Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Primeiro treino de Luxa

LUXA COMANDA PRIMEIRO TREINO NA 
VOLTA AO FLA: SIGA EM TEMPO REAL (Thales Soares)








FOTOS: veja imagens das passagens de Luxemburgo pelo Flamengo





 

 


Em pesquisa, internautas culpam jogadores e diretoria por crise no Flamengo



O Flamengo vive uma momento de turbulência. O time está em último lugar do Brasileirão, tem a pior defesa da competição e já trocou de técnico duas vezes neste ano. Para os internautas do "Arena SporTV", a péssima fase do clube tem dois grupos como grandes responsáveis: os jogadores e a diretoria. Em enquete realizada pelo programa, houve um empate técnico entre os dirigentes, qyue tiveram 43,33% dos votos, e o elenco, que somou 43,21%. Uma diferença de apenas seis votos dentre os 4.874 computados.

Na opinião dos espectadores do Arena, a comissão técnica é a menos culpada pela crise na Gávea. Teve apenas 13,46% dos votos. Esta opinião parece não ser a mesma da diretoria, já que minutos após a publicação da pesquisa, demitiu Ney Franco e anuniciou Vanderlei Luxemburgo como treinador do Flamengo.

A estreia do novo técnico será no próximo domingo, no Maracanã, quando o Flamengo faz clássico contra o Botafogo.

Bastidores: como e por que o Flamengo voltou a Luxemburgo


Ney Franco comanda treino do Flamengo (Foto: Divulgação/Flamengo)
Sete jogos sem vitória, recordes negativos empilhados às costas e a lanterna com luz potente e reluzente do Campeonato Brasileiro na mão. Ney Franco tornou-se um problema que a diretoria do Flamengo concluiu que precisava sanar antes do clássico contra o Botafogo, no próximo domingo. Mas até chegar à contratação de Vanderlei Luxemburgo, opositor da atual diretoria nas eleições de 2012, foi necessária uma reflexão interna.

A primeira etapa foi admitir o erro ao manter Ney durante a Copa do Mundo. Mais do que resultados, o técnico errou nas escalações, substituições e decepcionou os dirigentes pela insegurança. Apresentou um Flamengo assustador ao torcedor que clamava por atuações menos previsíveis – calcadas em contragolpes - após a saída de Jayme de Almeida.

O recado final de desorientação transmitido por Ney Franco ocorreu no jogo contra o Inter. Após treinar o 3-5-2 durante a maior parte da intertemporada e executá-lo - sem sucesso - na derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, o técnico chutou o esquema para o alto por causa da lesão de Samir. Mostrou aos zagueiros reservas Erazo (ao saber que não jogaria pediu para não viajar e rescindirá o contrato), Marcelo, Frauches e Fernando que não confiava neles. Para piorar, colocou Márcio Araújo na lateral direita e deslocou Léo Moura para uma estranha posição de volante/meia/ponta que não funcionou. A goleada por 4 a 0 diante do Internacional implodiu a confiança nele. 

A etapa seguinte foi deparar-se com um deserto de treinadores atraentes. Desde domingo, os caciques concordavam em um ponto: “Temos que demiti-lo”. Mas na frase seguinte lotavam-se de interrogações: “Mas quem vamos contratar?”. Apesar de oficialmente fora do cargo, Wallim Vasconcellos segue atuante no departamento de futebol e desde domingo ouviu conselhos para intervir e contratar “pessoas do ramo”, que habitassem o pantanoso ambiente boleiro há mais tempo. Logo pipocou o nome de Vanderlei Luxemburgo , considerado “malandro” para lidar com o grupo e suficientemente forte para aguentar a pressão da torcida e da mídia. 

 No meio do caminho houve o componente político. A diretoria demitiria Ney Franco de qualquer forma. O consenso era esse. Mas o ultimato do grupo de ex-presidentes a Eduardo Bandeira de Mello na noite de segunda-feira – um dos itens era a “imediata saída do treinador” - deu a impressão de que a mudança seria ceder às pressões. 

Líderes do grupo, Marcio Braga e Kleber Leite sempre foram contrários a Luxa no Flamengo. O primeiro, após as críticas públicas que sofreu do treinador em 1991, sempre usou palavras pouco elogiosas para defini-lo. O segundo, ao comprar a briga de Romário com o técnico e demiti-lo em 1995, saiu do grupo de admiradores do treinador.

Curiosamente, as ressalvas ao nome foram esquecidas e ambos aprovaram publicamente a contratação. Marcio falou ao jornal Lance que a “crise foi espanada”, e Kleber Leite publicou em seu blog que foi uma “tremenda bola dentro”. Nas entrelinhas, deixaram a mensagem: nós impusemos e exigimos mudanças, e eles aceitaram. Transmitiram uma ideia de força. Nem certa e nem errada. 

Se a diretoria decidisse pelo confronto teria muito a perder. Principalmente no Conselho Deliberativo. Há pautas importantes pendentes (Morro da Viúva, garantias ao Banco Central para desbloqueio de verba) e os grupos políticos, descontentes com o rumo do futebol, tenderiam a travar os anseios da situação nas votações.  

O Flamengo até tinha atrativos para o novo comandante: oferecia um salário alto e visibilidade. Porém, um a um, os pretendidos escaparam da mira. Tentou-se Tite, a opção mais óbvia, mas ele não aceitou conversar. Via empresário Léo Rabello, o clube buscou informações contratuais do argentino Jorge Sampaoli, técnico da seleção chilena. O papo não evoluiu. Em Santos, comentou-se que Oswaldo de Oliveira também recebeu uma sondagem. Nada.

A sugestão por Vanderlei, viva desde a noite de domingo, voltou a ser considerada. O treinador enfrentou problemas familiares delicados nos últimos meses e aceitou a oportunidade. Promessa ou não, fugiu da exigência por reforços. Garantiu aos dirigentes que vai “martelar a construção com os pregos que tem” e fugirá do rebaixamento com tranquilidade. Nas conversas, demonstrou profundo conhecimento do elenco atual (“Sabia mais do que Ney Franco”, pontuou um deles) e elegeu como um dos grandes problemas da campanha ruim o alto número de jogadores acima de 30 anos escalados no time titular. 

No plano de ação que recebeu dos dirigentes, o Flamengo terá um orçamento generoso para investir em reforços na próxima temporada. Vanderlei acreditou e tem convicção de que o trabalho no Rubro-Negro o alçará de novo à luz potente. Dos holofotes, não da lanterna.



quarta-feira, 23 de julho de 2014

Flamengo ainda espera regularização de Canteros e Eduardo da Silva


Canteros Treino Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)Depois de contratar o técnico Vanderlei Luxemburgo, o Flamengo espera colocar à disposição o argentino Canteros e o atacante Eduardo da Silva para o jogo com o Botafogo, domingo, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. A dupla de reforços ainda não teve o nome divulgado no boletim informativo diário (BID) da CBF, o que deve acontecer nesta quinta-feira.

Canteros chegou ao Flamengo na reta final da parada para a Copa do Mundo. O clube não conseguiu regularizá-lo para os confrontos com Atlético-PR e Internacional pela falta do documento de transferência que deveria ser enviado pela Associação do Futebol Argentino.

Já Eduardo da Silva chegou na semana passada ao Flamengo. O jogador estava no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, e também dependia apenas da chegada da documentação da federação ucraniana.

Segundo a diretoria do Flamengo, ambos devem ser regularizados nesta quinta-feira. Com isso, Vanderlei Luxemburgo já poderá iniciar a preparação do time para o clássico com os dois jogadores à disposição.

Eduardo da Silva Treino Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
Eduardo da Silva já treina, mas espera a regularização (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Sem mágoas, Jade Barbosa acerta retorno ao Flamengo: ''Muita saudade''


É como se Jade Barbosa tivesse voltado no tempo. O mesmo prédio, o mesmo ginásio e até o mesmo sonho de quando era apenas uma menina de cinco anos. Depois de quase um ano e meio longe do clube em que cresceu, a ginasta está de volta ao Flamengo. Após um período de conversas e negociações para o retorno, a atleta esteve na sede da Gávea nesta quarta-feira para a assinatura do seu novo contrato com o Rubro-Negro. Apesar de toda a maturidade que ganhou em tanto tempo no esporte, a alegria era de uma iniciante. 

Jade Barbosa ginástica Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / FlaImagem) 
Jade Barbosa está de volta ao Flamengo depois de quase um ano e meio (Foto: Gilvan de Souza / FlaImagem)

- Já estava com muita saudade. Imagina, entrei aqui com cinco anos. E fiz parte de toda a história. Estava treinando com as meninas e não podia vestir o uniforme (em Três Rios, com a seleção). Nossa, graças a Deus a gente conseguiu acertar. Estou muito, muito, muito feliz. Eu cheguei ali na varanda e pensei: ''Nossa, que saudade deste clube''. Realmente, é uma segunda casa. Engraçado, a gente já estava para fechar contrato, mas falavam “Calma, só mais uma semana”. E eu: “Pelo amor de Deus, eu quero botar o uniforme. Eu quero ir para o Campeonato Brasileiro com o uniforme do Flamengo. Por favor”. Eu já estava com muita vontade de voltar. É muito bom estar em casa. Chegar e ver que o meu nome está na calçada da fama. Realmente, aqui que eu cresci - disse Jade. 

Jade Barbosa ginástica Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / FlaImagem)Em março do ano passado, ela fez parte do grupo de ginastas que foi dispensado após o clube anunciar o fim do apoio à modalidade. Nomes como Diego e Daniele Hypolito e Sergio Sasaki também se despediram da Gávea. Na ocasião, os novos dirigentes rubro-negros alegaram que houve um déficit de R$ 14,5 milhões no departamento olímpico em 2012 e que o custo das duas equipes juntas chegava a R$ 2 milhões por ano. Eles informam ainda que tentaram, sem sucesso, pedir ajuda a duas esferas do governo e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

- A gente conversou muito quando foi mandado embora. O que realmente a gente ficou chateado foi do jeito que foi, mas a gente nunca deixou de ser Flamengo. Eu, pelo menos, nunca tive problema nenhum com o Flamengo. Acho que foi só um mal-entendido pelo jeito que foi feito. Mas passou. Eu tenho 17, 18 anos de Flamengo. É muito tempo. Acho que isso não afeta esse tempo todo. Mesmo assim, a vontade de voltar e de estar aqui de novo era tanta. Sempre deixei bem claro que nunca teria problema em voltar se fosse conversado, se a gente entrasse em um acordo – explicou a ginasta.

Jade Barbosa chega desta vez para ser modelo de referência e exemplo para as atletas de base do clube, como Rebeca Andrade, umas das principais promessas. Enquanto o ginásio da Gávea não fica 100% pronto e aguarda aparelhagem, a equipe rubro-negra permanece no centro de treinamento de Três Rios. A atleta volta a treinar de perto com o técnico Ricardo Pereira, do Flamengo, que a conhece desde a infância. 

- Quando eu saí, as meninas eram bem pequenas. Um ano na ginástica faz muita diferença. Eu voltei e elas até acharam estranho quando voltei lá para Três Rios, porque a gente tinha ficado um ano longe e elas mudaram muito. Mas estou me dando superbem com elas, acho que elas e eu estamos acrescentando muito no treino. Vem uma equipe muito forte para 2016, e o Flamengo tem 90% da seleção. Estou muito feliz de fazer parte dessa história, ainda mais como Flamengo. As meninas estão muito felizes, e eu mais ainda. Não consigo nem falar direito - disse, emocionada. 

Jade Barbosa ginástica Flamengo (Foto: Amanda Kestelman) 
Com camisa personalizada, Jade Barbosa comemorou voltar a vestir as cores do Flamengo (Foto: Amanda Kestelman)

No ano passado, Jade Barbosa estava treinando no Centro de Excelência de Ginástica, o Cegin, em Curitiba. Recentemente, estava treinando em Três Rios, que também é base da seleção. Aos 23 anos, ela foi medalhista em dois campeonatos mundiais. No individual geral, em 2007, e no salto, em 2010. Ela disputou os Jogos Olímpicos de Pequim 2008, mas ficou fora de Londres 2012 por divergências com a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG). De volta ao Flamengo, ela comemora voltar a ter suporte para focar apenas nos treinamentos.

- Quando fiquei um ano fora, me desestabilizei, me machuquei. Voltar e saber que você vai estar em casa, que vai ter gente para te acolher, receber, que você vai ter um ginásio, que você vai ter uma estrutura, faz toda diferença. O atleta consegue só treinar, o atleta não tem que estar preocupado com outras mil coisas. E realmente a gente está com todo suporte. É todo processo certo para, em 2016, a gente conseguir a primeira medalha da ginástica feminina – destacou a atleta.

O contrato de Jade é até o fim deste ano, já que foi feito através do projeto de incentivo ao esporte. A intenção é seguir renovando com a atleta. Na próxima semana, ela já compete no Campeonato Brasileiro, em Aracaju. Depois, o Pan-Americano de Ginástica, no Canadá, e no Mundial, da China. A atleta se mostrou confiante e enalteceu o trabalho do técnico russo Alexander Alexandrov, que está desde o ano passado no comando da seleção feminina.

- O Alexander chegou e está fazendo a gente acreditar muito. Tenho certeza que o Brasil vai ter uma ótima colocação. Não tem escapatória.

Dirigente vê Jade como símbolo e espera ginásio pronto em setembro

Vice-presidente de esportes olímpicos do Flamengo, Alexandre Póvoa comemorou o retorno de Jade Barbosa. Para o dirigente, a ginasta é considerada um símbolo de um processo de reconstrução do esporte olímpico rubro-negro.   

Jade Barbosa, ginástica artística, Flamengo (Foto: Amanda Kestelman)- Aquele incêndio no ginásio (em novembro de 2012) acabou sendo simbólico. A ginástica artística do Flamengo teve que dar uns passos atrás para dar alguns para frente. Hoje nós temos uma Lei de Incentivo, a ginástica artística é totalmente sustentável no Flamengo. Os atletas estão começando a voltar, atletas de alto nível.  A gente está cumprindo o que a gente prometeu. O ginásio sendo reconstruído, em setembro a gente vai ter equipamentos cedidos pelo COB, uma equipe forte de volta. Aquele sonho de fazer esporte olímpico sem dinheiro, com dinheiro do futebol, era uma coisa que não era boa para ninguém. Graças a Deus estamos conseguindo fazer isso aos poucos.  A ginástica artística é a primeira junto com judô, esportes aquáticos. O basquete já é uma realidade. Para nós, a volta da Jade é uma alegria muito grande.

Por enquanto, a equipe de ginástica do Flamengo permanece treinando em Três Rios. De acordo com Póvoa, o ginásio Claudio Coutinho deve voltar a receber os atletas em setembro, já com novos equipamentos que serão cedidos pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

- O ginásio reabriu mês passado, mas ainda com equipamentos emprestados pela Prefeitura. A gente deve acabar o ginásio provavelmente nos próximos 45 dias. Acredito que em setembro você tenha o ginásio pronto, em alto nível para as atletas estarem voltando.   

O esporte olímpico do Flamengo espera receber mais investimento neste ciclo olímpico. Além de investimentos previstos para uma nova arena do judô e em um projeto de um ginásio de basquete, o clube trabalha a possibilidade de remontar uma equipe de natação. 

- A piscina é um grande desafio que a gente tem ainda. Estamos com a Lei de Incentivo aprovada, estamos com um dinheiro da Lei Pelé que deve entrar no segundo semestre. A ideia é que a gente remonte uma equipe de natação, de uma forma autossustentável. Isso tudo é a profissionalização do clube inteira. Temos o Marcelo Vido (diretor de esportes olímpicos), que basicamente toca tudo isso no esporte olímpico do Flamengo, e temos uma baluarte da ginástica artística do Flamengo, a Luísa Parente (gerente de ginástica do clube), que foi a primeira grande campeã de ginástica artística do Flamengo, tocando tudo isso - completou.

Al-Rayyan, do Catar, demonstra interesse em contratar Mugni

O meia Lucas Mugni, de 22 anos, pode deixar o Flamengo. O Al-Rayyan, do Catar, tem interesse na contratação do atleta. Mugni tem apenas 21 jogos e três gols pelo Rubro-Negro.

Mugni, revelado pelo Colón-ARG, assinou contrato de quatro anos com o Flamengo no último dia 16 de janeiro. A negociação custou aos cofres rubro-negros cerca de R$ 3 milhões.

O argentino estreou no dia 5 de fevereiro, quando o Flamengo goleou por 5 a 2 o Boavista. Fez seu primeiro gol no dia 23 do mês seguinte, nos 5 a 3 sobre a Cabofriense. Seis dias depois, marcou outros dois nos 3 a 1 sobre mesmo adversário. O triunfo classificou o Fla à final do Carioca.

