Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Flamengo desiste de ir ao Brasileiro e culpa Confederação: "Tudo tem limite"

Na véspera do Campeonato Brasileiro de Clubes, que começou nesta quinta-feira nas areias da praia do Gonzaga, em Santos, o Clube de Regatas do Flamengo explicou a sua ausência da disputa. Presente nas principais competições da modalidade, o Rubro-Negro culpou a Confederação de Beach Soccer do Brasil (CBSB) e exigiu diálogo, transparência e profissionalismo da entidade. Diretores da equipe do Flamengo no futebol de areia, Marcelo Túlio Santoro e Deodato Carvalho reclamaram pelo fato de o convite ter sido enviado a duas semanas para o evento e pediu que os times recebessem o mesmo respeito dado à seleção brasileira. A CBSB se posicionou em relação ao questionamento do Flamengo através de um comunicado e disse esperar contar com o clube em outras competições no calendário de 2017
Os dirigentes do Rubro-Negro afirmaram não aceitar mais os modelos de disputas impostos sem a consulta do clube quanto ao planejamento, organização e logística. 

- Desde o início de nossas atividades, nunca deixamos de participar de qualquer evento ou competição de Beach Soccer que fomos convidados. Mas tudo tem um limite - revelou um trecho do comunicado dos diretores, divulgado através da assessoria de imprensa do time carioca. 

Flamengo Futebol de areia (Foto: Agência Estado) 
Flamengo costuma comparecer a todas as disputas, mas culpou CBSB por ausência (Foto: Agência Estado)

Presidente da Confederação, Rodrigo Royo explicou que desde que a entidade começou a gerir a modalidade, em meados de julho do ano passado, com o reconhecimento da CBF, da FIFA e da Conmebol, o compromisso é ajudar a desenvolver o esporte, em harmonia com as federações filiadas e os clubes, buscando um modelo de organização em prol de uma boa estrutura.

- Todas as equipes (confirmadas ou ausentes) no CB17, foram notificadas informalmente em um prazo bastante razoável sobre a realização do campeonato, a fim de que pudessem avaliar as condições e o interesse na participação, com a comunicação oficial sendo enviada posteriormente, onde os clubes receberam mais detalhes sobre o torneio (formato, local, datas, etc). Ressaltamos que todas as equipes foram comunicadas nas mesmas datas e que, infelizmente, o Clube de Regatas do Flamengo informou, no último dia do prazo para confirmação no evento, de que não participaria - declarou o presidente da CBSB em parte do comunicado.

O Brasileiro reúne oito equipes de seis estados nas areias do Gonzaga até o próximo domingo. Vasco da Gama, Botafogo e Fluminense, do Rio de Janeiro, Sport Recife, de Pernambuco, Sampaio Corrêa, do Maranhão, Avaí, de Santa Catarina, Rio Branco, do Espírito Santo, e Grêmio, do Rio Grande do Sul, brigam pelo título. O campeão brasileiro representará o país na primeira edição da Copa Libertadores, que será realizada no mesmo local, entre os dias 10 e 15. O campeonato foi adiado pela CBSB em respeito às 71 vítimas da tragédia da Chapecoense, em novembro, na Colômbia. O SporTV transmite ao vivo os jogos do fim de semana.

Confira o posicionamento do presidente da CBSB, Rodrigo Royo:

"Desde que passou a gerir a modalidade no país, em meados de julho do 2015 - com o reconhecimento da CBF, da Conmebol e da FIFA -, as maiores preocupações da Confederação de Beach Soccer do Brasil (CBSB) têm sido trabalhar pelo desenvolvimento do esporte, em harmonia com federações filiadas e clubes, e buscar um modelo de organização, que possa proporcionar estrutura e melhores condições para todos que militam no beach soccer nacional.

A CBSB lamenta a ausência de um entidade da importância e da tradição do Clube de Regatas do Flamengo no Campeonato Brasileiro 2017 (CB17). Assim como lamenta também a ausência de outros clubes, também convidados para a disputa da competição observando-se o ranking nacional, que não puderam se fazer presentes nesta ocasião.

Tais ausências são compreensíveis, quase sempre explicadas pela crise que assola o esporte no país, que provoca a dificuldade na obtenção de receitas e impondo obstáculos para planejamentos mais bem estruturados.

Todas as equipes (confirmadas ou ausentes) no CB17, foram notificadas informalmente em um prazo bastante razoável sobre a realização do campeonato, a fim de que pudessem avaliar as condições e o interesse na participação, com a comunicação oficial sendo enviada posteriormente, onde os clubes receberam mais detalhes sobre o torneio (formato, local, datas, etc). Ressaltamos que todas as equipes foram comunicadas nas mesmas datas e que, infelizmente, o Clube de Regatas do Flamengo informou, no último dia do prazo para confirmação no evento, de que não participaria.

Informamos ainda que todos os clubes apresentaram garantias de participação dentro do prazo determinado, a fim de que pudessem fazer suas contratações e preparações, e que a organização do evento ofereceu auxílio para custear as despesas de transporte, além de estar arcando com hospedagem e alimentação de todos os membros das delegações, arbitragem e staff do CB17. A CBSB preza pelo diálogo e pela união em prol da modalidade e oferecer condições iguais a todas as agremiações que fazem beach soccer no país.

Esperamos contar com o Flamengo nas competições que fazem parte do calendário 2017"

 
Comunicado oficial do Flamengo, assinado pelos diretores da equipe de futebol de areia:
 
"Em nome da transparência e para melhor informar aos nossos torcedores a respeito do nosso posicionamento sobre a não participação do Campeonato Brasileiro de Beach Soccer, o Flamengo Beach Soccer afirma que: 
 
1. Desde o início de nossas atividades, nunca deixamos de participar de qualquer evento ou competição de Beach Soccer que fomos convidados. Mas tudo tem um limite.
 
2. Consideramos total falta de profissionalismo e organização receber convites faltando apenas duas semanas para o início das competições, em que as condições oferecidas não sejam minimamente debatidas entre organização e participantes.
 
3. Não aceitamos mais os modelos de eventos/competições que são impostos e que sequer somos consultados sobre o planejamento, organização, logística e aspectos técnicos.
Enfim, exigimos diálogo, transparência e profissionalismo por parte da Confederação de Beach Soccer do Brasil e outros organizadores da modalidade no país. Os clubes de Beach Soccer merecem o mesmo respeito e atenção que a Seleção Brasileira possui. 

 
Marcelo Túlio Santoro  e  Deodato Carvalho

Diretores do Flamengo Beach Soccer"

Nenhum comentário: