sábado, 3 de fevereiro de 2018

Carpegiani testa formação com Everton na lateral esquerda; Cuéllar viaja para Brasília



Paulo César Carpegiani, enfim, terá boa parte do elenco à disposição neste domingo, diante do Nova Iguaçu, em Brasília. Com a semana cheia de trabalho no CT do Ninho do Urubu, o técnico do Flamengo observou formações e fez testes de olho no seu time ideal. Uma delas foi colocar Everton na lateral esquerda. 

O meia treinou mais uma vez improvisado na função nesta sexta-feira. Ele ainda não fez sua estreia na temporada. Assim como Trauco, lateral-esquerdo de ofício. Renê era quem vinha jogando desde a segunda rodada na posição. 

Everton atuou nos últimos anos de forma predominante na ponta esquerda - indo para a lateral apenas em alternativas dentro de jogos. 

Arão desfalca o time; Dourado e Vizeu não deve viajar
 
Cuéllar vai para Brasília com o grupo do Flamengo (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo) 
 
 
O Rubro-Negro ainda não contará com Willian Arão neste fim de semana. O volante sentiu dores na panturrilha direita durante o jogo-treino contra o Bonsucesso, na última quinta. Após exame, foi constada uma lesão no local. 

Com isso, Carpegiani foi obrigado a mudar de planos. Cuéllar viaja com o grupo para Brasília e deve permanecer na equipe, novamente ao lado do volante Rômulo. Antes da lesão do camisa 5, a ideia do treinador era poupar o colombiano, que está fora nas duas primeiras partidas da Libertadores. 

A nova atração do Flamengo, Henrique Dourado, treinou normalmente com o grupo. Ele já está regularizado. A decisão se já será relacionado será tomada após o treinamento deste sábado, antes da viagem - a tendência é de que não vá para Brasília, e que faça sua estreia pela semifinal da Taça Guanabara, na próxima semana

É provável que Felipe Vizeu, envolvido na negociação com a Udinese, também não viaje. Faltam detalhes contratuais para o atacante ser liberado para fazer exames e assinar com o time italiano. Lincoln é o mais cotado para jogar contra o Nova Iguaçu.
 

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Diego Alves passa por novo exame e será inscrito pelo Flamengo na Libertadores


Apesar dos treinos fechados, a presença do goleiro Diego Alves nas atividades no Ninho do Urubu tem sido discreta. O titular da meta do Flamengo não faz exercícios de queda, embora treine para manter a forma para entrar em campo na Libertadores. A diretoria não cogita o desfalque e programa a inscrição do atleta na primeira fase da competição.


Nesta sexta-feira, está previsto um exame para Diego Alves verificar se a fratura na clavícula está calcificada. É o passo necessário para aumentar a intensidade e o tipo dos exercícios. Enquanto o goleiro não estiver á disposição para atuar nas próximas partidas, os jovens César e Thiago serão acionados.

 Reforço recente, Julio Cesar não está descartado a ser inscrito na Libertadores, mas a prioridade é tê-lo em algumas partidas do Estadual. O ídolo vem com garantias de permanecer apenas os três meses de contrato e depois se aposentar. Em caso de alguma intercorrência ou necessidade com algum goleiro, pode ser acionado, mas ainda requer treinamentos para readquirir o ritmo ideal.


Flamengo e Caixa estão otimistas sobre renovação de contrato de patrocínio



Tanto Flamengo quanto Caixa Econômica Federal tratam como muito provável uma renovação do contrato de patrocínio. O banco estatal estampa sua marca na camisa do clube desde 2013. 

O último contrato, que rendeu R$ 25 milhões em 2017, terminou em 31 de dezembro. Mas as duas partes demonstram otimismo sobre a continuidade da parceria.

No ano passado a Caixa foi o principal patrocinador de uniformes do futebol brasileiro. Foram R$ 144,5 milhões em contratos com 26 clubes. Todos os acordos terminaram no último dia do ano passado e nenhum ainda foi renovado. 

Apesar disso, quase todos os clubes que foram patrocinados pela Caixa continuam a exibir a marca do banco em uniformes ou outros espaços – como backdrops e uniformes de treino

Em dia de festa no Rio, Varejão estreia pelo Flamengo, que atropela Campo Mourão

A quinta-feira foi marcada por uma grande festa na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro. Mais que um jogo válido pelo returno do Novo Basquete Brasil, foi a estreia de Anderson Varejão após 16 anos fora do país, entre passagens vitoriosas pelo Barcelona, na Europa, e Cleveland Cavaliers e Golden State Warriors, na NBA. Não podia ter sido de forma melhor. Desde o início, a torcida, que compareceu em peso, apoiou seu camisa 17 e os outros jogadores do elenco rubro-negro, e eles retribuíram com uma grande vitória sobre o Campo Mourão pelo placar de 92 a 69, chegando a nove jogos de invencibilidade no torneio nacional. 

- Eu não via a hora de estrear logo com essa ansiedade toda... É normal eu estar com um ritmo de jogo um pouco mais lento. Agora é pensar no próximo jogo e continuar focado para mais uma vitória. Mengão é diferente. Apoiaram a gente o jogo inteiro. Foi demais - avaliou Anderson Varejão, completamente extasiado com a vitória e toda a festa que a torcida fez.


Em dia de festa no Rio, Varejão estreia pelo Flamengo, que atropela Campo Mourão  
 
 
Com a vitória, o Flamengo chegou a 13 vitórias em 15 jogos e segue na liderança. O Campo Mourão é o 13º colocado com apenas três triunfos. O cestinha da partida foi Rhett, com 17 pontos, enquanto Varejão fechou com quatro pontos, cinco assistências e sete rebotes. Pelo Campo Mourão, o destaque ficou com César, que anotou 14 pontos. 

- O Anderson desde o momento em que a equipe soube que ele faria parte do time, potencializou nossa equipe, mesmo sem estar junto com a gente ainda. A maneira da equipe saber que ele estava sendo agregado potencializou nossa fome de vencer, que essa equipe já tem, mas potencializou, e a vontade de brigar pelo título mais uma vez. Tudo que ele faz acaba motivando muito a equipe. Ele entrou, a equipe se motivou, encaixou e conseguimos abrir uma diferença que depois foi se mantendo e controlamos a partida. Mostra que é um jogador que vem somar muito e vai agregar daqui para frente cada vez mais - comentou o técnico José Neto. 


Escalações:
 
Flamengo: David Cubillan, Marquinhos, JP Batista, Ronald Ramon e Olivinha. Suplentes: Rhett, Mogi, Marcelinho Machado, Pilar, Anderson Varejão e Arthur Pecos. Técnico: José Neto. 

Campo Mourão: Brown, Hélio, Pastor, Daniel Alemão e César. Suplentes: Lucas, Giano, Mathias, Wesley, Jamail, Solano e R. Biro. Técnico: Emerson de Souza. 

Próximos compromissos:
 
A próxima partida do Flamengo será neste sábado, às 14h (de Brasília), contra o Paulistano, um dos rivais diretos na briga pelas primeiras posições do campeonato. A equipe de São Paulo é atualmente a vice-colocada, com 81,3% de aproveitamento, sendo 13 vitórias e três derrotas em 16 jogos. Novamente, as cadeiras de quadra estão sendo comercializadas pelo valor de R$ 100 (mais os R$ 10 da taxa de conveniência). As cadeiras normais ficam a R$ 10 para meias-entradas e sócios-torcedores (mais R$ 1 de taxa de conveniência), e R$ 20 (mais R$ 2 de taxa de conveniência) no caso das inteiras (confira como adquirir). O Campo Mourão pega o Mogi das Cruzes, no dia 5 de fevereiro, em casa, às 20h15.

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Dourado veste a 19 do Flamengo e evita polêmica com Flu: ''Uma nova história''


Henrique Dourado recebe a camisa 19 do Flamengo (Foto: Marcelo Baltar )Poucas horas depois do anúnico oficial do Flamengo, Henrique Dourado já foi apresentado e vestiu a camisa rubro-negra. No início da noite desta quinta-feira, o atacante concedeu entrevista coletiva no CT do Ninho do Urubu. 

O atacante, que defendeu o Fluminense na última temporada, assinou contrato com o clube até o fim 2021 e vestirá a camisa 19 durante sua passagem. Ele evitou falar sobre os problemas que enfrentou no antigo clube. 

- Quem está de fora, acompanhou algumas situações... Não é o momento de frisar esse assunto, é passado agora. Quero pensar daqui para frente. É uma nova história que está começando aqui. Quero ser feliz aqui - disse Dourado. 

Artilheiro do Campeonato Brasileiro ao lado de Jô, com 18 gols, o centroavante passou por exames médicos, assinou contrato e já conheceu as instalações do Ninho do Urubu. No início da tarde, o anúncio oficial foi feito através da "Fla TV", canal do clube no "You Tube", junto com a "hashtag" #ceiflador. 

- Agradeço ao presidente, ao Rodrigo (Caetano) e a todos os envolvidos que fizeram que essa negociação se concretizasse. Estou muito feliz. Quero trazer muitas alegrias à Nação (...)Na nossa vida profissional e pessoal, as coisas acontecem no momento certo. Se hoje estou aqui, venho um jogador muito mais maduro, com mais experiência e chego para agregar. Quero desempenhar o meu papel, assim como fiz nos outros clubes - afirmou o atacante. 

O diretor de futebol, Rodrigo Caetano, afrimou que ainda não há planejamento alguma para a estreia de Dourado no domingo. diante do Novo Iguaçu. A pressa era para regularizar a situação do atacante no Carioca, algo que já foi feito. A decisão cabe agora ao treinador. 

Veja mais trechos da entrevista:
 
Carinho após o anúncio:
 Logo que o Flamengo fez o anúncio, meu celular não parou. Acabou até a bateria. Quero agradecer à torcida, que me recebeu de uma forma especial. Quero retribuir todo esse carinho dentro de campo. 

Preparado para a estreia?
Eu vinha treinando. Agora é conversar com a comissão. Hoje fiz testes físicos. Nos próximos dias vou me enquadrar dentro dos treinamentos e depois vamos ver o melhor dia para a estreia. 

 Comemoração:
 Quero fazer o gesto (ceifar) quando sair o gol. Vou deixar as coisas acontecerem naturalmente. 

Jogar ao lado de Guerrero:
Qualquer um que veste com a camisa do Flamengo tem que estar pronto, independente de quem jogará ao lado (...) É um jogador de altíssimo nível. Chego para ajudar. Torço para que ele volte. Quanto mais qualidade, mas longe vamos chegar. Chego com esse pensamento de buscar meu espaço e marcar gol. 
 
Interesso do Corinthians:
Em nenhum momento falei nada. Não queria sair do Fluminense pelas portas do fundo. Quando chegou a proposta do Flamengo, foi boa para meu ex-clube e para mim. As outras propostas não eram boas para o Fluminense. 

Sobre cobranças de pênaltis:
Quero voltar a treinar pênaltis. Sei que o Flamengo tem vários bons cobradores. A oportunidade para cobrar vai surgir normalmente. Temos que trabalhar.



Dourado ou Guerrero? Para comentarista, Ceifador é mais "matador" que o peruano



O Flamengo anunciou nesta quinta-feira a contratação de Henrique Dourado. O artilheiro do Brasileirão do ano passado (ao lado de Jô) será apresentado nesta quinta-feira à torcida rubro-negra. O novo reforço disputará posição, primeiro, com Felipe Vizeu, e mais tarde também com Paolo Guerrero, que voltará de suspensão por doping em maio. 

Na opinião do comentarista Francisco Aielo, das rádios Globo e CBN, o atacante peruano é mais técnico. No entanto, Henrique Dourado é mais "matador" e costuma perder menos oportunidades de gol, na sua opinião. 

- Ele é muito mais jogador de último toque que o Guerrero. O Guerrero ainda é um jogador de um pouco mais de mobilidade. Não é totalmente um jogador leve, mas tem a capacidade de sair da área. O Dourado, não. Ele tem menos mobilidade. Acho que o Dourado é mais mortal nesse último toque. É mais matador. O Dourado perde menos oportunidade que o Guerrero - disse Francisco Aielo, no "Seleção SporTV". 

