quarta-feira, 8 de abril de 2020

Empresa mostra resultado da reforma do campo da Gávea, sede do Flamengo


O campo da Gávea, sede do Flamengo, passou por uma reestruturação total. O gramado foi retirado e um outro colocado. A empresa responsável, a "Greenleaf", publicou nesta terça-feira a foto do resultado com um "antes e depois".



Atualmente, o gramado é utilizado principalmente para os jogos das divisões de base. Por causa do período de quarentena, a reforma não prejudicou as atividades.




terça-feira, 7 de abril de 2020

Gabigol torce por Neymar no Flamengo: 'É a cara dele'


Em entrevista para o ex-jogador Caio Ribeiro por meio de uma transmissão ao vivo no Instagram, o atacante Gabigol defendeu uma possível ida de Neymar para o Flamengo. O camisa 9 torceu para que este momento aconteça "logo menos" e lembrou que o craque do Paris Saint-Germain já manifestou em alguns momentos o desejo de vestir o manto rubro-negro. 

- Neymar no Mengão logo menos, eu apoio. Ele sempre falou que tem vontade de jogar pelo Flamengo. Óbvio que a gente gosta muito do Santos, tanto eu quanto ele, mas acho que o Flamengo é a cara dele e está todo mundo esperando esse momento para gente comemorar os gols juntos e jogarmos juntos - afirmou. 


Gabigol foi revelado nas categorias de base do Santos e subiu para o time profissional logo após a saída de Neymar para o Barcelona. Por conta dessa ligação em comum, ambos construíram uma amizade fora dos gramados. Diferentemente do ídolo, Gabigol ficou mais marcado pela passagem no Flamengo, onde conquistou a Libertadores e Brasileirão de 2019. 







segunda-feira, 6 de abril de 2020

Após atraso, fornecedor cita Covid-19 e abre conversas com o Flamengo por solução contra crise

Cartas na mesa e conversas por uma decisão que mantenha o equilíbrio em tempos de coronavírus. Depois de atrasar a primeira parcela do pagamento do patrocínio ao Flamengo, o fornecedor de material esportivo admitiu que a situação se deu pelo impacto da crise causada pelo Covid-19 e abriu diálogo em busca de solução.

A Adidas entrou em contato com o Globo Esporte .com para esclarecer que "está em conversas com seus parceiros, nas últimas semanas, para encontrarem juntos a melhor maneira de enfrentar os impactos econômicos provocados pelo Covid-19". Além do Flamengo, a empresa alemã é parceira de outros três clubes no Brasil: São Paulo, Cruzeiro e Internacional.

Acordo Flamengo / Fornecedor


  • Valor anual: R$ 17.725.750,00
  • Primeiro semestre: 01 de abril - R$ 8.862.875
  • Segundo semestre: 01 de outubro - R$ 8.862.875

Por contrato, o Flamengo recebe anualmente R$ 17.725.750,00 da Adidas. O valor é pago semestralmente, em 1º de abril e 1º de outubro. E os R$ 8.862.875 referentes ao primeiro semestre não bateram na conta rubro-negra na última quarta-feira, data prevista.

O Rubro-Negro não comenta oficialmente a situação. Nos bastidores, porém, houve desconforto com a condução do episódio e o clube entende que faltou clareza e justificativas em um primeiro momento. A partir da agora, as duas partes debatem juntas por uma alternativa.

No Brasil, a empresa alemã é fornecedora de material esportivo ainda de São Paulo, Cruzeiro e Internacional. No mundo, são 215 times em 63 países, além de 30 seleções nacionais


Confira o posicionamento da empresa:
"A adidas está em conversas com seus parceiros, nas últimas semanas, para encontrarem juntos a melhor maneira de enfrentar os impactos econômicos provocados pelo Covid-19.
Essa medida está sendo tomada, não só pela adidas, como também por diversas companhias dentro deste novo e imprevisível contexto econômico, para proteger a longevidade de parcerias e negócios.
A adidas segue o diálogo constante e aberto".
A parceria do clube com a empresa teve início em 2013 e vai até 2023. Além da cota fixa de patrocínio, o Flamengo recebe valores referentes a royalties pela venda de produtos oficiais e premiação por metas esportivas alcançadas.
Com o pagamento integral do salário do mês de março e tentativa de manutenção da folha salarial intacta após as férias coletivas de abril, o Flamengo tem consciência de que é inviável seguir neste cenário caso a paralisação do futebol supere o mês de maio. Nos bastidores, os dirigentes trabalham por alternativas, mas evitam precipitar o início das negociações por redução de salário antes de uma posição das autoridades de saúde.
Além do atraso da Adidas, o Flamengo sofreu uma baixa em sua cartela de patrocinadores. A Azeite Royal, que tinha acordo de R$ 3 milhões para exibir a marca no calção do time de futebol.



Flamengo e Amazon: o atual cenário da negociação por patrocínio master


O Flamengo está longe de ver com pessimismo o acordo com a Amazon, que indicava iminência antes do mundo revirar-se com a pandemia do novo coronavírus. Confiante em um desfecho positivo, o clube mantém conversas para que a empresa seja o seu patrocinador master, ainda em 2020.

Hoje, não há pressa quanto à Amazon já que o Banco BS2, que paga R$ 15 milhões anuais pela exposição, além de um valor relativo às contas abertas, tem vínculo para o espaço nobre dos uniformes até dezembro deste ano. 

A expectativa interna é que a nova parceria seja selada assim que os efeitos da COVID-19 estejam controlados. Caso isto ocorra, a marca do banco digital deve ser reposicionada na camisa. As mangas estão livres, por exemplo. 

Dá para dizer que há otimismo do Fla em relação à Amazon, o que se deve pela não turbulência da gigante global em meio à crise pandêmica, cujo cenário se estende a quase todos os poderosos do ramo de serviços de streaming e de comércio eletrônico, em tempos de quarentena. Um exemplo é que a marca, através de seu CEO, Jeff Bezzos, doou 100 milhões de dólares (cerca de R$ 535 milhões, na atual conversão) para combate à fome nos EUA, na última semana. 

LANDIM DESPISTA 

Também recentemente, Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, despistou sobre a empresa (ou empresas) em questão, prometendo informar à torcida assim que algo for oficializado. 

- Não posso falar desse assunto aqui. Estamos em fase de negociação. Quando e se tiver algum contrato com patrocinador, vamos nos pronunciar. Enquanto isso, a imprensa trabalha eficientemente, mas isso de forma nenhuma é oficial - falou Landim, em entrevista à FLA TV, no YouTube. 

O QUE DIZ O ORÇAMENTO

LANCE! conversou com representantes da diretoria rubro-negra, que, pedindo anonimato, afirmaram que o clube da Gávea está longe de ver a Amazon com o "pé atrás" nas conversas, "agora mais arrastadas, bem devagar", o que é compreensível pela não garantia dos próximos passos do mercado internacional. 

Para este ano, só em relação a patrocínio (sem contar publicidade) no futebol, o Flamengo prevê R$ 79 milhões a serem embolsados. Em 2019, o valor acumulado foi de R$ 67 milhões quanto a este recorte.

Cabe lembrar que o Flamengo sofreu um baque inesperado nos últimos dias, já por conta do coronavírus, quando o Azeite Royal, que estava no calção, rompeu o contrato unilateralmente - assim como fez com os outros três clubes grandes do Rio e com o Complexo do Maracanã.

Agora, são seis marcadas distribuídas pelos uniformes de jogo do Flamengo. 

MAIS SOBRE A AMAZON

Fundada em 1994 por Jeff Bezos, em Seattle, nos Estados Unidos, a Amazon começou como uma startup que vendia livros usados. O crescimento foi exponencial e, já em 1997, a empresa atuava em diferentes cidades americanas e as ações alcançaram um valor de 54 milhões de dólares na bolsa americana.

De acordo com dados da consultoria Brand Finance, a Amazon lidera o posto das empresas mais valiosas de 2020 e está avaliada em US$ 220,7 bilhões (cerca de R$ 1,1 trilhão).


sexta-feira, 3 de abril de 2020

Redação do LANCE! escolhe os 15 melhores times brasileiros do século 21. Veja quem é o 1º !



.


           1º - Flamengo de 2019 - 80 pontos.




Flamengo usa aplicativo desenvolvido em Portugal para auxiliar Jorge Jesus e o elenco

Através de um aplicativo, o Flamengo passou a utilizar em seu dia a dia uma arma tecnológica que permite ao técnico Jorge Jesus, sua comissão e aos jogadores a melhora da comunicação e do planejamento das atividades, mesmo neste período de paralisação por causa da pandemia do coronavírus.

Desenvolvido pelos treinadores portugueses Acácio Santos e João Daniel Rico, o aplicativo "CoachID" ajuda aos membros da comissão técnica a acompanharem as atividades físicas dos jogadores em casa, e, depois que tudo voltar ao normal, será útil no planejamento dos treinos no Ninho do Urubu e para armazenar estatísticas dos atletas durante as partidas.

- O aplicativo foi criado para clubes e treinadores. Nossa missão é ajudar que sejam melhores. Tem a influência da filosofia portuguesa de que o técnico tenha uma ideia de jogo bem sustentada, que saiba bem o que pretende, que conheça bem os jogadores que tem. Então, o objetivo é criar uma ideia de jogo e ter o maior número de informações - disse Acácio Santos.


Os jogadores têm em celulares um aplicativo específico para eles, o "CoachID Player". Os jogadores recebem notificações com o planejamento do próximo treino, e depois da atividade eles relatam, por exemplo, qual foi a intensidade e se tiveram alguma fadiga.

Na manhã seguinte, uma outra notificação para que informem qual foi a qualidade e quantas horas de sono, o nível de estresse, qual o humor e se há alguma queixa de dor.

- O aplicativo específico para os jogadores permite ao técnico controlar o impacto dos treinos em seus atletas. Depois da atividade, ele recebe uma notificação para avaliar a intensidade do que foi feito de 1 a 10. Esses indicadores ajudam ao treinador a entender se os treinos têm o efeito que ele deseja - afirmou Acácio Santos.

"Namoro" antigo com o mister

O aplicativo foi apresentado a Jorge Jesus após sua saída do Sporting, quando ainda estava em fase final de desenvolvimento. A parceria só começou recentemente, no Flamengo.

- O primeiro contato foi quando o mister foi para Arábia Saudita. Depois, em Portugal, fizemos outra reunião. Quando foram para o Flamengo, criamos esse ligação. A pessoa que falamos constantemente é o preparador físico Marcio Sampaio. Com a internet, tudo é muito rápido.

A tecnologia já é utilizada por outros portugueses, como Ricardo Formosinho, auxiliar de José Mourinho, e João Lapa, preparador físico do Wolverhampton.




Aplicativo auxilia na montagem dos treinos — Foto: Divulgação




Aplicativo da comissão técnica do Flamengo — Foto: Divulgação

"Se a forma de ter futebol é jogar sem torcedores, é assim que vamos jogar", diz presidente da Conmebol


A pandemia do coronavírus atingiu os países sul-americanos com força no mês passado e forçou a Copa Libertadores a ser interrompida ainda no início da fase de grupos, após as três fases eliminatórias. Com a luta contra a doença ainda em estágio quase inicial no continente, existe uma corrente pessimista quanto à conclusão do calendário do futebol em 2020, principalmente a níveis continentais. Mas o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, está otimista.

Em entrevista à agência "Reuters", Domínguez indicou que disputar diversos jogos sem a presença de torcedores pode ser uma solução adotada pela confederação para permitir o retorno das partidas assim que possível

Um problema com relação à Copa Libertadores - assim como a Copa Sul-Americana - seria as possíveis diferentes situações em cada país com relação aos casos da COVID-19: enquanto alguns campeonatos locais podem retornar, outros podem permanecer parados. Além disso, o fechamento de fronteiras para estrangeiros deve permanecer nos locais que conseguirem controlar o contágio, como forma de evitar novas ondas.

- A Libertadores pode recomeçar quando os campeonatos locais voltarem, embora a capacidade de transporte também seja importante, tendo em vista que a maioria dos países fechou suas fronteiras - admitiu Domínguez.

No dia 12 de março, a Conmebol havia suspendido os jogos da Libertadores por uma semana; em seguida, esticou a suspensão até 5 de maio. Até o momento da interrupção, haviam sido disputadas duas das seis rodadas da fase de grupos. Para tentar aliviar a situação dos clubes, a Conmebol adiantou o pagamento de parte da premiação relativa a esta fase da competição.

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Flamengo lança o livro "Vencemos juntos: o futebol do Flamengo em 2019"



Já está à venda na loja oficial do Flamengo o livro "Vencemos juntos: o futebol do Flamengo em 2019", anuário que traz resumos, fotos, fichas técnicas e estatísticas dos 76 jogos da fantástica campanha do time do técnico Jorge Jesus. Cada volume custa R$ 79,90. O autor é o jornalista esportivo Rodolfo Rodrigues.


Em 2019, o Flamengo conquistou a Libertadores após 38 anos, o Brasileiro com recordes pontos, e também o Carioca. Um dos textos de abertura é o ídolo Zico, que disse: “Deu gosto de ver o Flamengo jogar”. Há ainda depoimentos de jogadores, torcedores e registra as conquistas em outros esportes, como o basquete, o remo, a ginástica artística e o futebol feminino.



terça-feira, 31 de março de 2020

Flamengo faz "teste de stress" com dados da crise do coronavírus e projeta absorver impacto financeiro



O Flamengo divulgou nesta terça-feira o balanço de suas finanças relativas a 2019, mas sem deixar de analisar o atual cenário, com a paralisação do futebol pela pandemia de coronavírus. Com uma receita bruta recorde de R$ 950 milhões e superávit de R$ 62 milhões, o clube destaca em nota no documento que os impactos financeiros relativos à interrupção das partidas são absorvíveis.

Para chegar a essa conclusão, a diretoria do Flamengo relatou ter realizado um "teste de stress" com os dados atuais da pandemia. É um procedimento realizado por bancos e outras empresas para simulação de risco de impacto em determinado cenário. Foi estimado um período de paralisação por até três meses e, segundo o clube, o único impacto que dificilmente será compensado até o fim do ano será na receita de bilheteria.

O trecho do documento que trata da crise mundial diz ainda que os problemas decorrentes da pandemia "não representam risco de continuidade nas operações":

- Em relação à pandemia do COVID 19 que se alastrou pelo mundo e começou a impactar a região em meados de março, a Administração do CRF fez um teste de stress usando as informações disponíveis e projetando um cenário de interrupção de jogos por até três meses.


Os números do balanço de 2019 do Flamengo
Tópico2019 (em milhões de R$)2018 (em milhões de R$)
Receita operacional bruta950543
Despesa operacional666376
Investimento196146
Patrimônio líquido12865
EBITDA (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização)248141
Endividamento líquido operacional338287


O balanço foi auditado pela Ernest & Young. A auditoria deu parecer positivo, mas fez uma ressalva, em relação aos critérios utilizados pelo Flamengo para calcular a capitalização dos gastos feitos em atletas de formação. Diz o parecer:

"Conforme descrito na nota explicativa 8, o Clube possui gastos diretamente relacionados com a formação de atletas, registrados em seu ativo intangível, sob a referência “Atletas em formação”, no montante de R$ 44.123 mil, em 31 de dezembro de 2019. Não obtivemos evidência suficiente que suportasse os critérios de capitalização desses gastos, bem como a mensuração do valor recuperável do referido ativo intangível; consequentemente, não foi possível concluirmos sobre a adequação do referido saldo nas demonstrações financeiras".

O clube incluiu ainda uma tabela com indicadores não financeiros, demonstrando evolução em relação a 2018. Houve aumento significativo no número de sócios torcedores, dado que tem influência direta do desempenho do time em campo, além de maior investimento na base e convocações para seleções nacionais.



Veja abaixo alguns dos tópicos do balanço do Flamengo:


A receita recorde

Boa parte da explicação para a receita recorde do Flamengo está na venda de atletas. Ao todo, o clube fez R$ 294 milhões em negociação de jogadores. Parte deste valor (R$ 49 milhões) ainda será recebida. Veja na tabela:

Jogadores vendidos pelo Flamengo
NomeClubeValor (em milhões de euros)Valor (em milhões de R$)
Lucas PaquetáMilan35150
Léo DuarteMilan1041,8
Jean LucasLyon834,8
CuéllarAl Hilal836,8
UribeSantos-5,5
TraucoSaint-Étienne0,542,3
Outros--23


Mais de R$ 100 milhões em bilheteria

Outro fator importante na receita rubro-negra diz respeito à sua torcida. O clube atingiu receita bruta de R$ 109 milhões de bilheteria em 2019, com resultado líquido de R$ 48 milhões. Além disso, recebeu R$ 61 milhões com o programa de sócio-torcedor.


Outras receitas do Flamengo

TópicoValor (em milhões de R$)
Direitos de transmissão59
Premiação148
Patrocínio e publicidade78
Licenciamento e royalties14
Mídias digitais e serviços "on demand"120
Bilheteria109
Sócio-torcedor61

Os investimentos


Parte do superávit gerado pelo Flamengo foi direcionado para o que o clube chama de investimentos. Se antes boa parte deste valor era usada para o pagamento da dívida, agora, numa situação financeira mais consolidada, a diretoria passou a utilizar a quantia para a compra de jogadores - 92% dos R$ 196 milhões investidos. Outra parte foi financiada pela venda de outros atletas.




Ao todo, o Flamengo investiu R$ 249 milhões em jogadores. Deste valor, o clube ainda precisa pagar R$ 149 milhões.



Jogadores comprados pelo Flamengo
JogadorClubeValor (em milhões de R$)Intermediação (em milhões de R$)Total (em milhões de R$)
ArrascaetaCruzeiro / Defensor76,15,581,6
GersonRoma58,95,964,8
Rodrigo CaioSão Paulo283,531,5
Pablo MaríManchester City5,3-5,3
Thiago FernandesNáutico4,9-4,9


Além disso, outros jogadores contratados não significaram pagamento direto a seus ex-clubes, mas como luvas, pois estavam em fins de contrato. Nesta situação se encontram Filipe Luís e Rafinha, além de outros atletas, como Pablo Marí, Gabriel (que esteve emprestado pela Inter de Milão) e Vitinho, comprado em 2018 ao CSKA.



Aquisições com luvas de jogadores pelo Flamengo
JogadorValor (em milhões de R$)Intermediação (em milhões de R$)Total (em milhões de R$)
Pablo Marí123
Filipe Luís6,32,48,7
Vitinho3-3
Bruno Henrique0,92,83,7
Rafinha2,41,43,8
Gabriel314

As movimentações de 2020


Apesar de as contratações de 2020 não entrarem no balanço, o Flamengo incluiu também os valores gastos para trazer jogadores para a atual temporada.



As contratações do Flamengo em 2020
JogadorClubeValor (em milhões de euros)Valor (em milhões de R$)
GabrielInter de Milão16,576,6
MichaelGoiás7,533,9
Léo PereiraAthletico Paranaense530,1
Thiago FernandesNáutico14,9