D'alessandro Internacional e Lucas MUgni Flamengo Estádio Beira-Rio (Foto: Agência Getty Images) 
Mugni participou do jogo contra o Internacional, no último domingo (Foto: Agência Getty Images)

Felipe Ximenes diz que André Santos negocia rescisão e se cala sobre Elano


Felipe Ximenes Flamengo (Foto: Thales Soares)A quarta-feira segue intensa no Flamengo. Antes do treino, o diretor de futebol do clube, Felipe Ximenes, concedeu entrevista coletiva no Ninho do Urubu. O tema central era a chegada de Vanderlei Luxemburgo para o cargo de técnico do time no lugar de Ney Franco, mas as situações de André Santos, Elano e Erazo roubaram a cena e formaram o assunto da maior parte das perguntas. O dirigente revelou que o empresário do lateral-esquerdo, Carlos Leite, está na Gávea negociando uma possível rescisão de contrato e admitiu ter conversado com o jogador na reapresentação do elenco, na última terça-feira - quando o atleta alegou ter sido informado de seu desligamento do clube. André não foi ao CT e aguarda uma posição de seu agente e advogados. Uma solução pode ser tomada ainda nesta quarta-feira.

- Quando me perguntaram se havia sido rescindido disse que não. Não falei que não havia conversado. É um tema certamente que cabe ao Flamengo querer se posicionar abertamente ou não. Não podemos esquecer que temos uma versão. O representante dele está negociando o acordo ao longo do dia, esperando a negociação da melhor forma possível. O teor da minha conversa ele sabe qual foi e não vou expor aqui. O clube ao se posicionar oficialmente sobre uma rescisão está assumindo uma posição que não tem condição de se negociar. Deixei claro que não estava rescindido e não está. Pode parecer questão de semântica, mas é importante para uma negociação. O clube procura fazer de forma amigável. A partir do momento em que assume posição unilateral tem que responder - explicou o diretor, garantindo que uma possível saída de André Santos não tem relação com o episódio de agressão sofrida pelo jogador no último domingo, na saída do estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

Ximenes confirmou também o processo de rescisão com o zagueiro Erazo - que tem propostas do futebol europeu - mas se calou sobre Elano. O meia, contratado por empréstimo de um ano no começo desta temporada, entrou em acordo com o Flamengo na última terça-feira para deixar o clube. Porém, o dirigente se negou a comentar sobre o assunto.

- O caso do Elano não foi tratado oficialmente pelo clube - limitou-se a dizer sobre o jogador, que deve voltar ao Grêmio, com quem tem contrato até o fim do ano.

Saída de Ney Franco

Durante o anúncio de Luxemburgo como treinador do clube até o fim de 2015, Ximenes comentou sobre a saída de Ney Franco, amigo pessoal do diretor, com quem trabalhou no Coritiba e no Vitória. Segundo o dirigente, a decisão foi baseada nos números - o técnico dirigiu o Flamengo em sete jogos sem vitórias e deixa o time na lanterna do Campeonato Brasileiro - e decidida na manhã desta quarta-feira.

- Não queríamos tomar uma decisão sem conversar e chegar a um acordo com o Ney. Iniciamos as tratativas ontem à noite e acertamos hoje de manhã. O Ney Franco chegou antes de mim. E foi um processo duro de ser tomado pelo profissional que é. Todos acreditavam que Ney poderia conduzir esse processo. Comentei que essa temporada de treinos criou uma expectativa de que 30 dias treinando resolveria o problema de todos os times. Não é assim que acontece. Sete jogos sem vitórias, última colocação tornam difícil a situação do treinador. Estamos confiantes em retomar com o Vanderlei o caminho das vitórias.

Diretor do Flamengo explica escolha por Luxemburgo: "História fala por si só"

O diretor de futebol do Flamengo, Felipe Ximenes, explicou os fatores que levaram o clube a escolher Vanderlei Luxemburgo para substituir Ney Franco, cuja demissão foi confirmada nesta quarta-feira. O dirigente afirmou que são vários fatores. Entre eles, Ximenes exaltou a última passagem de Luxa pelo Rubro-Negro e lembrou o fato de o treinador ser flamenguista assumido.

- São vários fatores. A história do Vanderlei fala por si só. O Vanderlei é um rubro-negro assumido, nunca escondeu isso de ninguém, está voltando ao clube pela terceira vez. Na segunda que esteve aqui, conduziu o clube a um Campeonato Carioca invicto (2011), levou para a disputa de uma Libertadores (2012). Com uma história que fala por si só, nesse momento achamos que é a pessoa indicada para assumir o comando do futebol do Flamengo - disse Ximenes.

vanderlei luxemburgo tecnico (Foto: AFP) 
Luxa retorna ao Flamengo após dois anos: novamente precisa tirar clube do Z4 (Foto: AFP)

Na entrevista que concedeu, por telefone, ao programa Arena SporTV, Felipe Ximenes também despistou sobre uma possível chegada de Robinho.

- Especulação em torno de nome no Flamengo já acontece há muito tempo, muito antes da chegada do Vanderlei. Qualquer decisão que a gente tomar em termos de contratação, estará totalmente alinhado com o treinador e com a política que o clube definir - revelou.

Além dos reforços de Eduardo da Silva e Canteros, do desligamento de alguns jogadores e da troca no comando técnico, Ximenes admitiu que a reformulação no departamento de futebol rubro-negro não deve parar por aí. A chegada de outros reforços não está descartada. O diretor revelou que qualquer contratação que o clube executar daqui em diante, além de estar alinhada com o planejamento do clube, também estará alinhada com o projeto de Luxemburgo.

- Na verdade, a conversa com o Vanderlei passou por todos os aspectos, inclusive a política que a diretoria do Flamengo tem tomado em relação ao planejamento, absolutamente alinhado ao projeto dele. Em momento algum foi falado, mesmo antes da chegada dele, que o clube estava fechado para contratações - admitiu.



À espera de definir futuro, André Santos(vagabundo) não vai ao Ninho do Urubu



André Santos revela que não sairá do Flamengo mesmo após agressão (Foto: Reprodução SporTV)A polêmica envolvendo o fim da passagem de André Santos do Flamengo continua longe de terminar. Apesar de o clube ter divulgado uma nota oficial reafirmando que o contrato do jogador permanece em vigor, o lateral-esquerdo segue fazendo valer a posição que recebeu do diretor executivo, Felipe Ximenes, e não compareceu ao Ninho do Urubu para o treinamento da tarde desta quarta-feira. O atleta aguarda orientações de seus advogados e do empresário Carlos Leite para saber como proceder daqui para frente.  

André Santos esteve no centro de treinamento pela última vez na manhã de terça-feira, quando recolheu todo seu material pessoal e se despediu de Ximenes. Mesmo com as declarações públicas de que o jogador seguia vinculado ao clube, até o fim da última noite ninguém do Flamengo tinha entrado em contato orientando sua reapresentação. Após as críticas da torcida, que chegaram a resultar em agressões ao lateral-esquerdo na noite de domingo, em Porto Alegre, o Rubro-Negro decidiu que anteciparia o fim do vínculo que vai até julho de 2015. O processo, no entanto, ainda não foi oficializado no papel.  

Através da assessoria de imprensa, André Santos revelou diálogo que teve com Felipe Ximenes, confirmando pessoalmente informação que já tinha chegado aos seus ouvidos na noite de segunda-feira:   

- Hoje (terça) de manhã cheguei para trabalhar no meu clube e recebi um comunicado do diretor executivo (Felipe Ximenes) de que meu contrato estava rescindido. Inclusive depois da agressão, o próprio clube me ligou perguntando se eu estava bem e tranquilo, soltaram uma nota ao meu favor no site do clube para comunicar o que tinha acontecido, sempre me ligando demonstrando preocupação comigo e hoje, a mesma pessoa, o Felipe Ximenes me chamou e me comunicou que meu contrato estava rompido.  

O Flamengo ainda não se posicionou a respeito da ausência de André Santos no trabalho desta quarta-feira, no Ninho do Urubu.


Patrocínio segue retido, e Flamengo acumula dívida com elenco e empresários


Não é só dentro de campo que o Flamengo tem encontrado dificuldades para se encontrar no Campeonato Brasileiro. Fora das quatro linhas, em um segmento que andou controlado desde o início da gestão Eduardo Bandeira de Mello, o clube tem passado sufoco recentemente: o financeiro. Com o pagamento das cotas de patrocínio da Caixa Econômica Federal bloqueado, os salários dos jogadores estão atrasados desde o último dia 7 - quinto útil do mês-, e o elenco não recebeu nenhum tipo de previsão para que sejam quitados. O débito com quem recebe direito de imagens é ainda maior, dois meses, além de dívida na ordem de R$ 5 milhões com empresários. 

Recentemente, o Banco Central incluiu o Fla no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (Cadin) por irregularidades no registro dos valores de negociações internacionais, no período entre 1990 e 1998, totalizando um débito de R$ 38 milhões. Porém, com juros, o valor chega a R$ 80 milhões. Desta forma, a Caixa, por ser uma instituição pública, não pode repassar dinheiro ao Rubro-Negro – deveria pagar por mês R$ 2 milhões. De acordo com a diretoria, até que uma solução seja encontrada para o caso, o clube fica de mãos atadas para cumprir com seus compromissos no futebol.  

No total, a folha do departamento gira em torno de R$ 9 milhões - valor que envolve dívidas antigas, categorias de base, staff, entre outros compromissos. A remuneração dos funcionários está em dia. O mesmo, no entanto, não vale para os jogadores. Levando em conta somente o elenco atual, o gasto mensal é de cerca de R$ 5 milhões, montante que o Rubro-Negro garante não ter condição de pagar. Já o grupo com dívida mais alta é bem menor, e o GloboEsporte.com confirmou somente os nomes de Felipe, Chicão e André Santos entre os que ainda têm o salário dividido entre carteira de trabalho e direito de imagem.  

Este atraso é o mais longo desde o início da gestão Bandeira de Mello. O próprio presidente admitiu que ainda busca entendimentos para solução da nova dívida apresentada, mas revelou preocupação em não deixar que o débito se estenda a outros ramos, como pagamento de impostos, mantendo o Flamengo em dia com as obrigações para manter as Certidões Negativas de Débito:  

- Estamos buscando alternativas. Alguns clubes tiveram este mesmo tipo de cobrança e conseguiram provar na Justiça que era indevido. Podemos partir para o mesmo caminho, mas todas as alternativas estão sendo consideradas. O importante é que nenhuma dívida deixa de ser paga (...) Estamos com esse problema, mas não deixamos de pagar um centavo de imposto. Até para mostrar para torcida que damos o exemplo, mas também para o Governo que não alteramos a filosofia.  

Até o momento, o elenco tem encarado de maneira compreensiva o problema financeiro do Flamengo e não aconteceu nenhum tipo de questionamento mais forte internamente.

Dívida de R$ 5 milhões com empresários

Se o atraso no pagamento de jogadores é algo recente no clube, o mesmo não se pode falar da dívida com empresários que participaram das negociações de boa parte dos 24 jogadores contratados na gestão atual. Como é hábito nas transações, muitos participantes cobram comissões por conta dos acertos e o montante ainda não quitado com estes intermediários já superam a casa dos R$ 5 milhões em um ano e meio de mandato.


Ney Franco deixa o Flamengo, e Luxemburgo vai assumir a equipe


vanderlei luxemburgo flamengo x potosi (Foto: AP)Três dias após a goleada sofrida por 4 a 0 para o Internacional, Ney Franco foi demitido do Flamengo. Desde que retornou ao clube para sua segunda passagem, o comandante não venceu. A equipe entrou em campo sete vezes, com quatro derrotas e três empates. Vanderlei Luxemburgo assumirá o comando rubro-negro a partir desta quinta-feira. Ele assinará contrato até dezembro de 2015.

- A gente não podia demitir o Ney antes de encontrar o nome ideal. E o Luxemburgo é um consenso no clube - disse o diretor de futebol Felipe Ximenes.

Posteriormente à divulgação da notícia, a diretoria rubro-negra, em seu site oficial, informou a saída de Ney Franco, que tinha compromisso até o fim do próximo ano, e a chegada do novo comandante. O preparador físico Alexandre Lopes e o auxiliar técnico Éder Bastos também deixaram o clube.

Essa será a quarta passagem de Luxemburgo pelo Rubro-Negro. O ex-atacante Deivid será auxiliar técnico do treinador. Antonio Mello será o preparador físico e já participa do treino desta quarta-feira à tarde, no Ninho do Urubu. A estreia da nova comissão será no clássico deste domingo, contra o Botafogo, no Maracanã, às 18h30. O time está na lanterna do Brasileiro, com apenas sete pontos.

Luxemburgo não trabalha desde novembro do ano passado, quando foi demitido do Fluminense na reta final do nacional com o clube na zona do rebaixamento. Sua última passagem pela Gávea foi entre 2010-2012, quando venceu o Carioca de 2011. Antes, passou em 1991 e 1995, sem conquistas.

Há dois anos, Luxa foi demitido do clube em fevereiro ainda na gestão de Patricia Amorim após perder queda de braço com Ronaldinho Gaúcho, então astro da equipe. Porém, em maio, o meia-atacante entrou na Justiça e deixou o clube alegando atrasos no pagamento.

Queda anunciada

Ney Franco no treino do Flamengo (Foto: Marcos Tristão / Agência O Globo) Ney Franco vinha sendo muito pressionado. Correntes dentro do clube questionavam o fato de a equipe não ter apresentado padrão de jogo mesmo após um mês de treinamentos durante a paralisação para Copa do Mundo e ter sido presa tão fácil para o Internacional. As opções táticas do treinador também vinham sendo questionadas internamente, assim como os improvisos realizados diante de Atlético-PR e Internacional. Somente nas duas últimas partidas, após a parada para Copa do Mundo, o treinador utilizou 18 jogadores e mudou o esquema do 3-5-2, muito trabalhado no período sem jogos, para o 4-4-2.

Na última terça-feira, o diretor executivo Felipe Ximenes concedeu entrevista no Ninho do Urubu, na qual disse que o momento era de “clareza na tomada de decisões”. O dirigente falou sobre Ney Franco e o garantiu no cargo. 




Treino na Gávea, pertinho da torcida e vagabundos fora do clube!

terça-feira, 22 de julho de 2014

Bandeira diz respeitar organizadas e garante: "Queda não vai acontecer"



Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo (Foto: Fabrício Marques)O Flamengo vive em estado de ebulição, é pressão de tudo quanto é lado, mas Eduardo Bandeira de Mello segue sereno, como de costume. Apesar de admitir viver o pior momento em 19 meses de gestão, o presidente rubro-negro tenta manter a calma e o equilíbrio para tirar o clube do buraco onde se encontra no futebol e corre riscos de retornar até mesmo em termos financeiros. A fala mansa e pausada são características de sua personalidade e também vão ao encontro de uma certeza do mandatário: o Fla não disputará a segunda divisão do Brasileirão em 2015. Otimismo traduzido em palavras, por mais que a tabela apresente a última colocação na competição.

- A queda não vai acontecer. Até porque, a queda traz consequências econômicas e tenho certeza de que não vai acontecer. Agora, acho que não é necessário fazer nenhum tipo de loucura, de irresponsabilidade. Não é algo da minha natureza ou das pessoas que estão no Flamengo. Estamos tentando mudar a imagem do clube, a imagem de mau pagador. Pagar impostos não é uma questão de opção de financiamento. Acho que isso é uma coisa que devemos praticar como cidadãos e como clube. A queda não vai acontecer. Estamos trabalhando para isso.

O fraco desempenho em campo tem transformado tudo que cerca do departamento de futebol em uma espécie de campo minado. Qualquer passo em falso pode resultar na explosão de uma bomba. Na derrota para o Internacional, no Beira-Rio, foi assim, e a vítima foi André Santos. Primeiro, foi agredido por torcedores. Depois, revelou ter ouvido da diretoria a decisão de que seu contrato será rescindido. Realidade que Bandeira de Mello não confirma, mas também não nega sob justificativa de que "todos vivem constante avaliação".

Avaliação que obriga também Ney Franco a vencer o Botafogo, domingo, no Maracanã, para seguir no cargo de treinador. O que não muda no Flamengo é a chamada política de austeridade. Bandeira deixou claro que não fará nenhum tipo de loucura para reforçar a equipe. A folha salarial atual, no entanto, aponta para números astronômicos, que não condizem com o futebol apresentado em campo. No total, quase R$ 9 milhões são gastos por mês, com cerca de R$ 5 milhões destinados ao elenco atual. O presidente se justifica:

- É claro que é muito, mas não existe outra alternativa. A nossa folha, sem esses penduricalhos todos do passado, não é grande em relação aos outros principais clubes brasileiros. Se formos olhar os 12 grandes, eles não têm uma folha inferior. Alguns são muito superiores. O que tentamos fazer é minimizar esse custo com boas negociações. Temos conseguido isso ao longo do tempo. Algumas negociações não foram bem sucedidas, mas isso acontece com todos os clubes. Nossa filosofia é de sempre buscar o melhor pagando o menos possível.

Bandeira de Mello aproveitou o longo bate-papo com o Globoesporte.com, na sala de presidência da Gávea, nesta terça-feira, para falar ainda dos protestos de torcedores no último fim de semana. Fosse no embarque e no desembarque no Galeão, para partida com o Inter, ou após o revés no Sul, o tom foi de hostilidade, com muitas cobranças e ofensas verbais, além da já citada agressão a André Santos. O mandatário, por sua vez, evitou generalizar nas condenações e manteve o tom cordial ao falar de torcidas organizadas.

- Temos que estar preparados para conviver com isso. Sou torcedor de arquibancada e conheço esses movimentos. Temos que respeitar. Afinal de contas, no movimento de torcida organizada há gente muito bem intencionada (...) O que aconteceu com o André Santos foi extremamente desagradável, é condenável, e tenho certeza que não partiu da direção das organizadas. Sem contar que estamos falando de um jogador que estava defendendo o Flamengo. Por mais que parte da torcida possa ter restrição, violência não é o caminho e nada justifica um gesto brutal e covarde.

Eduardo Bandeira de Mello falou ainda sobre a dívida de R$ 80 milhões por conta de correção na conversão de valores em transferências de jogadores na década de 90 que bloqueou o pagamento do patrocínio da Caixa Econômica Federal, e admitiu que é necessário abreviar um acordo para que as Certidões Negativas de Débito não fiquem em risco. Na conversa, avaliou também as 24 contratações do clube em duas gestão e explicou o rumo político rubro-negro, com o distanciamento de figuras determinantes para a tão propagada Chapa Azul.

Confira a íntegra da entrevista:

Este momento que o Flamengo está vivendo é o mais delicado de toda sua gestão? Como o presidente do clube avalia a realidade atual?

- É o momento mais delicado, principalmente porque, acima de tudo, sou torcedor. Ver o time em último lugar no campeonato é extremamente desagradável para o torcedor. O presidente sabe que muita coisa está sendo feita para reverter essa situação, que, com certeza, será revertida. Temos informações que nos permitem avaliar tudo que aconteceu neste início de campeonato e o que pode acontecer. Temos a consciência de que as coisas estão sendo bem tocadas. Para o torcedor, é difícil conviver com uma situação dessas e é preciso conviver com outros torcedores, como amigos, filhos, irmãos...

Protesto torcida desembarque flamengo Galeão (Foto: André Durão)A situação chegou a um ponto extremo, onde novas decepções podem gerar episódios ainda mais delicados. Qual sua posição a respeito de todos os protestos que aconteceram nos últimos dias e como isso influencia na tomada de decisões?

- Temos que estar preparados para conviver com isso. Sou torcedor de arquibancada e conheço esses movimentos. Temos que respeitar. Afinal de contas, no movimento de torcida organizada há gente muito bem intencionada. Outro dia me entregaram um manifesto pedindo uma série de coisas e fiquei impressionado de ver que não tinha nada que fosse em benefício próprio, nenhum pedido de ingresso, viagem de graça... Foram todas colocações que podemos concordar ou não, mas reivindicações sobre o time, ao desempenho, a imagem do Flamengo. As pessoas que me abordaram no embarque foram educadas. Ninguém me tratou mal ou xingou. Claro que a situação de estar em último desagrada a todos, mas não vi problema da organização das torcidas. O que aconteceu com o André Santos foi extremamente desagradável, é condenável, e tenho certeza que não partiu da direção das organizadas. Até porque, é algo que pode prejudicar muito o Flamengo, gerar punições. Sem contar que estamos falando de um jogador que estava defendendo o Flamengo. Por mais que parte da torcida possa ter restrição, violência não é o caminho e nada justifica um gesto brutal e covarde.

Como você vê o risco de rebaixamento do Flamengo atualmente? É algo que já assusta ou ainda há muito tempo pela frente?

- Nós temos que estar sempre preocupados. Pela minha natureza, sou sempre assim. Podia estar em segundo lugar que ia me preocupar com a possibilidade de não chegar em primeiro. Temos que estar sempre alerta e agindo para que nenhuma ameaça se concretize. Tenho plena confiança de que vamos sair dessa situação, vamos nos recuperar. Dizer que não estou preocupado seria contrariar minha natureza. Sou paranoico por excelência.

Um risco mais forte de queda pode fazer com que o Flamengo mude a conduta de administração desta gestão ou mesmo que isso aconteça é algo que não fará com que o clube tome medidas por maiores investimentos?

- A queda não vai acontecer. Até porque, a queda traz consequências econômicas e tenho certeza de que não vai acontecer. Agora, acho que não é necessário fazer nenhum tipo de loucura, de irresponsabilidade. Não é algo da minha natureza ou das pessoas que estão no Flamengo. Estamos tentando mudar a imagem do clube, a imagem de mau pagador. Pagar impostos não é uma questão de opção de financiamento. Acho que isso é uma coisa que devemos praticar como cidadãos e como clube. A queda não vai acontecer. Estamos trabalhando para isso. Medidas que vamos tomar que não estavam no nosso radar é abaixar o valor dos ingressos para o jogo com o Botafogo, será bem inferior. Podemos manter essa política, mesmo sabendo que é algo que vai nos causar contratempos do ponto de vista financeiro. É um sacrifício que precisa ser feito e quero pedir para o torcedor comparecer. Quem puder, que prestigie o sócio-torcedor para compensar essa perda de receita. Não é nem questão de ter direito de pedir, mas como presidente e torcedor gostaria de ver nossa torcida comparecendo e apoiando. Nada vai ser mais decisivo na recuperação do que esse apoio. A torcida pode ter restrições ao time , que certamente não está com um bom desempenho ao longo do campeonato, mas nada nos fará melhorar sem esse apoio.

Mas a diretoria diminui o preço para atrair o torcedor. Se a situação ficar melhor no Brasileiro e o time chegar novamente nas fases finais da Copa do Brasil, é um valor que pode ser mantido até como forma de gratidão?

- Podemos conversar. Não tinha pensado nisso. Acho que o que a torcida quer mesmo é ver o time vencedor. Se superarmos essa fase e conseguimos chegar no período decisivo da Copa do Brasil, como estava na final do ano passado... Mesmo com o aumento dos preços a resposta da torcida foi excelente. O que pretendemos dar em contribuição é uma recompensa interessante no ponto de vista técnico e de vantagem.

No ponto de vista financeiro, o clube também tem tido problemas desde a revelação da nova dívida, tanto que há atrasos e o pagamento da Caixa está retido. Qual a situação de momento?

- Temos que estar preparados para os contratempos, mas não vamos mudar a nossa conduta de responsabilidade. Daqui a algum tempo, ninguém vai se lembrar disso, porque vamos conseguir controlar esse problema. Estamos trabalhando muito para em breve ter retomado o pagamento da Caixa, o que vai nos permitir voltar para uma relação relativamente confortável. São coisas que acontecem. A diferença é que em outros clubes a pessoa diz que não vai pagar mais os impostos, etc... No caso do Flamengo, estamos com esse problema, mas não deixamos de pagar um centavo de imposto. Até para mostrar para torcida que damos o exemplo, mas também para o Governo que não alteramos a filosofia.

Essa dívida coloca em risco de alguma maneira as CNDs?

- Poderia colocar se a coisa se estender por algum tempo, mas esperamos que nas próximas semanas tudo esteja equacionado.

Vocês tentam a redução ou o parcelamento desta dívida?

- Estamos buscando alternativas. Alguns clubes tiveram este mesmo tipo de cobrança e conseguiram provar na Justiça que era indevido. Podemos partir para o mesmo caminho, mas todas as alternativas estão sendo consideradas. O importante é que nenhuma dívida deixa de ser paga.

O Flamengo adota o discurso de austeridade, mas apresenta uma folha salarial no departamento de futebol de R$ 9 milhões, sendo cerca de R$ 5 milhões só com o elenco atual. Esse valor não é muito alto?

- É claro que é muito, mas não existe outra alternativa. A nossa folha, sem esses penduricalhos todos do passado, não é grande em relação aos outros principais clubes brasileiros. Se formos olhar os 12 grandes, eles não têm uma folha inferior. Alguns são muito superiores. O que tentamos fazer é minimizar esse custo com boas negociações. Temos conseguido isso ao longo do tempo. Algumas negociações não foram bem sucedidas, mas isso acontece com todos os clubes. Nossa filosofia é de sempre buscar o melhor pagando menos possível.

Das 24 contratações realizadas na sua gestão, podemos dizer que apenas Elias e Paulinho deram certo. Você diria que muitos investimentos foram errados?

- Não concordo com essa análise. Praticamente todos os clubes fizeram números semelhantes. Trouxemos esses jogadores, mas dispensamos outros tantos. O que houve foi uma renovação do elenco. Achar que só o Elias deu certo é um exagero. O Wallace deu certo e virou titular, o Léo, lateral-direito, está contundido, mas foi eleito o melhor do Brasileiro, os dois que contratamos agora (Canteros e Eduardo) são de renome internacional, o Alecsandro foi o artilheiro do Carioca, o próprio Hernane, que veio da gestão anterior, o clube tinha perdido a contratação e tivemos que contratar de novo, o Paulinho... Alguns outros, como o próprio André Santos, que foi importante na campanha da Copa do Brasil. Outros vieram para compor elenco, entram e saem do time e têm um potencial grande, caso do Gabriel, do Bruninho, que está emprestado e pode dar certo.

Ney Franco no treino do Flamengo (Foto: Marcos Tristão / Agência O Globo)A diretoria optou pela continuidade do Ney Franco e medidas devem ser tomadas para que o time mude o panorama atual. Temos a informação de que foi decidido que o André Santos terá o contrato rescindido, além de outros nomes. Como presidente, como você vê isso? A troca de peças é a melhor alternativa?

- A troca de peças é natural. Nenhum contrato foi rescindido, mas é evidente que faz parte de um processo natural rever e renovar o seu elenco em momentos necessários. Nenhuma decisão está tomada. Tanto jogadores, como treinadores, diretores, presidentes, estão sob permanente avaliação. O futebol é dinâmico e é algo que acontece em qualquer empresa. Não é pelo fato de passarmos por um momento de crise. Avaliamos para em determinados momentos fazer, ou não, ajustes.

Alguns vice-presidentes importantes se desligaram do clube ao longo da gestão. Queria saber que tipo de influência o Wallim ainda tem no Flamengo e qual a situação do Tostes, vice de finanças, que está um pouco mais afastado por obrigações com a organização das Olimpíadas?

- Todo nosso corpo de vice-presidentes é formado por pessoas altamente bem-sucedidas na vida empresarial e que têm seus negócios para tocar. Isso foi muito dito na campanha e explicitamos que tudo seria tocado por profissionais. Desde o primeiro dia, os vices compõem um conselho de administração que atua no ponto de vista estratégico, define diretrizes, e cobra resultados. Isso vale para todos. A exceção sou eu, que decidi dar meu tempo integral para o Flamengo. Temos um corpo de profissionais altamente qualificados. Nossa administração é assim. O Wallim deixou de ser vice, mas segue nos ajudando e é parte do conselho, assim como o Tostes.



Com quatro jogos no Campeonato Brasileiro, Elano deve voltar ao Grêmio



Elano machucado Flamengo x Leon (Foto: EFE)Contratado por empréstimo de um ano no começo desta temporada, Elano entrou em acordo com o Flamengo na manhã desta terça-feira e vai deixar o clube. Seu destino deve ser a volta ao Grêmio, com quem tem contrato até o fim do ano. No entanto, deve ser recolocado no mercado, já que tem apenas quatro jogos no Campeonato Brasileiro e poderia defender outra camisa na competição.

Elano chegou ao Flamengo para ser peça importante na Taça Libertadores. No entanto, sofreu com algumas lesões, nunca se firmou e disputou apenas 15 jogos na temporada, marcando três gols. Nesta terça-feira, acertou seu desligamento do clube carioca, onde vinha sofrendo com pressão extrema da torcida.

No Grêmio, o clube também não tem interesse na utilização do jogador no Campeonato Brasileiro. Elano não conseguiu encontrar espaço no time na temporada passada, quando sofreu para se manter inteiro fisicamente.

Flamengo e Grêmio dividiam em partes iguais o pagamento do salário de Elano, de R$ 500 mil. Havia uma promessa do clube carioca, quando Paulo Pelaipe ainda era o diretor de futebol, de que o jogador teria mais um ano de contrato ao fim do empréstimo atual.

Aos 33 anos, Elano já defendeu Guarani, Santos, Flamengo, Grêmio, Galatasaray, Manchester City e Shakhtar Donetsk. O jogador disputou a Copa do Mundo de 2010, quando foi peça importante até sofrer uma grave lesão contra a Costa do Marfim.


Michel Assef deixa o cargo de vice de relações externas do Flamengo



Em meio ao momento ruim do time no Campeonato Brasileiro e saída de jogadores, o Flamengo teve nessa terça-feira uma baixa também na diretoria. Michel Assef, pai do advogado Michel Assef Filho, entregou o cargo de vice-presidente de relações externas. Ele havia assumido a função há duas semanas.

Michel Assef entrou no lugar de Plínio Serpa Pinto, que saiu por conta de sua nova função na empresa Brasil Brokers. No início do mês, em nota oficial, o clube agradeceu pela dedicação ao Flamengo e informou que o advogado era o novo dono da vaga.

Em nota, Flamengo contraria André Santos e diz que contrato ainda está em vigor


Ney, Léo Moura, André Santos (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)Em meio à crise, o Flamengo viveu ainda um conflito de informações nesta terça-feira. Horas depois de André Santos revelar, através de sua assessoria de imprensa, que foi informado de que teria seu contrato rescindido, o clube negou. Em nota oficial no site rubro-negro, a diretoria informou que o documento com o vínculo do lateral-esquerdo até agosto de 2015 ainda está em vigor e que por enquanto não foi tomada nenhuma decisão sobre o caso. Mesmo assim, o comunicado se encerra de forma pouco conclusiva com relação à permanência do atleta na Gávea, dizendo que "está analisando a situação juntamente com o jogador e o representante".

A nota oficial vai de encontro com o que disse o diretor executivo Felipe Ximenes em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira, no Ninho do Urubu. O dirigente disse desconhecer uma possível rescisão com André Santos, mesma posição do diretor de comunicação do Rubro-Negro, Felipe Bruno. A formalização do distrato pode ainda não ter acontecido, mas o lateral-esquerdo descreveu com detalhes o episódio em que ficou sabendo de sua saída do clube pelo próprio Ximenes.

- Hoje (terça) de manhã cheguei para trabalhar no meu clube e recebi um comunicado do diretor executivo (Felipe Ximenes) de que meu contrato estava rescindido. Inclusive depois da agressão, o próprio clube me ligou perguntando se eu estava bem e tranquilo, soltaram uma nota ao meu favor no site do clube para comunicar o que tinha acontecido, sempre me ligando demonstrando preocupação comigo e hoje, a mesma pessoa, o Felipe Ximenes me chamou e me comunicou que meu contrato estava rompido - disse, via assessoria.

Ele disse que chegou a chorar quando soube da decisão.

- Olha, eu fiquei muito surpreso. Até porque eu já estou no clube há mais ou menos um ano e se você buscar o meu histórico, eu joguei a maioria das partidas, ganhei títulos e inclusive "apanhei" pelo clube, dei o sangue, tento brigar pelo clube a todos os momentos para que eu possa ajudar a sairmos dessa situação. Sem dúvidas saio muito triste, até porque sempre gostei muito das pessoas que trabalham no Flamengo. Fiquei muito chateado, inclusive cheguei a chorar, até porque deixo muitos amigos, me identifiquei com muitas pessoas que trabalham no clube e sair dessa forma não é bom para nenhum atleta - declarou.

O ápice da crise entre a torcida e André Santos aconteceu no último domingo. Após a goleada por 4 a 0 sofrida para o Internacional, ele foi agredido por rubro-negros ao sair do Beira-Rio. O jogador deixava o estádio antes dos companheiros, durante a entrevista coletiva de Ney Franco, rumo a uma van, na qual seguiria para o aeroporto. Ele foi interpelado por rubro-negros até que um deles o acertou no rosto com um soco. O ato foi a senha para outras agressões. O camisa 27 chegou a ficar acuado contra a van enquanto recebia golpes e pontapés. Em determinado momento, conseguiu entrar no veículo, mas foi retirado à força pelos agressores. O segurança à paisana que o acompanhava também foi vítima de violência. Apesar do incidente, o lateral disse na tarde de segunda-feira que pretendia seguir no Flamengo.

Esta é a segunda passagem de André Santos pelo Rubro-Negro. O jogador defendeu o clube em 2005 e voltou no ano passado, indicado por Mano Menezes. Disputou 93 partidas no total e marcou cinco gols.

Confira a nota publicada pelo Flamengo:

"Tendo em vista as notícias a respeito do contrato de trabalho do jogador André Santos com o Flamengo, publicadas nesta terça-feira pela imprensa, o Clube de Regatas do Flamengo esclarece que o referido contrato não foi rescindido, permanecendo totalmente em vigor.

A diretoria do clube está analisando, juntamente com o jogador e seu representante, todo o ocorrido até o momento visando uma solução que seja adequada tanto para o atleta quanto para o Flamengo".

Flamengo rescinde contrato com promessa que não vingou


Vinícius Pacheco no treino do Flamengo (Foto: Thiago Benevenutte)Lançado nos profissionais do Flamengo como uma promessa em 2004, Vinicius Pacheco teve seu vínculo oficialmente encerrado com o seu clube de origem na segunda-feira. Aos 28 anos e depois de uma série de empréstimos, seu contrato, que terminaria em dezembro, foi rescindido.

Vinicius Pacheco participou de campanhas importantes no Flamengo e chegou a ser titular do time na Taça Libertadores de 2010. No entanto, nunca conseguiu se firmar. Ele disputou 88 jogos e marcou seis gols.

Em sua carreira, Vinicius Pacheco já teve passagens por América, Náutico, Ipatinga, Figueirense, Grêmio, Belenenses-POR e chegou a atuar no Estrela Vermelha, levado por Petkovic.

Além de Vinicius, o Flamengo também rescindiu o contrato do meia Pedrinho. O jogador sequer atuou pelos profissionais e estourou a idade para a categoria sub-20. Seu vínculo também iria até o fim do ano. 

Barca com André Santos e Elano vai zarpar e outros medalhões podem sair























Torcidas de Flamengo e Bosta terão lugar marcado em clássico no Maracanã

Palco da conquista do tetracampeonato mundial da Alemanha, o Maracanã retoma a rotina de jogos do Campeonato Brasileiro. No primeiro compromisso após a Copa do Mundo, um clássico entre Flamengo e Botafogo, no domingo. O duelo marca não apenas a briga entre ambos para se manterem longe do rebaixamento, mas também o início de uma novidade fora dos gramados: a partir de agora, o torcedor terá a opção de lugar marcado nos setores Leste e Oeste ao comprar o ingresso de forma antecipada.

Desta forma, os torcedores podem escolher, nas bilheterias do estádio e nos pontos de venda, apenas o setor, cabendo ao sistema fazer o sorteio de forma automática dos assentos. O setor Maracanã Mais também terá lugar marcado e o torcedor poderá imprimir o seu ingresso em casa.




- O Maracanã busca incessantemente a melhoria de sua eficiência operacional. Nosso planejamento do segundo semestre prevê algumas adequações na operação para servir ao público cada vez melhor. O novo sistema permite que o torcedor adquirira os ingressos com mais agilidade e ainda escolha o assento de preferência para assistir ao time do coração. Perseguimos constantemente o aprimoramento de nossa gestão, sempre em parceria com os clubes, para oferecer um Maracanã mais moderno, confortável e seguro - comentou João Borba, presidente da concessionária que administra o estádio.

Com o sistema de lugar marcado, as gratuidades estarão disponíveis apenas para os setores Norte e Sul e poderão ser retiradas nos portões dos respectivos acessos. As medidas são válidas para todos os jogos realizados no Maracanã a partir do próximo domingo.



Ximenes, sobre momento do Fla: "Clareza na tomada de decisões"


para não
errar (Thiago Benevenutte)O Flamengo vive um momento de turbulência intensa. Na lanterna do Campeonato Brasileiro, com apenas sete pontos, e depois de uma derrota por 4 a 0 para o Internacional, domingo, o diretor executivo Felipe Ximenes se manifestou pela primeira vez no treinamento desta terça-feira, no Ninho do Urubu.

O dirigente demonstrou preocupação em tomar decisões com tranquilidade. Na segunda-feira, um grupo de ex-presidentes, liderado por Márcio Braga, exigiu mudanças no departamento de futebol e entregou uma carta ao atual presidente Eduardo Bandeira de Mello.

- O momento é difícil, extremamente delicado. O Flamengo vem passando por isso ao longo dessa parte do campeonato. É um momento que requer cada vez mais atenção, cada vez mais cuidado, trabalho, clareza na tomada de decisões - disse Ximenes.
Alguns jogadores sequer apareceram no campo. O dirigente garantiu que todos estiveram no Ninho do Urubu, falou sobre a situação de André Santos e afirmou que o clube ainda está em busca de reforços.

- Estamos buscando atletas e não falamos posições.

O Flamengo volta a jogar no próximo domingo, contra o Botafogo, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Será a volta do time ao Maracanã.

Confira a entrevista completa:

Comprometimento

"Sinto um elenco totalmente inconformado com a situação do clube, que é extremamente delicada. O Flamengo já passou por situações parecidas em outras edições e isso deve servir de aprendizado para tomarmos as medidas necessárias. Não tenho dúvidas de que sairemos, mas tendo clareza na tomada de decisão".

Sequência do Fla

"Antes de o Flamengo reiniciar o campeonato, disse que não podemos pensar em médio prazo. Temos que conquistar pontos. A cada jogo é um campeonato que o Flamengo tem. O objetivo único e exclusivo é vencer".

Decisões?

A segunda-feira foi um dia de folga do elenco, é uma conduta de todo futebol brasileiro. Às vezes, as pessoas esperam que a tomada de decisão seja trocar peças ou algum jogador. Às vezes, a manutenção de um trabalho é a tomada de decisão. Qualquer decisão, será posicionada oficialmente. Qualquer tomada de decisão, o clube vai definir de forma oficial".

Reunião

"Tivemos a reapresentação no elenco. Estamos conversando e temos que ter clareza na tomada de decisões. Alguns jogadores fizeram um trabalho especial, é um dia de trabalho onde o grupo está separado. Gosto muito de conversar pessoalmente com cada atleta até para que nos auxilie na tomada de decisões. Ao longo da semana, vamos saber tomar as decisões que achamos corretas".

Recuperação de jogadores

"A situação do Flamengo na tabela incomoda muito e vamos tentar recuperar todos os jogadores para jogar. Para o jogo com o Internacional perdemos muitos jogadores por lesão, além do Canteros e do Eduardo da Silva. Esperamos contar com esses dois atletas no domingo, além de parte dos lesionados. Não acredito que vamos contar com o Samir".

André Santos fora?

"André se apresentou como todos os atletas. O único que não se reapresentou foi o Erazo, já que vamos ter uma reunião com ele e seu representante. Ele pediu para não viajar no sábado e vamos discutir a situação dele. Estamos conversando com todos os atletas e cada decisão diferente da manutenção será comunicada a vocês oficialmente. Não sei quem anunciou que o André Santos rescindiu o contrato. É uma informação que eu não tenho, não tenho nenhuma posição em relação a isso.".

Jogadores na academia

"O Alecsandro treinou na academia, participou do jogo. Foram trabalhos específicos. O Chicão foi expulso, diga-se de passagem, injustamente, até porque recebeu uma pancada no lance que gerou a expulsão. Ficou também na musculação. O Elano também fez um trabalho na musculação e saiu mais cedo".

Posição de André Santos

"Penso que é uma atitude de coragem que o André tomou. O clube precisa se posicionar oficialmente. Cabe ao Flamengo como instituição se posicionar oficialmente em relação a atitude que vai tomar".

Ney Franco

"A análise do trabalho de qualquer profissional é feita diariamente, não somente pelo resultado. Avaliamos um conjunto. O Ney Franco, assim como todo profissional, inclusive eu, está sendo avaliado diariamente. Se ele continua, é porque avaliamos".

Bronca no vestiário

"Discussões após um jogo de futebol são bastante comuns em um vestiário. O que não é comum é o vazamento desta conversa. Quem já participou de um vestiário, muitas vezes percebeu que é algo que faz parte do processo".

Ucrânia

"O mercado da Ucrânia é um mercado rico, não somente o Shakhtar, mas outras cidades e equipes. São atletas que temos conhecimento, mas é uma situação que até extrapola a questão esportiva. Acho que a situação desses atletas que não se apresentaram não vai ser simples. Estamos atentos, sim, mas tomar uma posição de contratar um atleta desses precisa ter um respaldo jurídico muito grande".

Flamengo decide rescindir contrato de André Santos; Elano deve ser o próximo


A diretoria decidiu rescindir o contrato de André Santos. O lateral foi chamado na manhã desta terça-feira pelo diretor de futebol Felipe Ximenes e comunicado da decisão. Ele vinha sendo um dos principais alvos dos torcedores diante da má fase do time, que ocupa a lanterna do Campeonato Brasileiro e não vence há oito jogos.

O Flamengo, por ora, não confirma a informação porque o distrato não foi assinado. Entretanto, André Santos confirmou a informação.

- Hoje (terça) de manhã cheguei para trabalhar no meu clube e recebi um comunicado do diretor executivo que meu contrato estava rescindido. Até então eu não havia falado com ninguém, apenas conversei com o diretor executivo e ele falou que pela diretoria do clube e por ele, meu contrato estava rescindido - disse, via assessoria.

Ele disse que chegou a chorar quando soube da decisão.

- Olha, eu fiquei muito surpreso. Até porque eu já estou no clube há mais ou menos um ano e se você buscar o meu histórico, eu joguei muitas partidas, a maioria das partidas, ganhei títulos e inclusive "apanhei" pelo clube, dei o sangue e apanhei alguns dias atrás, tento brigar pelo clube a todos os momentos para que eu possa ajudar a sairmos dessa situação. Sem dúvidas saio muito triste, até porque sempre gostei muito das pessoas que trabalham lá. Fiquei muito chateado, inclusive cheguei a chorar, até porque deixo muitos amigos no clube, me identifiquei com muitas pessoas que trabalham no clube e sair dessa forma não é bom para nenhum atleta - declarou André Santos.

Em entrevista coletiva no CT rubro-negro nesta terça, o diretor executivo Felipe Ximenes preferiu não comentar sobre a rescisão de André Santos.

- Não sei quem anunciou que o André Santos rescindiu o contrato. É uma informação que eu não tenho, não tenho nenhuma posição em relação a isso - disse o dirigente.


Elano deve ser o próximo

Atormentado por lesões desde a sua chegada, em janeiro, Elano também já vinha manifestando seu desejo de deixar o clube da Gávea. Um acordo com a diretoria deve selar em breve a saída. O jogador deixou o treinamento desta terça-feira no Ninho do Urubu antes do fim.

O ápice da crise entre a torcida e André Santos aconteceu no último domingo. Após a goleada por 4 a 0 sofrida para o Internacional, ele foi agredido por rubro-negros ao sair do Beira-Rio. O jogador deixava o estádio antes dos companheiros, durante a entrevista coletiva de Ney Franco, rumo a uma van, na qual seguiria para o aeroporto.

Ele foi interpelado por rubro-negros até que um deles o acertou no rosto com um soco. O ato foi a senha para outras agressões. O camisa 27 chegou a ficar acuado contra a van enquanto recebia golpes e pontapés. Em determinado momento, conseguiu entrar no veículo, mas foi retirado à força pelos agressores. O segurança à paisana que o acompanhava também foi vítima de violência. Apesar do incidente, o lateral disse na tarde de segunda-feira que pretendia seguir no Flamengo.

- Em nenhum momento pensei em sair, em nenhum momento pensei em abandonar. Porque isso é coisa de covarde, de homem que tem medo de enfrentar os problemas. Nenhum momento isso passou pela minha cabeça. Eu tenho atitude e vou tirar o clube dessa situação - disse.

Esta é a segunda passagem de André Santos pelo Flamengo. O jogador defendeu o clube em 2005 e voltou no ano passado, indicado por Mano Menezes. Em 93 partidas no total, o lateral-esquerdo marcou cinco gols.

Compre agora seu ingresso para a volta do Flamengo ao Maracanã

 
 A torcida rubro-negra tem a chance de matar a saudade do Maracanã após a Copa do Mundo. No domingo (27.07), o Flamengo estará de volta ao estádio para o clássico contra o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro. Os ingressos já estão à venda para sócios-torcedores até o sábado (26.07), véspera do confronto, às 23h59. Clique aqui para comprar o seu. O valor dos bilhetes é a partir de R$10 para membros do Nação Rubro-Negra que acumulam o desconto do programa com a meia-entrada.
  
Se você ainda não é sócio-torcedor, clique aqui e faça já sua adesão para se juntar ao time e aproveitar prioridade, facilidade e descontos nos ingressos para os jogos do time, entre muitas outras vantagens. O Flamengo conta com você.
 
A venda online para torcedor comum começa na quinta-feira (24.07), no site do Maracanã. Os pontos físicos de venda também abrem na quinta-feira. É importante lembrar que, a partir deste jogo, os setores do Leste e do Oeste do Maracanã terão lugares marcados. Assim haverá gratuidades somente nos setores Norte e Sul. Em caso de dúvidas, ligue para: 3195-4009.

Confira os horários e abertura de venda online para membros do Nação Rubro-Negra:

Terça-feira
+Paixão: 9h
 Paixão: 13h
+Amor:  17h
Amor:    21h

Quarta-feira 
+Raça: 9h
Raça:   15h
Tradição: 20h

SAC Nação Rubro-Negra: (21) 3195-4009

Veja os valores por setor: 

Setor Norte (Flamengo): 
Torcedores: R$ 40 (R$ 20 meia)/ 
Sócios-torcedores do plano Raça ou superiores: R$ 20 (R$ 10 meia)
Plano Tradição: R$ 30 (R$ 15 meia)
 
Setor Sul (Botafogo): 
Torcedores: R$ 40 (R$ 20 meia)
Sócios-torcedores: R$ 20 (não-cumulativo com a meia-entrada)
 
Setor Leste: 
Torcedores: R$ 60 (R$ 30 meia)
Sócios-torcedores Raça ou superiores: R$ 30 (R$ 15 meia)
Plano Tradição: R$ 50 (R$ 25 meia)
Sócios-torcedores do Botafogo: R$30 (não-cumulativo com a meia-entrada)
 
Maracanã Mais: 
Torcedores: R$ 300 (R$ 170 meia)
Sócios-torcedores Raça ou superiores: R$ 170 (R$ 105 meia)
Plano Tradição R$ 240 (R$ 140 meia)
Sócios-torcedores do Botafogo: R$170 (não-cumulativo com a meia-entrada)

Se você é sócio-torcedor, basta fazer o login no site do Nação Rubro-Negra e fazer sua compra online na página Ingressos para jogos. Você deve usar o seu cartão-ingresso para acessar o estádio. Caso ainda não tenha seu cartão, deve retirar seu bilhete em um dos pontos de troca abaixo a partir de quarta-feira (23.07). É obrigatória a apresentação do voucher para a retirada do ingresso.

Saiba quais são os pontos de troca e venda para sócios-torcedores:

Gávea – Sede do Flamengo – Rua Borges de Medeiros
23/07/2014 a 27/05/2014 - 10:00 as 17:00 (No dia da partida 27/07  até as 12:00)
 
Barra da Tijuca – FlaBoutique – Av das Américas, 7607 Loja 151
23/05/2014 a 26/07/2014 - 10:00 as 19:00
 
Tijuca – FlaBoutique – R. Conde de Bonfim, 685 Loja D
23/07/2014 a 26/05/2014 - 10:00 as 19:00 (sabado até as 17:00)
 
Irajá – FlaBoutique/ViaBrasil – R. Itapera, 500 Loja 134 Piso L1
23/07/2014 a 26/05/2014 - 10:00 as 19:00
 
Andaraí – FlaBoutique/Iguatemi – R. Barão de São Francisco, 236 Loja 15
23/07/2014 a 26/05/2014 - 10:00 as 19:00
 
Nova Iguaçu – FlaBoutique – R. Dr. Barros Júnior, 272 Via Light Mall
23/07/2014 a 26/07/2014 - 10:00 as 17:00
 
Centro - Espaço Rubro Negro – R. da Quitanda 87
23/07/2014 a 26/07/2014 - 10:00 as 17:00
  
Centro - Espaço Rubro Negro – R. Buenos Aires 113, loja 2, 3 e 4
23/07/2014 a 26/07/2014 - 10:00 as 17:00 (sabado até as 14:00)
 
Barra da Tijuca - Espaço Rubro Negro – Av das Américas, 500 - Bloco 3 - Loja 114
23/07/2014 a 26/07/2014 - 10:00 as 19:00

Maracanã – Container Mata Machado
23/07/2014 a 26/07/2014 – 10:00 às 17:00 ( No dia da partida 27/07/2014 até o final do 1º tempo.

Autor: Comunicação
Fonte: Site Oficial do Clube