O repórter Mauro Naves, da TV Globo, considera que os dois atacantes sabem fazer gol e espera que Dourado tenha sucesso no Flamengo, por contar com jogadores rápidos nos dois lados do gramado. 

- O Guerrero é mais técnico, tem mais categoria, é mais craque. Mas são dois matadores, dois fazedores de gol. Acho o Guerrero com mais estilo, o jeito de matar a bola, de fazer gol, mais clássico. Um é mais técnico que o outro. Mas o Dourado vai fazer gol. Dentro da área, com correria do lado, bola chegando, Diego alimentando, ele vai fazer gol. Ele sabe fazer gol. 

Em 2017, Henrique Dourado foi o maior artilheiro do futebol brasileiro, com 32 gols. Na opinião do comentarista Sérgio Xavier Filho, do SporTV, esta foi uma temporada atípica do Ceifador e, por isso, uma comparação com Guerrero é "um pouco injusta". 

 - É difícil analisar o Henrique Dourado sem pensar em 2017, que foi um ano atípico, muito superior na carreira dele. A carreira do Henrique Dourado não foi tão festiva assim. O Guerrero tem sucessos pingados, o próprio sucesso no Corinthians. O Dourado está vivendo de um 2017 muito bom. Comparar o Dourado com o Guerrero talvez seja um pouco injusto com o Guerrero. O Guerrero tem uma construção maior no futebol.


Mesmo sem contrato, Caixa tem marca exibida no uniforme de clubes


Flamengo x Vasco, pelo Carioca: rubro-negros com a marca da Caixa, vascaínos sem (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)Vários clubes do futebol brasileiro estão exibindo marca da Caixa Econômica Federal em seus uniformes, apesar de não terem mais contrato com o banco estatal. Entre eles estão Flamengo, Botafogo, Cruzeiro, Atlético-MG e Santos. A informação é da própria Caixa. 

Segundo o banco, todos os 26 contratos de patrocínio a clubes de futebol foram encerrados em 31 de dezembro de 2017. Nenhum foi renovado. Desses. só Avaí, Figueirense, vasco e Náutico estão jogando sem a marca da Caixa neste ano. Mesmos alguns clubes que não utilizam a marca nos uniformes de jogo, utilizam a logomarca em backdrops e uniformes de treinos. 

Um porta-voz do banco afirmou ao Globo Esporte. com que renovações dos contratos "estão em negociação", e não deu detalhes sobre prazos, valores ou mesmo quais clubes serão contemplados com patrocínio em 2018. 


Abaixo, a lista de clubes que o banco patrocinou em 2017 e os valor de cada contrato: 

Série A - R$ 121 milhões
 
Flamengo - R$ 25 milhões

Santos - R$ 11 milhões
Atlético-MG - R$ 11 milhões
Cruzeiro - R$ 11 milhões

vasco é muito merda, - R$ 11 milhões
O Mengão é mais que o dobro

Botafogo - R$ 10 milhões
Atlético-PR - R$ 6 milhões
Bahia - R$ 6 milhões
Coritiba - R$ 6 milhões
Sport - R$ 6 milhões
Vitória R$ 6 milhões
Atlético-GO - R$ 4 milhões
Avaí - R$ 4 milhões
Ponte Preta - R$ 4 milhões
Série B - R$ 23,5 milhões
Goiás -R$ 2,8 milhões
Figueirense - R$ 2,4 milhões
Ceará - R$ 2,4 milhões
Náutico - R$ 2,4 milhões
América-MG - R$ 2 milhões
Paysandu - R$ 2 milhões
Vila Nova-GO - R$ 2 milhões
ABC-RN - R$ 1,5 milhão
Brasil de Pelotas - R$ 1,5 milhão
CRB-AL - R$ 1,5 milhão
Criciúma - R$ 1,5 milhão
Londrina - R$ 1,5 milhão


"CeiFLAdor": Flamengo anuncia contratação de Henrique Dourado



A busca por um camisa 9 chegou ao fim na Gávea. O Flamengo anunciou nesta quinta-feira a contratação do ex-jogador do Fluminense Henrique Dourado. Após entendimento com o rival carioca, o atacante chega à Gávea para suprir a ausência de Guerrero, suspenso pela Fifa até maio. 

 Artilheiro do Campeonato Brasileiro ao lado de Jô, com 18 gols, o centroavante passou por exames médicos, assinou contrato e será apresentado por volta das 18h30 (de Brasília) desta quinta-feira, no Ninho do Urubu. O anúncio oficial foi feito através da "Fla TV", canal do clube no "You Tube", junto com a "hashtag" #ceiflador. 

O jogador ainda precisa ser regularizado. A data limite de inscrições para atuar na Taça Guanabara é nesta quinta-feira - tendo que aparecer no Bira até sexta. Existe a possibilidade de que a estreia seja logo neste domingo, diante do Nova Iguaçu, mas tudo depende das primeiras avaliações. 

 Mesmo sem interesse em negociar seu artilheiro com o rival, o Fluminense acabou cedendo e aceitou a proposta do Flamengo - após o recuo do Corinthians. O Rubro-Negro ainda vai pagar por parte dos direitos econômicos, que pertencem ao Mirassol. No total, a transação ultrapassa os R$ 11 milhões. 

Um chegando, outro saindo. Com acordo para ficar no Flamengo até junho, o atacante Felipe Vizeu tem viagem programada para a Itália na noite desta quinta-feira para fazer exames médicos e assinar contrato de cinco anos com a Udinese. O jovem, de 20 anos, vai render aos cofres rubro-negros pouco mais de R$ 12 milhões em quatro parcelas.

Carência financeira e de mercado une rivais Flamengo e Flu por futuro de Dourado



Futebol é dinâmico. O clichê ajuda - e muito - a entender as idas e vindas que levaram Henrique Dourado ao Flamengo. O anúncio é questão de tempo. Melhor, questão de uma assinatura: a de Pedro Abad para rescisão do atacante, que já tem a papelada redigida pelo Rubro-Negro. Capítulo final de uma novela que começou no Rio, foi a São Paulo, passou pela Turquia e por Udines até ser concluída.

O Flamengo queria Love. Perdeu. O Corinthians queria Dourado. Perdeu. O Fluminense precisa de dinheiro. Ganhou. Basicamente, essa é a equação que leva o Ceifador à Gávea. Diante de um mercado escasso, o Rubro-Negro olhou para o vizinho, que não desejava a liberação, mas se viu sem alternativa com o recuo do Timão e a necessidade de fazer caixa. Assim - finalmente - as pontas se fecharam.

A proposta inicial


A primeira investida foi pouco depois da virada do ano. Após mapear o mercado em busca de um 9 para suprir a ausência de Guerrero, o Flamengo enviou uma proposta para o Fluminense para contar com o atacante. Naquele momento, o Tricolor já tinha em mãos a oferta do Corinthians.

As duas foram consideradas similares, e o Fluminense deixou claro que não havia intenção alguma de negociar o único nome de peso que restava em seu elenco justo com o maior rival. Na época, Dourado também via de melhor tom não trocar as Laranjeiras pela Gávea.

Com a oferta recusada, Dourado então ficou próximo de um acerto com o Corinthians. O atual campeão brasileiro perdeu Jô para o futebol japonês e também precisava de um nome para a posição. Com a negativa, o Rubro-Negro passou a voltar seus esforços para repatriar Vágner Love.

Missão Love falha


A missão Love, no entanto, não foi bem sucedida. O Alanyaspor não aceitou a oferta do Flamengo e, posteriormente, negociou o atacante com o Besiktas, também do futebol turco. Com isso, o nome de Henrique Dourado voltou com força ao Flamengo.

O Ceifador, ainda nos Estados Unidos, local da pré-temporada tricolor, revelou o desejo de mudar de ares. Publicamente, em entrevista, e em conversa com o treinador. Abel, então, disse ter a intenção de tirá-lo do time. Se atuasse pelo Flu no Carioca, não poderia defender o Rubro-Negro na mesma competição.


O desfecho positivo iminente é fruto de uma junção de fatores

Sem Love e com a temporada em andamento, o Flamengo não enxergava muitas opções para resolver a questão. O mercado não oferece atualmente um leque de centroavantes e o mapeamento do clube não funcionou.
Além disso, o Rubro-Negro já estava tratando uma venda do atacante Felipe Vizeu. Ele assinará contrato com a Udinesse por cinco anos, mas fica no Flamengo até junho. Guerrero pode ter a pena anulada em fevereiro, mas está suspenso até maio.
O Fluminense, por sua vez, via sua crise financeira sem precedentes atingir novos níveis, inclusive com bloqueio de receitas pela Justiça. O clube só aceitou vender o seu atacante justamente para o Flamengo porque somente o rival apresentou uma oferta oficial perto do valor da multa. O Tricolor deve receber 2 milhões de euros (R$ 7,8 milhões).
O clube das Laranjeiras ainda teve um trauma recente envolvendo um nome de peso de seu elenco. Gustavo Scarpa acionou o clube na Justiça e conseguiu o direito de assinar com o Palmeiras por conta de dívidas. Havia um temor nas Laranjeiras de que a história pudesse se repetir.
Para completar, o Corinthians, que era outro interessado no camisa 9 tricolor, recuou nas últimas semanas. O negócio ficou em suspenso dada a eleição presidencial do dia 3 de fevereiro. A situação deixou Dourado e seu staff em alerta.

Andamento dos negócios

Empresário de Dourado veio ao Rio de Janeiro na semana passada para receber a oferta do Flamengo e, principalmente, conversar com o Fluminense.
O Globo Esporte. com noticiou a nova ofensiva rubro-negra na última quinta-feira. Horas antes, o Tricolor mantinha o discurso de que negociar seu atacante com o Flamengo estava fora de cogitação. Foi ao receber a proposta concreta do Rubro-Negro que o cenário modificou.

Os moldes

Os valores que serão pagos pelo atacante giram em torno de 3 milhões de euros (R$ 11,8 milhões) - divididos entre o rival das Laranjeiras, que vendeu seus 50%, e o Mirassol, dono do restante, mas que vai permanecer com 25% do centroavante.
Dourado ainda receberá salário, luvas e bonificações acima do que o proposto no começo do ano pelo Corinthians.


quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Flamengo vai receber em quatro vezes por Vizeu e já tem pré-registro com Dourado



O Flamengo vive horas de expectativa para dois anúncios: o da venda de Felipe Vizeu para a Udinese por US$ 6,5 milhões (cerca de R$ 20 milhões) - os italianos aumentaram a oferta final em US$ 500 mil - e a compra de Henrique Dourado.

Os valores do ainda atacante do Fluminense giram em torno de R$ 11 milhões - divididos entre o rival das Laranjeiras, que tem 50%, e o Mirassol, dono do restante, mas que vai permanecer com 25% do centroavante. A definição dos dois casos é esperada até esta quinta-feira.

Henrique Dourado já tem pré-contrato registrado na Ferj com o Flamengo. Falta o jogador assinar a rescisão com o Fluminense para as partes selarem acordo e anunciarem a negociação.

Com acordo para ficar no Flamengo até junho, o atacante Felipe Vizeu tem viagem programada para a noite dessa quinta-feira para fazer exames médicos e assinar contrato de cinco anos com a Udinese.

Vizeu despontou na Copinha de 2016, subindo logo aos profissionais. Ele vai render ao Fla pouco mais de R$ 12 milhões - os direitos econômicos dele são fatiados em quatro partes: 60% pertencem ao Flamengo, 20% a um antigo empresário e 10% cada para outras duas empresas de agenciamento de atletas de futebol. A Udinese vai pagar ao Flamengo em quatro parcelas.

No Rubro-Negro ainda não confirmam o negócio. A presença dele na partida deste domingo em Brasília, contra o Nova Iguaçu, é improvável.




"O abismo financeiro entre Flamengo e vasco é o maior da história"


Os orçamentos apresentados por Flamengo e vasco para a temporada 2018 mostram situações bem distintas. Segundo o colunista Rodrigo Capelo, da revista "Época", enquanto o do Rubro-Negro aparenta ser confiável, pois previu valores até menores do que investiu em 2017, o do favelado da Colina contém otimismos exagerados que podem ocasionar problemas. Na opinião do jornalista, o abismo que se abriu entre Flamengo e vasco financeiramente é o maior da história destes dois clubes. E isso faz muita diferença dentro de campo.

No caso do clube do galinheiro de  São Januário, a maior receita é a vinda da televisão (R$ 139 milhões). Nos quesitos patrocínios (R$ 29 milhões) e estádio / sócio-torcedor (R$ 27 milhões), os valores são muito baixos em comparação aos de outras equipes. Além disso, é uma instituição que depende da venda de atletas - a previsão é arrecadar R$ 48 milhões este ano. No total, o Vasco estima ter R$ 275 milhões em receitas. Deste total, R$ 226 milhões seriam para despesas.

- Um orçamento sério não deveria nem considerar estes valores com a venda de jogadores, pois vender jogador é algo difícil de prever. O vasco não só conta com a venda do jogador, como também conta com o mecanismo de solidariedade, aquele em que o clube lucra numa venda futura por ser sido o formador do atleta, como foi o caso do Philippe Coutinho na transferência do Liverpool para o Barcelona. Outros clubes também contam com a negociação de atletas nos seus orçamentos, o que é algo irresponsável. Apenas Flamengo e Palmeiras atualmente trabalham com números muito baixos ou nenhum neste item - explicou Capelo durante participação no programa "Redação SporTV".





O Flamengo, por sua vez, tem R$ 200 milhões a mais em receitas que o favelado  da Colina. Além da quantia superior com TV (R$ 219 milhões), os valores com patrocínios (R$ 124 milhões) e os previstos com estádio / sócio-torcedor (R$ 96 milhões) são quatro vezes maior que o do vasco. No total, o Rubro-Negro estima ter R$ 477 milhões em receitas. Deste total, R$ 424 milhões seriam para despesas.

- Se você olhar para os dois orçamentos, você vai ver que o maior problema nem é a televisão. É o estádio, o sócio-torcedor, o patrocínio. Tudo aquilo que o vasco não consegue fazer funcionar por absoluta falta de competência e credibilidade, pela bagunça política e administrativa que é o clube.

Na visão de Capelo, embora a situação financeira seja caótica no vasco, Fluminense e Botafogo por causa dos baixos rendimentos, dívidas enormes e necessidade de vender jogador, o Tricolor vive a pior realidade por estar mal acostumado com os títulos do Brasileirão em 2010 e 2012, além dos ídolos contratados com o auxílio do patrocinador que saiu.

- Os torcedores do Fluminense ainda acham que o clube é o maior do mundo, tem o maior faturamento e deve competir de igual com o Flamengo financeiramente. E a realidade não é essa. O presidente (Pedro) Abad está fazendo o seu plano de austeridade, mas não pode fazer cortes demais para não comprometer o resultado dentro de campo. E ainda tem que lidar com este tipo de torcedor, ao contrário de Botafogo e Vasco, que têm históricos recentes menos vitoriosos.



Flamengo pensa em produtos para explorar Varejão e já vende camisa do pivô


Anderson Varejão estreia pelo Flamengo nesta quinta-feira, às 20h (de Brasília), no duelo válido pelo returno do Novo Basquete Brasil contra o Campo Mourão na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico da Barra da Tijuca. Mas, mais que um reforço em quadra para o técnico José Neto, o atleta de 35 anos representa uma grande oportunidade de marketing para o time da Gávea. O Rubro-Negro, aliás, já pensa em produtos licenciados para explorar a imagem do pivô que, durante os 16 anos que passou fora do país com passagens pelo basquete europeu e pela NBA, sempre foi visto como um jogador carismático e respeitado.

Entre as ideias, estão capas de celular, copos, chinelos e, claro, a famosa peruca que lembra o cabelo do pivô. Na NBA, Varejão tinha o "Dia das Perucas" no Cleveland Cavaliers. Os fãs, apresentadores de TV, seguranças, vendedores, entre outros, usavam a peruca na cabeça como uma forma de homenagear o jogador. No Flamengo, não será muito diferente.

 O Flamengo está em fase de aprovação dos produtos licenciados em parceria com o Varejão. Teremos uma série de itens, como copos, capas de celular, chinelos, dentre outros. A peruca é sim uma das ideias de produto. Estamos trabalhando em parceria com o atleta para que a Nação possa se sentir mais próxima de um grande ídolo do esporte nacional e do basquete rubro-negro - disse o time da Gávea em comunicado oficial.

Para ter a camisa de jogo do ex-jogador da NBA, contudo, o torcedor precisa adquirir o uniforme e optar pela personalização, colocando o nome dele e o número 17, assim como acontece no futebol. Não serão vendidas camisas de jogo já com o nome de Anderson Varejão e seu número. Os valores variam de R$ 199 (réplica) a R$ 279 (de jogo). O clube revelou ainda que "está sendo desenvolvido um modelo de camisa Flamengo/Anderson Varejão, com venda exclusiva para as lojas oficiais e e-commerce oficial".

Quando Anderson Varejão chegou ao Brasil para firmar o compromisso e ser apresentado oficialmente, o Flamengo reforçou aos lojistas a importância de uma carga extra dos números 1 e 7, que foram o 17, camiseta que o pivô vai usar no clube da Gávea, com quem firmou contrato de 20 meses. O novo uniforme da equipe, que foi apresentado em dezembro do ano passado, inspirado no futebol, já está sendo vendido nas lojas e na internet.


Flamengo liga radar por zagueiro jovem enquanto dá tempo a Léo Duarte


A semana do Flamengo começou agitada fora de campo. O clube apresentou Julio Cesar e encaminhou a venda de Vizeu e a contratação de Henrique Dourado. As ações no mercado, no entanto, não acabaram. Com calma, o departamento de futebol ainda busca um zagueiro para fechar o elenco para o início da temporada.

A tranquilidade na busca por um defensor tem nome e sobrenome: Léo Duarte. Apesar de não negar a busca por outro zagueiro, o Flamengo avalia como positivo o início de temporada do jovem de 21 anos, que pode virar a quarta opção na zaga. Com Léo como titular em quatro dos cinco jogos na temporada, o Rubro-Negro não foi vazado em 2018. Rafael Vaz está fora dos planos e deve ser emprestado.

Consulta por Emerson Santos  


Na semana passada, o Flamengo consultou a situação de Emerson Santos. Recém-contratado pelo Palmeiras, o defensor não foi inscrito no Campeonato Paulista. A ideia era tentar o empréstimo do ex-botafoguense, de 22 anos. O clube paulista, que investiu € 1,5 milhão (cerca de R$ 5 milhões) na contratação do zagueiro, não se interessou. Em dezembro o clube sondou Tiago, do Bahia.

Diante do assédio, a direção do Palmeiras conversou com Emerson e seus representantes. Eles ouviram que, apesar de ter ficado fora da lista do Paulistão, o zagueiro está nos planos. Mas será preparado devido ao longo tempo de inatividade. Ele praticamente não jogou no ano passado devido a um impasse contratual com o Botafogo.

Ideia é rejuvenescer o setor

Apesar de a dupla de zaga titular ter terminado 2017 em alta, o Flamengo entende a necessidade de fortalecer o elenco. O clube busca um defensor jovem, uma vez que Juan (38), Réver (33) e Rhodolfo (31) já superaram a barreira dos 30 anos.

Pablo era o plano A. Campeão brasileiro pelo Corinthians, o zagueiro era visto como o nome ideal para rejuvenescer o setor. O Flamengo fez proposta pelos direitos, mas os valores não agradaram o Bordeaux. O clube francês exigia R$ 12 milhões.

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Neymar troca mensagens com Paquetá e elogia revelação do Flamengo: "Está bem demais"




De Neymar para Paquetá. A tabelinha saiu no mundo virtual. O camisa 10 da seleção brasileira e do Paris Saint Germain escreveu para a revelação do Flamengo e elogiou as atuações do prata da casa do Ninho do Urubu.


- Está bem demais. Parabéns e segue assim. Estou acompanhando de longe - escreveu Neymar.

Orgulhoso, Paquetá reproduziu a conversa em sua rede social. O ídolo da Seleção incentivou o atleta rubro-negro, pediu para que o jogador continuasse firme na caminhada e brincou sobre as danças de Paquetá, que costuma gravar vídeos fazendo coreografias:

- Beijo, dançarino! Hahahaha.