Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Flamengo investe R$ 58 milhões em reforços em 2017; aumento de 544% em cinco anos



Éverton Ribeiro é um dos oito reforços do Flamengo para 2017 (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)Os dois jogadores mais caros do elenco decidiram a partida contra a Chapecoense. Guerrero, com três gols e passe para outro, e Diego, dois e uma assistência, são símbolo do Flamengo que tenta voltar ao topo do futebol brasileiro - apesar dos tropeços, como a nova eliminação precoce na primeira fase da Libertadores - com regra simples: quanto mais dinheiro e mais investimento no futebol, mais forte fica o elenco rubro-negro, com tantas opções para usar de 11 a 14 jogadores por partida. 

A compra de Éverton Ribeiro, uma das transações mais caras da história do clube da Gávea, é o símbolo de um levantamento inédito obtido pelo GloboEsporte.com. De R$ 9 milhões em 2013, no primeiro ano da gestão Bandeira, até R$ 58 milhões em 2017 há um salto impressionante de 544% em cinco anos na aquisição de direitos econômicos de jogadores de futebol - mais de seis vezes o empenhado em contratações no primeiro ano de gestão. Ao todo, em cinco anos, são 61 atletas contratados - nem todos em compras de direitos econômicos, conforme lista que você confere no fim da reportagem com todos nomes contratados pelo Flamengo na gestão Bandeira. 

Abaixo, observe o gráfico com informações de maneira resumida do aumento de aporte do clube na contratação de jogadores. Hoje, o Flamengo administra uma folha salarial de R$ 9 milhões. Outro salto dos últimos tempos no clube. O avanço é gradual. No fim do ano passado o futebol tinha vencimentos na casa de R$ 7,5 milhões.  



A mudança de patamar do Flamengo se deu, principalmente, a partir de 2015, embora naquele ano o investimento na compra de direitos econômicos tenha sido o menor da série histórica – de R$ 8,5 milhões. Naquela temporada, o clube contou com a Doyen para comprar Marcelo Cirino (sem gastar um tostão) e investiu em compras de menor expressão, como foi o caso de Jonas, que veio do Sampaio Correa (MA). Os mais altos investimentos foram nas chegadas de Guerrero, que não envolveu compra de direitos econômicos, mas luvas milionárias ao camisa 9 do Flamengo. Outros casos do tipo foram de Ederson, Sheik e Alan Patrick. Este último, por empréstimo. 

As perguntas da reportagem foram enviadas ao Flamengo logo depois da confirmação da contratação de Éverton Ribeiro – no dia 6 de junho. O departamento de finanças, através do vice-presidente Claudio Pracownik, enviou as respostas em 19 de junho, com detalhamento de alguns investimentos. Confira abaixo. 

GloboEsporte.com:  A contratação de Everton Ribeiro é a mais cara da história do clube?
 
Claudio Pracownik: Se não foi a maior, certamente foi uma das maiores. Teríamos que fazer uma pesquisa histórica com conversão de câmbio à época para poder afirmar isso. 

Qual evolução do investimento - falando em contratações de ativos (direitos econômicos de jogadores) - que o clube vem tendo desde 2013, primeiro ano da gestão Bandeira?
Em valores aproximados e históricos, seguem os valores investidos em direitos econômicos de jogadores: 

- 2013: R$9 milhões
- 2014: R$15 milhões
- 2015: R$ 8,5 milhões
- 2016: R$ 25 milhões
- 2017: R$ 58 milhões 

Havia previsão no orçamento de 2017 do clube de atingir folha salarial de cerca de R$ 8,5 milhões a R$ 9 milhões. Hoje, com as novas contratações chegando, está nesse patamar?
Sim, estamos dentro desse patamar, que pode vir a ser revisto conforme novo orçamento a ser apresentado ao Conselho de Administração. 

Há necessidade - ou seria recomendável, ao menos - do Flamengo negociar ou emprestar jogadores neste momento para encaixar as novas contratações?
Estamos definindo a revisão orçamentária a ser apresentada ao Conselho de Administração do Clube. Uma revisão de Usos e Fontes de recursos está, portanto, em andamento e será submetida para tal aprovação. A venda ou empréstimo de jogadores será avaliada dentro deste contexto. 

Quanto o Flamengo ainda tem para pagar dos últimos reforços, incluindo a operação por Éverton Ribeiro e Rhodolfo?
Incluindo o Marcelo Cirino e sem contar com o Éverton Ribeiro e Rhodolfo, temos a pagar R$32 milhões em reforços ainda. 

(Nota da redação: incluindo Cirino, caso este não seja negociado ao fim do contrato com o Fla (em dezembro deste ano) ou não haja entendimento com a Doyen, o Flamengo paga 3,5 milhões de euros (R$ 13 milhões pela cotação desta sexta-feira) pelo percentual dos direitos do atacante, além de juros de 10% ao ano, ao parceiro. O que significa mais de R$ 15 milhões. Somando Éverton e Rhodolfo, o Fla ainda tem mais R$ 27 milhões nesta conta. Ao todo, mais R$ 40 milhões.)

Venda de Vinicius Junior impulsinou receita do Fla em 2017 (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)

O presidente Bandeira disse que a venda do Vinicius obrigava o Fla a rever o orçamento 2017. O Flamengo já tem definido onde vai investir a grana da venda? Servirá para pagamento de empréstimos, como, por exemplo da obra da Ilha, para compra do Everton Ribeiro?
 Estamos definindo a revisão orçamentária a ser apresentada ao Conselho de Administração do Clube. Uma revisão de Usos e Fontes de recursos está, portanto, em andamento e será submetida para esta necessária aprovação. Dentro da proposta que estamos elaborando, uma parte importante dos valores arrecadados com a venda do Vinicius Júnior será destinada ao Departamento de Futebol, seja na compra de novos jogadores (para o time principal e para a base), seja para investimento em equipamentos, infraestrutura e sistemas julgados importantes para o citado Departamento. 

As venda do Jorge e do Vinicius devem ter aumentado e muito a previsão de receitas do ano. Com as receitas extraordinárias qual a previsão total de receitas?
 São superiores a R$600 milhões. 

TODAS AS CONTRATAÇÕES DA GESTÃO BANDEIRA DE MELLO:

2013 2014 2015 2016 2017
Bruninho (meia) Arthur (meia) Almir (meia) Antonio Carlos (zagueiro) Trauco (lateral)
Carlos Eduardo (meia) Anderson Pico (lateral) Kayke (atacante) Juan (zagueiro) Conca (meia)
Diego Silva (atacante) Elano (meia) Thallyson (lateral) Chiquinho (lateral) Rômulo (volante)
Val (volante) Erazo (zagueiro) Marcelo Cirino (atacante) Artur Henrique (lateral) Berrío (atacante)
Gabriel (meia) Feijão (volante) Pará (lateral) Mancuello (meia) Renê (lateral)
João Paulo (lateral) Alecsandro (atacante) Armero (lateral) Rodinei (lateral) Éverton Ribeiro (meia)
Elias (volante) Eduardo da Silva (atacante) Artur Maia (meia) Alex Muralha (goleiro) Rhodolfo (zagueiro)
Paulinho (atacante) Marcelo (zagueiro) Alan Patrick (meia) Willian Arão (volante) Geuvânio (atacante)
Wallace (zagueiro) Mugni (meia) Ederson (meia) Cuéllar (volante)
Chicão (zagueiro) Márcio Araújo (volante) Ayrton (lateral) Fernandinho (atacante)
Marcelo Moreno (atacante) Elton (atacante) Bressan (zagueiro) Rafael Vaz (zagueiro)
André Santos (lateral) Canteros (volante) Emerson Sheik (atacante) Réver (zagueiro)

Everton (meia-atacante) César Martins (zagueiro)


Léo (lateral) Guerrero (atacante)



Jonas (volante)

Nenhum comentário: