Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Lateral-esquerdo Chiquinho sofre luxação no ombro direito


Flamengo - Chiquinho (foto:Paulo Sergio/LANCE!Press)O lateral-esquerdo Chiquinho sofreu uma luxação no ombro direito durante o último treino do Flamengo na Arena das Dunas. Por isso, o jogador não ficou nem sequer no banco de reservas contra o Fluminense. De acordo com a assessoria do Rubro-Negro, o jogador iniciou tratamento ainda no Nordeste e seguirá com o procedimento no Rio.

Chiquinho vem amargando a reserva do Flamengo desde que chegou ao clube. Ele chegou a ser aproveitado por Muricy Ramalho no Campeonato Estadual, mas agora não tem jogado com Zé Ricardo.

O lateral-direito Rodinei e o meia Everton, que vinham sendo titulares, foram poupados contra o Fluminense. Eles apresentaram desgaste físico devido à sequência de jogos, mas devem voltar ao time contra o Internacional, na próxima quarta-feira, em Cariacica (ES).

Odebrecht pede oficialmente a rescisão do contrato de concessão do Maracanã

Gramado do Maracanã é retirado para as OlimpíadasA Odebrecht pediu oficialmente a rescisão do contrato de concessão do Maracanã. Depois das alterações feitas pelo governo estadual no acordo, que inicialmente previa construção de estacionamento e lojas comerciais, as partes não se acertaram sobre o equilíbrio econômico da concessão e após uma longa negociação, que se arrasta desde 2015, a empresa oficialmente pediu a rescisão. O principal ponto de discórdia para um novo acordo foi a exigência da empresa de ter um novo período de avaliação em dois anos, quando poderia decidir sem ônus pela devolução do Maracanã, o que não foi aceito pelo governo que pretente resolver em definitivo a questão o quanto antes.


A tendência é que uma nova licitação seja feita com a possibilidade de clubes participarem. Flamengo e Fluminense já demonstraram interesse. A Federação de Futebol do Rio (Ferj) também busca investidores para entrar na disputa. Mas há ainda a possibilidade de o governo entregar a concessão para a segunda melhor proposta na licitação anterior - o que também seria de certa forma complexo por conta das alterações no contrato original. Consultada, a assessoria da concessionária - da qual a Odebrecht é majoritária - ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Arena das Dunas comemora renda recorde e quer mais jogos da Série A

A Arena das Dunas comemorou no Fla-Flu de domingo a quebra do recorde de renda do estádio. O valor divulgado foi de R$ 2.214.850,00, superando o R$ 1,6 milhão de Flamengo x Avaí pelo Brasileirão de 2015. No total, o clássico carioca recebeu 25.946 torcedores, apesar da chuva constante que caiu em Natal. O único setor que não teve a capacidade preenchida foi do lado do Fluminense. Em campo, o Tricolor(terceira divisão) levou a melhor e venceu por 2 a 1. Para o consórcio que administra o estádio, o balanço foi bastante positivo.

- O público correspondeu às expectativas da gente. A Arena das Dunas teve um investimento muito alto para trazer um jogo desse calibre, mas as pessoas vieram, embora São Pedro tenha nos brindado com a chuva durante o dia, mas isso não deixou de abrilhantar a festa e para a gente foi muito positivo. Eu estou muito satisfeito. A gente conseguiu atingir o objetivo, que era trazer um grande espetáculo para cá - falou o diretor-presidente da Arena das Dunas, Mauro Araújo.


Arena das Dunas Flamengo x Fluminense (Foto: Alexandre Lago/GloboEsporte.com) 
Arena das Dunas recebeu mais de 25 mil torcedores para Fla-Flu (Foto: Alexandre Lago/GloboEsporte.com)


Segundo Mauro, "os planos estão de pé" para receber outros jogos da Série A deste ano. Ele ainda revelou que uma comissão da Confederação Brasileira de Futebol esteve na Arena das Dunas e aprovou a operação realizada para o clássico.

- Nesse Fla-Flu, tivemos a presença de membros da CBF para observar a operação da gente e ficaram muito satisfeitos com o que viram e isso, cada dia mais, chancela a nossa operação. Foi um público muito grande, em uma condição atípica, porque choveu muito, mas de qualquer forma a gente conseguiu operar bem. Não houve grandes intercorrências e a gente está satisfeito com o resultado operacional do evento. Isso nos estimula a trazer jogos novamente, a buscar outros conteúdos que favoreçam e contemplem a população. Não vamos só restringir aos clubes locais, porque existe torcida de fora e a gente precisa ser democrático nesse aspecto - declarou.

A Arena das Dunas não revelou o valor repassado ao Flamengo, mas comemora o faturamento, mesmo sem ter fechado as contas. Além da compra do mando junto ao Rubro-Negro, o consórcio arcou com custos de viagem, hospedagem e alimentação das duas equipes, tratando de toda a logística do jogo.

- Nós tivemos um saldo positivo. Evidente que ainda temos que apurar todos os custos em pelo menos 48 horas depois do evento, tem receitas acessórias também que a gente envolve nesse processo, como a parte do estacionamento e de alimentos e bebidas, mas eu tenho certeza que somente com a bilheteria já conseguimos suprir os custos de investimento - informou.

Seleção brasileira em outubro

Depois do Fla-Flu, a Arena das Dunas se prepara para receber Brasil x Bolívia, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia de 2018. O jogo está marcado para a primeira semana de outubro. De acordo com Mauro, o clássico carioca foi um bom teste, embora aponte que a operação de todos os jogos no estádio é encarada com o devido cuidado.

- A gente está preparado e a equipe da CBF que veio acompanhar o jogo ficou extremamente satisfeita com o que viu, com a infraestrutura da arena, com a manutenção, com o estado da Arena das Dunas. Então, isso vai ser muito bom e, de repente, esse jogo serviu para um teste. A gente vai avaliar agora o que foi que saiu abaixo da nossa expectativa quanto operação, para depois poder evoluir, corrigir as falhas e apresentar um bom serviço para o público. Estamos tentando trazer antes do jogo da Seleção uma partida da Série A. Não é fácil, mas estamos lutando - concluiu.

Flamengo x Fluminense (Foto: Alexandre Lago/GloboEsporte.com) 
Flamengo x Fluminense foi disputado com muita chuva em Natal (Foto: Alexandre Lago/GloboEsporte.com)
 

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Donatti pressiona Rosario, deixa concentração e força saída para o Flamengo


Rosario Central, Donatti, Libertadores (Foto: EFE)
A novela Alejandro Donatti ganhou mais um capítulo nesta sexta-feira. O zagueiro deixou a contração do Rosario Central, que faz pré-temporada, alegando questões particulares. Mas internamente comenta-se que a atitude seria resultado de sua insatisfação com a resistência do seu clube em aceitar a proposta do Flamengo. O zagueiro deseja uma mudança de ares.

De acordo com assessoria de imprensa do Rosario, o clube ainda não aceitou a oferta do Flamengo. Na última quinta houve em Buenos Aires uma reunião do empresário do zagueiro com o Rosario, que tenta convencer o zagueiro a ficar com a proposta de melhorar o salário e comprar os 50% restantes dos direitos econômicos, que pertencem ao jogador. No entanto, Donatti está decidido a sair. Uma outra reunião está marcada para este sábado.

A atitude de Donatti criou um clima ainda maior de irritação do Rosario Central com o Flamengo, com o jogador e com seu empresário o que pode complicar ainda mais a saída. No entanto, a demonstração clara de que não deseja mais permanecer na Argentina pode deixar seu atual clube sem muita alternativa a não ser aceitar a transferência.

O Flamengo fez uma proposta de US$ 1,3 milhão por Donatti (por 50% dos direitos econômicos), que já foi recusada pelo Rosario Central. O Rubro-Negro, entretanto tampouco mostra-se disposto a aumentar o valor e, por enquanto, conta com o empenho do zagueiro em deixar o clube.

CEP: o endereço do combate a lesões e da melhora de desempenho do Flamengo


Desempenho, recuperação e prevenção. São esses os pilares do CEP FLA, o Centro de Excelência em Performance do Flamengo. Idealizado pelo coordenador médico do clube, Márcio Tannure, trata-se de um departamento criado para melhorar a saúde dos jogadores, sob o conceito de que um atleta mais saudável produz mais e está mais resistente a lesões. E os resultados do projeto, colocado em prática em fevereiro, têm sido positivos. 

- Hoje, na Série A, o Flamengo é um dos times com menor incidência de lesão, se não for o que teve menos. Foi o time que mais viajou para jogar. Se a gente for ver proporcionalmente, com esse fator que é muito ruim, estamos muito acima da média. Um dos que teve menos lesão - disse Tannure.  

Mosaico Centro de Excelência em Performance FLAMENGO (Foto: infoesporte)Fotos: Gilvan de Souza



Além da idealização do projeto, o médico foi decisivo também para o CEP sair do papel. Através de permutas, Tannure conseguiu equipar o local, e o Fla precisou apenas arcar com o aluguel dos containers.

Segundo informou o clube, desde que o centro de excelência foi criado, apenas dois jogadores sofreram lesão muscular: o zagueiro Juan e o goleiro Paulo Victor – o meia Alan Patrick se machucou no início de fevereiro, mesma época em que o CEP começou a funcionar. 

- Estamos bem satisfeitos com isso. Poucos atletas impedidos de jogar por lesão. A gente faz o trabalho preventivo, de preparação física, de forma integrada. Todos os setores estão envolvidos, inclusive a parte técnica. O que a gente percebe é que algumas equipes estão sofrendo mais. Isso é um processo paulatino. Não adianta esperar resultados em março de uma metodologia implantada em fevereiro. Contamos também com a conscientização dos atletas. O desenvolvimento é gradativo. A gente espera que em um ano o trabalho esteja atingindo maturidade – analisou um dos preparadores físicos do clube Daniel Gonçalves, que já coordenou o CEP.  

A equipe do CEP FLA é composta por dois preparadores físicos, dois fisiologistas, três fisioterapeutas, cinco médicos e três psicólogos. Um time que tem a tecnologia como aliada. Com aparelhos de última geração, o clube caminha para se transformar em referência em inovação científica no futebol brasileiro.

- A gente sempre busca a excelência. O bom é inimigo do ótimo. Estamos implementando novas metodologias, mas temos que aperfeiçoar. No início do ano, a gente fez avaliação funcional, de marcha, perfil de DNA de cada um, código genético, propensão de lesão, dificuldade de recuperação, desequilíbrio de marcha. Foram feitas todas essas avaliações. Foi colhido o material genético deles. É difícil de fazer. A gente cruza com outros dados para saber qual a deficiência, biomecânica, avaliação de marcha, correção. São duas grandes causas de lesão: marcha incorreta e execução incorreta do movimento – frisou Tannure. 

Com o fechamento do Maracanã e do Engenhão para a Olimpíada do Rio, o Flamengo elegeu Brasília e Volta Redonda como casas provisórias na temporada. Mas, por interesses comerciais, já jogou em Manaus e vai atuar em Natal e no Espírito Santo. O trabalho do CEP também está direcionado para isso.   

- Mudamos muito a rotina, não só pelo excesso de viagens, mas pela nova tecnologia de treinamento. Mudamos desde o início do ano para fazer a prevenção, o trabalho funcional, de força, de correção de movimento, tudo isso. É uma coisa que a gente acredita. Foram muitas mudanças. Várias outras mudanças logísticas para lidar com a fadiga central do atleta, que perde noite de sono por exemplo, o que interfere na recuperação – explicou o médico Márcio Tannure. 

Com mais quilômetros rodados, é preciso combater o desgaste. 

- Somos a equipe que mais viajou no futebol brasileiro e estatisticamente as equipes que viajam muito têm perda de desempenho. Chega a cair 29% o êxito da equipe visitante. Estamos satisfeitos porque estamos conseguindo nos manter na briga pelo G-4. O campeonato é cruel para aqueles que têm sua casa, têm sua praça, imagina para a gente – completou Daniel Gonçalves.

Fla com mais fôlego        

A equipe do CEP também tem registrado melhora no desempenho do time, especialmente na reta final das partidas. 

- A gente está percebendo crescimento do time nos minutos finais. Fizemos praticamente três partidas com jogador a menos, contra Chapecoense, Ponte Preta e Palmeiras, o que gera desgaste. Mas a gente conseguiu ter um desempenho adequado. Contra o Cruzeiro, passamos por uma situação normal de contra-ataques. Já contra o São Paulo a gente terminou com intensidade. Temos percebido o aumento da distância total percorrida e do número de piques. A média mundial varia de 50 a 60 piques. Temos atletas nossos que dão de 80 a 90 piques por jogo – informou o preparador físico. 

CEP Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
Sala do Centro de Excelência em Performance do Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Daniel Gonçalves cita dois atletas que têm apresentado evolução. 

- Vale ressaltar a função do Alan Patrick, que está mais intenso, mais participativo, é referência técnica do nosso time. O Willian Arão cresceu em assistências e desarmes, se desloca o tempo todo fazendo movimento de área a área. Arão tem percorrido quase 12 mil metros por jogo. Hoje, temos cinco atletas percorrendo 11 mil metros por jogo. São dados muito relevantes. 

Após a vitória por 1 a 0 sobre o Santa Cruz, na quarta-feira, o técnico Zé Ricardo citou o trabalho do CEP FLA e disse que recorreria aos dados do departamento para avaliar a condição de cada atleta antes de definir o time titular para a próxima partida, contra o Fluminense, em Natal, no domingo.  

- A gente tem tido o menor índice de lesão do Brasileiro, ou um dos menores. A gente tem um centro de excelência que monitora muitas informações. Alguns atletas estão desgastados, alguns deles participaram de todos esses sete jogos em que eu estou no comando. Vamos ver com quem vamos poder contar contra o Fluminense.  


Piscina olímpica do Flamengo atrasa e só fica pronta às vésperas da Rio 2016


No dia 20 de março do ano passado, o Flamengo anunciava aos seus associados, através de nota oficial, o início da reconstrução da piscina olímpica da sede da Gávea. Tratado como o mais moderno do mundo, o sistema "Myrtha" chegava ao rubro-negro após reestruturação do clube e a possibilidade de aporte financeiro de R$ 2,5 milhões de uma empresa de produção de cimento e R$ 3,1 milhões da Confederação Brasileira de Clubes (CBC) para a compra de equipamentos e acessórios. Os outros 10% foram de responsabilidade do Flamengo, totalizando R$ 6 milhões. De acordo com dados oficiais, a "Myrtha" demora 90 dias para ser montada, porém, mais de um ano após o começo dos trabalhos e do prazo de 31 de dezembro de 2015, a piscina ainda não foi entregue e agora tem uma nova data: 1º de agosto de 2016, sete meses depois.

Foto da nova piscina do Flamengo em abril, ainda em obras (Foto: Divulgação/Flamengo) 
Foto da nova piscina do Flamengo em abril, ainda em obras (Foto: Divulgação/Flamengo)

Além de servir aos atletas do clube, a nova instalação é parte importante dos acordos assinados pelo rubro-negro nos esportes olímpicos. Em março de 2015, o Flamengo acertou parceria com o Comitê Olímpico dos EUA (USOC) para cessão da sede na Zona Sul do Rio de Janeiro como centro de treinamento durante a competição. Além dos americanos, em abril deste ano fechou com o Comitê Olímpico Britânico (BOA) para os mesmos fins. Com a Olimpíada do Rio começando oficialmente no dia 5 de agosto, data da abertura no Maracanã, o novo prazo fica na mesma semana.

Explicando a mudança na data de entrega, o Flamengo salientou que 90% dos recursos são provenientes de incentivos fiscais (ICMS e CBC), o que traz burocracia na liberação dos recursos. Além disso, ressaltou que as especificações técnicas da piscina mais moderna do mundo precisam ser feitas cuidadosamente. Por fim, garantiu que "atrasos em obras como essa sempre devem ser considerados, uma vez que há  interrupções no cronograma quando chove, por exemplo".

O termo de cooperação entre o Flamengo e o comitê britânico começa em julho, de acordo com o Blog do Coach, do GloboEsporte.com. Os ingleses vão usar a piscina para os atletas das águas abertas. A natação britânica irá usar as instalações do Centro de Treinamento da UFMG, em Minas Gerais. Em sua página oficial, em abril, o Flamengo comentou o andamento da obra e citou que o local receberia "alguns dos maiores atletas dos esportes aquáticos do planeta, tudo devido à instalação, na sede da Gávea, de uma das mais modernas piscinas do mundo". Na ocasião, Marcelo Vido, diretor-executivo de esportes olímpicos, explicou que uma equipe de técnicos italianos chegaria naquela semana, quando seria feito o início do plaqueamento, que duraria uma semana, a instalação do deque, filtro e tubulação.

Procurado pelo GloboEsporte.com, o Comitê Olímpico dos Estados Unidos (USOC) garantiu que a piscina rubro-negra não faz parte do acordo assinado com o Flamengo, mas que o local foi colocado à disposição para treinos durante a Olimpíada. E explicou que o Team USA conta com outro CT com uma piscina que pode ser utilizada pelos atletas. Já o clube ressaltou que irá cumprir o novo prazo e que não existe qualquer desgaste com os comitês que irão se instalar na Gávea durante os Jogos Olímpicos. O Comitê Olímpico Britânico (BOA) não respondeu aos emails do site.

Nota oficial do Flamengo anunciando o início das obras da piscina (Foto: Divulgação/Flamengo) 
Nota oficial do Flamengo anunciando o início das obras da piscina (Foto: Divulgação/Flamengo)

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Zé Ricardo ignora status de interino e vai a 62% de aproveitamento no Flamengo


Santa Cruz x Flamengo Zé Ricardo (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
A indefinição na situação de Zé Ricardo não abala o jovem treinador rubro-negro. A todo momento, o próprio treinador fala que não se preocupa com o tema. O que fica ainda mais fácil diante do bom aproveitamento do jovem treinador interino - status que ele ainda tem no comando do Flamengo. Com a vitória sobre o Santa Cruz por 1 a 0 - golaço de Arão -, o Rubro-Negro, sob comando do ex-treinador dos juniores, atingiu 61,9% de aproveitamento de pontos. São quatro vitórias, um empate e duas derrotas. Dos 17 pontos na tabela, 13 deles vieram com Zé à beira do campo.

Apesar de ter feito contatos com Abel Braga e estudado nomes de estrangeiros para o cargo de treinador, a direção, seja em entrevistas coletivas ou em conversas informais, aprova a condução do técnico e o desempenho do time até o momento. Abordado pela reportagem do GloboEsporte.com após o jogo no Recife, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, preferiu nem ter o trabalho de responder sobre a efetivação ou não de Zé Ricardo.

- É só reproduzir a entrevista de domingo - disse.

No domingo, após o empate por 2 a 2 com o São Paulo em Brasília, ele encheu o interino de elogios, deu nota 11 ao trabalho, mas não cravou a efetivação. Manteve apenas o discurso de que o bom momento permite uma avaliação cautelosa sobre o futuro do cargo.

Os números de Zé Ricardo embasam as palavras de Bandeira. O novato supera o aproveitamento de nomes mais conhecidos que passaram pela Gávea na atual gestão. Casos dos medalhões Mano Menezes, Oswaldo de Oliveira e até do antecessor Muricy Ramalho, todos que demandaram altos investimentos do clube. Muricy, por exemplo, saiu com 57,7% de aproveitamento, mas apenas uma partida no Brasileiro - a estreia vitoriosa contra o Sport.

Com personalidade à frente do time, ele mantém no banco duas das contratações mais caras da temporada. Cuéllar e Mancuello são reservas da equipe. O técnico também mostra vertente pragmática ao trocar para renovar a equipe e sofrer menos riscos. Ou, sendo mais claro, adotar a estratégia de recuar para garantir o resultado. Sem qualquer constrangimento. No início do segundo tempo, ele tirou o atacante Felipe Vizeu, adiantou Cirino, e colocou Cuéllar, praticamente abdicando do ataque. Mas a defesa conseguiu segurar a vitória.

Não há, no entanto, previsão de anúncio de que o treinador será efetivado. A ideia é até tirar esta pressão de Zé Ricardo. O que ficou expresso nas palavras do diretor de futebol Rodrigo Caetano na apresentação de Mozer, novo gerente de futebol. Com um pouco menos da cobrança que um "dono" do cargo teria, Zé mostra tranquilidade para conduzir o Flamengo nas primeiras posições da tabela neste início de Brasileiro de 2016. Passado o momento de instabilidade, que veio com duas derrotas consecutivas - para Palmeiras e Figueirense -, Zé Ricardo vive a emoção de disputar o primeiro clássico no comando do time principal. O Fla-Flu de Natal, no domingo.

- Espero que possamos ser felizes no primeiro clássico. Nossa intenção é estar perto do G-4. Acho que vai ser uma grande partida. É uma emoção muito grande poder disputar mais uma partida no Campeonato Brasileiro - disse o treinador, a cada dia mais adaptado às entrevistas coletivas.

Confira os retrospectos dos nove treinadores anteriores a Zé Ricardo:
 
Dorival Júnior
10 jogos com Bandeira (7v/1e/2d)
Aproveitamento com Bandeira: 73%

Jorginho
14 jogos (7v/4e/3d)
Aproveitamento: 59,5% 

Mano Menezes
22 jogos (9v/6e/7d)
Aproveitamento: 54,5%

Jayme de Almeida
50 jogos (27v/12e/11d)
Aproveitamento: 62%
Campeão da Copa do Brasil 2013 e do Carioca 2014

Ney Franco
7 jogos (3e/4d)
Aproveitamento: 14,2%

Vanderlei Luxemburgo
59 jogos (34v/11e/14d)
Aproveitamento: 63,8%

Cristóvão Borges
18 jogos (8v/1e/9d)
Aproveitamento: 46,2%

Oswaldo de Oliveira
18 jogos (8v/3e/7d)
Aproveitamento: 50%

Muricy Ramalho
26 jogos (13v/6e/7d)
Aproveitamento: 57,7%

Esforço, desgaste e inexperiência: o "legado" de Vizeu na volta de Guerrero


Felipe Vizeu Santa Cruz x Flamengo (Foto: Richard Souza)Caiu no colo de Felipe Vizeu a missão de substituir Guerrero. Afinal, não há no Flamengo outra alternativa ao peruano, já que o elenco não dispõe de mais jogadores com características semelhantes. Dessa forma, a partida contra o Santa Cruz, na última quarta-feira, foi uma espécie de despedida do jogador que, apesar dos 19 anos, atua sob a pressão de ser um prata da casa no lugar de uma referência do elenco e, para completar, desgastado por não ter férias há um ano e meio. Mais uma vez apagado, foi substituído aos 13 minutos do segundo tempo pelo volante Cuéllar.

Vizeu vem emendando competições seguidas desde que deixou os juvenis para integrar o sub-20. O título da Copa São Paulo de Juniores, em janeiro deste ano, acabou por antecipar sua promoção ao elenco profissional. A comissão técnica do Flamengo não detectou um desgaste físico além do normal – principalmente por ser um atleta jovem – mas reconhece que a falta de lastro pesa contra um desempenho melhor.


- O Felipe vem bem, foi muito bem no período, cumprindo o que eu peço. Conheço há bastante tempo, mas é um garoto. Nós esperamos que com a volta do Guerrero possamos fortalecer o nosso ataque. É um jogador de referência. A gente quer vê-lo (Guerrero) bem. Se estiver 100%, nós contamos com ele - analisou o técnico Zé Ricardo.

Desde que Guerrero se apresentou à seleção do Peru para a disputa da Copa América, Felipe Vizeu atuou em oito partidas e marcou dois gols (sobre Chapecoense e Vitória). Neste período o Flamengo teve quatro vitórias, dois empates e duas derrotas. No total ele tem cinco gols em 18 partidas pelos profissionais.

Para que não seja mais obrigado a recorrer a um atacante com pouca experiência numa competição como o Campeonato Brasileiro, o Flamengo tenta agora a contratação e um centroavante. Depois de vender Kayke para um clube do Japão, o Rubro-Negro tem Hernane como principal alvo. Recentemente, Leandro Damião foi oferecido, mas por enquanto o alto salário do jogador inviabiliza o negócio.

A ideia é ir com mais calma com Felipe Vizeu. Cabe a Zé Ricardo, seu técnico na conquista da Copinha, observar o momento certo de lançar o atacante após a possível contratação de mais um nome para a posição. Enquanto isso, a responsabilidade volta a ser de Guerrero, que tem retorno previsto para o clássico contra o Fluminense, neste domingo, em Natal. O peruano tem dois jogos e nenhum gol no Brasileirão deste ano. E agora, com a “despedida” de Vizeu, ficou claro que é preciso a chegada de um jogador da posição com mais rodagem.

- Apesar de ainda ser um garoto, venho tentando aproveitar as oportunidades. Sei da longa jornada que posso trilhar. É apenas o começo, tem muito a acontecer. O Zé Ricardo me conhece bem, e a cobrança dele a cada dia é maior - disse Vizeu, após o jogo contra o Vitória.


De área a área, Willian Arão marca território no Flamengo: “Não me coloco limite”

Santa Cruz x Flamengo Willian Arão (Foto: Marlon Costa / Pernambuco Press)O jogo contra o Santa Cruz foi o 35º de Willian Arão com a camisa do Flamengo. O gol contra o Santinha foi o sexto do volante com a camisa rubro-negra - mais que Emerson Sheik e Felipe Vizeu, ambos com cinco. Ele também tem nove assistências. Mas talvez o número que melhor represente o papel do jogador no time seja outro. Segundo dados do CEP, o Centro de Excelência em Performance do Flamengo, Arão corre aproximadamente 12 quilômetros por partida. Dado expressivo e que evidencia a função de área a área que ele exerce.

A última partida, quarta-feira, foi um exemplo. Arão começou posicionado bem à frente dos zagueiros, responsável pela saída de bola. Depois, foi deslocado para o lado direito da defesa, já que Rodinei sofria por ali com as arrancadas do rápido atacante Keno. Veio o segundo tempo, e o camisa 5 se posicionou um pouco depois da linha de meio-campo, pois o técnico Zé Ricardo havia tirado Felipe Vizeu e colocado Cuéllar para reforçar a marcação ao lado de Márcio Araújo. Ainda assim, não pôde abandonar a marcação pela direita. 

Mas apesar de toda a obrigação defensiva, Arão contribuiu no ataque. Não foi o jogo em que ele mais apareceu lá na frente. No empate por 2 a 2 com o São Paulo, por exemplo, esteve muito mais presente nas ações ofensivas. Mas o chutaço decisivo, aos 14 do primeiro tempo, decidiu a partida contra o Santinha

 Estou evoluindo bastante, a cada partida, a cada jogo tiro uma coisa nova. Acho que foi meu primeiro gol de fora da área de longe, venho aprimorando nos treinos.
Arão
 
- Fico feliz por estar bem na frente e atrás. Tenho que continuar o trabalho, ajudar o Flamengo, evoluir, crescer, estou feliz com meu momento, mas tenho muito a melhorar. Algumas vezes me perguntam onde vou parar. Estou evoluindo bastante, a cada partida, a cada jogo tiro uma coisa nova. Acho que foi meu primeiro gol de fora da área de longe, venho aprimorando nos treinos. Não me coloco imite, tenho que continuar evoluindo, cada bola. Nem sei em que nível posso chegar. Tenho que trabalhar para chegar no nível máximo que eu posso – afirmou.  

Arão tem chamado a atenção também pela postura de líder. Apesar de ter apenas 24 anos, foi o escolhido pelo técnico Zé Ricardo para usar a braçadeira de capitão – o experiente zagueiro Juan, que ocupava o posto, está machucado. Tornou-se comum ver Willian Arão orientar e organizar a equipe.
 
O volante também assume o papel de conter a empolgação. Após três vitórias seguidas, o Flamengo chegou a 17 pontos e está em quarto lugar no Brasileiro, no G-4. O próximo adversário será o Fluminense, que vive momento ruim. Os times se enfrentarão no domingo, em Natal, às 16h.     

- Independentemente do G-4, a gente chega com moral, é o Flamengo. O G-4 só nos credencia a conseguir mais, estamos jogando bem, vai ser difícil. Vamos entrar com a moral de sempre. Clássico muda tudo, não tem favorito, não tem crise. O que a gente tem que fazer é cuidar da regularidade, aproveitar as chances na partida. Enfrentamos o Fluminense algumas vezes no ano, foram jogos difíceis. 
 

Flamengo diz que Arena Multiuso depende do aval do Meio Ambiente municipal


A novela envolvendo a Arena Multiuso do Flamengo, que era encarada até com certo bom humor pela diretoria do clube, acabou se transformando numa série que se arrasta há cinco anos e parece não ter fim. Se ao assumir a vice-presidência de esportes olímpicos em dezembro de 2012 Alexandre Póvoa tinha esperanças de ver as obras começarem em 2015 e o ginásio de pé a tempo de ser a casa do basquete rubro-negro na segunda metade do NBB 8, o antigo sonho vem sendo adiado por questões burocráticas e na melhor das hipóteses talvez só seja realizado a tempo de receber jogos do NBB 10. Pelo menos esse é o novo prazo estipulado pelo dirigente. 

Arena Multiuso do Flamengo (Foto: Divulgação)
Arena Multiuso do Flamengo terá capacidade 3.600 torcedores (Foto: Divulgação)

De acordo com Póvoa, com as questões envolvendo a CET-Rio e o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) resolvidas, o último capítulo dessa longa e arrastada história agora depende exclusivamente da Secretaria Municipal do Meio Ambiente.       

Alexandre Póvoa Flamengo Anjo da Guarda (Foto: Thiago Quintella)- Infelizmente eles têm uma tramitação própria, o chamado custo Brasil está embutido e aconteceram todos esses problemas. O que aconteceu foi que fizemos toda uma tramitação, e a CET-Rio, que era o mais complicado, pediu algumas modificações no projeto para atender distância, trânsito, calçada e uma série de coisas. O Iphan tinha demorado muito e quando o projeto foi para a CET-RIO, eles pediram uma notificação e tiveram que recuar a arena cinco metros para trás, dois metros para o lado, e quando isso acontece é preciso retornar ao Iphan, porque apesar de não ter mudado nada que seja importante para eles, tem que revisar. Por isso voltou e demorou mais tempo. Ao mesmo tempo estava tramitando a última fase na Prefeitura. As pessoas confundem muito as coisas e na verdade o Corpo de Bombeiros não precisa dar autorização para começar a obra, e sim uma orientação. Ele só vai autorizar o início das obras no final da história. O que na verdade falta hoje é o aval do Meio Ambiente municipal. Aí volta para o urbanismo, que é uma espécie de relator do processo e vai pegar todas as autorizações dadas desde o começo, há cinco anos, e verificar se está tudo certo para dar o alvará liberando o começo das obras. Todas as questões envolvendo o Iphan e a CET-Rio estão resolvidas - explicou o vice-presidente de esportes olímpicos do Flamengo.
 
Apesar dos entraves, Alexandre Póvoa tranquiliza o torcedor do Flamengo e garante que a parceira com o McDonald's, verdadeiro idealizador do projeto da Arena Multiuso, não corre nenhum tipo de risco de ser desfeita. De acordo com o dirigente, a empresa de fast food, inclusive, foi quem abriu os cofres para solucionar a parte burocrática.

- Difícil falar alguma coisa, é uma decepção muito grande que tem acontecido. Pelo menos de dois ou três anos para cá o Flamengo fez uma esforço enorme para isso, e o McDonald's também. Inclusive, eles já gastaram muito dinheiro nessa história e colocaram uma quantia razoável nessa parte burocrática. É triste que uma cidade olímpica com todos os problemas que tem dificulte um projeto como esse que é 100% privado. Vamos sentar novamente com eles depois que tudo for aprovado para acertar algumas coisas ligadas à parte financeira, fluxo de caixa e questão de quantos anos. O projeto na verdade é do McDonald's e não do Flamengo, eles já gastaram um dinheirão e confirmaram que continuam totalmente dentro da história. Tive uma reunião terça-feira com eles e com o pessoal da Prefeitura, porque agora tem uma série de trâmites burocráticos finais que o urbanismo vai exigir também, coisas de órgão público, de atualizar número e cadastro, e esperamos que nos próximos dois, três meses nós tenhamos o ok final para começar a construir a Arena até o fim do ano - prevê Alexandre Póvoa, que não se opõe em ver a futura casa do Flamengo sendo usada por seus dois maiores rivais.

- O Rio em termos de Arena vai ficar muito bem servido após a Olimpíada, mas faltava um equipamento de 4 mil pessoas e nós poderíamos ceder a Arena do Flamengo para o time do Bernardinho, para o Fluminense jogar a Superliga ou para o Vasco no NBB e acabar com essas besteiras de não ceder para o Vasco, pelo menos no esporte olímpico e por mim pessoalmente, pode ser que seja por outro. Enfim, acho que será uma ótima opção para os jogos regulares, mas para finais não vão faltar opções. É um grito de independência ter uma Arena de esporte olímpico, é um sonho que nós temos, com muitas dificuldades, mas vamos conseguir. 

Arena Multiuso do Flamengo (Foto: Divulgação) 
Arena Multiuso do Flamengo já tem a aprovação da CET-Rio e do Iphan (Foto: Divulgação)

A expectativa em finalmente ter a aprovação para o começo das obras é tanta que nem o fato de a capacidade prevista para 3.600 torcedores ser menor que a mínima permitida pela Liga Nacional de Basquete, que é de 5 mil, para receber jogos de finais do NBB incomoda Alexandre Póvoa.  

- Não atrapalha, não. É ótimo jogar uma final em ginásios com capacidade de 8 mil, como a Arena Carioca 2, 11 mil, como o Maracanãzinho, ou 15, como a Arena da Barra e a que será usada pelo basquete na Olimpíada. Apesar de termos gasto um dinheiro enorme na final do NBB, já que o ginásio não tinha nada, como segurança, parte de limpeza e de alimentação, todos os ingressos foram vendidos nos três jogos, deu dinheiro e tivemos lucro. Ou seja, zero problema, minha preocupação é em relação ao ano inteiro.

SANTA CRUZ 0 X 1 FLAMENGO

FICHA TÉCNICA:

Local: Estádio do Arruda, Recife (PE)

Árbitro: Wagner Reway - MT (ASP-FIFA) 
Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz - MS (FIFA) e Fabio Rodrigo Rubinho - MT (ASP-FIFA)

Cartão amarelos: Lelê (STC)

Público e renda: 12.739 pessoas / R$ 220.340,00

Gol: Willian Arão, 14'/1°T (0-1)

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Vítor, Allan Vieira, Danny Morais e Tiago Costa (Roberto, 20'/2°T); Daniel Costa (Lelê, 7'/2°T), Leandrinho (Wallyson, 28'/2°T) e João Paulo; Arthur, Keno e Grafite. 
Técnico: Milton Mendes.

Flamengo: Alex Muralha, Rodinei, Rafael Vaz, Réver e Jorge; Márcio Araújo, Arão, Alan Patrick (Mancuello, 29'/2°T) e Everton (Fernandinho, 40'/2°T); Marcelo Cirino e Felipe Vizeu (Cuéllar, 13'/2°T). Técnico: Zé Ricardo

terça-feira, 21 de junho de 2016

Flamengo e AmBev renovam parceria por dois anos


Luz, Bandeira de Mello, Leite e Spindel na Gávea

Flamengo e Ambev assinaram nesta segunda-feira (20) a renovação do contrato entre o clube e a empresa. A assinatura do novo compromisso, com duração de dois anos, já havia sido aprovado pelo Conselho Deliberativo do Flamengo no dia 31 de maio.

O investimento de Brahma será destinado a melhorias nas propriedades do clube. Além disso, o Flamengo tem o compromisso de conclusão das obras dos módulos 16 e 17 no Ninho do Urubu, como explica o diretor de marketing do Flamengo, Bruno Spindel.

"É gratificante ver esta parceria durar tanto e gerar cada vez mais frutos para os dois lados. A identificação entre clube e AmBev é muito grande. É uma empresa líder, como o Flamengo, uma das maiores do Mundo, que entende bem o tamanho do clube e todas as possibilidades que ele oferece. E, o investimento na melhoria das propriedades do clube, deixará marcas que vão orgulhar o torcedor rubro-negro por muito tempo".

O primeiro módulo será o alojamento do futebol profissional. Já o módulo 17 conta com área de imprensa, musculação, departamento médico, vestiário e parte técnica do profissional.

"É uma parceria antiga, que vai muito além do patrocínio. Entendemos que os investimentos precisam deixar um legado no clube e trabalhamos sempre nessa direção", completou Sandro Leite, gerente de marketing esportivo da Ambev.

Para o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, a manutenção da parceria é mais uma vitória de uma gestão responsável.

"Nossa intenção desde o início foi de dar exemplo para 40 milhões de torcedores e fazer com que o Flamengo recuperasse sua credibilidade e se tornasse um clube cidadão. Nesse sentido, é um privilégio estar aqui hoje reafirmando essa ligação com uma empresa da credibilidade e da expressão nacional e internacional da AmBev. Certamente esta parceria se refletirá em muitos benefícios para a Nação, especialmente para o sócio-torcedor do clube", afirmou, seguido pelo diretor-geral rubro-negro, Fred Luz.

"Há mais de dez anos a AmBev tem sido parceira do clube e nesta gestão, desde 2013, temos intensificado bastante nossa relação. A AmBev apoia muito os programas do futebol, principalmente a modernização do nosso Centro de Treinamento, que tem se desenvolvido bastante. Temos que agradecer muito por toda colaboração deles", disse.

Além do patrocínio, o Flamengo também segue como parceiro de Brahma com o Nação Rubro-Negra no Movimento por um Futebol Melhor, programa que oferece benefícios aos sócios-torcedores e já concedeu mais de R$ 80 milhões em descontos em produtos.

Flamengo tem em mãos projeto de estádio para 50 mil pessoas: confira imagens e saiba detalhes


O Flamengo tem em mãos um projeto ambicioso de construção de um estádio para 50.500 pessoas em Pedra de Guaratiba, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O esboço em vídeo, com maquete da estrutura, ao qual o LANCE! teve acesso, começou a circular por grupos de rubro-negros no fim de semana e gerou muita expectativa. Um grupo de sócios do clube se comprometeu a colher assinaturas para que a ideia seja apreciada no Conselho Deliberativo do clube.

O projeto foi apresentado por Maurício Rodrigues de Souza Neto, ex-candidato à presidência do Flamengo e filho do ex-mandatário do clube Hélio Maurício. O modelo de administração seria parecido com o do Allianz Parque, do Palmeiras, com um grande investidor pagando a construção da estrutura. De acordo com os idealizadores, isso tudo a custo zero para o Rubro-Negro.

 O projeto está finalizado e foi entregue ao Flamengo em agosto do ano passado. Havia um termo de confidencialidade para que nada vazasse. Maurício Rodrigues garante que tem tudo organizado e depende apenas de um sinal verde do clube para iniciar os trabalhos.


– Se derem o OK, partimos para a construção. É totalmente padrão Fifa, tipo alçapão. A torcida fica a sete metros do campo. Todos os lugares são cobertos – garante Maurício.

O ex-candidato disse ainda que rodou por 38 terrenos até encontrar o ideal. Antes da achar uma opção mais viável em Pedra de Guaratiba, havia interesse de construir este estádio em Caxias, Baixada Fluminense, mais especificamente num terreno da Marinha. Contudo, não deu.

 O projeto foi idealizado por Eduardo Castro Mello, o mesmo que desenhou o atual Mané Garrincha, em Brasília.

Procurado pela reportagem, o vice-presidente de patrimônio do Flamengo, Alexandre Wrobel, disse que é preciso ter muita cautela quando o assunto é estádio próprio do clube.

– Não vamos agir de forma irresponsável, temos que analisar e não só se empolgar com vídeo de uma maquete. Todo mundo quer um estádio, mas precisamos ter responsabilidade, pés no chão e cabeça no lugar – comentou o dirigente.

FLAMENGO CRIA GRUPO DE ESTUDOS POR ESTÁDIO. HÁ DUAS OPÇÕES, ALÉM DE PROJETO EM PEDRA DE GUARATIBA


Sonhando com um estádio próprio, o Flamengo criou há alguns meses um grupo de estudos para tratar do assunto estádio. O LANCE! apurou que há três ideias sendo analisadas: a construção do projeto sugerido por Maurício Rodrigues, a ampliação da Gávea ou a administração do Maracanã. Vice-presidente de patrimônio do clube, Alexandre Wrobel falou sobre esta congregação, mas não especificamente sobre quais esboços.

– Criamos um grupo de estudos para tratar de estádios, este grupo vem se reunindo periodicamente há pelo menos quatro meses. Estamos estudando todos os estádios que foram feitos para a Copa do Mundo. Quando chegarmos a uma conclusão, vamos levar o negócio adiante – disse.

Conforme o LANCE! noticiou recentemente, o clube trata a Gávea com certo otimismo e acredita que a situação “está caminhando”. Contudo, o caso ainda está na fase de projetos e discussão de viabilidade. Afinal, há empecilhos para a construção de uma arena naquele local.

Atualmente, o Estádio da Gávea recebe partidas das categorias de base do Flamengo e tem capacidade para cerca de quatro mil pessoas.

PROJETO VAI ALÉM DE ESTÁDIO

O projeto de construção do estádio próprio do Flamengo inclui também um amplo estacionamento, um shopping e ainda uma escola. A ideia, inclusive, já foi discutida junto à Prefeitura do Rio de Janeiro.

Pelo projeto, ficou estabelecido que o Flamengo teria 100% do estádio em 30 anos. Neste meio tempo, a estrutura seria, em partes, dos investidores. Eles receberiam participações pelo o que for gerado na arena, mas não com bilheteria, integral do Rubro-Negro. Os idealizadores projetam arrecadação anual de R$ 100 milhões.

Livre no mercado, Leandro Damião entra na mira do Flamengo


 O Flamengo negocia na surdina um importante reforço para a sequência do Campeonato Brasileiro e a disputa da Copa Sul-Americana. Trata-se do centroavante Leandro Damião, de 26 anos. O jogador tem caminho livre para assinar com quem quiser e tem interesse em vestir a camisa do Mengão.

Damião retornou do Betis (ESP) e, apesar de ter contrato com o Santos, possui liberdade para definir seu destino. No acordo com o clube paulista, ele fica livre para fechar com quem quiser desde que seu salário seja bancado por quem adquirí-lo. É o que o Flamengo precisa acertar.

A possibilidade maior, caso o Rubro-Negro avance nas tratativas, é que Damião seja contratado por empréstimo. A diretoria do clube carioca, no entanto, nega e diz que trata-se apenas de uma especulação.

O jogador entrou na Justiça contra o Santos  em 2015 e este ano as partes entraram em acordo, da seguinte forma: o clube paulista paga a ele em parcelas o que deixou de pagar no ano passado e dá 18 meses de “liberdade” pra ele jogar onde quiser. Depois desses 18 meses, se o clube interessado não pagar um valor “x”, o contrato dele volta a valer com o Santos. Mas ele não volta ao clube, só volta a valer pra ele procurar outro destino.

A diretoria do Flamengo entende que é preciso contratar um jogador para substituir Paolo Guerrero, pelo fato de contar apenas com o jovem Vizeu, de 20 anos. No entanto, a possível chegada de Leandro Damião poderia culminar na saída do peruano, já que no clube o reforço cogitado é visto como de primeira linha, com condições de ser titular.

Damião despontou pelo Internacional em 2010, quando marcou um gol na final da Libertadores, conquistada pelos gaúchos. Ganhou projeção e chegou à Seleção Brasileira. Foi titular em parte da Olimpíada de Londres, em 2012, na conquista da medalha de prata. Depois, no entanto, caiu de produção e não conseguiu render no Santos, no Cruzeiro, tampouco no Betis.

Já Guerrero, por sua vez, adiou seu retorno ao clube depois da disputa da Copa América. A representação dele estava previsto para esta segunda-feira, mas ele pediu para voltar aos treinos nesta terça, quando é aguardado pela comissão técnica.

Contratado ano passado a peso de ouro do Corinthians, nunca rendeu o esperado, apesar de a diretoria vê-lo como ídolo. Em 41 jogos, marcou 13 gols, nove este ano, em 23 jogos.

Guerrero fica no Rio e não viaja com o Flamengo para enfrentar o Santa Cruz


Guerrero treino Flamengo (Foto: Fred Gomes/GloboEsporte.com)
Guerrero voltou da Copa América, mas nem tanto. Ele ainda segue fora do time do Flamengo. O atacante peruano se apresentou nesta manhã no Ninho do Urubu, após embarcar nesta manhã em Lima, mas não participou das atividades de campo. Ele não embarca com a delegação para Recife nesta tarde e vai ser preparado para a partida do fim de semana contra o Fluminense, em Natal. 

Na atividade desta manhã, Guerrero nem calçou chuteiras. O clube divulgou imagens do camisa 9 rubro-negro pedalando na academia. A última partida do peruano com a camisa rubro-negra completa um mês nesta quarta-feira. Guerrero jogou os 90 minutos da derrota do Flamengo para o Grêmio, no dia 22 de maio, antes de viajar para os EUA e se apresentar à seleção peruana. 

Artilheiro das últimas duas edições de Copa América - fez cinco gols na Argentina, em 2011, e quatro gols no ano passado, na competição disputada no Chile -, na edição centenária o jogador do Flamengo marcou uma vez nas quatro partidas que disputou.

Após o treino desta manhã, o meia William Arão comentou o retorno do atacante. Ele disse que o jogador se encaixa bem em qualquer time e afirmou que Guerrero voltou com o pensamento em permanecer no Rubro-Negro.

- Ele está sempre muito tranquilo, está sempre brincando, sempre feliz. Perguntei para ele se tinha dormido mal, mas está sempre muito tranquilo, cara super alto astral. Não acompanho notícias, mas acredito que ele esteja com a cabeça somente no Flamengo - disse Arão.

Guerrero se despediu da Copa América com o Peru na última sexta-feira, ao ser eliminado pela Colômbia nos pênaltis. Ele voltou para a capital peruana e era aguardado inicialmente nesta segunda-feira, mas ficou um dia a mais em seu país. O Flamengo deve divulgar ainda nesta terça-feira um vídeo com o atacante falando de sua preparação para a partida de domingo contra o Fluminense, em Natal, no clássico que será realizado na Arena das Dunas.

Mais cedo, no aeroporto em Lima, o atacante do Flamengo comentou os rumores sobre uma possível troca de clube. Jornais do Peru e da Argentina destacam interesse do Boca Juniors no camisa 9 do Flamengo. Guerrero lembrou que tem contato com o clube brasileiro, mas não fechou as portas para eventual saída.

- Não, não (sei de interesse do Boca), eu tenho contrato com o Flamengo. Não sei nada sobre o Boca, estou indo para o Brasil. No futebol não se descarta nada, mas eu sou jogador do Flamengo e estou bem lá. Quem não gostaria de jogar em uma equipe tão grande como o Boca? Qualquer profissional, mas sou jogador do Flamengo. Seguirei no Flamengo - disse, em entrevista ao canal "Gol Peru". 


CBF confirma partida entre Flamengo e Internacional para Cariacica


A partida entre Flamengo e Internacional, marcada para o próximo dia 29, uma quarta-feira, será em Cariacica, no Espírito Santos. Num primeiro momento, o Rubro-Negro pretendia levar o confronto para Volta Redonda, mas mudou de ideia. A diretoria de competições da CBF informou nesta segunda-feira sobre a definição do local.

Estádio Kleber Andrade, em Cariacica (Foto: Sidney Magno Novo/GloboEsporte.com) 
Estádio Kleber Andrade vai receber a partida no dia 29 de junho (Foto: Sidney Magno Novo/GloboEsporte.com)


O jogo, válido pela 12ª rodada do Brasileirão, será no estádio Kleber Andrade por opção do Rubro-Negro, que é o mandante. A partida será às 19h30m (de Brasília).

O Flamengo segue sua peregrinação pelo país. Apesar de ter escolhido Volta Redonda e Brasília como casas durante o Brasileiro, o clube não está satisfeito com os dois palcos e busca alternativas.


Meyinsse parabeniza os Cavs e brinca: "Com mais 4 chegam no Flamengo"


O pivô americano Jerome Meyinsse, do Flamengo, brincou com os Cavs no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter) 
O pivô americano Jerome Meyinsse, do Flamengo, brincou com os Cavs no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter)
 
Campeão da última edição do NBB (Novo Basquete Brasil) há pouco mais de uma semana, o pivô americano Jerome Meyinsse, do Flamengo, parabenizou o Cleveland Cavaliers, que conquistou o título da temporada 2015/2016 da NBA neste domingo. 

Na mensagem postada nas redes sociais na internet nesta segunda-feira, o jogador rubro-negro manteve o seu habitual estilo brincalhão e mandou um recado para os Cavs. O "grandão" lembrou que o Fla já conquistou cinco vezes o troféu do NBB, enquanto a franquia de LeBron James e companhia ganhou apenas a sua primeira taça na história.

- Parabéns, Cleveland. Com mais quatro vocês chegam no Flamengo - escreveu Meyinsse, em sua conta oficial no Twitter.

Técnico com mais títulos na história do NBB, Neto renova com o Flamengo

Nem a saída do patrocinador master do time de basquete do Flamengo, confirmada pelo clube no fim de semana passado, foi capaz de impedir a permanência de José Neto. Campeão das últimas quatro temporadas com o Rubro-Negro e treinador mais vitorioso da história do NBB, o assistente do técnico Rubén Magnano na seleção brasileira continuará na Gávea. O acerto, que se arrastou entre reuniões e questões contratuais por quase uma semana, finalmente ocorreu nesta segunda-feira e terá duração de duas temporadas. Funcionários do clube, os membros da comissão técnica também continuam.

Flamengo Neto campeão NBB8 comemoração (Foto: André Durão) 
Tetracampeão, José Neto estendeu seu vínculo com o Flamengo por mais duas temporadas (Foto: André Durão)

- Quando cheguei ao Flamengo em 2012, mais do que construir uma equipe vencedora, coloquei como objetivo fazer com que o basquete rubro-negro se tornasse uma referência no Brasil. Para isso era importante criar um grupo de trabalho que fosse condizente com este objetivo. Acredito que hoje o Flamengo tem um trabalho que é considerado de excelência. Agradeço à diretoria por me permitir continuar este trabalho e assumir a responsabilidade dos novos desafios que virão nesta próxima temporada - afirmou José Neto.

Após acertar a permanência de José Neto, a diretoria do Flamengo agora deverá focar seus esforços na montagem da equipe que disputará a temporada 2016/2017. Do atual elenco, apenas o ala Marquinhos tem vínculo com o clube da Gávea. Além dele, a comissão técnica rubro-negra deve optar pela permanência da base que conquistou o tetracampeonato do NBB.

Mas como em todo fim de temporada, as especulações já começaram a pipocar. Principalmente depois que o principal investidor da equipe de Bauru anunciou nesta segunda-feira a redução dos investimentos do time paulista e a rescisão dos contratos de todos os jogadores. De acordo com o gestor da equipe, Vitinho Jacob, a medida não significa o fim do time vice-campeão brasileiro, mas e sim uma forma de renegociar os vínculos e reduzir o salário dos atletas de acordo com a nova realidade do clube.

Embora nenhum dirigente ou membro da comissão técnico rubro-negra tenha se pronunciado até o momento sobre quem fica e quem saí, fortes rumores dão conta que o armador Ricardo Fischer e o pivô Rafael Hettesheimeir interessam ao clube carioca. Além da dupla vice-campeã do NBB com Bauru, outro nome em pauta seria do ala da seleção argentina, Selem Safar. Atualmente, o jogador de 28 anos defende o Obras Basket, de Buenos Aires.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Versátil e da Seleção sub-17, Klebinho renova com o Flamengo até 2019




O lateral-direito e meio-campista Klebinho, campeão da Copa São Paulo com o Flamengo no início do ano, renovou contrato com o clube até dezembro de 2019.

Klebinho, 17 anos, é capaz de atuar como lateral, volante ou meia, e disputou o Mundial Sub-17 de 2015 pela Seleção brasileira com a camisa 2. Na Copinha, ele não foi titular, mas entrava com frequência na equipe comandada por Zé Ricardo. Ele perdeu um pênalti na disputa contra o Corinthians na decisão.

Guerrero surpreende Flamengo e pede para ficar mais um dia no Peru


Guerrero Peru x Colômbia Copa América (Foto: AP)
O atacante Paolo Guerrero pegou de surpresa o Flamengo e pediu para voltar aos treinos no Ninho do Urubu somente nesta terça-feira. Esperava-se que o peruano se reapresentasse na tarde desta segunda, mas ele pediu para ficar mais um dia no Peru, onde resolveria questões pessoais.

Vale destacar que Guerrero jogou na última sexta-feira, quando a seleção peruana foi eliminada pela Colômbia da Copa América Centenário - caiu nos pênaltis após empate por 0 a 0.

Após a queda na competição sul-americana, o camisa 9 seguiu juntamente com seus companheiros para Lima e tinha seu retorno ao Brasil previsto para esta segunda.

O Flamengo conta com Guerrero para o treino desta terça-feira. Como a volta foi adiada, a participação do jogador mais caro do elenco rubro-negro contra o Santa Cruz, nesta quarta-feira, às 21h, no Recife, passa a ser incerta.

Arena das Dunas espera por renda recorde para Flamengo x Flu


O clássico entre Flamengo e Fluminense, marcado para o próximo domingo, promete ser o jogo com maior público este ano na Arena das Dunas. A venda de ingressos já foi iniciada e a expectativa do consórcio que administra o estádio é de que mais de 30 mil pessoas possam acompanhar a partida em Natal, o que deve gerar uma renda superior a R$ 2 milhões. Este montante seria superior à marca de R$ 1,6 milhão obtida no confronto entre Flamengo e Avaí, pelo Brasileirão de 2015.

- A expectativa é de que a renda ultrapasse os R$ 2 milhões e seja superior ao do jogo entre Flamengo e Avaí, no ano passado, que chegou a cerca de R$ 1,6 milhão. Para isso, estamos trabalhando muito forte e, se esse jogo der certo e sair conforme o nosso planejamento, eu prometo outros dois jogos envolvendo clubes grandes até o fim desse ano na nossa Arena - ressaltou o diretor-presidente da Arena das Dunas, Mauro Araújo, que não revela o valor que será repassado ao Flamengo.




Na última vez em que foi realizado na região Nordeste, o Fla-Flu atraiu mais de 45 mil pessoas ao Estádio Amigão, em Campina Grande. A partida foi realizada no dia 18 de outubro de 1995 e terminou com um empate sem gols. Confirmado pela Arena das Dunas há cerca de 20 dias, o jogo em Natal ainda não havia sido publicado pela CBF em razão do julgamento do Flamengo no Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Desde que recebeu o sinal verde da CBF, a organização corre contra o tempo para atingir a meta das vendas. O consórcio considera alto o investimento feito, admite o risco, mas acredita que a valorização do evento poderá cobrir as despesas para a realização da partida.

- É um produto que tem um apelo de venda muito grande, que já é consagrado como um dos grandes clássicos do mundo. A última vez que o Fla-Flu ocorreu na região Nordeste foi em 1995, em Campina Grande. Ficou na história para muita gente e essa oportunidade é muita rara. Quantas pessoas estarão nesse jogo? Planejamos mais de 30 mil, que é uma coisa inédita para nós. Por isso, o jogo foi planejado pela nossa equipe, que negociou diretamente com o Flamengo, que é o clube mandante. Nos reunimos internamente para chegar à decisão e convencer os acionistas, porque é um investimento alto. Todos os custos precisam ser antecipados, como as passagens aéreas e com voo fretado saindo de Natal para o Rio de Janeiro já contratados; os hotéis que são os melhores da nossa cidade na Via Costeira; toda a parte de logística sob nossa responsabilidade, desde a chegada a Natal até o embarque final. É uma operação que precisa ser muito bem trabalhada - explicou Mauro.

Fora o Rio de Janeiro, outras 13 cidades, sendo uma espanhola, já receberam o clássico entre Flamengo e Fluminense: Niterói, Volta Redonda, Brasília, Fortaleza, Aracaju, Recife, Salvador, Campina Grande, Goiânia, Juiz de Fora, Porto Alegre, São Paulo e La Coruña, na disputa do Troféu Teresa Herrera. Para que a passagem do Fla-Flu em Natal possa ficar na história dos clubes, o diretor-presidente da Arena das Dunas promete muito trabalho até o apito final da partida.

- Nós estamos dando um passo muito grande com a nossa arena, porque quem compete para ter esse evento são arenas como a de Brasília e Manaus, que colocam 60 mil pessoas no estádio e que têm o dobro da nossa capacidade, o que é uma vantagem para gerar receitas sobre nós. Mas o que podemos oferecer aos clubes e, principalmente, aos torcedores é uma qualidade nos nossos serviços e que vai refletir na organização nas vendas dos ingressos, no acesso ao público e na logística para os times que ficarão quatro dias na nossa cidade - concluiu.


Rapidinhas do Mengão


O trabalho de Zé Ricardo no Flamengo: "Evolução é nítida"
Flamengo foi melhor que São Paulo no empate no Mané Garrincha é grande o crescimento tático da equipe sob comando do jovem treinador

Grana x resultados
Sem o Maracanã, o Flamengo elegeu como palco ideal o Mané Garrincha, onde passou a jogar com boa frequência desde a reforma do estádio, em 2013. Os resultados financeiros são ótimos. Em 17 jogos, o público total foi de 597.389 presentes (média de 35.140 por partida) e a arrecadação bruta de R$ 38.549.875 (R$ 2.267.639,7 por confronto), mas os resultados esportivos, em contrapartida, deixam muito a desejar. Some-se a isso a insatisfação de atletas com constantes viagens e a qualidade do gramado. 

Flamengo faz silêncio, mas trata contratação de Donatti com otimismo
Negociação caminha bem, e clube espera ter uma definição positiva sobre o zagueiro argentino esta semana

Bandeira elogia, mas não efetiva Zé Ricardo: “No momento, é o técnico”
Presidente diz que avaliação do interino é excelente, mas não bate martelo

Zé Ricardo dá 10 a Alan Patrick, mas ressalta: “Se faz o pênalti, seria 11”
Técnico do Flamengo absolve o meia do erro que custou a vitória ao time contra o São Paulo, já nos acréscimos. Evolução do time agrada

Alan lamenta pênalti perdido: "Tentei caprichar e tirei demais. Merecíamos"
Meia diz que Flamengo merecia vencer e destaca dedicação "monstruosa" da equipe neste domingo, contra o São Paulo, no Estádio Mané Garrincha