Tu és... Time de tradição... Raça, amor e paixão... Oh meu Mengo!!! Eu... Sempre te amarei... Onde estiver estarei... Oh meu Mengo!!!

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Jonas avalia ano "conturbado" no Flamengo e revê entradas violentas: "Foram fortes"

Jonas, volante do Flamengo (Foto: Reprodução/TV Clube)A etiqueta de Jonas na prateleira do mercadão da bola adiantava: jogador com pegada forte na marcação, precisão nas roubadas de bola e o apelido de Schweinsteiger do Maranhão, época em que brilhou no Sampaio Corrêa. Encantado, o Flamengo contratou o volante por quatro anos. Na sua primeira temporada na Gávea, o marcador adicionou à lista de estilos algo fora dos planos no clube onde sempre desejou atuar. Por excessos – ou imprudências –, a fama de violento e maldoso marcou o noticiário do atleta em 2015. E o piauiense reconheceu: exagerou. Durante uma partida beneficente com amigos em Teresina, no Piauí, sua terra natal, Jonas admitiu ter dado entradas acima do limite e reviu alguns dos lances protagonizados por ele. Contudo, o apoiador disse ter sofrido injustiças dos árbitros e avaliações pesadas. Mesmo assim, prometeu mais tranquilidade e desejou um espaço maior no time preparado por Muricy Ramalho para 2016. 

De olho atento ao vídeo e o jeitão sério, sem espaço para sorrisos, Jonas analisou o chute no rosto de Gilberto, na semifinal do Campeonato Carioca, contra o Vasco – o atacante cruz-maltino levou pontos – e a expulsão no duelo com o Corinthians, na 32ª rodada do Brasileirão. Máquina mortífera do meio-campo? Jonas disse não.      

- O Flamengo é muito grande. Qualquer coisa, a repercussão é imensa. Quem me acompanhou, percebeu que muitos lances na temporada foram injustos, principalmente as expulsões. Diante de tudo, sei que devemos passar por cima. É olhar para frente, críticas sempre aparecem e nos motivam, assim como os elogios fazem o profissional crescer – interpretou. 

Houve espaço também para mea-culpa e uma análise de uma arbitragem severa. 

- As entradas incomodaram. Analisei e sei que foram fortes. E entrar em 2016 com tranquilidade e experiência. Acredito que o ano serviu de lição, aprendizado. Agora é entrar focado e buscar títulos no Flamengo. É esquecer e pensar: novas coisas estão chegando. Foi meu primeiro ano jogando na Série A. Na época do Sampaio Corrêa, durante a Série B, entrava forte e o árbitro não apitava faltas desses tipos. É esquecer, entrar 2016 com mais calma, tranquilidade e almejar algo maior, como todo jogador, chegar à Seleção - completou. 

Jonas, Flamengo, Gilberto, Vasco (Foto: Reprodução SporTV)Entrada de Jonas em Gilberto do Vasco (Foto: Reprodução SporTV)
 
Aos 24 anos, Jonas jogou em 2015 a Série A pela primeira vez. No Brasileirão, foram 19 jogos no Rubro-Negro, oito cartões amarelos e duas expulsões – Coritiba e Corinthians. Na temporada – com Copa do Brasil e Campeonato Carioca – o volante acumulou 32 partidas, das 67 do Fla em 2015. Titular na época de Vanderlei Luxemburgo e quase sempre nas escalações de Cristóvão Borges, Jonas acabou no banco durante o período de Oswaldo de Oliveira à frente do time. Com o fim de temporada apagado, longe do que imaginava quando assinou com o Flamengo, o jogador espera uma afirmação no time, agora sob o comando de Muricy. Ou seja, um ano mais estável. 

- Estou confortável no Flamengo, todo mundo acolheu com o melhor, com carinho. Ter ficado no banco é ter paciência, o professor (Muricy Ramalho) é um profissional experiente. Tenho certeza que o ano de 2016 será melhor para o time.  Em 2015, o ano foi conturbado, mas nada melhor do que um dia após o outro e entrar o próximo ano com grandes metas e objetivos. Vou continuar trabalhando forte, focado e sempre à disposição.

Nenhum comentário: