B do Brasileiro





CAMPEONATO BRASILEIRO SÉRIE A 2014 (1ª rodada)

Fluminense 3 x 0 Figueirense
Internacional 1 x 0 Vitória
Chapecoense 0 x 0 Coritiba


CAMPEONATO BRASILEIRO SÉRIE B 2014 (1ª rodada)

Boa Esporte 1 x 1 Atlético-GO
vasco 1 x 1 América-MG
Bragantino 2 x 2 Náutico
Santa Cruz 1 x 1 ABC
Ceará 1 x 0 Oeste
América-RN 3 x 1 Avaí






Flamengo x Goiás: 15 mil ingressos vendidos para a estreia em Brasília


Mesmo com o jogo fora da cidade do Rio de Janeiro, a torcida rubro-negra mostrou que vai comparecer em boa quantidade no duelo deste domingo, entre Flamengo e Goiás, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro de 2014. Cerca de 15 mil ingressos já foram vendidos para a partida, que será realizada às 18h30 (de Brasília), no estádio Mané Garrincha. Durante o feriado, os pontos físicos nas cidades não funcionaram, e as vendas ocorreram apenas para os sócios-torcedores - 10 mil foram comprados. Mas, neste sábado, a comercialização continuou, e o número aumentou.

A comercialização através da internet já está encerrada, e as entradas podem ser adquiridas nos cinco pontos de vendas disponíveis, sem limitação por número de CPF. Os valores variam entre R$25 (meia-entrada para sócios dos principais planos no setor Superior Flamengo) e R$260 (inteira para não-sócios na Área VIP Mista).

Preços

Setor Superior Flamengo
Inteira R$ 100 (meia R$ 50) / Sócio-Torcedor (Plano +Paixão ao Raça) R$ 50 (meia R$ 25) / Sócio-Torcedor Tradição R$ 80 (meia: R$ 40)

Inferior Misto
Inteira R$ 180 (meia: R$ 90) / Sócio-Torcedor (Plano +Paixão ao Raça) R$ 90 (meia: R$ 45) / Sócio-Torcedor Tradição R$ 140 (meia: R$ 70)

VIP Misto
Inteira R$ 260 (meia: R$ 130) / Sócio-Torcedor (Plano +Paixão ao Raça) R$ 130 (meia: R$65) / Sócio-Torcedor Tradição R$ 200 (meia: R$ 100)

Pontos físicos de vendas

Estádio Mané Garrincha (Bilheterias sob os portões de acesso 16 – 18 – 21)
19/04 - 10h às 18h

Gávea – Sede do Flamengo – Rua Borges de Medeiros
19/04 - 10h às 17h

Loja Oficial do Flamengo - Asa Sul, Asa Norte e Taguatinga
19/04 - 10h às 16h

Pirma - Lojas 513 Sul
19/04 - 10h às 16h

Futebol Arte - Riacho Fundo 1
19/04 - 10h às 16h
Nilson Nelson – Bilheteria do Ginásio (Somente venda de ingressos)
20/04 - 10h às 19h

Veja os confrontos, datas dos jogos e resultados das quartas de final do NBB


A Liga Nacional de Basquete divulgou, neste sábado, a tabela das quartas de final do NBB. Depois de descansarem nas oitavas, Flamengo, Paulistano, Brasília e Limeira voltam a atuar na competição numa melhor de cinco partidas que vale vaga na semifinal. Os quatro times mais bem colocados na primeira fase terão a companhia de Bauru, Mogi das Cruzes, Franca e São José, que triunfaram em seus respectivos compromissos pelas oitavas.

 O Flamengo, time de melhor campanha na temporada, terá o Bauru como adversário das quartas. O primeiro duelo acontece no dia 26, sábado, no ginásio do Tijuca Tênis Clube, no Rio. A primeira partida desta etapa do campeonato será entre Limeira e Mogi das Cruzes, na próxima sexta-feira, dia 25, no ginásio Vô Lucato, em Limeira (SP). Os outros dois confrontos serão Paulistano x Franca e Brasília x São José.

Confira a tabela:

Flamengo x Bauru
Jogo 1 - 26/04 (sáb) - 21h30m - Tijuca Tênis Clube - Rio - Flamengo x Bauru
Jogo 2 - 28/04 (seg) - 20h - Tijuca Tênis Clube - Rio - Flamengo x Bauru
Jogo 3 - 03/05 (sáb) - 16h - Panela de Pressão - Bauru (SP) - Bauru x Flamengo
Jogo 4* - 06/05 (ter) - 16h - Panela de Pressão - Bauru (SP) - Bauru x Flamengo
Jogo 5* - a definir - Tijuca Tênis Clube - Rio - Flamengo x Bauru

Limeira x Mogi das cruzes
Jogo 1 - 25/04 (sex) - 20h - Vô Lucato - Limeira (SP) - Limeira x Mogi das Cruzes
Jogo 2 - 27/04 (dom) - 15h - Vô Lucato - Limeira (SP) - Limeira x Mogi das Cruzes
Jogo 3 - 02/05 (sex) - 21h - Prof. Hugo Ramos - Mogi das Cruzes (SP) - Mogi das Cruzes x Limeira
Jogo 4* - 05/05 (seg) - 21h - Prof. Hugo Ramos - Mogi das Cruzes (SP) - Mogi das Cruzes x Limeira
Jogo 5* - a definir - Vô Lucato - Limeira (SP) - Limeira x Mogi das Cruzes

Paulistano x Franca
Jogo 1 - 27/04 (dom) - 18h - Antônio Prado Jr - São Paulo - Paulistano x Franca
Jogo 2 - 29/04 (ter) - 21h - Antônio Prado Jr - São Paulo - Paulistano x Franca
Jogo 3 - 04/05 (dom) - 11h - Pedrocão - Franca (SP) - Franca x Paulistano
Jogo 4* - 06/05 (ter) - 19h - Pedrocão - Franca (SP) - Franca x Paulistano
Jogo 5* - a definir - Antônio Prado Jr - São Paulo - Paulistano x Franca

Brasília x São josé
Jogo 1 - 26/04 (sáb) - 11h - Nilson Nelson - Brasília - Brasília x São José
Jogo 2 - 28/04 (seg) - 19h - Nilson Nelson - Brasília - Brasília x São José
Jogo 3 - 02/05 (sex) - 19h - Lineu de Moura - São José dos Campos (SP) - São José x Brasília
Jogo 4* - 05/05 (seg) - 21h - Lineu de Moura - São José dos Campos (SP) - São José x Brasília
Jogo 5* - a definir - Nilson Nelson - Brasília - Brasília x São José

*Se necessários

Curtinha: Flamengo lança camisa retrô



O Flamengo relançou a camisa do clube dos anos 80. O modelo já chegou à rede de lojas oficiais "Espaço Rubro-Negro", que ainda não divulgou o preço, mas informou em seu perfil no Facebook que o valor será o mais alto dos produtos à venda por se tratar de uma série limitada.

Camisa Flamengo  (Foto: Reprodução / Facebook) 
Camisa do Fla com modelo dos anos 80 chegou à rede de lojas Espaço Rubro-Negro (Foto: Reprodução / Facebook)

Busca do Flamengo por atacantes não preocupa artilheiro do time no ano

Alecsandro coletiva Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Flaimagem)O Flamengo contra com Alecsandro e Hernane em seu elenco, mas busca atacantes para reforçar o elenco. Arthur, do Londrina, e Henrique, da Portuguesa, estão na reta final de suas contratações por empréstimo e aumentarão o leque de opções do técnico Jayme de Almeida para a sequência do Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil.
 

 No grupo, o Flamengo ainda tem jovens valores, como Nixon e Igor Sartori. No entanto, alguns jogadores serão emprestados imediatamente para ganhar rodagem, abrindo assim espaço para contratações.

Artilheiro do time na temporada, Alecsandro não demonstra preocupação com o fato. Autor de 12 gols em 2014, sendo 10 deles no Campeonato Carioca e dois na Taça Libertadores, o jogador, contratado em janeiro deste ano, deixa a situação nas mãos da diretoria.

- É algo muito interno, coisa da diretoria. O jogador tem que se preocupar com o seu desempenho e não com o dos outros ou o que pode vir a acontecer. O futebol tem vários passos. Primeiro tem a tentativa de contratar, depois a contratação, a chegada, vê se tem espaço no grupo e joga - disse Alecsandro.

Além dos atacantes, o Flamengo já tem acertada a contratação do zagueiro Marcelo, do Volta Redonda. O jogador  é apontado como o novo Dedé, que também foi revelado pelo clube. Frauches e Fernando devem entrar na lista de jogadores a serem emprestados.

Efeito Portuguesa faz Alecsandro temer o pior no Campeonato Brasileiro

O episódio envolvendo a Portuguesa na abertura da Série B do Campeonato Brasileiro chamou a atenção de todos os setores envolvidos no futebol. O time deixou o campo já com o jogo iniciado na sexta-feira contra o Joinville por força de uma liminar apresentada no gramado ao delegado do confronto que impedia o clube de disputar a competição. Com estreia marcada para domingo na Série A, o Flamengo viaja neste sábado e os próprios jogadores demonstram preocupação com o que pode vir a ocorrer.

Desde o fim do ano passado, com a perda de pontos de Portuguesa e Flamengo por escalarem jogadores que estariam suspensos, uma série de liminares vem aparecendo. Recentemente, uma do Icasa surgiu alegando a escalação irregular de um jogador do Figueirense na Série B, o que levaria o clube cearense a jogar a Série A. Todo esse imbróglio desperta vergonha em Alecsandro.

alecsandro flamengo (Foto: Thales Soares) 
Alecsandro durante o treino do Flamengo na manhã deste sábado, no Rio de Janeiro (Foto: Thales Soares)

- Não acompanhei o jogo da  Portuguesa. Mas vi depois em um canal um debate que mostrava as imagens, com jogadores saindo correndo de campo com medo da invasão de torcedores. É um transtorno causado por mau profissionalismo de uma série de pessoas. Lógico que espero que o campeonato possa continuar. Estamos vendo no dia a dia imprensa do mundo todo chegando ao Brasil, autoridades. Seria uma vergonha mundial parar o Brasileiro a poucos dias da Copa do Mundo. Espero que isso possa se resolver. Quero que o futebol brasileiro seja novamente o futebol brasileiro, aquele bonito que todos querem ver - disse Alecsandro.

Preocupado com a situação, o atacante do Flamengo lembrou a necessidade de união entre todas as partes integrantes do processo. Ele citou o Bom Senso F. C. e a dificuldade em se conseguir alcançar os objetivos traçados pelas pressões sofridas durante a tentativa de promover mudanças importantes no futebol do país.

- Não são apenas os jogadores, mas todo mundo.  Isso traz um prejuízo para todos. A gente lamenta ser o país do futebol, com mais títulos mundiais, com jogadores com potencial de melhores do mundo, referência e a gente começar um campeonato já errado. Cobramos um profissionalismo maior. Quando apareceu o Bom Senso, fui um dos primeiros a elogiar e incentivar. Todas as áreas precisam se unir. Mas a política é grande e a vaidade  do ser humano também. O Sindicato ficou enciumado, a CBF ameaça - comentou.

Para ele, o momento é de incertezas. Preparado para o confronto com o Goiás, domingo, em Brasília, a delegação viaja neste sábado para a capital do país. Desta vez, ainda na expectativa sobre o que pode acontecer até a hora de entrar em campo.

- A gente não sabe o que vai acontecer com o nosso Campeonato Brasileiro. Em qualquer partida, pode entrar um delegado e acabar com o jogo. Espero que isso se resolva o mais rapidamente possível. Há pessoas competentes para isso. Da maneira que está, é prejudicial a todos e muito mais  ao torcedor - disse Alecsandro.

Jayme prioriza bola parada ofensiva em manhã de volta do rachão


Depois da eliminação precoce da Taça Libertadores, o rachão ficou fora da programação do Flamengo na véspera da final do Campeonato Carioca na semana passada. Com a conquista do título sobre o Vasco, ele voltou a fazer parte do treinamento neste sábado e descontraiu o grupo um dia antes da estreia no Campeonato Brasileiro, contra o Goiás, em Brasília.

Alecsandro revelou que a disputa entre os times do rachão é intensa. No vestiário, a marcação de vitórias e gols está sendo feita para determinar o vencedor da temporada. O atacante garante que está em vantagem.

leonardo moura flamengo (Foto: Thales Soares) 
Treino do Fla terminou de forma descontraída neste sábado no Ninho do Urubu (Foto: Thales Soares)

- O rachão está mais nervoso do que muito jogo. Tem uma tabelinha no vestiário e minha equipe está bem na frente da outra com quase quatro vitórias de vantagem. Mas é uma descontração para o grupo. Tem pressão no árbitro, pois qualquer erro é fundamental - disse o atacante.

Apesar da volta do rachão, o técnico Jayme de Almeida ainda teve tempo para ensaiar jogadas ofensivas de bola parada, colocando um grande número de jogadores na área de ataque. No fim, Luiz Antonio, Chicão e Paulinho treinaram cobranças de falta.

O goleiro Felipe não participou do rachão e fez seu treinamento à parte. Recuperado das dores nas costas, o zagueiro Samir participou da atividade, mas ainda não deve viajar para o jogo com o Goiás.

Em rachão disputado, preparador físico do Flamengo rouba a cena



Joelton Urtiga - Treino do Flamengo (Foto: Arquivo LANCE!)Véspera de jogo no Flamengo é sempre a mesma coisa, quase como um ritual de batalha para o time que vai entrar em campo no dia seguinte. Treino físico rápido, e fechado para a imprensa, e depois o rachão. E é aí que o coro come. O nome mais badalado na atividade deixa de ser Léo Moura, Alecsandro ou Wallace, passa a ser Joelton Urtiga, o preparador-físico que normalmente apita o recreativo. E como houve o profissional.

Neste sábado, no Ninho do Urubu, o Rubro-Negro fez os últimos preparativos para enfrentar o Goiás, no domingo, na estreia no Campeonato Brasileiro. O rachão esteve presente, e Joelton também. Gritos como "para de roubar, Joelton" e "ele nunca dá nada para a gente", normalmente proferidos pelo bem-humorado lateral-esquerdo de André Santos são frequentes. Desta vez até o goleiro Felipe se pronunciou.

- Ô Samir! Não para não, sabe que o Joelton vai dar a falta pros caras. Você sabe, pô! - afirmou o goleiro, em tom de brincadeira, após terminar o treinamento específico que fazia com o preparador de goleiros Wagner.

A novidade do treinamento foi o retorno do zagueiro Samir. O jovem sofria com um problema nas costas há pouco mais de uma semana, ficando inclusive fora da final do Campeonato Carioca, mas trabalhou sem aparentar dores. Com isso, existe a possibilidade de o camisa 4 ficar no banco de reservas neste domingo, diante do Goiás. Quem também pode ir para o jogo é o volante Cáceres, recuperado de luxação no ombro direito, e que vem treinando muito bem.

Veja a lista de lesionados e suspensos para a primeira rodada do Brasileirão



Confira abaixo da lista completa dos lesionados e suspensos:


INFO Suspensos e Lesionados Brasileirão 2014 (Foto: Arte / Globoesporte)

Em enquete, Sport é favorito para ganhar o Brasileirão, e Flamengo o segundo

Em enquete realizada pelo “Arena SporTV”, o time pernambucano aparece como o grande favorito para conquistar o Campeonato Brasileiro de 2014 (confira a votação).

A equipe pernambucana obteve 20,5% dos mais de 25 mil votos. O segundo colocado, o Flamengo, ficou com 11,8%.


Enquete encerrada

Quem será o Campeão Brasileiro de 2014?

20,5% Sport
11,8% Flamengo
8,01% Chapecoense
7,49% Internacional
7,08% Grêmio
6,48% Palmeiras
6,28% Corinthians
6,16% São Paulo
5,47% Cruzeiro
3,87% Fluminense
3,26% Botafogo
3,17% Santos
2,23% Coritiba
1,71% Bahia
1,53% Atlético-MG
1,41% Atlético-PR
1,14% Criciúma
1,05% Vitória
0,93% Figueirense
0,33% Goiás


Torcedor angustiado, Hernane trata volta à Libertadores como prioridade



Hernane flamengo camisa nova (Foto: Reprodução / Facebook)
As costas ainda doem, mas o incômodo se torna pequeno diante da impotência de quem está nas arquibancadas. Protagonista do Flamengo no ano passado, Hernane vive dias de agonia. Com uma fratura nas costas, o Brocador está há mais de 20 dias no departamento médico, não marca um gol desde o dia 1º de março, e conta as horas para poder voltar aos campos. Nem que seja somente para correr. Ainda sem previsão, o atacante garante que voltará a vestir a camisa rubro-negra antes da Copa do Mundo e, se metas de gols não foram estipuladas, uma missão já está bem definida para o Brasileirão: levar o clube de volta à Libertadores.

Mais um entre os cerca de 60 mil presentes no Maracanã, Hernane nada pôde fazer para evitar a eliminação precoce diante do León, ainda na fase de grupos. Sofrimento que permanece na cabeça do Brocador, que promete transformá-lo em estímulo na caminhada por um reencontro com a competição continental:

- Agora, sei tudo que o torcedor passa. Vivi essa experiência e não quero passar mais por ela. É muito ruim, sofremos bastante. Dentro de campo, não sentimos isso. É complicado. Nunca pensei viver essa situação depois de um ano maravilhoso, como foi ano passado (...) O Flamengo é grande e precisa estar na Libertadores. Já fortalecemos o nosso grupo com o título carioca e temos que brigar por coisa grande, brigar para colocar o Flamengo novamente na Libertadores.

A lesão nas costas tirou Hernane do turbilhão de cobranças que vivia pela ausência de gols somada a boa fase de Alecsandro. Até vaias o Brocador recebeu na vitória sobre a Cabofriense, pela primeira partida da semifinal do Carioca. Os aplausos ao sair de campo lesionado no jogo seguinte e o carinho que tem recebido no processo de recuperação, por sua vez, reforçam a tranquilidade que o atacante garante nunca ter perdido.

- Estava bem tranquilo. Falavam em má fase, mas eu não vi assim. Seria se eu estivesse até agora sem gol. Como éramos poupados para Libertadores, ficava um pouco sem ritmo de jogo (...) Sabia que as coisas iam acontecer. Se não fazia o gol, ajudava de outra maneira, com marcação e assistência. Agora, tive esta lesão. Ninguém quer machucar e ficar sem fazer gol, mas só volto quando estiver bem, 100%.

Sem Hernane, o Flamengo estreia no Brasileirão neste domingo, às 18h30, contra o Goiás, no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília. Quando voltar, o Brocador terá mais dois companheiros de posição no elenco: Arthur, ex-Londrina, e Henrique, vindo da Portuguesa, que devem ser apresentados na próxima semana.

Confira abaixo todo bate-papo com o Brocador:

Quão frustrante foi para você ficar fora da equipe justamente no momento mais importante da temporada até agora? Ver a eliminação na Libertadores e não poder jogar. E também ver o título e comemorar de uma maneira mais discreta.

- Agora, sei tudo que o torcedor passa. Vivi essa experiência e não quero passar mais por ela. É muito ruim, sofremos bastante. Dentro de campo, não sentimos isso. É complicado. Nunca pensei viver essa situação depois de um ano maravilhoso, como foi ano passado. A lesão me tirou dos jogos mais importantes do Flamengo no ano, Libertadores e finais. Mas fico feliz pelo título, com o torcedor incentivando. Pude ajudar com uns gols na fase de classificação.

As dores ainda te perturbam muito? Tem uma previsão para voltar a jogar?

- Creio que em umas três semanas vou estar tranquilo. As dores já estão sumindo, sinto mais em movimentos bruscos, para entrar no carro, virar, até dormindo. Vou conversar com o Runco (chefe do departamento médico do Flamengo) para voltar a correr, dar um trote. 
Creio que em umas três semanas vou estar tranquilo. As dores já estão sumindo, sinto mais em movimentos bruscos, para entrar no carro, virar, até dormindo
Hernane
Acha que dá para ficar à disposição ainda antes da Copa?

- Pretendo voltar antes da Copa, sim. Ficar fazendo fisioterapia não é legal, com vontade de treinar e não poder. Vou voltar 100%. Não quero arriscar. Volto quando não tiver dor.

Quando você se machucou, havia quem pedisse pela sua saída da equipe para dar lugar ao Alecsandro. Você acredita que vivia mesmo uma má fase? Como encarou esse primeiro questionamento depois de ser tão decisivo no ano passado?

- Estava bem tranquilo. Falavam em má fase, mas eu não vi assim. Seria se eu estivesse até agora sem gol. Como éramos poupados para Libertadores, ficava um pouco sem ritmo de jogo. Não começamos a jogar o Carioca e depois não tivemos uma sequência. Quando tive, fiz quatro gols em três jogos. Ficou uma situação um pouco de pressão que eu não sentia, e tinha a boa fase do Alecsandro. Sempre me mantive tranquilo por ter o respaldo do treinador pelo que fiz em 2013. Tenho minha confiança, a dele, do grupo e dos torcedores, que me conhecem dentro e fora de campo. Sabia que as coisas iam acontecer. Se não fazia o gol, ajudava de outra maneira, com marcação e assistência. Agora, tive esta lesão. Ninguém quer machucar e ficar sem fazer gol, mas só volto quando estiver bem, 100%.

Você chegou até a ser vaiado na primeira semifinal do Carioca contra a Cabofriense...

- Foi uma meia-dúzia de torcedor que paga ingresso para ir xingar, mas procurei esquecer. A torcida mesmo sempre vai apoiar. O torcedor ficou acostumado com todo jogo gol, dois gols, mas quando eu não for bem é algo normal vaiar. Faz parte do futebol. Logo na sequência, saí aplaudido do jogo e depois que viram a gravidade da minha lesão, recebi muitas mensagens em redes sociais. Foi um momento que eu sabia que poderia acontecer. Eles têm o direito de cobrar. Quero me recuperar e dar alegria.

Por tudo que aconteceu neste início de ano, fica uma cobrança pessoal de voltar à Libertadores e apagar em campo a frustração que você sentiu da arquibancada?

- O Flamengo é grande e precisa estar na Libertadores. Já fortalecemos o nosso grupo com o título carioca e temos que brigar por coisa grande, brigar para colocar o Flamengo novamente na Libertadores. É uma competição importante, que leva ao Mundial, e quero estar bem para termos esta oportunidade no Brasileiro. Temos um elenco forte.

Jayme admite que Cadu não será mais utilizado no Flamengo: 'Para o bem dele'


Carlos Eduardo camisa 20 Flamengo (Foto: Marcelo Moreira / Agência Estado)
O que já era evidente nas entrelinhas agora é oficial: Carlos Eduardo não joga mais com a camisa do Flamengo. Faltando pouco mais de dois meses para o fim do empréstimo, o Rubro-Negro aguarda uma resposta do Rubin Kazan para uma rescisão antecipada do vínculo e a liberação para outro clube. Enquanto isso não acontece, o meia segue treinando normalmente com os companheiros, mas Jayme de Almeida já definiu que não o utilizará em nenhuma das nove primeiras rodadas do Brasileirão. A despedida em campo aconteceu exatamente há um mês, na derrota por 1 a 0 para o Bolívar, em La Paz, pela Taça Libertadores da América. 

Desde então, Cadu até viajou para o Equador para partida com o Emelec e convocado para concentração do confronto com o León, no Rio de Janeiro, mas não foi relacionado para o banco de reservas. Em entrevista ao GloboEsporte.com, Jayme admitiu que a passagem do jogador pelo Flamengo chegou ao fim e disse que a medida visa preservar o próprio meia dos protestos do torcedor, que viraram rotina. O treinador reforçou que o ato determinante para decisão foi o lance na vitória por 5 a 2 sobre o Macaé, quando Carlos Eduardo foi muito criticado por desistir de jogada antes de desarme de Amaral que resultou em um gol de Hernane. Desde então, o camisa 20 entrou em campo somente mais três vezes (duas entrando no decorrer do jogo). 

- Seria até uma maldade (escalá-lo). Já comentei o que aconteceu (diante do Macaé) e acho que foi uma maldade o que fizeram naquele lance. Botaram na televisão, falaram, e ele entrar em campo agora virou uma coisa complicada, para ser vaiado, ser hostilizado, ser xingado. Isso acaba influenciando até o próprio time. O Cadu nos ajudou muito, foi campeão da Copa do Brasil, nos ajudou a não ser rebaixado e só tenho a agradecer. Torço muito para que ele volte a jogar com tranquilidade no clube para onde for e que seja muito feliz. É um menino que merece. 

Jayme ressaltou ainda que o ambiente interno é positivo para Carlos Eduardo, mas a pressão externa acabou sendo determinante na história escrita pelo jogador com a camisa do Flamengo. Por fim, lamentou ainda que a passagem termine desta maneira. 

- Todo mundo tem um carinho muito grande por ele. É um menino muito bom, que não faz mal a ninguém, está sempre alegre e brincalhão. Os meninos gostam muito dele e sabem que é muito importante para gente. O que aconteceu com ele é uma pena para o Flamengo, que está deixando de ter um grande jogador. O início foi duro, veio de contusão, muito tempo parado, mas já se adaptou. Infelizmente, chega uma hora que é até uma maldade colocá-lo, sacrificá-lo. É um atleta que entra em campo e não pode errar uma bola que só falta baterem nele. É para o bem dele não colocá-lo. Evita um desgaste. Nenhum atleta, nenhuma pessoa merece passar pelo que acontece com ele quando entra em campo. 

Contratado no início de 2013 como principal nome do início de gestão de Eduardo Bandeira de Mello, Carlos Eduardo entrou em campo com a camisa do Flamengo em 49 oportunidades e marcou um gol: diante do Cruzeiro, no Mineirão, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Em 2014, foram apenas sete aparições.




sexta-feira, 18 de abril de 2014

Procurador do STJD diz que Lusa pode até ser excluída da competição


O procurador geral do STJD, Paulo Schmitt, já aguarda os relatórios da partida interrompida entre Joinville e Portuguesa, pela primeira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Aos 16 minutos do primeiro tempo, respaldada por uma liminar obtida por um torcedor na 3ª Vara Cível do Foro Regional da Penha, a Lusa tirou seu time de campo. A ordem partiu do presidente Ilídio Lico, que afirmou ter sido intimado por um oficial de justiça a cumprir a decisão sob risco até mesmo de ser preso.

Só que essa liminar, na visão da CBF, não tem valor. Schmitt concorda com a entidade.

- Há uma decisão do Superior Tribunal de Justiça que diz que o tribunal competente para julgar as ações deste caso é o do Rio de Janeiro. E, no Rio, está determinado que se cumpra a decisão do STJD. Portanto, essa liminar de São Paulo não existe - disse.

O STJD decidiu, em dezembro, por unanimidade, punir a Portuguesa com quatro pontos pela escalação do meia Héverton, que estava suspenso, no jogo contra o Grêmio, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. O Flamengo também foi punido por utilizar irregularmente o lateral-esquerdo André Santos. Com isso, o Fluminense ultrapassou os dois rivais e se salvou do rebaixamento. O clube paulista acabou entre os quatro piores.

Paulo Schmitt afirmou que a Portuguesa será denunciada por abandonar o campo durante a partida e explicou quais são as punições possíveis.

- A Portuguesa jamais poderia ter deixado o campo como fez. Ela corre riscos. No Código Brasileiro de Justiça Desportiva, as penas variam entre multa, perda de pontos, que iriam para o adversário, e exclusão da competição.

O procurador não descartou ainda o risco de rebaixamento à Série C do Brasileirão. Porém, para que isso acontecesse, o caso teria de sair do âmbito nacional, estando sujeito a punições da Fifa.


CBF diz que liminar não é válida e que Lusa vai ser julgada por W.O. no STJD


A CBF emitiu uma nota oficial na noite desta sexta-feira a respeito da ordem judicial que interrompeu o jogo entre Portuguesa e Joinville, pela primeira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. A entidade informou que a liminar obtida por um torcedor da Lusa, na 3ª Vara Cível do Foro Regional da Penha, não tem validade jurídica pois o juízo competente pertence à 2ª Vara Cível da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, que proferiu a decisão contrária. Assim, a confederação classificou a retirada de campo do clube paulista como abandono de jogo e que o time será julgado por W.O. pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Além disso, afirma que os responsáveis pela paralisação do duelo terão que reparar os danos causados.

- A Portuguesa, apesar de advertida pelo arbitro da partida que deveria ter dado continuidade ao jogo, optou por não prosseguir disputando a partida, o que configura em abandono do jogo (W.O.), que será apreciado e julgado pelo STJD - diz a nota.

Na semana passada, a CBF conseguiu uma liminar favorável a ela que lhe permite realizar as Séries A e B do Campeonato Brasileiro exatamente da forma com que as tabelas foram elaboradas: com Flamengo e Fluminense na elite do futebol nacional, e sem a Portuguesa. A decisão foi proferida pelo juiz Mario Olinto Filho, na 2ª Vara Cível da Barra da Tijuca. Confira o que diz a liminar:

- Defiro a liminar para garantir o direito da autora em realizar os campeonatos das Séries A e B nos termos das tabelas já publicadas pela requerente, em estrita observância das R. decisão proferida pelo STJD.

Já a liminar do torcedor da Portuguesa foi uma tutela antecipada, adquirida na última quinta-feira, determinando que fossem devolvidos os quatro pontos perdidos pela Lusa na Série A do ano passado pela escalação irregular do meia Héverton, na última rodada, contra o Grêmio. Isso livraria a equipe do rebaixamento que foi determinado em julgamento no STJD, em dezembro.

Ao GloboEsporte.com, na última quinta, Ilídio Lico havia declarado que a equipe entraria em campo, mesmo com a liminar, caso a CBF não respondesse o pedido de adiamento do jogo. Disse que tinha respeito pelo público e pelo futebol. Porém, assim que a partida teve início, Lico foi notificado de que estava descumprindo uma ordem judicial e poderia responder criminalmente por isso. Imediatamente, entrou em contato com o filho, Marcos Lico, e pediu que o time saísse de campo.

Logo depois, o presidente do Joinville, Nereu Martinelli, afirmou que recebeu por meio do vice-presidente da CBF na região Sul, o catarinense Fábio Nogueira, o aviso de que a única pessoa capacitada para receber essa notificação seria o presidente da CBF, José Maria Marin. Martinelli procurou o delegado da partida, que foi ao vestiário da Portuguesa e deu alguns minutos para que o time paulista voltasse a campo. No entanto, prevaleceu a ordem vinda de São Paulo para que não houvesse jogo. O duelo foi interrompido aos 16 minutos de bola rolando.

Confira a íntegra da nota:

O ato apresentado ao delegado do jogo não tem nenhuma eficácia jurídica pois decorre de decisão proferida por juíza incompetente e que vem descumprindo flagrantemente determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que já decretou que o juízo competente é o da 2a vara Cível da Barra da Tijuca que proferiu decisão contrária.

O ato da juíza da Penha configura grave desrespeito ao STJ e consequências danosas e, sendo assim, os responsáveis responderão pela reparação dos vultosos danos causados.

A Portuguesa, apesar de advertida pelo arbitro da partida que deveria ter dado continuidade ao jogo, optou por não prosseguir disputando a partida, o que configura em abandono do jogo (W.O.), que será apreciado e julgado pelo STJD.
 
 
 
 
 

Sem espaço no Flamengo, Rodolfo está perto de acerto com o Bahia



Rodolfo flamengo bangu amistoso (Foto: Richard Souza)Não é só em busca de reforços que o Flamengo tem trabalhado na preparação para o Brasileirão. Se Arthur, Henrique e Marcelo chegam na próxima semana, a diretoria também atua para enxugar o elenco e dar oportunidades a jovens fora dos planos de Jayme de Almeida. Depois da ida de Welinton para o Coritiba e a volta de Feijão para o Bahia, Rodolfo está de malas prontas. E o Tricolor baiano também deve ser o destino. Contatos já foram iniciados por um empréstimo até o fim do ano e a tendência é que as tratativas avancem na próxima segunda-feira.  

Através do diretor de futebol, Ocimar Bolicenho, o Bahia demonstrou interesse no jovem de 21 anos. Por conta do feriado da semana santa, uma definição ficou para a semana que vem, mas o Flamengo já se mostrou favorável a negociação. Outros nomes como Digão, Frauches, Fernando, Mattheus e Igor Sartori também estão à disposição, e o Rubro-Negro aguarda o surgimento de interessados para liberá-los. A intenção da diretoria é dar rodagem aos mais jovens.   

Das pratas da casa, somente Muralha, Negueba e Nixon serão efetivamente utilizados no Brasileirão. A realidade, porém, aponta para uma negociação caso propostas apareçam. Do trio, o menos prestigiado é o volante, que, apesar de ter sido titular durante boa parte da temporada, enumerou atuações ruins recentemente e perdeu espaço. No fim de uma fila que conta com Amaral, Cáceres, Luiz Antonio e Márcio Araújo, Muralha deve ganhar mais um concorrente em breve, minimizando ainda mais as chances de oportunidades. A diretoria busca um camisa 5 que alie marcação forte e qualidade no passe na saída de bola.

Destaque no início de 2013, quando foi uma das revelações do Carioca, Rodolfo nunca conseguiu se firmar entre os profissionais. Após um período de volta aos juniores, foi reintegrado por Jayme de Almeida neste ano e entrou em campo cinco vezes no estadual. No total, são 18 partidas no time de cima. Na Bahia, o jovem reencontrará Rafinha, seu contemporâneo nas categorias de base do Rubro-Negro e também emprestado até o fim de dezembro.

Novato aos 61: Jayme se empolga com primeiro Brasileirão completo


Treino Jayme de Almeida Flamengo (Foto: Agência Estado)Um novato de 61 anos. Rodagem não falta para Jayme de Almeida no futebol: ex-jogador, defendeu Flamengo, São Paulo, seleção brasileira e passou por diversos cargos seja em diretoria ou comissão técnica. Estrela também não: em pouco mais de seis meses como treinador, conquistou dois títulos pelo Rubro-Negro. A partir de domingo, porém, ele disputará pela primeira vez um Brasileirão desde o início no comando de uma equipe. "Tampão" no ano passado, evitou o rebaixamento do time da Gávea e não pôde sonhar muito alto. Desta vez, é diferente. E não há quem o coloque limites.  

No embalo do título estadual conquistado diante do Vasco, Jayme ressalta a importância da conquista para diminuir o luto pela queda na Libertadores e levantar o astral do elenco para disputa nacional. Neste panorama, o treinador rebate desde já quem coloca o Flamengo na parte de baixo da tabela em previsões e pensa em surpreender.  

- As circunstâncias são diferentes (das do ano passado). A perspectiva é das melhores. Sonhamos em fazer um bom campeonato. Já colocaram a gente do meio para baixo e vamos mostrar que não será nada disso. Depois da derrota para o León, foi importante ter a decisão do Carioca. Se não tivesse, os jogadores estariam remoendo a derrota até hoje. E com o título o time se renovou, revigorou, e estamos atentos para o Campeonato Brasileiro.  

A estreia rubro-negra acontecerá domingo, às 18h30, diante do Goiás. Apesar de ser mandante, o jogo não acontecerá no Maracanã. O Mané Garrincha, em Brasília, mais uma vez é o palco. Realidade que deixou o time em dificuldade no primeiro turno do Brasileirão passado, mas que Jayme prefere admitir e encarar de frente.  

- Precisamos falar as realidades. Sabemos que teremos que viajar mais. Se quisermos fazer um bom campeonato, as dificuldades são essas. É duro, chato, mas temos que encarar as dificuldades, minimizando-as ao máximo. Tivemos uma experiência no ano passado e realmente não foi muito boa. Mas trabalhamos no clube e sabemos dos deveres, que faz o clube necessitar arrecadar. O ideal não seria isso. Quer queira ou não, viagem é cansativa e mexe com o psicológico. Esperamos ir bem nesses nove primeiros jogos. Mas o Flamengo no Maracanã é mais forte.  

Por fim, o técnico falou sobre o Esmeraldino. De técnico novo após a derrota no último minuto para o Atlético-GO, na decisão do Estadual, o Goiás caiu ainda na Copa do Brasil, para o Botafogo-PB, durante a semana. Jayme, por sua vez, não espera facilidade.  

- Até o primeiro jogo da final, o Goiás era um time invicto. Futebol é uma coisa engraçada. Precisamos ter um respeito. É um time perigoso, cuidado é necessário. É um time alto, treinamos mais isso para ficarmos atentos durante a partida.  

O Flamengo estreia no Brasileirão diante do Goiás, domingo, às 18h30m (de Brasília), no Estádio Nacional Mané Garrincha, na Capital Federal. Até a interrupção da competição para o Mundial, o Rubro-Negro tem pela frente ainda Corinthians, Palmeiras, Fluminense, São Paulo, Bahia, Santos, Figueirense e Cruzeiro.


Sem mistério: Jayme improvisa Everton e escala Mugni contra o Goiás


Treino Jayme de Almeida Flamengo (Foto: Agência Estado)Um Flamengo sem mistérios para estrear no Brasileirão. Nesta sexta-feira, Jayme de Almeida era só sorrisos no Ninho do Urubu. Campeão estadual, o treinador não fechou parte do treinamento, como se tornou hábito recentemente, e deixou clara a escalação para partida com o Goiás, domingo, no Mané Garrincha, em Brasília. Sem André Santos, que cumprirá a polêmica suspensão pela expulsão na final da Copa do Brasil, Lucas Mugni será a novidade no Rubro-Negro. Com isso, Everton foi deslocado para lateral esquerda.

Em coletivo realizado no CT, Jayme escalou o Fla com Felipe, Léo Moura, Wallace, Chicão e Everton; Amaral, Luiz Antonio, Márcio Araújo e Lucas Mugni; Paulinho e Alecsandro. Titulares no "time ideal", Hernane e Samir seguem no departamento médico com problemas nas costas. Já João Paulo participou normalmente da atividade, mas o treinador acha precoce escalá-lo de início após lesão na coxa. Outra cara nova é Victor Cácares. A luxação no ombro, sofrida há mais de um mês, não incomoda, e o paraguaio treinou entre os reservas. O retorno, entretanto, é previsto somente para o confronto com o Corinthians, dia 27, em São Paulo.

Jayme de Almeida paralisou bastante a atividade para orientação tática e de posicionamento. O treinador focou ainda em lances de bola parada, ponto fraco do time nos últimos jogos. Dos últimos cinco gols sofridos, três aconteceram em bolas alçadas na área. Carlos Eduardo, que ficou na academia, foi a ausência no trabalho. O meia não faz mais parte dos planos e espera uma resposta do Rubin Kazan para deixar o clube antes do fim do empréstimo, dia 30 de junho.

O Flamengo estreia no Brasileirão diante do Goiás, domingo, às 18h30 (de Brasília), no Estádio Nacional Mané Garrincha, na Capital Federal. Até a interrupção da competição para o Mundial, o Rubro-Negro tem pela frente ainda Corinthians, Palmeiras, Fluminense, São Paulo, Bahia, Santos, Figueirense e Cruzeiro.


A coisa maldita, vasco é muito Merda




Contratação de Arthur pelo Flamengo dá ao atleta segunda chance na elite

O ditado diz que o cavalo não passa encilhado duas vezes, mas o atacante Arthur está tendo uma nova oportunidade de jogar por um time de Série A. Anunciado como novo reforço do Flamengo, ele repete uma história semelhante à ocorrida em 2012, quando foi destaque do Londrina durante o Paranaense.

A campanha na equipe do norte do Paraná levou Arthur para o Paraná Clube onde também se destacou durante a Série B do Brasileiro. A passagem pela equipe valeu a contratação pelo Coritiba para jogar a Série A de 2013, mas nada saiu como o atacante desejava. Ele não foi muito aproveitado, fez só oito jogos no Brasileirão e acabou emprestado para o Figueirense, onde jogou a Série B e também não brilhou.

No início deste ano, Arthur voltou para o Londrina para jogar o campeonato Paranaense. O que parecia uma queda na carreira do jogador, representou sua nova oportunidade. Já no primeiro jogo fez um gol na vitória em 3 a 0 sobre o Prudentópolis e ganhou a vaga de titular. De lá para cá, se transformou em peça fundamental no esquema ofensivo do técnico Claudio Tencati e foi artilheiro do time com oito gols.

O atacante não foi só goleador, mas também ganhou honras de ídolo para a torcida do Londrina. O dia em que Arthur virou o Rei Arthur aconteceu na partida histórica da equipe neste Paranaense. Na semifinal do Paranaense, o Londrina recebeu o Atlético-PR no estádio do Café precisando reverter um resultado de 3 a 1 para o time rubro-negro conquistado na primeira partida. Para piorar, o Atlético-PR fez 1 a 0 logo nos primeiros minutos e calou o estádio lotado. Mas Arthur estava predestinado a brilhar e fez três gols, revertendo o placar para 4 a 1 e abrindo o caminho para o Londrina ser campeão Paranaense depois de 22 anos. 

Na final contra o Maringá, o jogador passou em branco no tempo regular, mas não perdeu a cobrança de pênalti que definiu o campeão. Ainda em meio à comemoração, se traiu falando que já estava fechado com o Grêmio e se apresentaria no dia seguinte. Mas o tricolor gaúcho se apressou a dizer que não havia nada fechado. Dias depois, Arthur não estava mais nos planos.

Agora sem falar com a imprensa, Arthur se prepara para jogar em um time que já tem o seu Rei Arthur: trata-se de Arthur Antunes Coimbra, mais conhecido como Zico. 

INFO Perfil Arthur jogador Londrina (Foto: Editoria de Arte) 
Destaque do Londrina em 2014, Arthur é o novo reforço do Flamengo (Foto: Editoria de Arte)